Nadadora ferida por queda de árvore continua internada em SP

O hospital não deu previsão de alta e a equipe médica não informou ainda se ela ficará com sequelas por conta da lesão

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

O estado de saúde da nadadora Larissa Oliveira, internada desde a última quarta-feira, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, é bom, de acordo com boletim médico divulgado no dia anterior.

Nadadora Larissa Oliveira
Nadadora Larissa Oliveira

Ela passou por uma cirurgia em decorrência de um ferimento de 30 centímetros na coxa direita. Depois de uma árvore cair sobre o seu carro. Durante o temporal que atingiu São Paulo na quarta-feira.

O hospital não deu previsão de alta. A equipe médica não informou ainda se ela ficará com sequelas por conta da lesão. Os médicos responsáveis pelo tratamento de Larissa são Rodrigo Novaes do Canto e Ricardo Basile.

Rio 2016

Larissa participou da delegação brasileira que foi aos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Ela completou cinco provas: 100 e 200 m livres. Nos revezamentos 4×100 m medley, e 4×100 m e 4×200 m nado livre.

A atleta também já foi campeã mundial de piscina curta em Doha, em 2014, na prova de 4×50 m medley misto. E é três vezes medalhista panamericana. Foi prata no 4×200 m livre e bronze no 4×100 m livre e no 4×100 m medley, nos jogos de Toronto 2015.

COB abre votação para escolha do ‘Atleta da Torcida’

A festa organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) premiará também os “Melhores Atletas do Ano” e fará uma homenagem especial aos medalhistas do Time Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Por Redação, com ACS – de Brasília:

A votação para definir o “Atleta da Torcida” de 2016 está aberta até o dia 29 de março. Cada pessoa pode votar uma vez em seu concorrente preferido pela enquete publicada na página facebook.com/timebrasil e no sitecob.org.br/pbo. O(a) vencedor(a) será homenageado(a) na cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.

Para concorrer ao “Atleta da Torcida”, o COB selecionou atletas ou duplas que se destacaram durante a temporada de 2016
Para concorrer ao “Atleta da Torcida”, o COB selecionou atletas ou duplas que se destacaram durante a temporada de 2016

A festa organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) premiará também os “Melhores Atletas do Ano”. E fará uma homenagem especial aos medalhistas do Time Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Em 2015, o Atleta da Torcida foi o nadador Thiago Pereira.

Para concorrer ao “Atleta da Torcida”, o COB selecionou atletas ou duplas que se destacaram durante a temporada de 2016. Concorrem ao prêmio os medalhistas olímpicos do Time Brasil. Alison e Bruno Schmidt (vôlei de praia), Arthur Nory (ginástica artística). Diego Hypólito (ginástica artística), Isaquias Queiroz (canoagem velocidade). Kahena Kunze e Martine Grael (vela), Poliana Okimoto (maratona aquática), Rafaela Silva (judô). Robson Conceição (boxe), Serginho (vôlei) e Thiago Braz (atletismo).

Já na categoria “Melhores Atletas do Ano” concorrem Martine Grael / Kahena Kunze (vela), Poliana Okimoto (maratona aquática) e Rafaela Silva (judô), no feminino; e Isaquias Queiroz (canoagem), Serginho (vôlei) e Thiago Braz (atletismo), no masculino.

Modalidade

A escolha dos melhores atletas em cada modalidade, assim como os dois que receberão o Troféu Melhor Atleta do Ano, foi realizada por um júri formado por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte.

Oscar do esporte brasileiro, o Prêmio Brasil Olímpico chega à sua 18ª edição prestando homenagens ainda em outras categorias: Melhor Técnico Individual e Coletivo; Troféu Adhemar Ferreira da Silva e Melhores Atletas nos Jogos Escolares da Juventude. Os medalhistas nos Jogos Olímpicos Rio 2016 também receberão homenagem especial.

Denúncia de corrupção

O comitê organizador dos Jogos Rio 2016 negou na semana passada que tenha sido beneficiado por compra de votos na eleição pelo direito de sediar a Olimpíada, depois que um jornal francês disse que um empresário brasileiro fez pagamentos ao filho de um então membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) antes da votação.

De acordo com o Le Monde, uma empresa relacionada com o executivo Arthur César de Menezes Soares Filho fez um pagamento de US$ 1,5 milhão a Papa Massata Diack, filho do então presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf). Membro do COI Lamine Diack, três dias antes da votação de 2009 que definiu o Rio como sede dos Jogos Olímpicos.

– A vitória do Rio foi claríssima – disse à agência inglesa de notícias Reuters o diretor de Comunicação do Rio 2016, Mario Andrada, em resposta à acusação. “A investigação francesa diz respeito a seis membros do COI, e seis membros não mudariam nada no resultado. A eleição foi limpa”.

O Rio foi eleito sede dos Jogos Olímpicos em uma votação em que derrotou Chicago, Tóquio e Madri. Na votação final, contra a cidade espanhola, a candidatura carioca obteve um triunfo com margem folgada, 66 a 32 votos.

O Le Monde disse que Papa Massata Diack pagou quase US$ 300 mil ao alto membro do COI Frankie Fredericks. Que afirmou não ter feito nada de errado e disse que o dinheiro foi um pagamento por serviços para promover o esporte na África.

O COI anunciou nesta sexta-feira que sua comissão de ética abriu uma investigação sobre a acusação.

Dirigente do COI acusado de receber propina deixa cargo nos Jogos de 2024

Fredericks, ex-corredor olímpico da Namíbia, negou ter cometido qualquer irregularidade e disse que estava deixando o cargo para não ser uma distração devido à investigação

Por Redação, com Reuters – de Berlim:

O membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) Frank Fredericks renunciou nesta terça-feira ao cargo de chefe da comissão de avaliação dos Jogos de 2024 após a abertura de uma investigação sobre dinheiro que teria recebido de um consultor de marketing acusado de envolvimento em uma série de escândalos, inclusive uma suspeita de compra de voto do Rio de Janeiro na disputa pelos Jogos de 2016.

Membro do COI Frank Fredericks simula uma largada em estádio de Madri
Membro do COI Frank Fredericks simula uma largada em estádio de Madri

Fredericks, ex-corredor olímpico da Namíbia. Ele negou ter cometido qualquer irregularidade. E disse que estava deixando o cargo para não ser uma distração devido à investigação. Na segunda-feira ele já havia renunciado a seu posto como integrante da força-tarefa da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf).

Como chefe da comissão de avaliação do COI. Fredericks seria o líder das visitas de inspeção às cidades candidatas Los Angeles e Paris, nas próximas semanas. E apresentaria um relatório ao COI antes da votação para a escolha da sed de 2024, em setembro.

Jogos de 2016

Na semana passada, o jornal francês Le Monde envolveu Fredericks em uma denúncia de compra de voto do Rio na eleição de 2009 em que a cidade foi escolhida como sede dos Jogos de 2016.

Segundo o jornal, ele teria recebido quase US$ 300 mil de Papa Massata Diack. Que por sua vez teria recebido pagamento de US$ 1,5 milhão de um empresário brasileiro dias antes da eleição da sede olímpica.

Papa Massata Diack, filho do ex-presidente da Iaaf e ex-membro do COI Lamine Diack. Ele foi banido pela federação de atletismo no ano passado devido a acusações de corrupção. Lamine Diack. Por sua vez, está atualmente aguardando julgamento na França por acusações de corrupção e lavagem de dinheiro.

Justiça determina que Comitê Rio 2016 faça reparos no Maracanã

O Comitê deverá ainda, no prazo 15 dias após a intimação, apresentar a comprovação em juízo das medidas adotadas para concretizar a decisão

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

A juíza Maria Paula Gouvea Galhardo, da 4ª Vara da Fazenda Pública da capital, determinou que o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 faça os reparos nos estádios Maracanã e Maracanãzinho, no prazo de 30 dias, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. A magistrada acolheu em parte o pedido de liminar (decisão provisória) do governo do Estado que move ação contra o Comitê. A decisão da Justiça foi divulgada nesta terça-feira.

Na ação, o Estado também cobra o pagamento das contas de água e luz vencidas e não quitadas durante o período de cessão do espaço
Na ação, o Estado também cobra o pagamento das contas de água e luz vencidas e não quitadas durante o período de cessão do espaço

O governo argumenta que os estádios foram cedidos ao grupo organizador dos Jogos por nove meses para a realização do evento. E que encerrado o período exclusivo de uso, deveria devolvê-los nas mesmas condições recebidas.

O Comitê deverá ainda, no prazo 15 dias após a intimação. Apresentar a comprovação em juízo das medidas adotadas para concretizar a decisão.

Na ação, o Estado também cobra o pagamento das contas de água e luz vencidas e não quitadas durante o período de cessão do espaço, previsto no Termo de Autorização do Uso. No entanto, a juíza entendeu que o governo não apresentou provas de que a dívida. Que inclusive provocou o corte no fornecimento de energia elétrica nos estádios, seria relativo ao período de ocupação pelo Comitê.

Reparos

O diretor executivo de comunicações do Comitê Rio 2016, Mário Andrada. Informou que a organização tem que fazer reparos no Maracanã estabelecidos no documento de entrega do estádio. Segundo ele, o Comitê vai entregar um plano de trabalho até o fim desta semana e os reparos serão concluídos até o fim deste mês.

– São reparos pequenos, no valor total de R$ 505 mil. O Comitê já tinha se comprometido a fazer (os reparos) em novembro, quando entregou o estádio. Não inclui a cobertura, o campo, a substituição de cadeira. Só temos que trocar algumas lâmpadas, trocar vidros, fazer uma pintura na parte interior do estádio. A gente vai fazer conforme a determinação da Justiça – disse Andrada.

Em outra liminar concedida ao Estado, em janeiro. A Justiça determinou que o Complexo do Maracanã. Liderado pela Odebrecht, assumisse os estádios. A empresa recorreu, mas não conseguiu derrubar a decisão.

Denúncia de corrupção atinge Comitê Olímpico da Rio 2016

O Le Monde disse que Papa Massata Diack pagou quase US$ 300 mil ao alto membro do COI Frankie Fredericks, que afirmou não ter feito nada de errado

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro/Paris:

O comitê organizador dos Jogos Rio 2016 negou nesta sexta-feira que tenha sido beneficiado por compra de votos na eleição pelo direito de sediar a Olimpíada, depois que um jornal francês disse que um empresário brasileiro fez pagamentos ao filho de um então membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) antes da votação.

O COI anunciou nesta sexta-feira que sua comissão de ética abriu uma investigação sobre a acusação
O COI anunciou nesta sexta-feira que sua comissão de ética abriu uma investigação sobre a acusação

De acordo com o Le Monde, uma empresa relacionada com o executivo Arthur César de Menezes Soares Filho fez um pagamento de US$ 1,5 milhão a Papa Massata Diack, filho do então presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf). Membro do COI Lamine Diack, três dias antes da votação de 2009 que definiu o Rio como sede dos Jogos Olímpicos.

– A vitória do Rio foi claríssima – disse à agência inglesa de notícias Reuters o diretor de Comunicação do Rio 2016, Mario Andrada, em resposta à acusação. “A investigação francesa diz respeito a seis membros do COI, e seis membros não mudariam nada no resultado. A eleição foi limpa”.

O Rio foi eleito sede dos Jogos Olímpicos em uma votação em que derrotou Chicago, Tóquio e Madri. Na votação final, contra a cidade espanhola, a candidatura carioca obteve um triunfo com margem folgada, 66 a 32 votos.

O Le Monde disse que Papa Massata Diack pagou quase US$ 300 mil ao alto membro do COI Frankie Fredericks. Que afirmou não ter feito nada de errado e disse que o dinheiro foi um pagamento por serviços para promover o esporte na África.

O COI anunciou nesta sexta-feira que sua comissão de ética abriu uma investigação sobre a acusação.

Investigação

– O COI continua totalmente comprometido em esclarecer esta situação, trabalhando em cooperação com a Procuradoria (da França) – informou a organização em comunicado.

A reportagem do Le Monde afirma que três dias antes da votação do COI em outubro de 2009, em Copenhague. A empresa Pamodzi Consulting, de propriedade de Papa Massata Diack. Recebeu US$ 1,5 milhão da Matlock Capital Group, uma holding com sede nas Ilhas Virgens Britânicas.

Diack, cujo pai Lamine está atualmente aguardando julgamento na França por acusações de corrupção e lavagem de dinheiro. Também recebeu US$ 500 mil da Matlock Capital Group através de um banco russo, segundo o Le Monde.

Papa Massata Diack foi banido pela federação de atletismo no ano passado devido a acusações milionárias de corrupção.

Segundo o Le Monde, Papa Massata Diack transferiu quase US$ 300 mil para uma companhia ligada a Fredericks. Múltiplo medalhista olímpico e mundial dos 100 e 200 metros.

Fredericks, atualmente membro do Conselho da Iaaf, disse ao Le Monde que o dinheiro foi pago por um trabalho feito por ele para promover o atletismo na África entre 2007 e 2001.

– O pagamento não tem nenhuma relação com os Jogos Olímpicos, e eu não era membro da diretoria da Iaaf naquela época e não infringiu qualquer regulamento ou regra ética – disse ele ao jornal.

COI

O COI afirmou: “Até onde envolve o sr. Fredericks, ele informou ao COI e explicou a situação e enfatizou sua inocência imediatamente após ser contatado pelo jornalista. O COI confia que o sr. Fredericks irá trazer todos os elementos para provar sua inocência contra estas acusações feitas pelo Le Monde“, acrescentou.

– Imediatamente após uma ligação ser feita entre o pagamento contratual e a votação para a cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016, o sr. Fredericks foi à Comissão de Ética do COI, que agora acompanha todas as acusações para esclarecer totalmente esta questão.

Segundo o diretor da Rio 2016, a investigação das autoridades francesas está focada em Lamine Diack e “não tem nenhuma ligação” com a candidatura do Rio.

– Só quando os franceses concluírem a sua investigação será possível dizer quem são os beneficários desse esquema. De antemão, porém, está claro que os Jogos do Rio não têm nada a ver com isso – disse Mario Andrada.

À Reuters não conseguiu contato com Arthur César de Menezes Soares Filho.

Budapeste retira candidatura para Jogos de 2024

Concorrendo ao lado de Los Angeles e Paris para sediar os Jogos, Budapeste era vista como uma candidata mais fraca e apostava suas fichas na iniciativa Agenda 2020

Por Redação, com Reuters – de Budapeste:

O governo municipal de Budapeste retirou nesta quarta-feira a candidatura da cidade para sediar os Jogos Olímpicos de 2024, citando falta de unidade depois que um movimento político novo recolheu mais de um quarto de milhão de assinaturas para forçar um referendo sobre a questão.

O governo municipal de Budapeste retirou nesta quarta-feira a candidatura da cidade para sediar os Jogos Olímpicos de 2024
O governo municipal de Budapeste retirou nesta quarta-feira a candidatura da cidade para sediar os Jogos Olímpicos de 2024

Concorrendo ao lado de Los Angeles e Paris para sediar os Jogos, Budapeste era vista como uma candidata mais fraca e apostava suas fichas na iniciativa Agenda 2020, do Comitê Olímpico Internacional (COI), que promove, entre outros pontos, Olimpíadas com custos menores.

De acordo com uma pesquisa publicada na semana passada pelo instituto de pesquisas Median. Metade dos húngaros gostaria que Budapeste retirasse a candidatura.

Em Budapeste, 56 % dos eleitores são contra a candidatura, que a pesquisa mostrou ser pouco provável de sobreviver a um referendo.

Esporte de alto rendimento

Um acordo de cooperação firmado entre Ministério do Esporte e o Comando do Exército, no dia 8 deste mês. Possibilitará o uso do Complexo Esportivo de Deodoro de forma compartilhada para fomentar a prática esportiva de alto rendimento. Bem como o desenvolvimento de atividades de integração social. 

No acordo estão estabelecidas responsabilidades para funcionamento e utilização do espaço, localizado na cidade do Rio de Janeiro. O ministro do Esporte, Leonardo Picciani. Ele destacou a importância da iniciativa para os futuros atletas do País. 

– Esses equipamentos esportivos sob a gestão do Exército brasileiro estarão absolutamente bem cuidados. Serão utilizados naquilo a que devem se destinar. Eles representam um legado para os atletas brasileiros e, sobretudo. Para as futuras gerações de atletas do Brasil – disse. 

De acordo com o comandante-geral do Exército, general Villas Bôas. Mais de uma centena de militares já trabalham nos cuidados com o legado. Mais especificamente com Deodoro, no Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEX).“Que, além da sua vocação para o esporte de alto rendimento, será disponibilizado cada vez mais para o programa Forças do Esporte. Em parceria com o ministério, para permitir a inclusão social de crianças e jovens das comunidades no entorno”, afirmou o general.

Candidatura olímpica de Budapeste pode chegar ao fim

Concorrendo ao lado de potências como Los Angeles e Paris, Budapeste tem sido considerada menos favorita, mantendo suas esperanças na iniciativa Agenda 2020

Por Redação, com agências internacionais – de Budapeste/Rio de Janeiro:

O prefeito de Budapeste irá dizer ao governo que a unidade política sobre a candidatura da cidade para sediar a Olimpíada de 2024 foi quebrada, de acordo com uma resolução de conselho amplamente vista como o primeiro passo para a retirada da candidatura.

O prefeito de Budapeste irá dizer ao governo que a unidade política sobre a candidatura da cidade para sediar a Olimpíada de 2024 foi quebrada
O prefeito de Budapeste irá dizer ao governo que a unidade política sobre a candidatura da cidade para sediar a Olimpíada de 2024 foi quebrada

Sob a resolução vista pela agência inglesa de notícias Reuters e sendo colocada ao Conselho Municipal nesta quarta-feira. O prefeito de Budapeste, Istvan Tarlos, irá pedir ao governo para “esclarecer se, como a unidade nacional terminou. Há qualquer motivo para manter a candidatura de Budapeste”.

Concorrendo ao lado de potências como Los Angeles e Paris, Budapeste tem sido considerada menos favorita. Mantendo suas esperanças na iniciativa Agenda 2020 do Comitê Olímpico Internacional que busca um retorno do evento aos valores mais simples e preços mais baixos.

Após oponentes locais à candidatura enviarem na semana passada um quarto de milhão de assinaturas em petição para um referendo sobre a candidatura. Tarlos sugeriu que a cidade pode deixar a disputa.

Mas ele também rejeitou responsabilidade por permitir que a candidatura fracasse, dizendo que a questão é um assunto nacional.

A resolução do conselho desta quarta-feira deve autorizar Tarlos a discutir sobre a candidatura com o governo nacional e o comitê olímpico.

De acordo com uma pesquisa publicada nesta quarta-feira pelo instituto de pesquisas Median. Metade dos húngaros gostaria que Budapeste retirasse a candidatura.

Em Budapeste, 56 % dos eleitores são contra a candidatura, que a pesquisa mostrou ser pouco provável de sobreviver a um referendo.

Esporte de alto rendimento

Um acordo de cooperação firmado entre Ministério do Esporte e o Comando do Exército, no dia 8 deste mês. Possibilitará o uso do Complexo Esportivo de Deodoro de forma compartilhada para fomentar a prática esportiva de alto rendimento. Bem como o desenvolvimento de atividades de integração social. 

No acordo estão estabelecidas responsabilidades para funcionamento e utilização do espaço, localizado na cidade do Rio de Janeiro. O ministro do Esporte, Leonardo Picciani. Ele destacou a importância da iniciativa para os futuros atletas do País. 

– Esses equipamentos esportivos sob a gestão do Exército brasileiro estarão absolutamente bem cuidados. Serão utilizados naquilo a que devem se destinar. Eles representam um legado para os atletas brasileiros e, sobretudo. Para as futuras gerações de atletas do Brasil – disse. 

De acordo com o comandante-geral do Exército, general Villas Bôas. Mais de uma centena de militares já trabalham nos cuidados com o legado. Mais especificamente com Deodoro, no Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEX).“Que, além da sua vocação para o esporte de alto rendimento, será disponibilizado cada vez mais para o programa Forças do Esporte. Em parceria com o ministério, para permitir a inclusão social de crianças e jovens das comunidades no entorno”, afirmou o general.

Nesta Carter apela contra retirada de medalha por doping

Carter fez o apelo ao CAS buscando alterar a decisão de 25 de janeiro do Comitê Olímpico Internacional, na qual ele foi acusado de ter quebrado regras

Por Redação, com Reuters – de Zurique:

O velocista jamaicano Nesta Carter, cujo teste positivo para doping custou a medalha de Usain Bolt na prova de revezamento 4x100m dos Jogos de Pequim, em 2008, apelou à Corte Arbitral do Esporte (CAS), pedindo que a equipe jamaicana seja reinstalada como vencedora de prova.

Velocista Nesta Carter durante treino na Jamaica
Velocista Nesta Carter durante treino na Jamaica

Carter fez o apelo ao CAS buscando alterar a decisão de 25 de janeiro do Comitê Olímpico Internacional. Na qual ele foi acusado de ter quebrado regras antidoping durante os Jogos de Pequim. Segundo comunicado do CAS desta sexta-feira.

Trinidad e Tobago seria promovida ao ouro no revezamento 4x100m em Pequim. Prova na qual a Jamaica quebrou o então recorde mundial. O Japão subiria para a prata e o Brasil ficaria com o bronze.

Bolt

O velocista Usain Bolt não está se deixando abater pela decepção de perder a medalha de ouro conquistada no revezamento 4×100 metros na Olimpíada de Pequim devido ao doping de seu colega jamaicano de equipe Nesta Carter, mas reconheceu a frustração.

Bolt, que conquistou nas pistas um inédito “triplo triplo” de títulos olímpicos. Nos 100m, 200m e 4x100m nos Jogos Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016. Ele foi privado de seu ouro no revezamento dos 4x100m da China no mês passado. Quando um novo exame com uma amostra de Carter indicou que ele havia usado a substância proibida dimetilamilamina.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) ordenou que Carter, que já disse que irá recorrer da decisão à Corte Arbitral do Esporte (CAS), e os colegas Bolt, Asafa Powell e Michael Frater devolvam as medalhas.

– Inicialmente fiquei decepcionado, claro – disse Bolt a repórteres ao chegar ao aeroporto de Melbourne antes da competição Nitro Athletics. “Mas na vida coisas acontecem. Não estou triste… só estou esperando para ver o que vai acontecer”.

– Mas entreguei minha medalha.

Powell, que já foi afastado por seis meses devido a um teste de doping positivo em 2013, repetiu a opinião de seu compatriota.

– É uma pena, e temos que olhar para o futuro – disse. “Conquistamos muita coisa e só precisamos ser positivos a respeito disso agora. Não estou em condição de dizer o que deveria e não deveria (ser proibido). É o que é. Algumas coisas não são justas”.

Bolt irá liderar uma equipe internacional de astros do atletismo na Nitro Athletics em Melbourne contra times representando Inglaterra, China, Nova Zelândia e Japão.

O primeiro meeting irá acontecer em 4 de fevereiro, e os outros dois nos dias 9 e 11 do mesmo mês.

Petição desafia candidatura de Budapeste para Olimpíada de 2024

O movimento político húngaro Momentum coletou mais de 200 mil assinaturas em petição contra a candidatura, levantando a possibilidade de um referendo

Por Redação, com Reuters – de Budapeste:

Budapeste se aproximou nesta sexta-feira de uma possível retirada de sua candidatura para sediar os Jogos Olímpicos de 2024, podendo afetar ainda as tentativas dos organizadores de encontrarem uma cidade para realizar o evento, após diversos cancelamentos de candidaturas.

Ativistas coletam assinaturas em petição contra candidatura de Budapeste para os Jogos Olímpicos de 2024
Ativistas coletam assinaturas em petição contra candidatura de Budapeste para os Jogos Olímpicos de 2024

O movimento político húngaro Momentum coletou mais de 200 mil assinaturas em petição contra a candidatura. Levantando a possibilidade de um referendo, relatou o jornal Magyar Nemzet nesta sexta-feira.

O prefeito de Budapeste, Istvan Tarlos, disse durante entrevista coletiva que, caso um referendo contra a candidatura seja acionado. Ele irá “considerar seriamente” uma proposta de retirada.

Budapeste compete contra Paris e Los Angeles pelo direito de realizar os Jogos, um evento cujos preços cresceram bruscamente nos últimos 20 anos.

Caso a cidade retire a candidatura, ela se junta a Hamburgo, Roma e Boston entre as cidades que abandonaram a tentativa.

Um porta-voz do Momentum se negou a comentar sobre a reportagem do jornal antes de entrevista coletiva planejada para esta sexta-feira. Funcionários do governo e organizadores da candidatura também se negaram a comentar.

Grupo de estudantes

O Momentum, criado por um grupo de estudantes nascidos por volta de 1989. Quando o regime comunista do país caiu. Irá terminar de coletar assinaturas ao final de uma campanha de um mês e enviá-las ao escritório eleitoral de Budapeste.

A autoridade então irá decidir se há número suficiente de assinaturas válidas coletadas para pedir um referendo.

Nadador australiano é preso após sofrer colapso na casa dos pais

O pai do atormentado medalhista olímpico contou ao jornal local, Gold Coast Bulletin, que chamou a polícia para que o ex-atleta de 36 anos recebesse ajuda

Por Redação, com Reuters – de Melbourne/Rio de Janeiro:

O famoso nadador australiano de longa distância Grant Hackett foi preso e detido pela polícia na Costa Dourada nesta quarta-feira depois de sofrer um “colapso” na casa de seus pais, noticiou a mídia local.

Nadador australiano de longa distância Grant Hackett com medalha de prata nos Jogos de Pequim, em 2008
Nadador australiano de longa distância Grant Hackett com medalha de prata nos Jogos de Pequim, em 2008

O pai do atormentado medalhista olímpico contou ao jornal local, Gold Coast Bulletin, que chamou a polícia para que o ex-atleta de 36 anos recebesse ajuda.

– Grant tem um problema médico que se manifestou aqui nesta manhã… ele estava delirando um pouco – disse Neville Hackett à publicação.

– Ele está sendo tratado por um médico. Ele é grande e forte quando não está feliz. Decidimos que ele precisa de algum tratamento. Mas ele não iria sair para se tratar nesta quarta de jeito nenhum, então chamamos a polícia.”

– A única maneira de a polícia poder fazer alguma coisa de acordo com a lei do país é prendê-lo por violência doméstica – disse.

Neville Hackett disse que o nadador não fez nenhuma ameaça. Mas que não é “o que você chamaria de uma pessoa normal”.

A rede local Channel Seven publicou imagens em vídeo de Hackett sendo levado a uma delegacia algemado.

Prisão

O porta-voz da polícia de Queensland disse que um homem foi preso “após um distúrbio em uma residência de Surfer’s Avenue, em Mermaid Waters, perto do meio dia”.

O agente de Grant Hackett não estava disponível para comentar.

Hackett conquistou o ouro nos 1.500 metros na Olimpíada de Sydney de 2000 e nos Jogos de Atenas de 2004. Ele se aposentou depois da Olimpíada de Pequim de 2008. Na qual ficou com a prata na mesma competição.

Rio 2016

Arenas que custaram centenas de milhões de reais e uma área de lazer prometida à população de uma região pobre estão fechadas ao público desde o fim dos Jogos Rio 2016 devido a problemas financeiros, falta de interesse da iniciativa privada e atraso no planejamento, o que reforça as críticas e dúvidas sobre o prometido legado da primeira Olimpíada na América do Sul.

Ginásios que foram projetados para serem transformados em escolas após os Jogos ainda estão em desmontagem e permanecem sem utilização. Assim como um novo velódromo, que apesar de não receber ciclistas. Conta com o ar condicionado ligado de forma ininterrupta para a preservação da cara pista de madeira.

Parque Aquático

No Parque Aquático, as piscinas temporárias foram removidas para serem instaladas em outros locais. Mas as crateras onde estavam permaneceram abertas. Acumulando água suja. Um risco em uma região com histórico de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

– Sem dúvida que causa um desconforto aquela sensação de que um parque bonito desse, que a gente viu há tão pouco tempo. Não estar sendo utilizado como nós todos gostaríamos. Atletas, comunidade esportiva e população – reconheceu a subsecretária de Esportes da Prefeitura do Rio, Patrícia Amorim. Acrescentando que está trabalhando para reverter a situação.

Segundo ela, a troca de governo municipal na virada do ano. O fracasso no plano da gestão anterior de repassar o Parque Olímpico da Barra à iniciativa privada por falta de interessados. Foram fatores decisivos para o problema, além do “momento muito complicado no país” no tocante à questão de recursos.

– Nesse momento todo o nosso esforço são os estudos de viabilidade financeira – disse a ex-nadadora olímpica em entrevista à agência inglesa de notícias Reuters durante visita ao parque.

População

Ela ressaltou que está trabalhando para que em um curto espaço de tempo o local volte a estar à disposição da população. Conforme prometido no plano de legado da candidatura da cidade para receber a Olimpíada.

Desde o fim dos Jogos, o Parque Olímpico não havia recebido um evento esportivo sequer nas novas arenas até o último fim de semana, Quando o Centro Olímpico de Tênis foi palco de um jogo de vôlei de praia. Sob duras críticas de tenistas que lamentaram o despejo de toneladas de areia sobre a quadra.

Quadra de tênis

– É patético você ver que já que está fechado, é melhor ter areia do que não ter nada. É patético você ter uma quadra de tênis lá. Não ser usada para tênis seis meses depois dos Jogos – disse à Reuters o ex-tenista Fernando Meligeni, 4º colocado na Olimpíada de Atlanta 1996 e crítico da gestão esportiva no país.

– No momento em que você faz uma Olimpíada e coloca de pé tantas arenas na mesma cidade você tem que se preparar. É inaceitável você acabar uma Olimpíada e não ter ninguém preparado para assumir um legado desses – acrescentou.