Pequim 2008: Bolt perde ouro por doping de companheiro de revezamento

Bolt perde ouro de Pequim 2008 por doping de companheiro de revezamento

Carter foi acusado de ter usado a substância banida metilhexanamina, informou nesta quarta-feira o Comitê Olímpico Internacional

Por Redação, com agências internacionais – de Londres:

O velocista jamaicano Usain Bolt perdeu uma de suas nove medalhas de ouro olímpicas após o companheiro na equipe de revezamento 4×100 metros da Jamaica Nesta Carter ter um exame antidoping positivo nos Jogos de Pequim 2008.

Equipe jamaicana do revezamento 4x100m nos Jogos de Pequim
Equipe jamaicana do revezamento 4x100m nos Jogos de Pequim

Carter foi acusado de ter usado a substância banida metilhexanamina. Informou nesta quarta-feira o Comitê Olímpico Internacional (COI). Acrescentando que a equipe jamaicana terá que devolver suas medalhas de ouro.

Trinidad e Tobago ficará com o ouro no 4x100m, enquanto o Japão sobe para a prata e o Brasil, que havia ficado em quarto lugar, receberá o bronze, sujeito a novos resultados do programa de testes antidoping do COI.

Recursos do Comitê Brasileiro

O Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) repassou na última segunda-feira para 30 agremiações esportivas cerca de R$ 84 milhões para custear o pagamento de 705 profissionais da área. Entre técnicos, auxiliares, preparadores físicos e fisioterapeutas. Ao todo, 37 modalidades olímpicas e paralímpicas foram atendidas, o que beneficia cerca de 15 mil atletas.

No ciclo olímpico de 2016 e 2020, o CBC colocará à disposição mais de R$ 200 milhões para clubes de todo o País. O comitê consolidou ainda o trabalho desenvolvido desde 2014. Quando passou a receber e descentralizar recursos de concursos de prognósticos (0,5%) previstos na Nova Lei Pelé para a formação de atletas olímpicos e paralímpicos em clubes de todo o Brasil.

Segundo o presidente do Comitê Brasileiro de Clubes, Jair Pereira, tudo isso se deve à parceria com o Ministério do Esporte. “Estamos na contramão da crise, pois esse edital proporcionou manutenção e criação de novos postos de trabalho.

Contemplando a contratação de equipes técnicas e multidisciplinares pelos clubes para o próximo ciclo olímpico e paralímpico. O que representa um grande passo rumo a Tóquio 2020. O investimento nos clubes é acertado, já que são celeiros de talentos e berço do esporte nacional. Nos Jogos Olímpicos do Rio, 84% dos atletas brasileiros vieram deles”, acentuou.

Para Arthur Nori, medalhista olímpico na ginástica artística e um dos embaixadores da CBC. Esse apoio e parceria vai incentivar cada vez mais os atletas. “Vamos colher os frutos no futuro. Acredito que esse trabalho será feito de forma linda”, ressaltou.

Milos Raonic vence Roberto Bautista no Aberto da Austrália

O canadense, melhor colocado no ranking ainda vivo na competição após as derrotas de Andy Murray e Novak Djokovic, mostrou autoridade na partida

Por Redação, com Reuters – de Melbourne:

O tenista número três do mundo, Milos Raonic, venceu com segurança uma partida possivelmente complicada contra Roberto Bautista Agut, por 7-6, 3-6, 6-4 e 6-1, nesta segunda-feira, para alcançar as quartas de final do Aberto da Austrália pelo terceiro ano seguido.

Milos Raonic comemora vitória sobre Roberto Bautista Agut no Aberto da Austrália
Milos Raonic comemora vitória sobre Roberto Bautista Agut no Aberto da Austrália

O canadense, melhor colocado no ranking ainda vivo na competição após as derrotas de Andy Murray e Novak Djokovic. Ele mostrou autoridade na partida ao quebrar o serviço do espanhol número 13 do mundo para vencer o terceiro set.

Raonic, que disse que estava sofrendo de febre após sua partida na terceira rodada. Fechou o quarto set rapidamente com um ponto de forehand na linha.

O tenista de 26 anos, que obteve 33 aces e 75 winners no confronto de 2 horas e 52 minutos, irá enfrentar Rafael Nadal ou Gael Monfils na próxima rodada.

Andy Murray

O tenista número 1 do mundo, Andy Murray, foi eliminado do Aberto da Austrália no domingo ao ser derrotado pelo número 50 do ranking, o alemão Mischa Zverev.

Com a derrota de Murray, o torneio grand slam chegará à segunda semana sem os dois principais cabeças de chave pela primeira vez desde o Aberto da França, em 2004.

Zverev, que tem uma carreira marcada por lesões. Ele venceu com um jogo pouco ortodoxo e rompeu oito vezes o serviço do campeão olímpico e de Wimbledon.

O número 50 se beneficiou de uma atuação abaixo da normal de Murray. Mas mereceu a vitória por 7-5 5-7 6-2 6-4 na partida de três horas e meia em Rod Laver Arena.

Zverev vai agora contra Roger Federer por um lugar nas semifinais. 

Federer vence Kei Nishikori

Um resiliente Roger Federer mostrou que ainda tem energia aos 35 anos e venceu o japonês Kei Nishikori por 6-7(4) 6-4 6-1 4-6 6-3. Abrindo caminho para as quartas-de-final do Aberto da Austrália, no domingo.

Depois de seis meses fora do esporte, o retorno bem sucedido de Federer às quadras continuou sob as luzes da Rod Laver Arena. Onde ele eliminou dúvidas sobre sua forma física na partida intensa que durou três horas e 24 minutos.

– Ele jogou uma grande partida. Foi um prazer ser parte disso – disse Federer depois de vencer o jogo contra Kei com um smash. “Esta é uma vitória importante para mim na minha carreira”, acrescentou.

Federer vai jogar nas quartas contra Mischa Zverev. Depois que o alemão venceu o número 1 do mundo, Andy Murray, na mesma quadra central.

Com a eliminação de Murray. Federer tem expectativa genuína de encerrar um período de cinco anos de espera para ampliar seu número de 17 grand slams conquistados.

Murray perde para Mischa Zverev no Aberto da Austrália

Com a derrota de Murray, o torneio grand slam chegará à segunda semana sem os dois principais cabeças de chave pela primeira vez desde o Aberto da França, em 2004

Por Redação, com Reuters – de Melbourne:

 

O tenista número 1 do mundo, Andy Murray, foi eliminado do Aberto da Austrália neste domingo ao ser derrotado pelo número 50 do ranking, o alemão Mischa Zverev.

Mischa Zvere comemora vitória sobre Andy Murray no Aberto da Austrália
Mischa Zvere comemora vitória sobre Andy Murray no Aberto da Austrália

Com a derrota de Murray, o torneio grand slam chegará à segunda semana sem os dois principais cabeças de chave pela primeira vez desde o Aberto da França, em 2004.

Zverev, que tem uma carreira marcada por lesões. Ele venceu com um jogo pouco ortodoxo e rompeu oito vezes o serviço do campeão olímpico e de Wimbledon.

O número 50 se beneficiou de uma atuação abaixo da normal de Murray. Mas mereceu a vitória por 7-5 5-7 6-2 6-4 na partida de três horas e meia em Rod Laver Arena.

Zverev vai agora contra Roger Federer por um lugar nas semifinais. 

Federer vence Kei Nishikori

Um resiliente Roger Federer mostrou que ainda tem energia aos 35 anos e venceuo japonês Kei Nishikori por 6-7(4) 6-4 6-1 4-6 6-3. Abrindo caminho para as quartas-de-final do Aberto da Austrália, neste domingo.

Depois de seis meses fora do esporte, o retorno bem sucedido de Federer às quadras continuou sob as luzes da Rod Laver Arena. Onde ele eliminou dúvidas sobre sua forma física na partida intensa que durou três horas e 24 minutos.

– Ele jogou uma grande partida. Foi um prazer ser parte disso – disse Federer depois de vencer o jogo contra Kei com um smash. “Esta é uma vitória importante para mim na minha carreira”, acrescentou.

Federer vai jogar nas quartas contra Mischa Zverev. Depois que o alemão venceu o número 1 do mundo, Andy Murray, na mesma quadra central.

Com a eliminação de Murray. Federer tem expectativa genuína de encerrar um período de cinco anos de espera para ampliar seu número de 17 grand slams conquistados.

 

Rússia pode ser afastada das duas próximas Olimpíadas

Anteriormente se tornou público que União Internacional de Biatlo realizará um congresso extraordinário sobre o endurecimento das regras antidoping antes da Copa Mundial de Biatlo de 2017

Por Redação, com Sputnik – de Moscou:

 

Se for confirmado o sistema de apoio do uso de doping ao nível do governo, os atletas russos perderão o direito de participar dos Jogos Olímpicos de Inverno 2018 e de Verão 2020.

Os atletas russos perderão o direito de participar dos Jogos Olímpicos de Inverno 2018 e de Verão 2020
Os atletas russos perderão o direito de participar dos Jogos Olímpicos de Inverno 2018 e de Verão 2020

– Se o Comitê Olímpico russo violou a carta do Comitê Olímpico Internacional. Isso torna possível o afastamento da Rússia das Olimpíadas de Pyeongchang e de Tóquio – disse Horman, citado pela edição Handelsblatt.

Anteriormente se tornou público que União Internacional de Biatlo (IBU, na sigla em inglês) realizará um congresso extraordinário sobre o endurecimento das regras antidoping antes da Copa Mundial de Biatlo de 2017.

França

A candidatura da França como país anfitrião dos Jogos Olímpicos 2024 está em perigo. Declara Mehrez Boussayene, presidente do Comitê Olímpico Nacional da Tunísia.

Entrevistado pela agência russa de notícias Sputnik, Mehrez Boussayene diz que a França pode perder o direito de organizar os Jogos de 2024. Devido à questão recém-surgida em relação ao burquíni.

– O que são os Jogos Olímpicos? É um encontro de todas as civilizações e culturas. Encontro é união, nascimento de algo novo. O modo como a França impõe suas regras e normas a todas as nações e religiões é inaceitável.

Como França se considera um país democrático que respeita a liberdade, é preciso respeitar o direito de qualquer um se vestir como quiser. Assinala o presidente do Comitê Olímpico da Tunísia.

Apesar de ele próprio ser contra o burquíni. Mehrez Boussayene destaca que cada mulher tem a liberdade de usar o fato de banho que ela quiser.

Mesmo que a França se torne a anfitriã dos Jogos 2024. Há risco de os países muçulmanos boicotarem a França. Mas, como sublinha o presidente do Comitê Olímpico da Tunísia, não são apenas os muçulmanos que se apresentam a favor da liberdade de religião e da liberdade individual. Por isso, a França corre o risco de perder a possiblidade de organizar as Olimpíadas 2024.

Rafael Nadal avança no Aberto da Austrália

O espanhol, campeão do torneio em 2009, precisou de resistência para sobreviver a quatro horas de um jogo de alta qualidade, que provocou uma enorme ovação do público na Arena Rod Laver

Por Redação, com Reuters – de Melbourn:

Rafael Nadal venceu um dos grandes expoentes do futuro do tênis ao bater o alemão Alexander Zverev por 4-6, 6-3, 6-7, 6-3 e 6-2 e avançou para as oitavas de final do Aberto da Austrália.

Rafael Nadal venceu um dos grandes expoentes do futuro do tênis ao bater o alemão Alexander Zverev
Rafael Nadal venceu um dos grandes expoentes do futuro do tênis ao bater o alemão Alexander Zverev

O espanhol, campeão do torneio em 2009, precisou de resistência para sobreviver a quatro horas de um jogo de alta qualidade. Que provocou uma enorme ovação do público na Arena Rod Laver.

O jogador de 19 anos mostrou claramente por que muitos o consideram como um possível campeão de Grand Slam no futuro. Mas não conseguiu bater Nadal em um set decisivo emocionante.

Voltando a Melbourne como nono melhor jogador do mundo. Depois de reduzir sua temporada de 2016 por causa de lesão. Nadal vai enfrentar Gael Monfils, da França, na próxima rodada.

Kerber encontra ritmo

A atual campeã do Aberto da Austrália, Angelique Kerber, disse que estava finalmente encontrando seu ritmo no torneio. Após chegar à quarta rodada com uma vitória por 6-0 e 6-4 sobre Kristyna Pliskova. Em menos de uma hora na sexta-feira. 

A tenista número um do mundo havia precisado de três sets para vencer as duas primeiras partidas da tentativa de defender seu título em Melbourne Park. Mas, dois dias após completar 29 anos, ela conseguiu desenvolver um bom ritmo e vencer o primeiro set em 20 minutos.

Jogo

A alemã havia começado sacando mal no primeiro set e teve algumas problemas no segundo. Mas recuperou sua compostura e progrediu confortavelmente para a próxima fase, na qual enfrentará a norte-americana Coco Vandeweghe.

– É ótimo ter outra boa partida e chegar novamente à quarta rodada – disse a tenista a repórteres. “Estou ansiosa para a próxima. Sim, acho que estou encontrando meu ritmo no torneio agora.”

 

Bolsa Atleta contemplará esportistas de modalidades não olímpicas

Um total de 1.071 esportistas do País serão contemplados pela Bolsa Atleta em modalidades que não integram os programas olímpico e paralímpico

Atletas contemplados serão subdivididos nas categorias Internacional e Nacional, com bolsas no valor de R$ 1.850,00 e R$ 925,00, respectivamente

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

Um total de 1.071 esportistas do País serão contemplados pela Bolsa Atleta em modalidades que não integram os programas olímpico e paralímpico. 

A lista com 639 pessoas habilitados foi publicada em portaria do Ministério do Esporte, na quarta-feira, no Diário Oficial da União.

Um total de 1.071 esportistas do País serão contemplados pela Bolsa Atleta em modalidades que não integram os programas olímpico e paralímpico
Um total de 1.071 esportistas do País serão contemplados pela Bolsa Atleta em modalidades que não integram os programas olímpico e paralímpico

Os atletas contemplados serão subdivididos nas categorias Internacional e Nacional, com bolsas no valor de R$ 1.850,00 e R$ 925,00, respectivamente.

São apoiados na categoria Internacional atletas a partir de 14 anos que integraram a seleção nacional de sua modalidade. Representando o Brasil em campeonatos ou jogos sul-americanos, pan-americanos ou mundiais. Obtendo até a terceira colocação em competições referendadas pela confederação. Como principais eventos e que continuem treinando para futuras competições oficiais internacionais.

Já a Nacional patrocina atletas a partir de 14 anos que participaram do evento máximo da temporada nacional. Sendo tais competições referendadas pela confederação como principais eventos. Ou que integrem o ranking nacional da modalidade. Obtendo, em qualquer caso, até a terceira colocação e que continuem treinando para futuras competições oficiais nacionais.

Bolsa Atleta

Principal apoio federal aos atletas brasileiros, o programa Bolsa Atleta, criado em 2005. Já concedeu cerca de 51 mil bolsas para 20,7 mil atletas de todo o País.

O impacto da Bolsa Atleta foi medido nos Jogos Rio 2016. Na Olimpíada, 77% dos 465 atletas convocados para defender o Brasil eram bolsistas. Das 19 medalhas conquistadas pelos brasileiros. A maior conquista da história, apenas o ouro do futebol masculino não contou com atletas bolsistas.

Já nos Jogos Paralímpicos, todas as medalhas brasileiras foram conquistadas por atletas que recebem o apoio financeiro do Ministério do Esporte. O Brasil teve a maior delegação da história, com 286 atletas, sendo 90,9% bolsistas.

Foram 72 medalhas conquistadas, em 13 esportes diferentes: 14 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze, além de 99 finais disputadas.

China promete Jogos Olímpicos de Inverno ‘verdes e limpos’

Xi disse que os Jogos de 2022 serão um “memorável, extraordinário e excelente evento”. Relatou a agência estatal de notícias Xinhua

Por Redação, com Reuters – de Pequim/Davos:

A China vai realizar uma competição limpa e verde quando sediar os Jogos Olímpicos de Inverno em 2022, um evento que também ajudará na paz e na estabilidade da região, disse o presidente chinês, Xi Jinping, ao chefe do Comitê Olímpico Internacional (COI). 

Presidente da China, Xi Jinping, e presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, durante encontro em Lausanne, Suíça
Presidente da China, Xi Jinping, e presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, durante encontro em Lausanne, Suíça

Pequim e a cidade próxima de Zhangjiakou ganharam em 2015 o direito de sediar os Jogos. A única outra cidade que se candidatou foi Almaty, no Cazaquistão. Após outros concorrentes terem desistido, citando custos e outras preocupações. 

Embora Pequim tenha sediado os Jogos de Verão de 2008 com sucesso, sua candidatura para os Jogos de Inverno foram manchadas por diversas questões. Como corrupção, poluição na cidade, falta de neve e o fraco histórico de direitos humanos da China. 

No mês passado, um tribunal chinês condenou à prisão um ex-vice-ministro de Esportes, por suborno. Ele foi membro do comitê olímpico do país por mais de 10 anos. 

Ao se reunir com o presidente do COI, Thomas Bach, na cidade suíça de Lausanne, Xi disse que os Jogos de 2022 serão um “memorável, extraordinário e excelente evento”. Relatou a agência estatal de notícias Xinhua na quarta-feira. 

– As preparações para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 serão uma grande tarefa para a China nos próximos anos. A China vai se preparar e sediar os Jogos de 2022 de maneira verde. Compartilhada, aberta e limpa – afirmou Xi, segundo a agência. 

– Sediar os Jogos vai impulsionar o crescimento econômico da China e de outros países. E vai melhorar a paz e a estabilidade regionais – acrescentou o presidente, referindo-se ao novo esquema comercial da Rota da Seda na China.

Alibaba

A varejista online chinesa Alibaba tornou-se uma grande patrocinadora dos Jogos Olímpicos. Após assinar um acordo com o Comitê Olímpico Internacional (COI) até 2028. Informaram as duas partes nesta quinta-feira. 

A Alibaba, que se tornou a parceira oficial de comércio eletrônico e serviços em nuvem, junta-se a outras 12 companhias. Incluindo a Coca-Cola e o McDonald’s, como grandes patrocinadoras olímpicas.

Não foram revelados detalhes financeiros. Fontes do COI haviam dito anteriormente à agência inglesa de notícias Reuters que grandes patrocinadoras pagam cerca de US$ 100 milhões em um ciclo de quatro anos, que inclui uma edição dos Jogos de Verão e uma dos Jogos de Inverno. 

O acordo com a Alibaba acontece em um momento no qual a Ásia se prepara para realizar três jogos consecutivos, com Pyeongchang, na Coreia do Sul, sediando os Jogos de Inverno de 2018; Tóquio, com as Olimpíadas de 2020; e Pequim, com os Jogos de Inverno de 2022. 

– Esta é uma revolucionária e inovadora aliança, e ajudará a melhorar a eficiência na organização dos Jogos Olímpicos até 2028 – disse o presidente do COI, Thomas Bach. 

Sentado ao lado do presidente-executivo do Alibaba, Jack Ma, em uma coletiva de imprensa, Bach acrescentou: “esta é uma parceria estratégica histórica no mundo digital. Vai transformar o movimento olímpico global.”

O COI espera que o acordo torne o movimento olímpico mais tecnologicamente eficiente e seguro, que crie uma plataforma para promover produtos licenciados e que estenda o alcance de sua recém-criada plataforma digital, o Olympic Channel.

– Compartilhamos os mesmo valores e a visão do COI – disse Ma. “O Alibaba pode trazer muita qualidade para os Jogos Olímpicos com tecnologia na nuvem.”

Ele disse que o acordo ajudaria a varejista a dar um novo passo para se tornar uma “companhia global”.

Agências antidoping de 19 países querem Rússia fora de competições internacionais

Segundo a fonte, o clima está “esquentando” para cima da Rússia, com 19 organizações antidopagem querendo banir o país de participar e de receber eventos esportivos internacionais

Por Redação, com Sputnik – de Moscou:

Representantes de 19 países pediram nesta semana a suspensão da Rússia de todas as competições internacionais, em um informe da associação das Organizações Nacionais Antidopagem (NADO, na sigla em inglês), emitido após uma cúpula em Dublin, na Irlanda.

– A direção da NADO insta a suspender as organizações esportivas russas de todas as competições internacionais enquanto os sistemas esportivos e antidoping da Rússia não corresponderem plenamente ao Código Internacional Antidoping – escreveu o jornalista esportivo Dan Roan, BBC, no Twitter.

Representantes de 19 países pediram nesta semana a suspensão da Rússia de todas as competições internacionais
Representantes de 19 países pediram nesta semana a suspensão da Rússia de todas as competições internacionais

Segundo a fonte, o clima está “esquentando” para cima da Rússia, com 19 organizações antidopagem querendo banir o país de participar e de receber eventos esportivos internacionais.

– Com novas e irrefutáveis evidências do sistema institucionalizado de doping da Rússia descoberto por McLaren e sua equipe. O grupo de liderança pediu a exclusão das organizações esportivas russas de todas as competições internacionais. Até que os sistemas esportivo e antidoping na Rússia sejam levados ao cumprimento total do Código Mundial Antidoping – disseram os representantes em comunicado conjunto.

Julho de 2016, em Toronto. O chefe da comissão independente da Agência Mundial Antidoping (WADA), Richard McLaren divulgou os resultados de uma investigação. Sobre violações das normas antidoping nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014. Acusou a Rússia de ter criado um sistema, com apoio do governo, para burlar os regulamentos esportivos.

Relatório

Em dezembro, em Londres, foi apresentada a segunda parte do relatório McLaren. Que afirma que mais de mil atletas russos estiveram envolvidos nas falsificações de amostras de testes de doping em várias competições internacionais e em mais de 30 modalidades.

Representantes da elite esportiva russa entrevistados pela agência RIA Novosti frisaram que a segunda parte do relatório da WADA, tal como a primeira, não contém provas concretas sobre alegados crimes ou nomes daqueles que os cometeram, representando acusações sem fundamento.

Doping

– Até hoje, em seu discurso. McLaren não falou nada de novo sobre doping na Rússia. Alguns ‘milhares de atletas’, algumas cartas e testemunhas – afirmou Mikhail Degtyaryov, o chefe do Comitê da Duma de Estado responsável pelos assuntos de cultura física e esporte.

Há de destacar ainda as inúmeras exceções da WADA para atletas norte-americanos. No que se refere ao uso de doping permitido por “prescrição médica”. Por exemplo, a conhecida ginasta dos EUA Simone Biles não chegou a ser desqualificada dos Jogos Rio 2016.

Embora seus testes de doping tivessem mostrado resultado positivo. Sabe-se também que a tenista Serena Williams recebeu permissão da WADA para usar várias substâncias consideradas proibidas. Devido a problemas de saúde. A Rússia sediará a Copa do Mundo da FIFA em 2018.

Centro Paralímpico receberá evento internacional em março

Local sediará Jogos Parapan-Americanos de Jovens de 2017 entre os dias 20 e 25 de março

O evento esportivo está previsto para acontecer entre os dias 20 e 25 de março. Quase mil atletas de mais de 20 países, com idade entre 13 e 21 anos, são esperados

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

O Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, maior legado do programa para os esportes adaptados de alto rendimento, passa a entrar na rota dos eventos internacionais. Localizado em São Paulo, o espaço receberá os Jogos Parapan-Americanos de Jovens de 2017.

Local sediará Jogos Parapan-Americanos de Jovens de 2017 entre os dias 20 e 25 de março
Local sediará Jogos Parapan-Americanos de Jovens de 2017 entre os dias 20 e 25 de março

O evento esportivo está previsto para acontecer entre os dias 20 e 25 de março. Quase mil atletas de mais de 20 países, com idade entre 13 e 21 anos, são esperados.

A programação da competição contará com 12 modalidades: atletismo, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, judô, halterofilismo, vôlei sentado, natação, tênis de mesa, basquete em cadeira de rodas e tênis em cadeira de rodas. Apenas esta última não será sediada no Centro de Treinamento, inaugurado em maio de 2016. O equipamento é legado dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 para a infraestrutura dos esportes adaptados.  

A organização da competição está sob responsabilidade do Comitê Paralímpico Brasileiro. Até o momento, houve duas reuniões da Comissão de Coordenação. 

– Temos uma expectativa dupla. Queremos que a delegação brasileira seja muito bem representada e que possamos manter o primeiro lugar no quadro de medalhas, o que fizemos nas duas últimas edições do Jogos Parapan-Americanos de Jovens – disse Andrew Parsons, presidente do CPB e vice-presidente do IPC. 

Edições 

Buenos Aires, Argentina, foi a sede da última edição dos jogos, em outubro de 2013. Na ocasião, o evento atraiu 631 atletas, de 16 países, para competir em dez esportes. O Brasil liderou o quadro de medalhas com 209 pódios, sendo 102 de ouro. 

A primeira edição do Parapan de Jovens foi em 2005, em Barquisimeto, Venezuela, e contou com atletas de dez países. Em 2009, 14 nações estiveram presentes em Bogotá, Colômbia. 

EUA: atletas processam médico esportivo por abuso sexual

Nassar também está sob investigação de autoridades estaduais de Michigan que dizem ter recebido mais de 50 denúncias de abuso sexual

Por Redação, com Reuters – de Nova York/Berlim:

Cerca de 18 atletas norte-americanas processaram, um médico esportivo de ginastas olímpicas, dizendo que ele as abusou sexualmente sob disfarce de exames médicos durante o período de duas décadas, quando a maioria delas era menor de idade. 

Cerca de 18 atletas norte-americanas processaram, um médico esportivo de ginastas olímpicas
Cerca de 18 atletas norte-americanas processaram, um médico esportivo de ginastas olímpicas

Larry Nassar, ex-médico para atletas olímpicos na confederação de ginastas norte-americanos (USA Gymnastics). Ex-funcionário da Universidade do Estado de Michigan. Ele está sob custódia federal desde dezembro por acusações de pornografia infantil.

O médico também enfrenta outras acusações em um caso de abuso sexual de uma menor em Michigan. Ela não era nem atleta nem paciente, a qual a polícia diz que foi abusada dos 6 aos 12 anos. 

Denúncias

Nassar também está sob investigação de autoridades estaduais de Michigan que dizem ter recebido mais de 50 denúncias de abuso sexual.

O processo diz que a Universidade do Estado de Michigan falhou em agir após duas denúncias sobre Nassar em 1999 e 2000.

O documento também diz que a USA Gymnastics, que administra a ginástica nos EUA, fracassou. Em alertar o Estado de Michigan ao saber da suposta conduta ilegal do médico em 2015. 

Um advogado de Nassar não respondeu imediatamente a pedidos de comentários. Seus advogados negaram ilegalidades no passado. Ele alegou inocência em acusações criminais estaduais e federais.

Sharapova

A tenista russa campeã de cinco torneios do Grand Slam Maria Sharapova disse na terça-feira que retornará às competições. Após 15 meses de suspensão por doping, no torneio de Stuttgart, em abril.

Sharapova, que mora na Flórida, foi originalmente suspensa por dois anos após ter um exame antidoping positivo para a substância meldonium no Aberto da Austrália do ano passado.

A ex-número um do mundo. Uma das atletas mais bem pagas do planeta na última década. Ela admitiu ter utilizado meldonium por anos. Disse que não estava ciente de que a substância estava proibida desde o começo de 2016. 

A suspensão foi depois revista para 15 meses, após apelação.

– Não poderia estar mais feliz em jogar minha primeira partida de volta em um dos meus torneios favoritos – disse a russa, que venceu em Stuttgart por três anos a partir de 2012. Segundo o site do torneio.

– Mal posso esperar para ver todos os meus ótimos fãs e voltar a fazer o que eu amo.

Sharapova voltará à ativa a tempo de participar do segundo Grand Slam da temporada. Em Roland Garros. O Aberto da França começará em 22 de maio.

Sharapova, que fará 30 anos em abril, ganhou 29,7 milhões de dólares em 2015. Sendo considerada a atleta mais bem paga do mundo. 

A tenista considerou a suspensão original da Federação Internacional de Tênis como “injustamente severa”. Após um tribunal independente ter considerado que ela não violou as regras antidoping intencionalmente.