Hong Kong: motoristas do Uber são considerados culpados de uso ilegal de veículos

A avaliação de especialistas é de que a decisão tem um efeito desanimador sobre os motoristas de Hong Kong que trabalham para a empresa de São Francisco

Por Redação, com Reuters – de Hong Kong:

Cinco motoristas do serviço de transporte urbano por aplicativo Uber em Hong Kong foram considerados culpados de usarem ilegalmente seus veículos para fins comerciais por um tribunal local nesta sexta-feira, em um potencial golpe às operações do Uber Technologies no pólo financeiro asiático.

A empresa continuará a realizar serviços de compartilhamento de corridas na cidade
A empresa continuará a realizar serviços de compartilhamento de corridas na cidade

A avaliação de especialistas é de que a decisão tem um efeito desanimador. Sobre os motoristas de Hong Kong que trabalham para a empresa de São Francisco. Que está lutando com problemas semelhantes com reguladores em toda a Ásia. O Uber saiu de Taiwan há menos de um mês.

O Uber disse que estava decepcionado com o veredito.

– Pensamos que é contra o interesse de vários milhões de passageiros do Uber. Motoristas e o interesse coletivo das pessoas de Hong Kong. Nós pensamos que o transporte compartilhado não deve ser um crime – disse a diretora-geral do Uber em Hong Kong, Kenneth She.

A empresa continuará a realizar serviços de compartilhamento de corridas na cidade.

Segurança

Os motoristas de Hong Kong foram condenados por conduzir um veículo a motor para o transporte de passageiros por contrato. E porque os seus seguros excluíam o uso comercial, deixando os passageiros desprotegidos.

– Eu não vejo a ação que os réus mostraram ter qualquer diferença significativa ou material daquela de … motoristas de táxis piratas no passado – afirmou o juiz So Wai-tak no julgamento.

Os motoristas, que foram presos durante uma operação policial contra a empresa em agosto de 2015, após reclamações de taxistas locais, foram multados em o equivalente a US$ 1.287,91 e tiveram suas carteiras de motorista suspensas por 12 meses.

Japão irá vetar interessados em venda de unidade de chips da Toshiba

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão, se necessário, disse uma das fontes

Por Redação, com Reuters  – de Tóquio:

O governo japonês, preocupado com o futuro da unidade de chips de memória da Toshiba, está preparado para bloquear uma venda a interessados que sejam considerados um risco para a segurança nacional, disseram fontes, uma posição que dá aos Estados Unidos uma vantagem importante.

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão
O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão, se necessário. Disse uma das fontes. As fontes estão diretamente envolvidas no processo de venda. Mas pediram para não ser identificadas porque as informações não são públicas.

Estados Unidos

– Os Estados Unidos são o único parceiro viável do ponto de vista da segurança nacional do Japão – disse outra fonte. Observando que chips de ponta estão no centro da robótica, inteligência artificial e dispositivos conectados.

Com a intenção de compensar uma baixa contábil por vir de US$ 6,3 bilhões para sua unidade nuclear norte-americana Westinghouse. E criar uma proteção para futuras perdas potenciais, a Toshiba está se apressando para vender a maior parte ou mesmo a totalidade da unidade. O segundo maior produtor de chips NAND do mundo – que está avaliada em pelo menos US$ 13 bilhões.

Chefe da Samsung nega todas as acusações em julgamento na Coreia do Sul

Lee foi acusado de suborno, apropriação indébita e outros delitos em um escândalo de corrupção que já levou o Parlamento a aprovar o afastamento da presidente sul-coreana, Park Geun-hye

Por Redação, com Reuters – de Seul:

O chefe do Grupo Samsung, Jay Y. Lee, nega todas as acusações apresentadas contra ele, disse seu advogado, nesta quinta-feira, no início do que o procurador especial da Coreia do Sul disse que pode ser o “julgamento do século” em meio a um escândalo político que abalou a nação.

Chefe do Grupo Samsung, Jay Y. Lee, em Seul
Chefe do Grupo Samsung, Jay Y. Lee, em Seul

Lee foi acusado de suborno, apropriação indébita e outros delitos em um escândalo de corrupção que já levou o Parlamento a aprovar o afastamento da presidente sul-coreana, Park Geun-hye.

O executivo, que está detido no Centro de Detenção de Seul, não compareceu ao tribunal. Os réus não precisam estar presentes durante audiências preparatórias. Realizadas para se organizar os indícios e determinar datas para os pronunciamentos de testemunhas.

A data da próxima audiência será decidida na semana que vem.

A defesa de Lee negou todas as acusações em seu nome, dizendo que o indiciamento da procuradoria especial cita conversas. Indícios ou testemunhas que na verdade não ouviu. Investigou ou entrevistou de acordo com as regras. Ou que emitem opiniões que não são fatos.

– Não está claro que tipo de ordem Lee Jae-yong supostamente deu – argumentou Song Wu-cheol, da defesa de Lee, ao tribunal, usando o nome coreano de seu cliente.

– O indiciamento não pode ter declarações que possam criar preconceitos sobre o caso na corte – disse Song aos repórteres ao deixar o local.

O Grupo Samsung vem negando reiteradamente ter cometido qualquer irregularidade.  

Entre as acusações contra Lee, de 48 anos. Está a de prometer propinas a uma empresa e a organizações ligadas a uma amiga da presidente Park, Choi Soon-sil. A personagem que está no cerne do escândalo, para consolidar seu controle sobre o conglomerado sul-coreano, que fabrica de smartphones a produtos biofarmacêuticos.

Acusações

Os advogados dos réus sendo julgados com Lee –o ex-vice-presidente do conselho do Grupo Samsung Choi Gee-sung. O ex-presidente do Grupo Samsung Chang Choong-ki e o ex-presidente da Samsung Electronics Park Sang-jin– também negaram as acusações.

A legislação responsável pela indicação do procurador especial determina que o atual julgamento em instância inferior deve terminar dentro de três meses a partir do indiciamento de 28 de fevereiro.

– Estamos nos preparando muito, pensando que o julgamento iminente da Samsung. Pode ser o julgamento do século, que o mundo inteiro estará assistindo – disse o procurador especial, Park Young-soo, aos repórteres nesta semana.

CIA pode invadir TV, iPhone e Whatsapp, diz Wikileaks

“Maior vazamento de documentos confidenciais da agência norte-americana” revela suposta existência de ferramentas de espionagem sofisticadas, usadas para contornar criptografia de aplicativos e transformar TVs em escutas

Por Redação, com DW – de Nova York:

A plataforma Wikileaks revelou no dia anterior que obteve milhares de documentos que detalham um sofisticado arsenal tecnológico desenvolvido pela Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA) para espionar smartphones, computadores e até mesmo televisões.

Documentos divulgados pelo Wikileaks foram criados pela CIA entre 2013 e 2016
Documentos divulgados pelo Wikileaks foram criados pela CIA entre 2013 e 2016

Segundo o site, alguns dos programas, que incluem malwares, vírus e cavalos de troia. São capazes até mesmo de contornar a criptografia de aplicativos de mensagens populares como o Whatsapp e o Telegram.

O site afirma que disponibilizou 8.761 documentos e arquivos que descrevem esse arsenal, que teria sido desenvolvido numa unidade de alta segurança isolada e situada dentro do Centro de Ciberinteligência da CIA, em Langley, no Estado da Virgínia. O Wikileaks afirmou ainda que esses documentos consistem em apenas uma parte do que foi obtido.

O site não informou quem forneceu o material. Disse apenas que os programas estavam circulando de uma forma “não autorizada” entre funcionários e hackers que trabalham para o governo e que um deles enviou o material para o Wikileaks.

Essa fonte afirmou que fez isso para iniciar uma discussão sobre se “as capacidades da CIA ultrapassam seus poderes” e o “problema de fiscalização da agência por parte do público”. A fonte disse ainda que o debate deve girar em torno de “segurança, criação, uso, proliferação e controle democrático de ciberarmas”.

Os documentos divulgados pela plataforma foram criados entre 2013 e 2016. O Wikileaks descreveu a divulgação como o maior ato de “publicação de documentos confidenciais da agência (CIA)”.

Segundo o jornal New York Times, um ex-agente da CIA disse que uma breve análise dos documentos sugere que eles são genuínos.

No passado, o Wikileaks foi acusado de divulgar documentos sem critérios. Algo que colocou agentes e funcionários dos EUA em risco. Desta vez, o site afirma ter tomado medidas para ocultar os nomes de pessoas envolvidas com o programa da CIA.

O site também afirmou que não pretende divulgar o código de ciberarmas que podem ser usadas atualmente “até que exista um consenso sobre a natureza política e técnica do programa da CIA e de como essas armas devem ser analisadas, desmanteladas e publicadas”.

TVs espiãs

Algumas das ferramentas descritas nos documentos têm como alvo produtos amplamente usados. Uma delas, chamada Weeping Angel (anjo chorão). Penetra smart TVs da Samsung e transforma os equipamentos em dispositivos de escuta. Mesmo quando elas estão desligadas.

Outros aparelhos e programas que podem ser alvos das ciberarmas da CIA. Incluem o iPhone da Apple, e os sistemas Android, da Google, e Windows, da Microsoft.

Um porta-voz da CIA disse ao Washington Post que a agência não ia comentar por enquanto sobre o vazamento.

Se os documentos forem confirmados como autênticos, o ato do Wikileaks deve representar mais um golpe para a inteligência norte-americana. Que ainda sofre os efeitos dos vazamentos promovidos pelo ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional (NSA) Edward Snowden em 2013.

Recentemente, o Wikileaks se envolveu numa série de controvérsias durante a última eleição presidencial norte-americana. O site publicou mensagens de membros do partido Democrata que acabaram prejudicando a campanha da candidata Hillary Clinton.

Membros de agências de inteligência dos EUA acusaram o site de servir como fachada de interesses do governo russo, que teria promovido a espionagem e usado o Wikileaks para interferir nas eleições. O fundador do site, o australiano Julian Assange, está asilado desde 2012 na embaixada do Equador em Londres.

Ônibus autônomos sem motoristas começam a circular nos EUA

A Califórnia e outros Estados dos EUA estão considerando as oportunidades de se tornarem um centro de testes da tecnologia considerada como o futuro do transporte

Por Redação, com Reuters – de São Francisco:

Dois ônibus autônomos de US$ 250 mil cada começaram a circular em um estacionamento vazio na Bay Area de São Francisco, nos Estados Unidos, no primeiro programa piloto da Califórnia de desenvolvimento de veículo sem volante ou operador humano.

Dois ônibus autônomos de US$ 250 mil cada começaram a circular em um estacionamento vazio na Bay Area de São Francisco
Dois ônibus autônomos de US$ 250 mil cada começaram a circular em um estacionamento vazio na Bay Area de São Francisco

A Califórnia e outros Estados dos EUA estão considerando as oportunidades de se tornarem um centro de testes da tecnologia considerada como o futuro do transporte.

Na maior parte dos testes com carros autônomos há ainda uma pessoa sentada ao volante, pronta para assumir o controle. Embora a Waymo, da Alphabet, tenha testado um carro sem volante ou pedais no Texas, em 2015.

O projeto com ônibus em San Ramon, no estacionamento de um complexo de escritórios. Envolve dois veículos com capacidade para 12 passageiros produzidos pela francesa EasyMile.

A iniciativa é apoiada por um conjunto de companhias privadas e autoridades de trânsito e qualidade do ar. Sendo que o objetivo é torná-la permanente em uma forma ampliada. Disse Habib Shamskhou, gerente do programa. Ele caminhou na frente de um dos ônibus em movimento para demonstrar que o veículo perceberia sua presença.

Teste

Em um teste mostrado a jornalistas, um dos ônibus circulou pelo circuito de forma tão consistente que criou marcas no piso.

Os ônibus serão testados por alguns meses em estacionamentos. Antes dos operadores pedirem permissões ao departamento de trânsito da Califórnia para circularem em áreas públicas. Os veículos devem começar a rodar por ruas este ano ou no início de 2018.

Processo da Alphabet contra Uber consolida fim de parceria complicada

O processo, aberto pela unidade de carros autônomos Waymo, da Alphabet, está agitando a crescente indústria que está sendo considerada como o futuro do transporte rodoviário privado

Por Redação, com Reuters – de São Francisco:

Quando o Uber estava levantando capital de risco em 2013, a empresa era uma das mais atraentes, e ninguém estava mais disposto a preencher um cheque que Bill Maris e David Krane, do braço de investimentos do Google.

A Alphabet, controladora do Google, está processando o Uber por roubo de segredos corporativos
A Alphabet, controladora do Google, está processando o Uber por roubo de segredos corporativos

Porém, nem todo mundo na Google Ventures, atualmente conhecida como GV, concordava. A companhia já tinha investido em uma rival. A Sidecar, e o Uber estava querendo um valor muito elevado na época.

Maris e Krane acabaram prevalecendo e o investimento é hoje considerado um dos maiores sucessos da GV. No papel, o investimento inicial de US$ 258 milhões em 2013. Multiplicou por 14 vezes nos três anos seguintes, para mais de US$ 3,5 bilhões.

Mas agora a Alphabet, controladora do Google, está processando o Uber por roubo de segredos corporativos. Alegando que um de seus principais engenheiros no programa de carro autônomo. Acessou milhares de arquivos confidenciais. Incluindo projetos que o ajudaram a fundar a companhia de caminhões autônomos Otto e a vender a empresa rapidamente para o Uber. O Uber nega as acusações.

Processo

O processo, aberto pela unidade de carros autônomos Waymo, da Alphabet, está agitando a crescente indústria que está sendo considerada. Como o futuro do transporte rodoviário privado.

A relação complexa entre as duas empresas foi tensa desde o início, segundo fontes com conhecimento do assunto, e azederam de vez com o aumento da competitividade entre as duas.

Agora, se o processo da Waymo atingir o Uber, o investimento da GV na companhia pode ser afetado por uma raridade no Vale do Silício: um grande investimento minado pelos próprios investidores da companhia.

Companhia

– Se a Waymo ganhar, a GV perde – disse Stephen Diamond, professor associado de direito na Santa Clara University.

O processo é apenas um de uma série de revezes sofridos pelo Uber, incluindo alegações de assédio sexual que dispararam uma investigação interna, um vídeo do presidente-executivo, Travis Kalanick, discutindo com um motorista do Uber que o fizeram fazer um pedido público de desculpas, e admissão pelo Uber na sexta-feira de que usou uma ferramenta secreta de rastreamento para evitar autoridades.

– Avaliamos as alegações da Waymo e determinamos que elas são uma tentativa sem fundamento de desacelerar um competidor e vamos nos defender vigorosamente contra eles no tribunal – disse o Uber em comunicado. Uma porta-voz da GV não comentou o assunto.

Spotify atinge 50 milhões de assinantes pagos

E a empresa, que ainda não apresentou lucro enquanto investe em seu crescimento internacional, já considera uma potencial listagem de ações no mercado norte-americano

Por Redação, com Reuters – de Estocolmo:

 

O Spotify informou ter atingido 50 milhões de assinantes, o que representa uma expansão de 25 %  em menos de seis meses e coloca o serviço sueco de streaming de músicas a frente de seu rival mais próximo, a Apple Music.

O Spotify informou ter atingido 50 milhões de assinantes
O Spotify informou ter atingido 50 milhões de assinantes

E a empresa, que ainda não apresentou lucro enquanto investe em seu crescimento internacional. Já considera uma potencial listagem de ações no mercado norte-americano. Conforme reportou a February TechCrunch.

Com sede em Estocolmo, o Sportify anunciou em fevereiro um grande plano de expansão em Nova York. Uma das startups mais valiosas da Europa. A empresa mudará o escritório para a região de Manhattan, criando mais de 1 mil novas vagas.

Apple

Lançado em 2008, o Spotify contava com 40 milhões de assinantes em setembro. Seu concorrente, a Apple, que lançou serviço similar menos de dois anos atrás, tinha cerca de 20 milhões de assinantes em dezembro.

Conforme relatório divulgado no fim do ano pela Nielsen, os norte-americanos escutaram 431 bilhões de músicas em plataformas de streaming em 2016.

 

Uber sofre derrota judicial em Londres

O Uber, com sede em São Francisco, enfrentou proibições e protestos em todo o mundo e colocou órgãos reguladores atrás da tecnologia que tem desestabilizado os operadores tradicionais

Por Redação, com Reuters – de Nova York/Londres:

O Uber perdeu nesta sexta-feira uma batalha para impedir um órgão regulador de Londres de obrigar os motoristas da empresa de transporte urbano por aplicativo a provarem suas habilidades de leitura e escrita em inglês, o último revés para a companhia em Londres, que agora pode perder alguns trabalhadores.

O Uber iniciou uma ação legal em agosto
O Uber iniciou uma ação legal em agosto

O Uber, com sede em São Francisco, enfrentou proibições e protestos em todo o mundo. Colocou órgãos reguladores atrás da tecnologia que tem desestabilizado os operadores tradicionais.

O Uber iniciou uma ação legal em agosto depois que o órgão público Transport for London (TfL, na sigla em inglês). Disse que os motoristas deveriam provar sua capacidade de se comunicar em inglês. Incluindo um padrão de leitura e escrita que o Uber disse ser muito alto.

– O TfL tem o direito de exigir que os condutores de aluguel privado demonstrem conformidade com a língua inglesa – disse o juiz John Mitting ao rejeitar a reivindicação do Uber.

O Uber disse no início desta semana no tribunal que ter um nível tão alto de competência exigida para inglês poderia significar a perda de licenças por 33 mil motoristas privados em Londres.

Carros autônomos

O Uber Technologies informou que planeja se adequar às regras na Califórnia. E que pedirá licença para colocar os veículos autônomos de volta às ruas do Estado norte-americano. Após uma disputa legal entre a empresa e as autoridades locais em dezembro.

Dois dos carros autônomos do Uber já estão circulando em São Francisco. Mas estão sendo dirigidos manualmente enquanto a companhia “adota as medidas para concluir o procedimento para obtenção de licença para teste”. Disse a porta-voz do serviço.

O Departamento de Veículos Motores da Califórnia (DMV, na sigla em inglês) confirmou ter tido conversas com o Uber. Para ajudar a empresa a obter a licença para testar seus carros autônomos. Mas a companhia ainda não submeteu formalmente a solicitação. Afirmou a porta-voz do departamento, Jessica Gonzalez.

A obtenção da licença permitiria ao Uber retomar os testes de veículos autônomos em São Francisco, que no ano passado foram suspensos apenas uma semana depois de terem sido iniciados.

O DMV exige uma autorização especial para o uso de carros autônomos em rodovias públicas. Pelo menos 23 outras empresas que atualmente exploram a tecnologia. Incluindo o Google, a Tesla Motors e a Ford Motor, obtiveram aval para os testes na Califórnia.

Mas o Uber desafiou as regras em dezembro. Ao tentar lançar o programa em São Francisco sem a devida licença sob a justificativa de que os carros não eram capazes de se locomover “sem…. controle ativo ou monitoramento”. Como a lei da Califórnia define os veículos autônomos.

Sem a autorização, o DMV suspendeu o registro dos 16 carros autônomos do Uber uma semana após a empresa tê-los colocado nas vias públicas. Os veículos em teste foram trazidos para o Arizona. Onde as companhias não precisam de licença especial para operá-los.

 

Samsung cria divisão global para melhorar qualidade de produtos

O modelo Galaxy S8 deve ser lançado em abril e a Samsung está sob intensa pressão para garantir que o dispositivo seja seguro e opere eficientemente

Por Redação, com Reuters – de Seul:

A gigante sul-coreana de tecnologia Samsung Electronics criou uma divisão global voltada para melhorar a qualidade de seus produtos, em um esforço para se recuperar do escândalo envolvendo o smartphone Galaxy Note 7.

A gigante sul-coreana de tecnologia Samsung Electronics criou uma divisão global voltada para melhorar a qualidade de seus produtos
A gigante sul-coreana de tecnologia Samsung Electronics criou uma divisão global voltada para melhorar a qualidade de seus produtos

Kim Jong-ho, presidente da subsidiária Samsung Heavy Industries, será transferido para a Samsung Electronics. Para dirigir as operações de fiscalização de qualidade e processos de fabricação, de acordo com a empresa.

– O presidente Kim Jong-ho, um especialista na área de produção. Vai liderar os esforços para melhorar a qualidade e fabricação de produtos. Em todos os negócios da Samsung Electronics – disse a empresa em comunicado.

É a mais recente decisão tomada pelo grupo sul-coreano para restaurar a confiança do consumidor. Depois que a companhia foi forçada e suspender as vendas do Note 7 em outubro. Depois que aparelhos pegaram fogo por causa de problemas na bateria.

O modelo Galaxy S8 deve ser lançado em abril e a Samsung está sob intensa pressão para garantir que o dispositivo seja seguro e opere eficientemente.

No quarto trimestre, a rival Apple ultrapassou a Samsung como a fabricante número um de smartphones. Enquanto estima-se que o fracasso do Note 7 deve ter sido de cerca de 6,1 trilhões de wons (US$ 5,35 bilhões) no lucro operacional da empresa sul-coreana.

A Samsung já prometeu várias melhorias para garantir a segurança do produto. Incluindo testes de bateria mais rigorosos e abrangentes que os inicialmente promovidos. Kim, que se reportará diretamente ao presidente da companhia, Kwon Oh-hyun, era executivo da área de dispositivos móveis na Samsung.

Twitter

O Twitter lançou na quarta-feira um esforço mais amplo para usar algoritmos para identificar as contas. Como potencialmente envolvidas em comportamento abusivo. Uma mudança de sua prática de confiar nos usuários para relatar contas que devem ser revistas por possíveis violação das suas regras.

O Twitter e rivais como o Facebook têm confiado durante muito tempo em relatórios dos usuários de potencial abuso. Para revisão, às vezes para o desgosto de grupos que os acusavam de fazer muito pouco para impedir discurso de ódio ou assédio. O Twitter, que já usa tecnologia para tentar limitar algumas comunicações. Ainda revisará os relatórios dos usuários sobre possíveis abusos.

O Twitter disse que vai limitar a funcionalidade de contas marcadas por sua tecnologia como abusiva por um período de tempo não especificado. Uma restrição que poderia incluir permitir que apenas os seguidores vejam os tweets desse usuário. Atualmente, as contas são excluídas ou suspensas quando marcadas como abusivas.

– Pretendemos agir apenas em contas nas quais estamos confiantes. Com base em nossos algoritmos, de que seu comportamento é abusivo – disse o vice-presidente de engenharia, Ed Ho, em um post no blog. “Como essas ferramentas são novas, às vezes cometeremos erros. Mas sabemos que estamos trabalhando ativamente para melhorar…todos os dias”.

Opções de filtragem

O Twitter também está adotando novas opções de filtragem para notificações para permitir que os usuários limitem o que veem de certos tipos de contas. Como aquelas que não têm uma foto de perfil. Disse que alertaria os usuários quando recebessem relatórios de abuso e informaria se novas ações contra certas contas ocorressem.

As atualizações anunciadas nesta quarta-feira são as últimas de uma série de mudanças que o Twitter implementou nos últimos meses para combater o abuso. No início de fevereiro, a empresa de mídia social disse que tornaria mais difícil para os usuários abusivos criar novas contas, lançando uma função de “busca segura”, entre outras.

O Twitter, o Facebook e outras empresas de internet enfrentaram crescentes queixas nos últimos anos sobre como monitoram e controlam seu conteúdo, enquanto usuários e governos intensificaram a pressão no Vale do Silício para evitar propaganda extremista violenta, limitar o assédio e o bullying e limitar notícias falsas.

Facebook planeja usar inteligência artificial para combater suicídios

A maior rede de mídia social do mundo disse que planeja integrar suas ferramentas existentes de prevenção de suicídio para posts do Facebook em seu recurso de transmissão ao vivo

Por Redação, com Reuters – de Nova York:

O Facebook planeja usar inteligência artificial e atualizar suas ferramentas e serviços para ajudar a prevenir suicídios entre seus usuários.

A maior rede de mídia social do mundo disse que planeja integrar suas ferramentas existentes de prevenção de suicídio para posts do Facebook em seu recurso de transmissão ao vivo, Facebook Live, e seu serviço Messenger.

O Facebook planeja usar inteligência artificial e atualizar suas ferramentas e serviços para ajudar a prevenir suicídios entre seus usuários
O Facebook planeja usar inteligência artificial e atualizar suas ferramentas e serviços para ajudar a prevenir suicídios entre seus usuários

A inteligência artificial será usada para ajudar os usuários com tendências suicidas, disse a empresa em um post nesta quarta-feira.

Em janeiro, uma criança adotiva de 14 anos na Flórida transmitiu seu suicídio no Facebook Live, de acordo com o New York Post.

O Facebook já está usando inteligência artificial para monitorar material ofensivo em transmissões de vídeo ao vivo.

A empresa informou na quarta-feira que as ferramentas atualizadas dariam uma opção aos usuários assistindo a um vídeo ao vivo. Chegar diretamente à pessoa e denunciar o vídeo ao Facebook.

O Facebook também fornecerá recursos, que incluem chegar a um amigo e entrar em contato com uma linha de ajuda. Para o usuário que reportar o vídeo ao vivo.

As taxas de suicídio subiram 24 por cento nos Estados Unidos entre 1999 e 2014. Após um período de declínio quase consistente. De acordo com um estudo do National Center for Health Statistics.

Snap

A Snap, dona do aplicativo de mensagens Snapchat, irá precificar sua oferta pública inicial de ações (IPO, na siga em inglês). Após o fechamento do mercado de ações dos Estados Unidos nesta quarta-feira, no IPO de tecnologia mais aguardada desde o do gigante chinês de comércio eletrônico Alibaba em 2014.

O preço será o primeiro teste de apetite do investidor para um aplicativo de mídia social amado por adolescentes e pessoas na faixa dos 20 e poucos anos. Mas que ainda precisa mostrar lucro. As perdas da empresa se ampliaram no ano passado e ela ainda experimenta um desaquecimento do crescimento dos usuários em face da intensa concorrência de rivais maiores como o Facebook.

Apesar dos desafios na conversão de uma ferramenta descolada em dinheiro. A Snap está apontando uma avaliação entre US$ 19,5 bilhões e US$ 22,3 bilhões. Na listagem na Bolsa de Valores de Nova York na quinta-feira. A mais cara para um IPO de tecnologia norte-americana desde o Facebook em 2012.

A Snap busca precificar 200 milhões de ações na noite de quarta-feira em uma faixa de US$ 14 a US$ 16 por ação.

A venda, que visa levantar cerca de US$ 3 bilhões, tem a vantagem de timing favorável. O mercado de IPOs de tecnologia acionou os freios em 2016. O ano mais lento para lançamentos desde 2008, e os investidores estão ansiosos por novas oportunidades.

As primeiras indicações para os acionistas vendedores e para a empresa foram positivas. De acordo com fontes familiares com o assunto, a demanda estaria maior do que a oferta. Com ordens com ordens na faixa maior do preço indicativo. Pelo menos um novo investidor indicou que estava disposto a comprar um grande pedaço do IPO e não vendê-lo por um ano.