Operação com cães registra recorde de apreensão no Rio

Nos últimos três anos, o BAC teve um aumento de mais de 1.200% na quantidade de drogas apreendidas. Em janeiro de 2015, foi registrada a apreensão de 264 kg

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

Policiais militares do Batalhão de Ações com Cães (BAC) apreenderam aproximadamente três toneladas de drogas somente no mês de janeiro. As operações aconteceram em diversas comunidades do Rio de Janeiro. Ações também apreenderam um grande volume de armamentos.

Policiais militares apreenderam três toneladas de drogas apenas em janeiro
Policiais militares apreenderam três toneladas de drogas apenas em janeiro

Nos últimos três anos, o BAC teve um aumento de mais de 1.200% na quantidade de drogas apreendidas. Em janeiro de 2015, foi registrada a apreensão de 264 kg e, no mesmo mês de 2016, 126 kg de drogas apreendidas. Já em 2017, foram 3.224 kg, o que comprova o aumento expressivo deste ano.

– O resultado é fruto do esforço coletivo dos nossos policiais e do treinamento com os nossos cães. O batalhão é pioneiro no Brasil em reprodução assistida, então, temos diversos cães que nasceram e foram treinados no próprio batalhão – explicou o primeiro-tenente do BAC, Felipe da Silva Rodrigues.

Denúncias

Segundo o tenente, a população fluminense pode ajudar nas ações fazendo denúncias.

– Se alguém observar qualquer movimentação estranha ou tiver informações de pessoas ligadas ao tráfico, é dever do cidadão denunciar – disse o policial.

Operação

No dia anterior, agentes da Operação Centro Presente, durante patrulhamento na Rua Souza e Silva, prenderam Altemir da Silva Gomes, de 28 anos, e Nilton dos Santos Azevedo, de 34 anos. Eles foram abordados quando saíram da fábrica Moinho Fluminense com um rolo de fio grosso, uma mochila e sacola preta. Com eles foram encontrados fios de cobre e disjuntores. Nilton e Altemir foram encaminhados à 4ª DP (Praça da República) e autuados por furto.

Três horas depois, policiais militares da Operação prenderam Marcio José Benedito da Conceição, de 33 anos. A equipe recebeu informações de que um homem estaria praticando furto de materiais na mesma fábrica. Os agentes foram ao local e com Márcio encontraram uma sacola com vários rolos de fio de cobre. Ele foi conduzido à 4ª DP (Praça da República) e autuado por furto. Márcio é morador de Belford Roxo e possui três anotações criminais.

Na mesma rua, na manhã de hoje, os agentes capturaram um foragido da Justiça. Após consulta ao Banco Nacional de Mandados de Prisão, foi verificado que contra Pablo Pinheiro da Silva, de 22 anos, havia um mandado de prisão pendente pelo crime de homicídio qualificado. Ele foi encaminhado à 4ª DP, onde o caso foi registrado.

Agentes da Operação Centro Presente patrulhavam a Rua Gereral Caldwel, na noite de quarta-feira, quando dois adolescentes de 15 e 12 anos em uma bicicleta tentaram fugir após perceberem a aproximação policial. Com eles foi encontrado um celular que eles confessaram ter furtado em um estabelecimento comercial na Lapa. Os menores foram encaminhados para a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) e vão responder por fato análogo ao crime de furto.

Museu do Amanhã concorre a prêmio internacional de arquitetura

Museu do Amanhã

Recentemente, o museu ganhou o Selo LEED (Liderança em Energia e Projeto Ambiental, em português) série Ouro em termos de edificação

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O Museu do Amanhã, localizado na Praça Mauá, zona portuária do Rio de Janeiro, concorre no próximo dia 16 deste mês ao prêmio internacional MIPIM (Mercado Internacional dos Profissionais Imobiliários), em Cannes, na França, na categoria Edifício Verde Mais Inovador. Na quinta-feira, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, visitou o local pela primeira vez.

Inaugurado no final de  2015, o museu localiza-se na zona portuária do Rio
Inaugurado no final de  2015, o museu localiza-se na zona portuária do Rio

– Estou saindo daqui impressionado com a grandeza do museu, com o conceito do museu. Beltrão destacou que o Brasil é o oitavo país do mundo em recursos culturais. Ele avaliou que as chances de o Museu do Amanhã sair vitorioso na premiação são muito boas.

– É um museu ecologicamente correto. Isso é um grande diferencial. Ele tem todo um conceito moderno, mas um conceito de sustentabilidade muito diferente de outros museus. Os benefícios do ponto de vista ecológico são fundamentais para que possa funcionar gastando pouca energia. Com relação a seu sistema de refrigeração. O que torna mais barata sua manutenção. Aqui, não só conhecemos quem nós fomos, quem nós somos e quem queremos ser, a questão do amanhã. Mas há um conceito de modernidade, de tecnologia, de sustentabilidade que está impregnado aqui no museu – afirmou.

Disputa

O Museu do Amanhã disputa com projetos de Londres e de Estocolmo e de Munique, na Alemanha. “Tudo que se faz aqui, no museu, nós não fazemos pensando meramente no resultado eficaz daquilo que se implanta, mas de que forma sustentável podemos fazer aquilo acontecer”, explicou o diretor executivo do museu, Henrique Oliveira.

Segundo Oliveira, isso ocorre desde a limpeza dos vidros, feita com produtos biodegradáveis, até a limpeza do espelho d’água, que usa cloração natural, para evitar o envolvimento de produtos químicos. A energia captada é solar.

Recentemente, o museu ganhou o Selo LEED (Liderança em Energia e Projeto Ambiental, em português) série Ouro em termos de edificação, que comprova o grau de sustentabilidade no local. O espanhol Santiago Calatrava é o arquiteto do Museu do Amanhã, cujos desenvolvedores são a prefeitura do Rio e a Fundação Roberto Marinho.

Polícia Civil elucida maioria dos casos de feminicídio

Nas três regiões, outro aspecto em comum é que a maioria dos casos só é resolvida pela investigação policial, enquanto uma menor parte envolve flagrantes

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

A Delegacia de Homicídios realizou um estudo que mostra que a maioria dos casos envolvendo assassinato de mulheres, o chamado feminicídio (Lei nº 13.104/15), foi esclarecida. Dos 47 feminicídios na capital fluminense analisados entre março de 2015 e março de 2016, 83% foram resolvidos. O percentual de resolução é alto também na Baixada Fluminense (55%) e em Niterói e São Gonçalo (56%).

Homicídios contra mulheres foram analisados em um período de um ano
Homicídios contra mulheres foram analisados em um período de um ano

Nas três regiões, outro aspecto em comum é que a maioria dos casos só é resolvida pela investigação policial, enquanto uma menor parte envolve flagrantes. Para o estudo, foi necessário separar as mortes causadas por violência urbana, por exemplo. Daquelas que realmente caracterizassem o feminicídio. Decorrente da violência doméstica e familiar, ou discriminação e desprezo à condição de mulher.

A pesquisa também aponta que, dos 132 assassinatos de mulheres investigados pelas delegacias de homicídios da capital e de Niterói e São Gonçalo. Em um período de um ano, 63 deles (ou 48%) foram considerados quando a vítima é morta devido à sua condição de sexo feminino.

A pesquisa

O estudo foi realizado pela delegada Marcela Ortiz, da Delegacia de Homicídios (DH). Avaliou casos referentes a 2015 e 2016. Quando completou um ano da entrada em vigor da lei que alterou o Código Penal para prever o feminicídio. Como circunstância qualificadora do homicídio. Incluindo o crime no rol dos hediondos, com pena de 12 a 30 anos de prisão.

– A sociedade como um todo precisa ter consciência de que esta é uma questão muito mais ampla. É um aspecto cultural. Este tipo de crime é fruto de machismo que ainda está enraizado na nossa cultura. Não haverá impunidade, mas é preciso ser combatido também com políticas sociais. Para atingir a nossa forma de pensar, para que determinadas mentalidades sejam mudadas de uma vez por todas – disse a delegada.

Cabral e outros presos ligados à Lava Jato serão transferidos de Bangu

O antigo batalhão especial da PM está passando por uma reforma para receber a Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Presos do Rio de Janeiro ligados à Operação Lava Jato, como o ex-governador Sérgio Cabral, vão ser transferidos para o antigo Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar (PM), no bairro de Benfica. Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, a transferência deve ocorrer até o fim desse mês. Cabral está preso no presídio de Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio

O ex-governador Sérgio Cabral
O ex-governador Sérgio Cabral

O antigo batalhão especial da PM está passando por uma reforma para receber a Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira. Com capacidade para abrigar 120 detentos de nível superior. Presos federais ligados à Lava Jato e pessoas detidas pelo não pagamento de pensão alimentícia serão os transferidos. O novo presídio terá 216 vagas no total e vai abrir 154 vagas no Complexo de Gericinó.

A nova unidade em que ficará Cabral será anexa à cadeia pública, que é a porta do sistema prisional para presos comuns e federais. Também preso em operações derivadas da Lava Jato. O empresário Eike Batista vai continuar preso em Bangu, uma vez que não tem nível superior.

Corrupção

Sérgio Cabral virou réu pelos crimes de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e corrupção passiva. A denúncia do Ministério Público Federal (MPF) foi aceita, na quarta-feira, pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Também viraram réus Wilson Carlos Carvalho, Carlos Emanuel Miranda, Sérgio Castro de Oliveira. Vinícius Claret Barreto, Claudio Fernando Barbosa de Souza, Timothy Scorah Lynn, Renato Hasson Chebar e Marcelo Hasson Chebar.

O MPF havia denunciado Cabral por 25 crimes de evasão de divisas, 30 crimes de lavagem de dinheiro e nove crimes de corrupção passiva. A denúncia é resultado da Operação Eficiência e Hic et Ubique. Realizadas no âmbito das investigações da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. Esta é a sexta denúncia feita pelo MPF contra o ex-governador. Ele já virou réu em cinco processos na Justiça Federal.

Cabral está preso desde 17 de novembro do ano passado no Complexo Prisional de Bangu. Ele foi preso no âmbito da Operação Calicute. Que investigou o desvio de recursos públicos federais em obras feitas pelo governo do Estado do Rio de Janeiro. Segundo as investigações, o ex-governador chefiava um esquema de corrupção que cobrou propina de construtoras. Lavou dinheiro e fraudou licitações em grandes obras no estado realizadas com recursos federais.

O MPF informou que, após a celebração de acordos de colaboração premiada. Foi possível revelar como Sérgio Cabral e sua organização criminosa ocultaram e lavaram dinheiro. Segundo o órgão, R$ 39 milhões foram movimentados e guardados no Brasil. US$ 100 milhões depositados em dinheiro em contas no exterior; 1,2 milhão de euros e US$ 1 milhão ocultados sob a forma de diamantes, guardados em cofre no exterior. E US$ 247, 9 mil ocultados sob a forma de 4,5 quilos de ouro, guardados em cofre no exterior. O total ocultado fora do Brasil corresponde a R$ 318,55 milhões.

Segundo o MPF, US$ 85.38 milhões foram repatriados, provenientes das contas Winchester Development SA, Prosperity Fund SPC Obo Globum, Andrews Development SA, Bendigo Enterprises Limited e Fundo FreeFly, que estavam em nome dos colaboradores. Os recursos encontram-se depositados em conta judicial.

Polícia faz operação contra ocupação de conjunto do Minha Casa, Minha Vida

O objetivo é identificar os supostos invasores para subsidiar futuras ações de reintegração de posse pela Caixa Econômica Federal

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Policiais civis fizeram nesta quinta-feira uma operação contra a ocupação ilegal de imóveis do conjunto habitacional Residencial Guadalupe, do Programa Minha Casa, Minha Vida, no subúrbio da cidade do Rio de Janeiro. A Polícia Civil investiga a invasão das unidades habitacionais por pessoas envolvidas com tráfico de drogas e roubo de cargas.

O objetivo é identificar os supostos invasores para subsidiar futuras ações de reintegração de posse
O objetivo é identificar os supostos invasores para subsidiar futuras ações de reintegração de posse

A Delegacia de Ricardo de Albuquerque (31ª DP) cumpre 89 mandados de busca e apreensão. Com o apoio de 400 policiais de várias delegacias.

O objetivo é identificar os supostos invasores para subsidiar futuras ações de reintegração de posse pela Caixa Econômica Federal. Além da ação no conjunto habitacional, policiais fazem uma operação na comunidade do Chapadão, para recuperar cargas roubadas.

Pedido de habeas corpus

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) negou, na quarta-feira, o pedido dehabeas corpus solicitado pela defesa do empresário Eike Batista. O pedido foi negado pela maioria dos desembargadores da 1ª Turma do tribunal.

Votaram contra o pedido os desembargadores Abel Gomes e Paulo Espírito Santo, presidente da turma. O desembargador Ivan Athié votou a favor da liberdade para Eike.

O advogado do empresário, Fernando Martins, informou que vai recorrer da decisão no Superior Tribunal de Justiça.

Uma das razões citadas pelos desembargadores para negar o habeas corpus é a viagem de Eike aos Estados Unidos pouco antes da decretação de sua prisão, o que poderia representar tentativa de fuga.

O empresário foi preso por agentes da Polícia Federal no dia 30 de janeiro, na  34ª fase da Operação Lava Jato, após desembarcar no Aeroporto Internacional  do Galeão, no Rio de Janeiro, procedente de Nova York. Eike está preso no Complexo de  Gericinó, zona oeste do Rio de janeiro.

Proprietário do grupo EBX,  Eike é suspeito de lavagem de dinheiro em um esquema de corrupção que atinge o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, que também está preso.

Justiça impede desconto de empréstimo de servidor com salário atrasado

A liminar ainda estabelece a exclusão dos nomes dos servidores inscritos nos cadastros de devedores, em função da aplicação da cláusula que permite a cobrança direta

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Liminar concedida pela Justiça do Rio de Janeiro impede 26 bancos de descontar os valores referentes a empréstimos consignados diretamente das contas de servidores públicos que estejam com os salários atrasados. A decisão do dia anterior, da juíza Maria Christina Berardo Rucker, da 2ª Vara Empresarial, vale para todo o Brasil.

A decisão atende a pedido da Defensoria Pública do Rio de Janeiro e do Ministério Público do Estado
A decisão atende a pedido da Defensoria Pública do Rio de Janeiro e do Ministério Público do Estado

A liminar ainda estabelece a exclusão dos nomes dos servidores inscritos nos cadastros de devedores. Em função da aplicação da cláusula que permite a cobrança direta. As instituições financeiras também ficam proibidas de fazer novas negativações por esse motivo.

Segundo a magistrada, se o Estado atrasa os salários dos servidores. É evidente que o atraso no desconto do valor consignado é de responsabilidade do Estado e não do servidor. A magistrada estabeleceu ainda multa de R$ 10 mil aos bancos, para cada infração cometida.

Decisão

A decisão atende a pedido da Defensoria Pública do Rio de Janeiro e do Ministério Público do Estado, que entraram com ação conjunta após denúncias de servidores que tiveram a parcela de empréstimos consignados descontada duas vezes – a primeira no contracheque, pelo estado, que é o responsável pelo repasse do valor ao banco, e a segunda, diretamente da conta corrente do servidor, pela instituição financeira.

Por se tratar de uma liminar, a decisão tem efeito imediato, mas os bancos ainda podem recorrer.

Pezão sanciona lei que autoriza venda das ações da Cedae

O Executivo estadual privatizará a companhia como uma das condições para receber um empréstimo de R$ 3,5 bilhões do governo federal

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, sancionou a lei que  autoriza a venda das ações da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae) após a aprovação pela Assembleia Legislativa (Alerj) no último dia 20. O texto foi publicado nesta quarta-feira no Diário Oficial do Estado.

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, sancionou a lei que  autoriza a venda das ações da Companhia Estadual de Água e Esgoto
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, sancionou a lei que  autoriza a venda das ações da Companhia Estadual de Água e Esgoto

O Executivo estadual privatizará a companhia como uma das condições para receber um empréstimo de R$ 3,5 bilhões do governo federal. Os recursos serão para pagar prioritariamente servidores ativos, inativos e pensionistas.

A avaliação e a estruturação da operação de venda da Cedae devem ser definidas, segundo o projeto de lei enviado à Alerj, em seis meses. Este prazo é prorrogável por mais seis meses. Neste período, segundo o governo estadual, o processo será debatido com a sociedade, a prefeitura do Rio e os demais municípios.

A privatização da Cedae foi alvo de protestos dos funcionários da companhia e de manifestantes em frente à Alerj. Servidores também protestaram contra a venda da empresa, em frente à sede, no centro da capital fluminense. A Cedae atende a cerca de 12 milhões de pessoas em 64 municípios e tem 5.940 funcionários.

Protesto

Um grupo de servidores da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) protestaram no mês passado contra a privatização da companhia, em frente a sede, no  Centro da cidade do Rio. No início da semana, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou a venda de ações da Cedae, que na prática, permite a venda da companhia à iniciativa privada.

Em greve, centenas de manifestantes denunciaram os possíveis impactos da privatização. Como aumento da tarifa, falta de água e o fim do chamado subsídio cruzado. Com o subsídio, a Cedae aplica a receita com serviços em municípios mais ricos na ampliação da rede de água e esgoto naquelas cidades com menos condições de pagar. A companhia atende a cerca de 12 milhões de pessoas em 64 municípios e tem 5.940 funcionários.

Para tentar reverter a decisão do governo do Estado, que privatizará a companhia como uma das condições para receber um empréstimo de R$ 3,5 bilhões do governo federal. Os servidores da Cedae esperam contar com ajuda do município do Rio.

Faturamento

A capital é responsável por 87% do faturamento da companhia. Os manifestantes caminharam entre a Cedae e a sede da prefeitura. O prefeito Marcelo Crivella, em entrevistas, tem sinalizado a intenção de criar uma companhia de águas municipal.

Na campanha contra a privatização, os servidores alertaram para o fracasso da medida em outras cidades pelo mundo. Inclusive, no Estado do Rio, onde municípios tiveram de devolver o saneamento básico à Cedae, como Barra do Piraí, Valença e Macaé. Na avaliação de Flávio Guedes, que é funcionário da Cedae há 36 anos e foi diretor da companhia entre 1999 e 2002, a devolução ocorre porque o serviço é caro e as empresas privadas não tem o compromisso de investir.

– O lucro que a empresa pública persegue é social, é a saúde, é a vida e o lucro que as empresas privadas produzem é o lucro financeiro. Só que saneamento é incompatível com o lucro financeiro –disse Guedes. Ele acrescentou que o mesmo movimento de reestatização ocorreu em Atlanta e Los Angeles, nos Estados Unidos, e em cidades europeias na França e na Espanha.

Plebiscito

Os funcionários da Cedae também defendem um plebiscito que consulte a população Fluminense sobre a venda da empresa, como proposto por 29 deputados que protocolaram o pedido na Alerj. Para passar o plebiscito precisa ser aprovado pela maioria dos 70 parlamenteares. Na votação que autorizou a venda da Cedae, o governo teve 41 votos a favor.

– O governo tem dito que vai usar os R$ 3,5 bilhões para pagar a folha salarial do funcionalismo. Só que a folha é de R$ 2 bilhões. Ou seja, vai pagar um mês e meio, e depois? Não vai resolver o problema. E ainda vai deixar mal a população – critica o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Saneamento Básico e Meio Ambiente do Rio de Janeiro, João Xavier.

Além dos impactos no atendimento à população, os funcionários também temem demissões. Como são contratados por concurso em regime de carteira assinada (CLT). Os funcionários podem ser dispensados, caso a empresa que compre a Cedae decida enxugar os serviços e quadros. “Estamos entristecidos, pegos de surpresa”, disse Maria Fernandes Guimarães, há 26 anos na Cedae.

A Cedae é uma empresa de caráter misto sendo o governo do Rio o acionista majoritário (99%). Em 2015 o lucro líquido foi R$ 249 milhões e custo médio do metro cúbico de água, de R$ 0,80.

Governo do Estado

A assessoria de imprensa do governo do estado do Rio disse, por meio de nota, que a avaliação e a estruturação da operação de venda da Cedae devem ser definidas. Segundo o projeto de lei enviado à Alerj, em seis meses. Prazo que é prorrogável por mais seis meses. Nesse período, o processo será debatido com a sociedade, a prefeitura do Rio e os demais municípios. Portanto, não há qualquer definição, até o momento, sobre as questões levantadas.

A nota também informou sobre os R$ 3,5 bilhões que o Estado receberá. “É preciso esclarecer que (o valor) diz respeito a empréstimos que o governo do Estado obterá junto a instituições financeiras. Tendo a Cedae como garantia. Segundo o Projeto de Lei aprovado na Alerj. Esses valores serão deslocados para o pagamento dos salários de servidores ativos, inativos e pensionistas.”

Segundo a nota, o valor de venda da Cedae ainda não está definido. “No entanto, a aprovação da alienação das ações da empresa. Como contrapartida do Termo de Compromisso assinado entre o governo do Estado e o Governo Federal. Além de outras medidas previstas, vai garantir cerca de R$ 62 bilhões para os cofres do Estado em três anos. Garantindo o reequilíbrio fiscal”, disse a nota.

Tiroteio assusta moradores da comunidade Santa Marta

O Bac (Batalhão de Ações com Cães) e equipes de outras unidades pacificadoras foram acionadas para reforçar a segurança no local

Por Redação, com agências de notícias – do Rio de Janeiro:

Tiroteio deixaram os moradores da comunidade Santa Marta, Zona Sul do Rio de Janeiro assustados nesta quarta-feira. Segundo informações da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do bairro, policiais foram atacados por bandidos escondidos na mata próxima à base principal.

A PM encontrou ainda uma granada caseira e o Esquadrão Antibomba foi acionado
A PM encontrou uma granada caseira e o Esquadrão Antibomba foi acionado

O Bac (Batalhão de Ações com Cães) e equipes de outras unidades pacificadoras foram acionadas para reforçar a segurança no local. A PM encontrou ainda uma granada caseira e o Esquadrão Antibomba foi acionado. Não houve informação de pessoas feridas, até o momento.

Segundo uma moradora de Botafogo que não quis se identifcar, conta que sua casa fica próxima à entrada da comunidade e que ficou surpresa com a troca de tiros. Ela diz que vive na região há um ano. Essa é a segunda vez que acontece tiroteio na comunidade. Considerada um caso de sucesso do projeto de pacificação de regiões dominadas pelo tráfico. Neste momento os barulhos cessaram, de acordo com depoimento da  mulher.

— Eu tinha que levar criança para escola, mas fiquei com medo de ir na rua, não sabíamos o que estava acontecendo — conta a moradora.

Lei Seca

Agentes da Operação Lei Seca prenderam em flagrante, no fim da noite de segunda-feira. Jonathas Teixeira da Silva, de 28 anos. Ele foi abordado durante blitz montada na Rua General Polidoro, em Botafogo. Após ele ter feito o teste do bafômetro, que deu negativo, os agentes suspeitaram da documentação do veículo.

Ao conferir o chassi do carro com o do documento. Foi verificado que eram diferentes e que o verdadeiro constava como roubado. Jonathas foi conduzido à 9ª DP (Catete) e autuado por receptação. O veículo recuperado foi encaminhado ao pátio legal.

Balanço

Em 2016 foram realizadas 2.236 ações de fiscalização da Operação Lei Seca em todo o Estado do Rio de Janeiro e 297.372 mil pessoas foram abordadas. Neste período, 46.375 veículos foram multados, 6.890 veículos foram rebocados, 14.206 carteiras de habilitações foram recolhidas e foram identificadas embriaguez em 13.509 motoristas (4,5% dos motoristas abordados).

Governo deve pagar segunda parcela do salário de janeiro

O governo do Rio informou que as contas do Tesouro estadual sofrerão um bloqueio nesta semana, por causa de uma dívida de R$ 86 milhões com a União

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O governo do Rio de Janeiro prometeu pagar nesta quarta a segunda parcela do salário de janeiro para os servidores estaduais, que ainda não receberam os vencimentos integrais daquele mês. O pagamento, inicialmente previsto para a próxima sexta-feira, foi antecipado devido ao aumento da arrecadação de imposto no período de carnaval.

O governo do Rio de Janeiro prometeu pagar nesta quarta a segunda parcela do salário de janeiro para os servidores estaduais
O governo do Rio de Janeiro prometeu pagar nesta quarta a segunda parcela do salário de janeiro para os servidores estaduais

O valor também será maior (R$ 878), em vez dos (R$ 295) previstos no cronograma original. A terceira parcela está mantida para o dia 13 de março. Com alteração no valor, que cai de R$ 991 para R$ 435.

Contas

O governo do Rio informou que as contas do Tesouro estadual sofrerão um bloqueio nesta semana. Por causa de uma dívida de R$ 86 milhões com a União. Segundo o Palácio Guanabara, os pagamentos das segunda e terceira parcelas do salário de janeiro estão garantidos. Já o depósito das próximas parcelas só será feito nas datas previstas se não houver novos bloqueios.

De acordo com o calendário divulgado pelo governo do Estado. Para o próximo dia 15 está programado o pagamento de uma parcela de R$ 979. Para o dia 21 está prevista uma parcela de R$ 3.006 e, no dia 22 de março. Deve ser pago o valor restante para completar o salário.

O atraso no salário de janeiro afeta todo o funcionalismo do Poder Executivo, com exceção dos servidores da área de segurança e dos ativos da área de educação, que receberam o pagamento integral no dia 14 de fevereiro. O governo ainda não divulgou informações sobre o pagamento do décimo terceiro salário.

Metrô recebe eventos que marcam o Dia Internacional da Mulher

Quem estiver passando pela estação Carioca poderá conferir a exposição do projeto Nunca me calarei, do fotógrafo Marcio Freitas, e participar de uma roda de conversa

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

No Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta quarta-feira, o MetrôRio vai abrir espaço para a discussão de um tema que vem ganhando cada vez mais destaque no Brasil e no resto do mundo: a violência contra a mulher. Quem estiver passando pela estação Carioca poderá conferir a exposição do projeto Nunca me calarei, do fotógrafo Marcio Freitas, e participar de uma roda de conversa, com início previsto para as 16h, organizada pela Coordenação de Defesa dos Direitos da Mulher, da Defensoria Pública do Rio de Janeiro.

Estação Carioca será palco de exposição e roda de conversa sobre violência contra a mulher
Estação Carioca será palco de exposição e roda de conversa sobre violência contra a mulher

Exposição “Nunca me calarei”

O projeto itinerante, que começou em 2016 e já passou por diferentes Estados. Reúne painéis de dois metros, com imagens de rostos de mulheres, de todas as partes do Brasil, que sofreram alguma forma de assédio, tentativa ou abuso sexual.

As fotos dão voz àquelas que se calaram durante muito tempo, devido a questões sociais e emocionais. Convidam outras mulheres a não se calarem diante de qualquer forma de violência. O público poderá conferir a mostra até o dia 17 de abril, na estação Carioca, no horário de funcionamento do metrô.

Roda de conversa: violência contra a mulher

Para aprofundar o debate sobre o tema Violência contra a mulher. A Coordenação de Defesa dos Direitos da Mulher, da Defensoria Pública do Rio de Janeiro. Vai promover, a partir das 16h, uma roda de conversa com a presença de defensoras públicas de defesa da mulher, do fotógrafo da exposição Nunca me calarei, Marcio Freitas, e de outros convidados.

Além disso, representantes do Núcleo de Defesa dos Direitos da Mulher e de Vítimas de Violência de Gênero da Defensoria Pública (Nudem). Prestarão atendimento ao público durante todo dia, a partir das 6h. Com informações sobre os direitos das mulheres e os canais de atendimento disponíveis para denúncia de casos de violência.

Serviço:

Exposição Nunca me calarei

Data: de 8 de março até 17 de abril

Local: estação Carioca do MetrôRio

Horário de funcionamento do metrô

Roda de conversa: violência contra a mulher

Data: 8 de março

Local: estação Carioca do MetrôRio

Horário: a partir das 16h

Flamengo e San Lorenzo

Os torcedores que forem ao Maracanã assistir a disputa entre Flamengo e San Lorenzo pela Libertadores, nesta quarta-feira. Contarão com os trens da SuperVia para voltar para casa. Buscando garantir mais conforto para os passageiros. A concessionária vai realizar seis viagens extras, partindo da estação Maracanã. Logo após o término do jogo. Duas delas seguirão para Japeri, três para Santa Cruz e uma para Saracuruna. Ao todo, a operação garantirá 12 mil lugares a mais, em trens com ar-condicionado.

Para a ida ao jogo, os espectadores poderão utilizar os trens da grade regular da SuperVia, de acordo com o planejado para cada ramal. A grade pode ser consultada nas estações, na seção “Planeje Sua Viagem” disponível no site www.supervia.com.br ou no aplicativo da concessionária. Em caso de dúvidas, os passageiros podem consultar ainda o SuperVia Fone, no número 0800.726.9494.