Budapeste retira candidatura para Jogos de 2024

Concorrendo ao lado de Los Angeles e Paris para sediar os Jogos, Budapeste era vista como uma candidata mais fraca e apostava suas fichas na iniciativa Agenda 2020

Por Redação, com Reuters – de Budapeste:

O governo municipal de Budapeste retirou nesta quarta-feira a candidatura da cidade para sediar os Jogos Olímpicos de 2024, citando falta de unidade depois que um movimento político novo recolheu mais de um quarto de milhão de assinaturas para forçar um referendo sobre a questão.

O governo municipal de Budapeste retirou nesta quarta-feira a candidatura da cidade para sediar os Jogos Olímpicos de 2024
O governo municipal de Budapeste retirou nesta quarta-feira a candidatura da cidade para sediar os Jogos Olímpicos de 2024

Concorrendo ao lado de Los Angeles e Paris para sediar os Jogos, Budapeste era vista como uma candidata mais fraca e apostava suas fichas na iniciativa Agenda 2020, do Comitê Olímpico Internacional (COI), que promove, entre outros pontos, Olimpíadas com custos menores.

De acordo com uma pesquisa publicada na semana passada pelo instituto de pesquisas Median. Metade dos húngaros gostaria que Budapeste retirasse a candidatura.

Em Budapeste, 56 % dos eleitores são contra a candidatura, que a pesquisa mostrou ser pouco provável de sobreviver a um referendo.

Esporte de alto rendimento

Um acordo de cooperação firmado entre Ministério do Esporte e o Comando do Exército, no dia 8 deste mês. Possibilitará o uso do Complexo Esportivo de Deodoro de forma compartilhada para fomentar a prática esportiva de alto rendimento. Bem como o desenvolvimento de atividades de integração social. 

No acordo estão estabelecidas responsabilidades para funcionamento e utilização do espaço, localizado na cidade do Rio de Janeiro. O ministro do Esporte, Leonardo Picciani. Ele destacou a importância da iniciativa para os futuros atletas do País. 

– Esses equipamentos esportivos sob a gestão do Exército brasileiro estarão absolutamente bem cuidados. Serão utilizados naquilo a que devem se destinar. Eles representam um legado para os atletas brasileiros e, sobretudo. Para as futuras gerações de atletas do Brasil – disse. 

De acordo com o comandante-geral do Exército, general Villas Bôas. Mais de uma centena de militares já trabalham nos cuidados com o legado. Mais especificamente com Deodoro, no Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEX).“Que, além da sua vocação para o esporte de alto rendimento, será disponibilizado cada vez mais para o programa Forças do Esporte. Em parceria com o ministério, para permitir a inclusão social de crianças e jovens das comunidades no entorno”, afirmou o general.