Comerciantes da 25 de Março estimam vendas de Natal melhores do que em 2011

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – O movimento na Rua 25 de Março, maior centro de comércio popular de São Paulo, foi intenso neste sábado (8), com muitas pessoas antecipando suas compras de Natal. A expectativa dos lojistas é que as vendas no Natal deste ano sejam melhores do que em 2011.

“Estamos trabalhando com a expectativa de aproximadamente 8% a 10% a mais [nas vendas reais] do que no mesmo período do ano anterior. Da forma como as coisas estão fluindo aqui, acredito que vai ser fácil atingir esse percentual”, disse Ondamar Antonio Ferreira, gerente da loja Armarinhos Fernando, em entrevista à Agência Brasil. Os Armarinhos Fernando trabalham com cerca de 180 mil produtos, entre eles, artigos de Natal, lingerie, brinquedos, confecções e papelaria.

Para Ferreira, este sábado foi um dia especial para vendas, pois é feriado em muitas cidades do interior de São Paulo. “Isso favorece o movimento na região”, disse.

O aumento de vendas também é uma expectativa para o Depósito de Meias Ansarah. “Nestes últimos três meses, o comércio voltou a reagir dando uma esperança positiva em relação ao ano passado. Nossa expectativa é aumento entre 10% e 11%”, disse Kelrem Marim de Lima, gerente do Depósito de Meias Ansarah na 25 de Março. Segundo ela, nos finais de ano a loja vende muitas meias, calcinhas, cuecas e lingeries coloridas para o final de ano.

A expectativa dos lojistas, disse Kelrem, é que mais de 1,5 milhão de pessoas passem pela 25 de Março aos sábados e 1 milhão de pessoas nos domingos.

Quem também espera por um aumento nas vendas neste mês são vendedores que tem barracas na 25 de Março. “Este ano, neste mês, teve um aumento nas vendas. Senti aumento de uns 40% [nas vendas]”, disse Ricardo Chaves da Silva. Segundo ele, o que atrai as pessoas para a região durante o Natal é um misto de “atendimento, promoção e preço baixo”.

Maria das Graças Cavalcanti, de Diadema (SP), diz que faz compras na 25 de Março todos os anos. “Vale a pena. O mesmo produto que vemos nos shoppings, como esse conjunto de lavabo [ela mostra o produto para a reportagem]: no shopping custa R$ 60 e aqui comprei por R$ 22”, disse.

Samuel Lopes também esteve hoje na 25 de Março para comprar os presentes de seus dois filhos. Hoje ele contou à reportagem já ter comprado “várias besteiras para as crianças, inclusive roupas. O preço vale a pena”.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) estima que o consumo no mês de dezembro na região metropolitana de São Paulo, será R$ 4 bilhões superior em comparação média dos demais meses do ano. Do total, R$ 1,7 bilhão deve ser destinado para a compra de presentes. A expectativa da federação é que cada família da região metropolitana de São Paulo compre, em média, quatro presentes e gaste entre R$ 60 e R$ 65 em cada um deles.

Em relação a todo o estado paulista, a FecomercioSP projeta que o resultado do Natal deste ano será “ainda melhor” que o do ano passado. A estimativa é que o comércio paulista fature R$ 44,7 bilhões em dezembro, resultado cerca de R$ 6 bilhões superior ao do ano passado. As compras de Natal e Ano Novo devem impulsionar o comércio varejista paulista em cerca de R$ 9,8 bilhões.

Edição: Fábio Massalli