Fundo de Buffett compra lote milionário de ações da Apple

Buffett disse que a Apple tem feito um bom trabalho e, por isso, eleva sua participação na companhia

O presidente-executivo da Apple, Tim Cook, fez um “ótimo trabalho” na Apple, disse o multibilionário Buffett, durante entrevista à rede CNBC

 

Por Redação, com agências internacionais – de Nova York, EUA

 

Warren Buffett, chairman da Berkshire Hathaway Inc, disse à rede norte-americana de TV CNBC, nesta segunda-feira, que seu conglomerado havia comprado cerca de 120 milhões de ações da Apple Inc. em 2017. Disse, ainda, que as ações norte-americanas não estavam em uma “bolha”.

Buffett disse que a Apple tem feito um bom trabalho e, por isso, eleva sua participação na companhia
Buffett disse que a Apple tem feito um bom trabalho e, por isso, eleva sua participação na companhia

— A Apple me parece ter um produto bastante atraente — disse Buffett. Ele disse que a participação da Berkshire na Apple agora valia cerca de US$ 17 bilhões e somava 133 milhões de ações.

O presidente-executivo da companhia, Tim Cook, fez um “ótimo trabalho”, disse Buffett. Mas acrescentou que não havia comprado ações desde o relatório de lucros da empresa.

Buffett, que disse à rede de televisão a cabo que a Berkshire gastou cerca de US$ 20 bilhões em ações. A compra foi iniciada pouco antes da eleição dos EUA, de 8 de novembro. Ele também disse que o mercado de ações no país estava barato, com as taxas de juros nos níveis atuais.

Buffett disse que era extremamente difícil tentar encontrar um piso nos preços das ações e que ele não sabia o que aconteceria no curto prazo no mercado. Ele disse que ações norte-americanas poderiam “cair 20% amanhã”.

Alphabet acusa Uber de roubo de tecnologia para carros autônomos

A Waymo acusou o Uber e a Otto, unidade adquirida pela empresa de transporte urbano em agosto, de roubo de informações confidenciais

Por Redação, com Reuters – de São Francisco/Hong Kong:

A unidade de carros autônomos da Alphabet Waymo processou o Uber Technologies e sua subsidiária de transporte autônomo para caminhão Otto, alegando roubo de sua tecnologia própria e confidencial de sensores.

A unidade de carros autônomos da Alphabet Waymo processou o Uber Technologies e sua subsidiária de transporte autônomo para caminhão Otto
A unidade de carros autônomos da Alphabet Waymo processou o Uber Technologies e sua subsidiária de transporte autônomo para caminhão Otto

A Waymo acusou o Uber e a Otto, unidade adquirida pela empresa de transporte urbano em agosto, de roubo de informações confidenciais. Sobre a tecnologia de sensor Lidar da Waymo para ajudar a acelerar seus próprios esforços em tecnologia autônoma.

– A tecnologia LiDAR da Uber é, na verdade, a tecnologia LiDAR da Waymo – diz a denúncia da Waymo no Distrito Norte da Califórnia.

O Uber disse que levou “as alegações feitas contra funcionários da Otto e da Uber com seriedade e vamos rever este assunto com cuidado”.

A Lidar, que utiliza pulsos de luz refletidos sobre objetos para medir sua posição na ou perto da estrada. É um componente crucial de sistemas de condução autônoma. Os sistemas anteriores foram proibitivamente caros. A Waymo procurou projetar um mais de 90 % mais barato. Tornando sua tecnologia Lidar entre os “ativos mais valiosos da empresa”, disse a Waymo.

A Waymo está pedindo um montante não especificado em danos. Uma ordem judicial que impede o Uber de usar suas informações proprietárias.

Empresas de tecnologia

O regulador de valores mobiliários da China está considerando oferecer um atalho para algumas das maiores empresas de tecnologia do país listarem suas ações. Permitindo que furem uma longa fila de candidatos e impulsionem as bolsas do país. De acordo com seis fontes com conhecimento das propostas.

As fontes disseram que as companhias que estão sendo consideradas para utilizarem o atalho poderiam incluir a filial financeira do Alibaba Ant. A companhia de tecnologia financeira mais valiosa do mundo. A seguradora Zhong An Online Property and Casualty Insurance e a fabricante de software de segurança Qihoo 360 Technology.

A Ant Financial, avaliada em US$ 60 bilhões na rodada de financiamento mais recente do ano passado. Deverá ser uma das maiores ofertas públicas iniciais (IPOs) de 2017. Embora a Ant não tenha especificado um local de listagem preferencial, analistas e banqueiros. Disseram anteriormente que o negócio provavelmente ocorrerá em Hong Kong, dada a fila no continente.

A China está perdendo para a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE). Para o Nasdaq listagens importantes de tecnologia. Portanto mais IPOs em casa podem significar milhões de iuanes em receita para os bancos de investimento chineses, que dominam a emissão de ações domésticas.

Há cerca de 700 empresas esperando por uma luz verde da China Securities Regulatory Commission (CSRC). O órgão regulador do mercado de capitais do país, para listar em Xangai ou Shenzhen.

Embora o regulador tenha aumentado o ritmo das aprovações nos últimos meses. Isso ainda deixa uma espera típica de 18 meses. Ou mais antes que as empresas sejam capazes de levantar fundos. Tornando o mercado interno desinteressante para as empresas de tecnologia de crescimento rápido que precisam de fundos para alimentar suas expansão.

Google lança tecnologia que ajuda identificar comentários abusivos

A tecnologia lançada examinou centenas de milhares de comentários rotulados como ofensivos por usuários para aprender como identificar linguagem potencialmente abusiva

Por Redação, com Reuters – de Bruxelas:

O Google e a Jigsaw, ambos controlados pela holding Alphabet, lançaram nesta quinta-feira nova tecnologia para ajudar empresas de mídia e plataformas online a identificar comentários abusivos em seus sites.

O Google e a Jigsaw, ambos controlados pela holding Alphabet, lançaram nesta quinta-feira nova tecnologia para ajudar empresas de mídia e plataformas online
O Google e a Jigsaw, ambos controlados pela holding Alphabet, lançaram nesta quinta-feira nova tecnologia para ajudar empresas de mídia e plataformas online

Apelidada de Perspectiva, a tecnologia revisará comentários, classificando-os com base na similaridade com observações que pessoas consideram “tóxicas” ou que provavelmente as levariam a deixar a conversa.

O serviço já foi testado pelo jornal New York Times e as empresas esperam disponibilizá-lo para outros veículos de imprensa, como o The Guardian e a revista The Economist. Além de sites de notícia.

– Os veículos de comunicação querem encorajar o engajamento e a discussão em torno de seu conteúdo. Mas identificar em meio a milhares de comentários aqueles que são ofensivos. Ou abusivos requer muito dinheiro, trabalho e tempo. Como resultado, muitos sites bloquearam a função de uma vez por todas – disse Jared Cohen, presidente da Jigsaw. Que faz parte da Alphabet, em uma publicação em blog.

– Mas eles nos dizem que essa não é a solução que eles querem. Achamos que a tecnologia pode ajudar – acrescentou.

A tecnologia lançada examinou centenas de milhares de comentários rotulados. Como ofensivos por usuários para aprender como identificar linguagem potencialmente abusiva.

Para CJ Adams, gerente de produtos da Jigsaw. A empresa estava pronta para disponibilizar a tecnologia para todas as plataformas, incluindo as grandes como o Facebook e o Twitter. Onde a publicação de comentários ofensivos pode se tornar uma dor de cabeça.

Serviço

O serviço pode ser expandido no futuro, de modo a identificar ataques pessoais ou comentários fora de contexto. Segundo Cohen. A tecnologia não decide o que fazer com os comentários considerados potencialmente abusivos. Em vez disso, ela os ressalta para os moderadores ou desenvolve ferramentas para ajudar usuários a entender o impacto do que escrevem.

Conforme Cohen, uma porção significativa de comentários abusivos parte de pessoas que estão “apenas tendo um dia ruim”.

A iniciativa sucede esforços de Google e Facebook. Para conter a disseminação de notícias faltas na França, Alemanha, Estados Unidos.

Snap Inc rechaça preocupações em segundo dia de roadshow para IPO

A Snap tem como meta uma avaliação entre US$ 19,5 bilhões e US$ 22,3 bilhões na listagem em duas semanas na Bolsa de Nova York

Por Redação, com Reuters – de Nova York:

A Snap Inc, dona do popular aplicativo de mensagens Snapchat, rechaçou o ceticismo de investigadores no segundo dia do roadshow para o IPO, apostando no carisma do CEO Evan Spiegel, de 26 anos, apresentado pela empresa como um “criador único de uma geração”.

A Snap Inc, dona do popular aplicativo de mensagens Snapchat, rechaçou o ceticismo de investigadores no segundo dia do roadshow para o IPO
A Snap Inc, dona do popular aplicativo de mensagens Snapchat, rechaçou o ceticismo de investigadores no segundo dia do roadshow para o IPO

A Snap tem como meta uma avaliação entre US$ 19,5 bilhões e US$ 22,3 bilhões na listagem em duas semanas na Bolsa de Nova York. A empresa cortou sua meta inicial de US$ 20 bilhões a US$ 25 bilhões na semana passada. Após feedback negativo de investidores.

Em uma sala com mais de 400 investidores no 36° andar do hotel Mandarin Oriental, em Nova York, na terça-feira. Spiegel afastou preocupações pelo crescimento de usuários mais lento. Ele destacou o potencial da Snap de mudar “a maneira que pessoas vivem e se comunicam”. De acordo com fontes que pediram para não ser identificadas porque o encontro foi fechado para a imprensa.

Muitos investidores ainda não foram convencidos pela Snap de que a empresa é mais valiosa que o Facebook. Com base na receita no momento do IPO da rede social em 2012. Ainda assim, reconheceram que a Snap deve realizar o maior IPO de tecnologia do ano e que é a queridinha dos millenials.

– Eles poderiam estar de roupa de baixo lá e ninguém ia ligar – disse um investidor que participou do evento na terça-feira.

IPO

Na sessão de perguntas e respostas com a admnistração da empresa. Nenhum participante perguntou sobre a estrutura inédita de ações da companhia. Que não dá direito de voto a investidores do IPO. Investidores estavam cautelosos de que caso fossem muitos críticos. Poderiam levar a companhia a limitar a alocação na oferta, disse um investidor.

Spiegel e o cofundador Bobby Murphy terão direito a 10 votos por cada ação. Os atuais investidores, tais como aqueles que colocaram capital de risco, terão um voto por cada ação.

TransferWise lança serviço de transferência internacional via Facebook

O Facebook autoriza usuários a enviar recursos internamente nos EUA por meio do aplicativo de mensagens, mas ainda não lançou um serviço similar internacionalmente

Por Redação, com Reuters – de Nova York:

A TransferWise lançou novo serviço que permite aos usuários enviar dinheiro internacionalmente pelo aplicativo de chat do Facebook, num momento em que a concorrência entre as plataformas de pagamentos digitais se intensifica.

A TransferWise lançou novo serviço que permite aos usuários enviar dinheiro internacionalmente pelo aplicativo de chat do Facebook
A TransferWise lançou novo serviço que permite aos usuários enviar dinheiro internacionalmente pelo aplicativo de chat do Facebook

Com sede em Londres, a start-up informou nesta terça-feira que desenvolveu um programa automatizado. Ao qual apelidou de chatbot, no messenger do Facebook, que pode ajudar os usuários a se comunicar com empresas e realizar tarefas como compras online.

O chatbot da TransferWise permite aos clientes enviar dinheiro para amigos e familiares de e para os Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália e Europa. A partir do messenger da rede social. Também pode ser usado para alertas sobre cotações de câmbio.

Recursos

O Facebook autoriza usuários a enviar recursos internamente nos EUA. Por meio do aplicativo de mensagens. Mas ainda não lançou um serviço similar internacionalmente. A TransferWise afirma que será a primeira a permitir a realização de transferências internacionais inteiramente pelo messenger.

Em abril, a rede social abriu o aplicativo de mensagens para desenvolvedores de aplicativos criarem chatbots. Em um esforço para expandir seu alcance em serviços e transações corporativas.

Uma das fintechs mais conhecidas da Europa. A TransferWise foi lançada em 2011 pelos amigos Taavet Hinrikus e Kristo Käärmann, que se frustravam com as tarifas elevadas cobradas pelos bancos para transferências internacionais.

A empresa, agora avaliada em mais de 1 bilhão de dólares, é apoiada por vários investidores de alto perfil. Incluindo o fundo de venture capital do Vale do Silício, Andreessen Horowitz, o fundador do Virgin Group, Richard Branson. Os co-fundadores do PayPal, Max Levchin e Peter Thiel, por meio de seu fundo Valar Ventures.

A TransferWise movimenta todo mês cerca de US$ 1 bilhão por meio de seu site em transferências para mais de 50 países.

Alibaba fecha acordo com Bailian

O acordo, que não inclui qualquer investimento financeiro no Bailian, é o mais recente dos esforços ainda incipientes do Alibaba

Por Redação, com Reuters – de Pequim/Londres:

O grupo chinês Alibaba Group Holding informou que acertou uma parceria estratégica com o Bailian Group, maior varejista por número de lojas, para reforçar a estratégia do gigante do comércio eletrônico de uso de big data para melhorar e lucrar com as vendas em estabelecimentos tradicionais.

O grupo chinês Alibaba Group Holding informou que acertou uma parceria estratégica com o Bailian Group
O grupo chinês Alibaba Group Holding informou que acertou uma parceria estratégica com o Bailian Group

O acordo, que não inclui qualquer investimento financeiro no Bailian. É o mais recente dos esforços ainda incipientes do Alibaba para capturar uma maior fatia do mercado de varejo à medida que o crescimento das vendas online desacelera.

O Alibaba também investiu US$ 4,6 bilhões em uma participação minoritária na varejista de aparelhos eletroeletrônicos Suning Commerce Group. Está liderando uma oferta de US$ 2,6 bilhões para fechar o capital da loja de departamentos. E operadora de shopping center Intime Retail Group e comprou uma participação na cadeia de supermercados Sanjiang Shopping Club.

A notícia do acordo levou a alta nas ações de empresas do grupo Bailian. Mas analistas advertiram que pode levar vários anos antes que o retorno por uso de big data possa fazer uma diferença significativa para os resultados.

– Há um grande impulso agora em todas as marcas para tentar descobrir como misturar compras físicas e online. Mas os ganhos até agora foram limitados – disse o analista de varejo baseado em Xangai, Ben Cavender, no China Market Research Group.

As duas empresas vão inicialmente cooperar na tecnologia da cadeia de suprimentos usando as capacidades de big data do Alibaba e integrarão os pagamentos Alipay com o programa de fidelidade existente do Bailian Group.

O Bailian opera 4,7 mil pontos de venda em 200 cidades. Incluindo supermercados, lojas de conveniência e farmácias. Mais que o dobro das lojas da Suning, Intime e Sanjiang combinadas.

Um porta-voz do Alibaba se recusou a comentar sobre quantas lojas estarão envolvidas na nova parceria. Um porta-voz da Bailian não respondeu a um pedido de comentário.

O Alibaba, que tem uma base de usuários ativos de cerca de 500 milhões, informou que quer acessar todo o mercado de varejo da China de US$ 4,8 trilhões, desenvolvendo ferramentas de gerenciamento de dados para varejistas e marcas.

Entre as empresas do Bailian Group. As ações da Shanghai Bailian Group subiram 10 %. Lianhua Supermercado Holdings teve alta superior a 7,7 %  e Xangai Material Trading subiu quase 5 %.

Amazon

O varejista online Amazon vai criar mais de 5 mil empregos no Reino Unido este ano. Disse a empresa nesta segunda-feira. Impulsionando seu investimento no país mais uma vez. Enquanto os britânicos se preparam para deixar a União Europeia.

A Amazon, juntamente com outros gigantes da tecnologia como o Google e a Apple. Aumentou seu compromisso com o Reino Unido no ano passado. Dizendo que a decisão do referendo britânico de deixar a UE em junho passado não afetou seus planos de investimento.

Os planos para criar mais de 5 mil empregos em 2017 é um recorde para a Amazon no Reino Unido. Embora pelo menos 2 mil dos postos de trabalho já tivessem sido anunciados. Os movimentos levariam sua força de trabalho permanente no país para 24 mil pessoas.

Doug Gurr, diretor do país britânico na Amazon. Disse que os empregos proporcionariam “entrega ainda mais rápida, mais seleção e melhor valor” para os clientes britânicos.

A nova sede da Amazon em Londres terá capacidade para mais de 5 mil pessoas até o final do ano. Disse a empresa. A concentração de conhecimentos de tecnologia em Londres tem sido citada por muitas empresas como uma atração.

Foguete Falcon 9 é lançado com importantes suprimentos para EEI

O foguete está transportando aproximadamente 2,5 toneladas, incluindo materiais que serão destinados a experimentos científicos

Por Redação, com Sputnik – de Moscou:

O foguete Falcon 9 foi lançado a partir do cabo Canaveral neste domingo, levando a carga à Estação Espacial Internacional (EEI).

O lançamento foi iniciado às 11h39, horário de Brasília, a partir da plataforma de lançamento no cabo Canaveral, sendo o primeiro lançado da estação após a conclusão do programa Space Shuttle em 2011.

O foguete Falcon 9 foi lançado a partir do cabo Canaveral neste domingo, levando a carga à Estação Espacial Internacional
O foguete Falcon 9 foi lançado a partir do cabo Canaveral neste domingo, levando a carga à Estação Espacial Internacional

O lançamento, planejado para acontecer no sábado, acabou sendo adiado por complicações em um dos motores.

De acordo com a NASA, todos os estágios do voo estão sendo realizados conforme planejado. Em sua página de Instagram. Elon Musk divulgou que o primeiro andar do foguete já retornou ao planeta Terra. O empresário e engenheiro escreveu “o bebê voltou”.

O foguete está transportando aproximadamente 2,5 toneladas, incluindo materiais que serão destinados a experimentos científicos.

Terra SGE III

O instrumento para medição da camada de ozônio da Terra SGE III (Stratospheric Aerosol and Gas Experiment). O sensor de medição de raios STP-H5 LIS (Space Test Program-H5-Lightning Imaging Sensor) estão a bordo da nave espacial.

Caso cumpra todas as metas, o Falcon 9 deverá atingir o módulo norte-americano da EEI Harmony no dia 21 de março, voltando para o nosso planeta com a carga da estação internacional.

Facebook alerta contra reversão de pensamento globalizado

Os comentários de Zuckerberg ocorrem numa época em que muitas pessoas e nações de todo o mundo estão adotando uma visão cada vez mais focada em questões internas

Por Redação, com Reuters – de São Francisco/Nova York:

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, apresentou uma visão de sua empresa servindo como um baluarte contra o crescente isolacionismo, escrevendo em uma carta aos usuários que a plataforma da empresa poderia ser a “infraestrutura social” para o globo.

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, apresentou uma visão de sua empresa
O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, apresentou uma visão de sua empresa

Em um manifesto de 5.700 palavras, Zuckerberg, fundador da maior rede social do mundo. Ele citou Abraham Lincoln, o presidente dos Estados Unidos durante a Guerra Civil do século XIX. Conhecida por sua eloquência, e ofereceu uma pesquisa filosófica incomum para um magnata de negócios.

Os comentários de Zuckerberg ocorrem numa época em que muitas pessoas e nações de todo o mundo. Estão adotando uma visão cada vez mais focada em questões internas. 

O presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu colocar “a América em primeiro lugar”. Em seu discurso inaugural em janeiro. Isso se seguiu à decisão do Reino Unido em junho de sair da União Europeia.

– Em todo o mundo há pessoas deixadas para trás pela globalização, e movimentos para se retirar da conexão global – escreveu Zuckerberg, sem mencionar movimentos específicos.

A questão, disse o executivo de 32 anos, era se “o caminho a seguir é conectar mais ou reverter o curso”. Acrescentando que ele defende a união de pessoas.

Citando uma carta que Lincoln escreveu ao Congresso em momento sombrio da Guerra Civil, ele escreveu para os 1,9 bilhão de usuários do Facebook. “Os dogmas do passado calmo são inadequados para o presente tempestuoso”.

Snap

A Snap Inc., proprietária do popular aplicativo de mensagens Snapchat. Avaliou sua oferta pública inicial de ações na faixa de 19,5 bilhões a US$ 22,2 bilhões. Informou o Wall Street Journal, citando fontes.

O intervalo, que representa o preço de US$ 14 a US$ 16 por ação. Está perto do limite inferior da faixa esperada de US$ 20 bilhões a US$ 25 bilhões, informou o jornal.

Um porta-voz da Snap Inc se recusou a comentar.

A Snap Inc apresentou o comunicado de registro de IPO no início de fevereiro. E esperava-se que registrasse o maior IPO de tecnologia dos Estados Unidos desde o Facebook.

A empresa tinha registrado confidencialmente com a Securities and Exchange Commission (SEC, regulador do mercado de capitais nos Estados Unidos). Para um IPO no final do ano passado.

A Snap, que lançou-se em 2012 com um aplicativo que envia mensagens que depois desaparecem. Se renovou no ano passado como uma empresa de câmera e começou a vender lentes de câmera de vídeo a US$ 130. 

A empresa gera a maioria de suas receitas de publicidade, buscando desafiar o domínio dos gigantes da Internet existentes.

Google: jovem de Camarões vence competição de programação

Jovem de 17 anos é o primeiro africano a ganhar torneio internacional de programação. Ele superou um bloqueio à Internet imposto pelo governo, conflitos étnicos no país e o ceticismo do próprio pai

Por Redação, com DW – de Bafoussam:

O adolescente Nji Collins Gbah, natural de Camarões, é o primeiro vencedor africano da competição anual de programação da Google. O jovem de 17 anos superou uma série de obstáculos, incluindo um bloqueio à Internet imposto pelo governo.

Jovem de 17 anos é o primeiro africano a ganhar torneio internacional de programação
Jovem de 17 anos é o primeiro africano a ganhar torneio internacional de programação

Camarões cortou a internet nas regiões de língua inglesa do país há quatro semanas. Afirmando se tratar de uma medida necessária para conter protestos. E impedir que as pessoas usem as redes sociais para propagar “mensagens antigoverno”.

Os protestos começaram em outubro do ano passado. A população se queixa de uma suposta marginalização dos falantes de inglês e da falta de respeito ao status do inglês. Como um idioma oficial do país por parte da maioria francófona. Ao menos seis manifestantes foram mortos a tiros e centenas foram detidos.

Apesar das adversidades. Gbah viajou para Bafoussam, cidade numa área de língua francesa, para poder ter acesso à Internet, inscrever-se na competição internacional e completar as tarefas determinadas pela Google.

– Eles nos pediram que soubéssemos algumas coisas básicas sobre ciência da computação e programação e sobre como usar certos softwares. Você basicamente só precisa criar uma conta ou usar a sua conta da Google se tiver uma – explicou o garoto.

Para praticar, o jovem teve que pegar emprestado o computador do pai. “Ele costumava pegar o meu computador, e eu não ficava muito feliz com isso porque sentia que ele estava só desperdiçando tempo, sem fazer as tarefas domésticas”, disse o pai, Nji Patrick. “Às vezes eu confiscava o computador e o trancava.”

Exemplo para a juventude

Após o ceticismo inicial, o pai admitiu que o filho agora serve de exemplo para muitos jovens por ter superado todas as adversidades para vencer a competição. “Fiquei muito surpreso. Senti-me culpado por ter sido tão duro com ele, mas agora estou muito feliz”, disse o pai.

Para muitos jovens de Camarões, a vitória mostra o quanto eles estão perdendo com o bloqueio à internet em sua região. “Este jovem teve a inspiração de ir para Bafoussam, mas não se sabe quantos mais poderiam ter ido para o pódio e não tiveram a chance por causa da falta de internet. É uma pena”, disse o adolescente Atteh Francis.

O jovem vencedor acredita que sua vitória serve de inspiração para se encontrar soluções para problemas como o atual bloqueio à Internet. “Eu gostaria de estudar ciência da computação numa universidade.

A principal coisa é focar exatamente no que você quer fazer. Uma vez que você tem um objetivo e você vê que vai ter benefícios ao final ou que vai aprender algo de novo com isso, então você deveria ir em frente”, disse Gbah.

Enquanto isso, o governo diz que o bloqueio à internet vai permanecer. “Redes sociais oferecem uma série de possibilidades, como alertas no caso de desastres. Mas percebemos que muitas pessoas as usam para propósitos não saudáveis”, afirmou o ministro de Telecomunicações de Camarões, Libom Li Likeng.

Filme mostra, em Berlim, a crise portuguesa

A cineasta portuguesa Teresa Villaverde estreou seu filme Colo, no Festival Internacional de Cinema de Berlim, afirmando que a crise não é só econômica mas igualmente de falta de comunicação entre as pessoas, decorrente da primeira.

Por Rui Martins, do Festival Internacional de Cinema:

Crise em Portugal é muito mais grave do que se pensa
Crise em Portugal é muito mais grave do que se pensa

A lusofonia este ano bateu um recorde no Festival Internacional de Cinema de Berlim – são 18 filmes brasileiros e portugueses nas diversas competições.

Nesta quarta-feira, foi a vez do longa-metragem da cineasta portuguesa Teresa Villaverde, Colo, mostrando a repercussão da crise econômica numa família portuguesa. O filme tem o título de Colo que, entre coisas quer dizer afeto, porque – diz Villaverde – falta também afeto no casal e filha do seu filme.

Para ela, a crise não é só econômica, mas envolve igualmente um clima de falta de comunicação, porque se de um lado gera o desemprego, outra pessoas são obrigadas a acumular empregos, faltando-lhes tempo para curtir a família.

No filme Colo, o desemprego leva o pai ao desespero e a filha não avalia a gravidade da crise vivida pela família, onde até a luz é cortada por falta de pagamento. Filmado na maior parte do tempo nos interiores e sem muita luz, Colo transmite a sensação de falta de perspectivas de seus personagens.

Teresa Villaverde permanece fiel aos filmes de cenas longas que sempre caracterizam as produções portuguesas. Uma exceção foi, há quatro anos e também com estreia em Berlim,o filme Tabu, de Miguel Gomes, com uma agilidade ainda rara no cinema português.

Embora o tema de Colo seja dos melhores, o     que a crítica chamou de “silêncios”, os planos fixos demorados e a falta de movimento em contraposição às cenas mais rápidas da moderna cinematografia, não foram bem recebidos pela crítica internacional que abandonou a projeção e não foi à coletiva para a imprensa.

Resta a questão da pronúncia do português da antiga metrópole, diferente da maneira mais aberta própria do “brasileiro”, que dificultará sempre a comercialização dos filmes portugueses no Brasil, o mesmo não ocorra com os filmes brasileiros em Portugal, haja visto o sucesso das telenovelas da Globo.

Ocorre praticamente o mesmo com os filmes canadenses, cuja pronúncia é fiel ao francês antigo, geralmente com legendas nas exibições na França. Talvez por influência das telenovelas, a pronúncia portuguesa nas antigas colonias é mais próxima do “brasileiro”.

Rui Martins está em Berlim convidado pelo Festival Internacional de Cinema.