Spotify atinge 50 milhões de assinantes pagos

E a empresa, que ainda não apresentou lucro enquanto investe em seu crescimento internacional, já considera uma potencial listagem de ações no mercado norte-americano

Por Redação, com Reuters – de Estocolmo:

 

O Spotify informou ter atingido 50 milhões de assinantes, o que representa uma expansão de 25 %  em menos de seis meses e coloca o serviço sueco de streaming de músicas a frente de seu rival mais próximo, a Apple Music.

O Spotify informou ter atingido 50 milhões de assinantes
O Spotify informou ter atingido 50 milhões de assinantes

E a empresa, que ainda não apresentou lucro enquanto investe em seu crescimento internacional. Já considera uma potencial listagem de ações no mercado norte-americano. Conforme reportou a February TechCrunch.

Com sede em Estocolmo, o Sportify anunciou em fevereiro um grande plano de expansão em Nova York. Uma das startups mais valiosas da Europa. A empresa mudará o escritório para a região de Manhattan, criando mais de 1 mil novas vagas.

Apple

Lançado em 2008, o Spotify contava com 40 milhões de assinantes em setembro. Seu concorrente, a Apple, que lançou serviço similar menos de dois anos atrás, tinha cerca de 20 milhões de assinantes em dezembro.

Conforme relatório divulgado no fim do ano pela Nielsen, os norte-americanos escutaram 431 bilhões de músicas em plataformas de streaming em 2016.

 

Samsung cria divisão global para melhorar qualidade de produtos

O modelo Galaxy S8 deve ser lançado em abril e a Samsung está sob intensa pressão para garantir que o dispositivo seja seguro e opere eficientemente

Por Redação, com Reuters – de Seul:

A gigante sul-coreana de tecnologia Samsung Electronics criou uma divisão global voltada para melhorar a qualidade de seus produtos, em um esforço para se recuperar do escândalo envolvendo o smartphone Galaxy Note 7.

A gigante sul-coreana de tecnologia Samsung Electronics criou uma divisão global voltada para melhorar a qualidade de seus produtos
A gigante sul-coreana de tecnologia Samsung Electronics criou uma divisão global voltada para melhorar a qualidade de seus produtos

Kim Jong-ho, presidente da subsidiária Samsung Heavy Industries, será transferido para a Samsung Electronics. Para dirigir as operações de fiscalização de qualidade e processos de fabricação, de acordo com a empresa.

– O presidente Kim Jong-ho, um especialista na área de produção. Vai liderar os esforços para melhorar a qualidade e fabricação de produtos. Em todos os negócios da Samsung Electronics – disse a empresa em comunicado.

É a mais recente decisão tomada pelo grupo sul-coreano para restaurar a confiança do consumidor. Depois que a companhia foi forçada e suspender as vendas do Note 7 em outubro. Depois que aparelhos pegaram fogo por causa de problemas na bateria.

O modelo Galaxy S8 deve ser lançado em abril e a Samsung está sob intensa pressão para garantir que o dispositivo seja seguro e opere eficientemente.

No quarto trimestre, a rival Apple ultrapassou a Samsung como a fabricante número um de smartphones. Enquanto estima-se que o fracasso do Note 7 deve ter sido de cerca de 6,1 trilhões de wons (US$ 5,35 bilhões) no lucro operacional da empresa sul-coreana.

A Samsung já prometeu várias melhorias para garantir a segurança do produto. Incluindo testes de bateria mais rigorosos e abrangentes que os inicialmente promovidos. Kim, que se reportará diretamente ao presidente da companhia, Kwon Oh-hyun, era executivo da área de dispositivos móveis na Samsung.

Twitter

O Twitter lançou na quarta-feira um esforço mais amplo para usar algoritmos para identificar as contas. Como potencialmente envolvidas em comportamento abusivo. Uma mudança de sua prática de confiar nos usuários para relatar contas que devem ser revistas por possíveis violação das suas regras.

O Twitter e rivais como o Facebook têm confiado durante muito tempo em relatórios dos usuários de potencial abuso. Para revisão, às vezes para o desgosto de grupos que os acusavam de fazer muito pouco para impedir discurso de ódio ou assédio. O Twitter, que já usa tecnologia para tentar limitar algumas comunicações. Ainda revisará os relatórios dos usuários sobre possíveis abusos.

O Twitter disse que vai limitar a funcionalidade de contas marcadas por sua tecnologia como abusiva por um período de tempo não especificado. Uma restrição que poderia incluir permitir que apenas os seguidores vejam os tweets desse usuário. Atualmente, as contas são excluídas ou suspensas quando marcadas como abusivas.

– Pretendemos agir apenas em contas nas quais estamos confiantes. Com base em nossos algoritmos, de que seu comportamento é abusivo – disse o vice-presidente de engenharia, Ed Ho, em um post no blog. “Como essas ferramentas são novas, às vezes cometeremos erros. Mas sabemos que estamos trabalhando ativamente para melhorar…todos os dias”.

Opções de filtragem

O Twitter também está adotando novas opções de filtragem para notificações para permitir que os usuários limitem o que veem de certos tipos de contas. Como aquelas que não têm uma foto de perfil. Disse que alertaria os usuários quando recebessem relatórios de abuso e informaria se novas ações contra certas contas ocorressem.

As atualizações anunciadas nesta quarta-feira são as últimas de uma série de mudanças que o Twitter implementou nos últimos meses para combater o abuso. No início de fevereiro, a empresa de mídia social disse que tornaria mais difícil para os usuários abusivos criar novas contas, lançando uma função de “busca segura”, entre outras.

O Twitter, o Facebook e outras empresas de internet enfrentaram crescentes queixas nos últimos anos sobre como monitoram e controlam seu conteúdo, enquanto usuários e governos intensificaram a pressão no Vale do Silício para evitar propaganda extremista violenta, limitar o assédio e o bullying e limitar notícias falsas.

Facebook planeja usar inteligência artificial para combater suicídios

A maior rede de mídia social do mundo disse que planeja integrar suas ferramentas existentes de prevenção de suicídio para posts do Facebook em seu recurso de transmissão ao vivo

Por Redação, com Reuters – de Nova York:

O Facebook planeja usar inteligência artificial e atualizar suas ferramentas e serviços para ajudar a prevenir suicídios entre seus usuários.

A maior rede de mídia social do mundo disse que planeja integrar suas ferramentas existentes de prevenção de suicídio para posts do Facebook em seu recurso de transmissão ao vivo, Facebook Live, e seu serviço Messenger.

O Facebook planeja usar inteligência artificial e atualizar suas ferramentas e serviços para ajudar a prevenir suicídios entre seus usuários
O Facebook planeja usar inteligência artificial e atualizar suas ferramentas e serviços para ajudar a prevenir suicídios entre seus usuários

A inteligência artificial será usada para ajudar os usuários com tendências suicidas, disse a empresa em um post nesta quarta-feira.

Em janeiro, uma criança adotiva de 14 anos na Flórida transmitiu seu suicídio no Facebook Live, de acordo com o New York Post.

O Facebook já está usando inteligência artificial para monitorar material ofensivo em transmissões de vídeo ao vivo.

A empresa informou na quarta-feira que as ferramentas atualizadas dariam uma opção aos usuários assistindo a um vídeo ao vivo. Chegar diretamente à pessoa e denunciar o vídeo ao Facebook.

O Facebook também fornecerá recursos, que incluem chegar a um amigo e entrar em contato com uma linha de ajuda. Para o usuário que reportar o vídeo ao vivo.

As taxas de suicídio subiram 24 por cento nos Estados Unidos entre 1999 e 2014. Após um período de declínio quase consistente. De acordo com um estudo do National Center for Health Statistics.

Snap

A Snap, dona do aplicativo de mensagens Snapchat, irá precificar sua oferta pública inicial de ações (IPO, na siga em inglês). Após o fechamento do mercado de ações dos Estados Unidos nesta quarta-feira, no IPO de tecnologia mais aguardada desde o do gigante chinês de comércio eletrônico Alibaba em 2014.

O preço será o primeiro teste de apetite do investidor para um aplicativo de mídia social amado por adolescentes e pessoas na faixa dos 20 e poucos anos. Mas que ainda precisa mostrar lucro. As perdas da empresa se ampliaram no ano passado e ela ainda experimenta um desaquecimento do crescimento dos usuários em face da intensa concorrência de rivais maiores como o Facebook.

Apesar dos desafios na conversão de uma ferramenta descolada em dinheiro. A Snap está apontando uma avaliação entre US$ 19,5 bilhões e US$ 22,3 bilhões. Na listagem na Bolsa de Valores de Nova York na quinta-feira. A mais cara para um IPO de tecnologia norte-americana desde o Facebook em 2012.

A Snap busca precificar 200 milhões de ações na noite de quarta-feira em uma faixa de US$ 14 a US$ 16 por ação.

A venda, que visa levantar cerca de US$ 3 bilhões, tem a vantagem de timing favorável. O mercado de IPOs de tecnologia acionou os freios em 2016. O ano mais lento para lançamentos desde 2008, e os investidores estão ansiosos por novas oportunidades.

As primeiras indicações para os acionistas vendedores e para a empresa foram positivas. De acordo com fontes familiares com o assunto, a demanda estaria maior do que a oferta. Com ordens com ordens na faixa maior do preço indicativo. Pelo menos um novo investidor indicou que estava disposto a comprar um grande pedaço do IPO e não vendê-lo por um ano.

Fundo de Buffett compra lote milionário de ações da Apple

Buffett disse que a Apple tem feito um bom trabalho e, por isso, eleva sua participação na companhia

O presidente-executivo da Apple, Tim Cook, fez um “ótimo trabalho” na Apple, disse o multibilionário Buffett, durante entrevista à rede CNBC

 

Por Redação, com agências internacionais – de Nova York, EUA

 

Warren Buffett, chairman da Berkshire Hathaway Inc, disse à rede norte-americana de TV CNBC, nesta segunda-feira, que seu conglomerado havia comprado cerca de 120 milhões de ações da Apple Inc. em 2017. Disse, ainda, que as ações norte-americanas não estavam em uma “bolha”.

Buffett disse que a Apple tem feito um bom trabalho e, por isso, eleva sua participação na companhia
Buffett disse que a Apple tem feito um bom trabalho e, por isso, eleva sua participação na companhia

— A Apple me parece ter um produto bastante atraente — disse Buffett. Ele disse que a participação da Berkshire na Apple agora valia cerca de US$ 17 bilhões e somava 133 milhões de ações.

O presidente-executivo da companhia, Tim Cook, fez um “ótimo trabalho”, disse Buffett. Mas acrescentou que não havia comprado ações desde o relatório de lucros da empresa.

Buffett, que disse à rede de televisão a cabo que a Berkshire gastou cerca de US$ 20 bilhões em ações. A compra foi iniciada pouco antes da eleição dos EUA, de 8 de novembro. Ele também disse que o mercado de ações no país estava barato, com as taxas de juros nos níveis atuais.

Buffett disse que era extremamente difícil tentar encontrar um piso nos preços das ações e que ele não sabia o que aconteceria no curto prazo no mercado. Ele disse que ações norte-americanas poderiam “cair 20% amanhã”.

Google lança tecnologia que ajuda identificar comentários abusivos

A tecnologia lançada examinou centenas de milhares de comentários rotulados como ofensivos por usuários para aprender como identificar linguagem potencialmente abusiva

Por Redação, com Reuters – de Bruxelas:

O Google e a Jigsaw, ambos controlados pela holding Alphabet, lançaram nesta quinta-feira nova tecnologia para ajudar empresas de mídia e plataformas online a identificar comentários abusivos em seus sites.

O Google e a Jigsaw, ambos controlados pela holding Alphabet, lançaram nesta quinta-feira nova tecnologia para ajudar empresas de mídia e plataformas online
O Google e a Jigsaw, ambos controlados pela holding Alphabet, lançaram nesta quinta-feira nova tecnologia para ajudar empresas de mídia e plataformas online

Apelidada de Perspectiva, a tecnologia revisará comentários, classificando-os com base na similaridade com observações que pessoas consideram “tóxicas” ou que provavelmente as levariam a deixar a conversa.

O serviço já foi testado pelo jornal New York Times e as empresas esperam disponibilizá-lo para outros veículos de imprensa, como o The Guardian e a revista The Economist. Além de sites de notícia.

– Os veículos de comunicação querem encorajar o engajamento e a discussão em torno de seu conteúdo. Mas identificar em meio a milhares de comentários aqueles que são ofensivos. Ou abusivos requer muito dinheiro, trabalho e tempo. Como resultado, muitos sites bloquearam a função de uma vez por todas – disse Jared Cohen, presidente da Jigsaw. Que faz parte da Alphabet, em uma publicação em blog.

– Mas eles nos dizem que essa não é a solução que eles querem. Achamos que a tecnologia pode ajudar – acrescentou.

A tecnologia lançada examinou centenas de milhares de comentários rotulados. Como ofensivos por usuários para aprender como identificar linguagem potencialmente abusiva.

Para CJ Adams, gerente de produtos da Jigsaw. A empresa estava pronta para disponibilizar a tecnologia para todas as plataformas, incluindo as grandes como o Facebook e o Twitter. Onde a publicação de comentários ofensivos pode se tornar uma dor de cabeça.

Serviço

O serviço pode ser expandido no futuro, de modo a identificar ataques pessoais ou comentários fora de contexto. Segundo Cohen. A tecnologia não decide o que fazer com os comentários considerados potencialmente abusivos. Em vez disso, ela os ressalta para os moderadores ou desenvolve ferramentas para ajudar usuários a entender o impacto do que escrevem.

Conforme Cohen, uma porção significativa de comentários abusivos parte de pessoas que estão “apenas tendo um dia ruim”.

A iniciativa sucede esforços de Google e Facebook. Para conter a disseminação de notícias faltas na França, Alemanha, Estados Unidos.

Snap Inc rechaça preocupações em segundo dia de roadshow para IPO

A Snap tem como meta uma avaliação entre US$ 19,5 bilhões e US$ 22,3 bilhões na listagem em duas semanas na Bolsa de Nova York

Por Redação, com Reuters – de Nova York:

A Snap Inc, dona do popular aplicativo de mensagens Snapchat, rechaçou o ceticismo de investigadores no segundo dia do roadshow para o IPO, apostando no carisma do CEO Evan Spiegel, de 26 anos, apresentado pela empresa como um “criador único de uma geração”.

A Snap Inc, dona do popular aplicativo de mensagens Snapchat, rechaçou o ceticismo de investigadores no segundo dia do roadshow para o IPO
A Snap Inc, dona do popular aplicativo de mensagens Snapchat, rechaçou o ceticismo de investigadores no segundo dia do roadshow para o IPO

A Snap tem como meta uma avaliação entre US$ 19,5 bilhões e US$ 22,3 bilhões na listagem em duas semanas na Bolsa de Nova York. A empresa cortou sua meta inicial de US$ 20 bilhões a US$ 25 bilhões na semana passada. Após feedback negativo de investidores.

Em uma sala com mais de 400 investidores no 36° andar do hotel Mandarin Oriental, em Nova York, na terça-feira. Spiegel afastou preocupações pelo crescimento de usuários mais lento. Ele destacou o potencial da Snap de mudar “a maneira que pessoas vivem e se comunicam”. De acordo com fontes que pediram para não ser identificadas porque o encontro foi fechado para a imprensa.

Muitos investidores ainda não foram convencidos pela Snap de que a empresa é mais valiosa que o Facebook. Com base na receita no momento do IPO da rede social em 2012. Ainda assim, reconheceram que a Snap deve realizar o maior IPO de tecnologia do ano e que é a queridinha dos millenials.

– Eles poderiam estar de roupa de baixo lá e ninguém ia ligar – disse um investidor que participou do evento na terça-feira.

IPO

Na sessão de perguntas e respostas com a admnistração da empresa. Nenhum participante perguntou sobre a estrutura inédita de ações da companhia. Que não dá direito de voto a investidores do IPO. Investidores estavam cautelosos de que caso fossem muitos críticos. Poderiam levar a companhia a limitar a alocação na oferta, disse um investidor.

Spiegel e o cofundador Bobby Murphy terão direito a 10 votos por cada ação. Os atuais investidores, tais como aqueles que colocaram capital de risco, terão um voto por cada ação.

TransferWise lança serviço de transferência internacional via Facebook

O Facebook autoriza usuários a enviar recursos internamente nos EUA por meio do aplicativo de mensagens, mas ainda não lançou um serviço similar internacionalmente

Por Redação, com Reuters – de Nova York:

A TransferWise lançou novo serviço que permite aos usuários enviar dinheiro internacionalmente pelo aplicativo de chat do Facebook, num momento em que a concorrência entre as plataformas de pagamentos digitais se intensifica.

A TransferWise lançou novo serviço que permite aos usuários enviar dinheiro internacionalmente pelo aplicativo de chat do Facebook
A TransferWise lançou novo serviço que permite aos usuários enviar dinheiro internacionalmente pelo aplicativo de chat do Facebook

Com sede em Londres, a start-up informou nesta terça-feira que desenvolveu um programa automatizado. Ao qual apelidou de chatbot, no messenger do Facebook, que pode ajudar os usuários a se comunicar com empresas e realizar tarefas como compras online.

O chatbot da TransferWise permite aos clientes enviar dinheiro para amigos e familiares de e para os Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália e Europa. A partir do messenger da rede social. Também pode ser usado para alertas sobre cotações de câmbio.

Recursos

O Facebook autoriza usuários a enviar recursos internamente nos EUA. Por meio do aplicativo de mensagens. Mas ainda não lançou um serviço similar internacionalmente. A TransferWise afirma que será a primeira a permitir a realização de transferências internacionais inteiramente pelo messenger.

Em abril, a rede social abriu o aplicativo de mensagens para desenvolvedores de aplicativos criarem chatbots. Em um esforço para expandir seu alcance em serviços e transações corporativas.

Uma das fintechs mais conhecidas da Europa. A TransferWise foi lançada em 2011 pelos amigos Taavet Hinrikus e Kristo Käärmann, que se frustravam com as tarifas elevadas cobradas pelos bancos para transferências internacionais.

A empresa, agora avaliada em mais de 1 bilhão de dólares, é apoiada por vários investidores de alto perfil. Incluindo o fundo de venture capital do Vale do Silício, Andreessen Horowitz, o fundador do Virgin Group, Richard Branson. Os co-fundadores do PayPal, Max Levchin e Peter Thiel, por meio de seu fundo Valar Ventures.

A TransferWise movimenta todo mês cerca de US$ 1 bilhão por meio de seu site em transferências para mais de 50 países.

Facebook alerta contra reversão de pensamento globalizado

Os comentários de Zuckerberg ocorrem numa época em que muitas pessoas e nações de todo o mundo estão adotando uma visão cada vez mais focada em questões internas

Por Redação, com Reuters – de São Francisco/Nova York:

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, apresentou uma visão de sua empresa servindo como um baluarte contra o crescente isolacionismo, escrevendo em uma carta aos usuários que a plataforma da empresa poderia ser a “infraestrutura social” para o globo.

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, apresentou uma visão de sua empresa
O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, apresentou uma visão de sua empresa

Em um manifesto de 5.700 palavras, Zuckerberg, fundador da maior rede social do mundo. Ele citou Abraham Lincoln, o presidente dos Estados Unidos durante a Guerra Civil do século XIX. Conhecida por sua eloquência, e ofereceu uma pesquisa filosófica incomum para um magnata de negócios.

Os comentários de Zuckerberg ocorrem numa época em que muitas pessoas e nações de todo o mundo. Estão adotando uma visão cada vez mais focada em questões internas. 

O presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu colocar “a América em primeiro lugar”. Em seu discurso inaugural em janeiro. Isso se seguiu à decisão do Reino Unido em junho de sair da União Europeia.

– Em todo o mundo há pessoas deixadas para trás pela globalização, e movimentos para se retirar da conexão global – escreveu Zuckerberg, sem mencionar movimentos específicos.

A questão, disse o executivo de 32 anos, era se “o caminho a seguir é conectar mais ou reverter o curso”. Acrescentando que ele defende a união de pessoas.

Citando uma carta que Lincoln escreveu ao Congresso em momento sombrio da Guerra Civil, ele escreveu para os 1,9 bilhão de usuários do Facebook. “Os dogmas do passado calmo são inadequados para o presente tempestuoso”.

Snap

A Snap Inc., proprietária do popular aplicativo de mensagens Snapchat. Avaliou sua oferta pública inicial de ações na faixa de 19,5 bilhões a US$ 22,2 bilhões. Informou o Wall Street Journal, citando fontes.

O intervalo, que representa o preço de US$ 14 a US$ 16 por ação. Está perto do limite inferior da faixa esperada de US$ 20 bilhões a US$ 25 bilhões, informou o jornal.

Um porta-voz da Snap Inc se recusou a comentar.

A Snap Inc apresentou o comunicado de registro de IPO no início de fevereiro. E esperava-se que registrasse o maior IPO de tecnologia dos Estados Unidos desde o Facebook.

A empresa tinha registrado confidencialmente com a Securities and Exchange Commission (SEC, regulador do mercado de capitais nos Estados Unidos). Para um IPO no final do ano passado.

A Snap, que lançou-se em 2012 com um aplicativo que envia mensagens que depois desaparecem. Se renovou no ano passado como uma empresa de câmera e começou a vender lentes de câmera de vídeo a US$ 130. 

A empresa gera a maioria de suas receitas de publicidade, buscando desafiar o domínio dos gigantes da Internet existentes.

Filme mostra, em Berlim, a crise portuguesa

A cineasta portuguesa Teresa Villaverde estreou seu filme Colo, no Festival Internacional de Cinema de Berlim, afirmando que a crise não é só econômica mas igualmente de falta de comunicação entre as pessoas, decorrente da primeira.

Por Rui Martins, do Festival Internacional de Cinema:

Crise em Portugal é muito mais grave do que se pensa
Crise em Portugal é muito mais grave do que se pensa

A lusofonia este ano bateu um recorde no Festival Internacional de Cinema de Berlim – são 18 filmes brasileiros e portugueses nas diversas competições.

Nesta quarta-feira, foi a vez do longa-metragem da cineasta portuguesa Teresa Villaverde, Colo, mostrando a repercussão da crise econômica numa família portuguesa. O filme tem o título de Colo que, entre coisas quer dizer afeto, porque – diz Villaverde – falta também afeto no casal e filha do seu filme.

Para ela, a crise não é só econômica, mas envolve igualmente um clima de falta de comunicação, porque se de um lado gera o desemprego, outra pessoas são obrigadas a acumular empregos, faltando-lhes tempo para curtir a família.

No filme Colo, o desemprego leva o pai ao desespero e a filha não avalia a gravidade da crise vivida pela família, onde até a luz é cortada por falta de pagamento. Filmado na maior parte do tempo nos interiores e sem muita luz, Colo transmite a sensação de falta de perspectivas de seus personagens.

Teresa Villaverde permanece fiel aos filmes de cenas longas que sempre caracterizam as produções portuguesas. Uma exceção foi, há quatro anos e também com estreia em Berlim,o filme Tabu, de Miguel Gomes, com uma agilidade ainda rara no cinema português.

Embora o tema de Colo seja dos melhores, o     que a crítica chamou de “silêncios”, os planos fixos demorados e a falta de movimento em contraposição às cenas mais rápidas da moderna cinematografia, não foram bem recebidos pela crítica internacional que abandonou a projeção e não foi à coletiva para a imprensa.

Resta a questão da pronúncia do português da antiga metrópole, diferente da maneira mais aberta própria do “brasileiro”, que dificultará sempre a comercialização dos filmes portugueses no Brasil, o mesmo não ocorra com os filmes brasileiros em Portugal, haja visto o sucesso das telenovelas da Globo.

Ocorre praticamente o mesmo com os filmes canadenses, cuja pronúncia é fiel ao francês antigo, geralmente com legendas nas exibições na França. Talvez por influência das telenovelas, a pronúncia portuguesa nas antigas colonias é mais próxima do “brasileiro”.

Rui Martins está em Berlim convidado pelo Festival Internacional de Cinema.

Tribunal da França veta proibição a consulta de sites jihadistas

A lei foi aprovada em junho passado, sete meses depois de ataques de militantes islâmicos com bombas e armas de fogo que mataram 130 pessoas em Paris

Por Redação, com Reuters – de Paris:

Uma lei francesa que proíbe as pessoas de consultarem sites jihadistas que exortam “atos de terrorismo” com frequência foi considerada inconstitucional por umas das maiores instâncias jurídicas do país nesta sexta-feira.

A lei foi aprovada em junho passado
A lei foi aprovada em junho passado

A lei foi aprovada em junho passado, sete meses depois de ataques de militantes islâmicos com bombas e armas de fogo que mataram 130 pessoas em Paris levarem à decretação de um estado de emergência na França.

No veredicto desta sexta-feira. O tribunal constitucional de 10 membros vetou a lei. Que estabelece uma pena de dois anos de prisão pela consulta regular de sites jihadistas. Dizendo que ela infringe a liberdade de comunicação de forma desnecessária e desproporcional.

Um advogado que representa um homem que desrespeitou a lei e hoje cumpre uma pena de dois anos contestou a proibição.

Em um comunicado, a corte disse que as agências de cumprimento da lei do país têm outros recursos suficientes. Para monitorar sites que incitam a militância e pessoas com uma “intenção terrorista” clara.

O homem cujo caso levou ao veredicto também foi condenado por outros delitos. Não ficou claro de imediato como a decisão do tribunal constitucional irá afetar seu tempo de prisão.

Facebook

O Facebook pretende introduzir nesta quarta-feira um recurso para facilitar que pessoas afetadas por desastres se encontrem para fornecer e receber ajuda.

A maior rede social do mundo disse que seu Community Help. Será ativado após desastres naturais e acidentes graves, como parte do Safety Check. Recurso do Facebook que permite aos usuários assegurar a outros que estão fora de risco.

A empresa criou uma seção onde as pessoas próximas uma das outras podem oferecer abrigo após um incêndio florestal. Procurar comida depois de um terremoto e atender outras necessidades imediatas de forma organizada.

– Vai ajudar a encontrar mais facilmente as pessoas que estão tentando ajudar aqueles que precisam dentro da comunidade – disse Preethi Chetan, designer de produto do Facebook.

Usuários

Com 1,9 bilhão de usuários mensais até dezembro, o Facebook, lançou o Safety Check em 2014. Mas a verificação da função tem falhado algumas vezes.

No ano passado, após um atentado suicida no Paquistão. Usuários até de Nova Iorque receberam notificações perguntando se estavam a salvo. Outros disseram que estavam alarmados por mensagens de texto vagas para telefones móveis que perguntavam. “Você foi afetado pela explosão?”

A verificação de segurança foi usada pela primeira vez nos Estados Unidos em junho. Após um atirador massacrar 49 pessoas em uma boate em Orlando.

Para fazer o Community Help, o Facebook disse ter consultado entidades de ajuda de emergência, como a Cruz Vermelha.

O Community Help deve ser usado primeiro para as catástrofes naturais e incidentes como incêndios. Não para fuzilamentos em massa ou bombardeios, disse a empresa.

Inicialmente, o recurso estará disponível apenas para EUA, Austrália, Canadá, Índia, Nova Zelândia e Arábia Saudita. O Facebook disse que pretende expandir para outros países e outros tipos de incidentes após o teste.

A nova funcionalidade vem com algumas orientações de segurança, como um aviso a usuários para que, se forem se encontrar com estranhos por conta do desastre, o façam em lugar público.