Apple afirma que computadores foram alvo de hackers

Computadores da Apple foram alvo dos mesmos hackers que atacaram o Facebook
Computadores da Apple foram alvo dos mesmos hackers que atacaram o Facebook

Computadores da Apple foram alvo dos mesmos hackers que atacaram o Facebook na semana passada, mas aparentemente, não houve furto de dados, disse a companhia nesta terça-feira, numa admissão sem precedentes da existência de uma grande falha de segurança.

O Facebook revelou que hackers não identificados na China promoveram um ataque sofisticado, infiltrando-se nos laptops de seus funcionários, mas nenhuma informação dos usuários foi comprometida.

A Apple, que está trabalhando com autoridades para rastrear os hackers, disse à agência inglesa de notícias Reuters que apenas uma pequena parcela dos computadores Macintosh de seus funcionários foi invadida e que “não há evidência de que quaisquer dados deixaram a Apple”.

A fabricante do iPhone e do iPad disse que vai lançar uma ferramenta de software mais tarde na terça-feira para proteger clientes contra o programa utilizado nos ataques.

Ataques digitais têm sido mais e mais frequentes. No discurso Estado da União da semana passada, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, emitiu uma ordem executiva com o objetivo de proteger melhor a infraestrutura crítica do país de ataques eletrônicos.

Cinco formas de SPAM bastante comuns

spamVocê odeia receber SPAM? Provavelmente, sim. Mas você já parou para pensar se você faz SPAM?

Não pense que só é SPAM aquele e-mail que produtos milagrosos de emagrecimento ou que contenham vírus. Vai além disso, e é mais velho do que a internet. Um dos casos mais antigos de que se tem notícia data de 1864, quando um telegrama com conteúdo promocional foi disparado em massa. O que mudou de lá para cá é a quantidade de meios existentes para incomodar os outros.

Se você deseja praticar SPAM, adote uma das formas apresentadas a seguir.

1. E-mail
Essa você já conhece há anos. Insira numa lista de e-mails um monte de gente sem que elas tenham pedido ou sem que elas possam cancelar aquele recebimento. Compre essa base de e-mails no camelódromo e envie o que bem entender: seu novo post no blog, propaganda, piada.

2. Marcação de fotos no Facebook
Publique uma foto no Facebook. Para não ter dúvida de que ela será vista, marque um monte de gente na foto. O que vai acontecer? As pessoas serão notificadas e provavelmente verão a foto. Terão a ingrata surpresa de saber que foram enganadas, pois não aparecem na foto. Até para apagar a própria marcação, o coitado do usuário terá de visualizar a maldita foto.

3. Mensagens repetidas no Twitter
Você quer que uma multidão no Twitter saiba que seu novo post está no ar? Envie a mesma mensagem para diversos usuários. A grande vantagem: você pode alcançar um grande número de pessoas. A grande desvantagem: você terá feito SPAM. Se as pessoas te denunciarem (o que terá sido merecido), o Twitter pode até suspender a sua conta.

4. Tags em excesso no blog
Seu post no blog acaba de ser publicado. Aí você tem a brilhante ideia de colocar 40 tags, pois dessa forma o alcance será maior por RSS e mecanismos de pesquisa. Faça isso. Você talvez alcance mais gente, o que é potencialmente ruim, pois as pessoas tendem a listar você como um blogueiro spammer.

5. Inbox em Facebook ou Linkedin
Você tem 2 mil amigos no Facebook e quase mil conexões no Linkedin. Agora teve a brilhante ideia de passar o dia enviando a mesma mensagem privada para cada um deles? Talvez por educação algumas pessoas respondam. Mas a maioria terá vontade de xingar você. Algumas, mais sinceras, talvez o façam.∞

Dicas para melhorar a sua comunicação por e-mail

E-mail ainda é a forma mais eficiente de comunicação online. E é também a que traz maior retorno. De acordo com a Direct Marketing Association, e-mail marketing é uma tática que gera alto retorno sobre o investimento (ROI). Em média, cada dólar investido gera retorno de US$ 40,56.e-mail

O mercado de serviços de disparo de e-mails movimenta US$ 67,8 bilhões por ano em âmbito global. Listo a seguir dez boas práticas de comunicação de empresas por e-mail.

1. O assunto do e-mail representa o critério de escolha do que abrir ou não abrir. Transmita ali a ideia central. Conte o fim do filme. Use a técnica dos quatro Us, da American Writers and Artists:
:: Seja ÚTIL para leitor
:: Dê um senso de URGÊNCIA.
:: Transmita a ideia de que o benefício ofertado é ÚNICO.
:: Faça tudo isso de uma forma ULTRAESPECÍFICO.

2. Deixe claro quem é o remetente. Identifique-se bem, seja como pessoa física ou jurídica.

3. No corpo do texto, envie uma mensagem objetiva e o mais curta possível. Isso aumenta as chances de você ser lido, pois sua mensagem concorre com muitas outras que abundam nas caixas de entrada.

4. Torne as imagens clicáveis. As pessoas têm a tendência de tentar clicar em imagens, e com e-mail não é diferente.

5. Tenha uma mensagem central. É uma newsletter? Então, deixe claro que você pretende que o destinatário leia. É um convite? Peça que responda. É propaganda? Ofereça o produto.

6. Inclua informações de contato, como e-mail, telefone e redes sociais, além de link para o site da empresa.

7. Ofereça opções de opt-in e opt-out. Ou seja, o usuário deve ter o direito de entrar na base por vontade própria e sair quando bem entender.

8. Limite o número de e-mails enviados. Excesso de e-mails tem grande chance de fazer com que o público se descadastre ou classifique seu e-mail como SPAM.

9. Tenha um layout bem elaborado, mas não exagere. Imagens em excesso podem fazer seu e-mail ser acidentalmente classificado como SPAM. Sem contar que muitos serviços de e-mail bloqueiam imagens. Oriente seu designer a fazer um bom equilíbrio entre texto, HTML e imagens.

10. Use serviços profissionais de entrega de e-mails que fornecem relatórios detalhados de leitura e cliques. Você poderá ver quem abriu o e-mail, onde clicou, qual o link mais clicado etc. Isso é fundamental para você aprimorar seu conteúdo.∞

 

Ferramenta de busca do Facebook tem forte potencial de receita, dizem analistas

O Facebook no momento tem parceria com a Microsoft, cujo serviço de buscas Bing oferece resultados de busca em sites externos
O Facebook no momento tem parceria com a Microsoft, cujo serviço de buscas Bing oferece resultados de busca em sites externos

A nova ferramenta de busca do Facebook tem forte potencial de geração de receita para a companhia de redes sociais, mas não deve desafiar a supremacia do Google nas buscas de Internet, pelo menos no curto prazo, disseram analistas nesta quarta-feira. A ferramenta Graph Search demonstrada permite que os usuários vasculhem os dados de sua lista de amigos para encontrar toda espécie de coisa, de restaurantes a recomendações de filmes, e representa a maior incursão do Facebook nas buscas online.

– Vemos algumas categorias de sugestões fortemente monetizáveis no Graph Search (restaurantes próximos, jogos), e deve ser fácil incorporar resultados comerciais de buscas, por meio da parceria entre o Facebook e o Bing – afirmou a BofA Merrill Lynch aos seus clientes em nota.

O Facebook no momento tem parceria com a Microsoft, cujo serviço de buscas Bing oferece resultados de busca em sites externos. A Microsoft também integra alguns resultados do Facebook aos retornos de busca do Bing.

A corretora estimou que o Facebook poderia ampliar sua receita anual em US$500 milhões caso seja capaz de gerar um clique pago por usuário/ano, e elevou o preço-alvo para as ações da companhia em US$4, para US$35. “No momento, não consideramos o Graph Search como ameaça ao Google nas buscas de Internet. No futuro, as buscas no Facebook podem concorrer com certas categorias de buscas do Google, como as buscas de lugares e mapas”, afirmou a instituição.

O Google vem tentando combinar redes sociais e buscas há mais de um ano, integrando o serviço Google+ ao seu sistema de buscas. As ações do Facebook estavam quase estáveis antes da abertura do pregão, nesta quarta-feira, porque o anúncio da ferramenta de busca ficou aquém de algumas previsões mais otimistas, incluindo a de que a empresa lançaria um smartphone próprio ou um programa de buscas na Internet.

As ações da companhia subiram em cerca de 50%  desde novembro, depois de meses de desempenho fraco em função dos problemas em sua oferta pública inicial, em maio na Nasdaq. Elas fecharam a US$30,10, com queda de 3%, na terça-feira.

Foto do presidente do Uruguai, José Mujica, vira hit na internet

Mujica e sua mulher, fotografados por um fã em um restaurante uruguaio, sem guarda-costas e feliz da vida
Mujica e sua mulher, fotografados por um fã em um restaurante uruguaio, sem guarda-costas e feliz da vida

Presidente do Uruguai, José Mujica foi sensação nas redes sociais, durante as últimas horas, logo após o compartilhamento de uma foto onde ele aparece com sua mulher, Lucia Topolansky, durante as férias na cidade de Carmelo. Vestido de maneira casual e aproveitando um restinho de luz do dia, sem guarda-costas e com seu habitual e simpático sorriso, Mujica foi fotografado por um fã, Oscar Cassini, que compartilhou o momento na rede social Facebook.

Segundo o portal de notícias argentino La Voz, o internauta que compartilhou a foto deixou ainda a seguinte mensagem:

“Debemos ser el único País en el Mundo donde el Presidente sale a comer con su “Primera Dama” sin custodia y donde se le canta por el respeto que le ofrece su gente. Bendito Uruguay”. (“Nós devemos ser o único país no mundo onde o presidente sai para jantar com a sua ‘primeira-dama’, sem guarda-costas, e onde se canta o respeito oferecido por seu povo. Bendito Uruguai”, em tradução livre).

Mujica é um dos líderes latino-americanos mais prestigiados em seu país. Mesmo com ampla maioria no Congresso, ele determinou que o projeto de lei, no qual o consumo e o plantio de maconha ficam assegurados pelo governo, fosse retirado de pauta até que houvesse a aprovação popular de mais de 80% dos uruguaios. Após uma ampla campanha de conscientização, pesquisas de opinião mostram que o presidente está prestes a conseguir seu objetivo.

Cresce compartilhamento de mensagens falsas no Facebook

Nos últimos meses, o Facebook foi invadido por uma enxurrada de mensagens falsas
Nos últimos meses, o Facebook foi invadido por uma enxurrada de mensagens falsas

Nos últimos meses, o Facebook foi invadido por uma enxurrada de mensagens falsas que sugerem aos usuários tomar determinado tipo de ação para evitar que suas fotos e comentários sejam vistos por desconhecidos. A mensagem, no entanto, é falsa e os métodos aconselhados no texto não têm nenhum efeito prático. Trata-se de um hoax, ou embuste, que circula na rede social em inglês desde 2010 e agora ganha força em outras línguas, como português e espanhol.

A mensagem em cadeia sugere que “com as recentes mudanças no Facebook, o público agora pode ver as atividades de qualquer perfil”. O texto explica que isso acontece “automaticamente” quando os amigos do usuário clicam no botão “Like” ou escrevem comentários em alguma foto dele, permitindo, assim, que amigos de amigos, ou seja desconhecidos do usuário, possam vê-la. Mas a mentira não acaba por aí. A mensagem dá uma série de instruções precisas para “evitar” que as fotos do usuário sejam vistas por estranhos.

Veracidade

A verdade é que nem o Facebook está permitindo que a informação dos usuários seja vista por desconhecidos, nem é preciso aplicar a manobra sugerida para evitá-la. Cada vez que os usuários dão Like (“Gostar”), ou escrevem um comentário, têm de revisar qual é a privacidade da mensagem sobre o que estão comentando.

Por exemplo, caso seja uma foto compartilhada pelo usuário apenas com seus amigos, então somente os amigos dele verão os comentários. Por outro lado, se a imagem tiver sido compartilhada publicamente, então todo o público poderá ver o comentário.

Ainda assim, se a mensagem for pública, não significa que todo o mundo poderá ver automaticamente as fotos; apenas lerão o comentário e verão seu nome. O Facebook esclarece a dúvida em sua página de ajuda ao usuário. Não é a primeira vez – nem provavelmente a última  que mensagens falsas sobre as políticas de privacidade do Facebook são inventadas e difundidas em cadeia. Uma das mais conhecidas do público assegurava que a rede social estava tentando violar os direitos autorais dos usuários.

Leica investe em campanha inédita de lançamento no Brasil

A Leica rememora os momentos em que os soldados da resistência combatiam no front alemão
A Leica rememora os momentos em que os soldados da resistência combatiam no front alemão

A lendária indústria de câmeras fotográficas Leica vai apresentar, pela primeira vez no Brasil, uma campanha para o lançamento de um de seus produtos. Trata-se da M-Monochrom, a câmera digital que só faz fotos em preto e branco. O vídeo “Alma”, produzido pela agência de publicidade F/Nazca, integra a campanha Toda Leica tem sua alma.

Trata-se de “um mergulho no passado para contar a história de uma Leica III que acompanha um fotógrafo em momentos de guerra. Com linguagem cinematográfica, as cenas contam a trajetória dos dois capturando momentos difíceis de conflito, até o dia que em morrem após pisar em uma mina terrestre. O texto é narrado em alemão. A produção foi concebida para ser uma obra de arte”, afirma o texto no site da revista Meio & Mensagem, publicado nesta quinta-feira.

Assista aqui ao filme:

A produção do filme publicitário foi da Sentimental Filme, com direção de cena de Vellas. Parte da equipe da agência e da produtora passaram 10 dias no exterior realizando as filmagens. De acordo com Eduardo Lima, diretor de criação da F/Nazca cada frame do filme foi pensando como uma fotografia. Além do filme, a ação ganha vida na fan page da marca no Facebook. Lá é possível encontrar a história de outras máquinas Leica que pertenceram a fotógrafos famosos.

A timeline das câmeras, por exemplo, recupera momentos marcantes de suas trajetórias, anuncia a sua morte e a data de seu renascimento. A partir daí, os ensaios com a M-Monochrom da Leica começam a ser apresentados. Artistas contemporâneos como Bob Wolfenson e Marcio Scavone também participam da ação com ensaios em preto & branco. A criação foi assinada por Bruno Oppido, Thiago Carvalho e João Linneu. A direção de fotografia é de André Faccioli. A produtora de som é a Satélite.

Analista aponta sete tendências de redes sociais e smartphones

Potencial de redes sociais e smartphones ainda é ignorado por empresas e governos, diz analista
Potencial de redes sociais e smartphones ainda é ignorado por empresas e governos, diz analista

A combinação do uso de redes sociais e smartphones é a principal força motriz da próxima onda de mudanças digitais, mas os benefícios não são isentos de ônus, avalia o especialista Nic Newman, da Universidade de Oxford, que apontou sete grandes tendências do setor para 2013. Por um lado veremos avanços como o “celular carteira” e novas maneiras de acessar conteúdo online, com acessórios como o Google Glass e o Vuzix (ambos são equipamentos semelhantes a óculos, com acesso à internet e outros serviços).

Mas, na opinião do estrategista digital, também precisamos nos preparar para mais anúncios nos telefones, muita dor de cabeça e batalhas judiciais motivadas por invasão de privacidade e divulgação de dados pessoais e o surgimento de clínicas para viciados nessas tecnologias. O especialista diz que a maioria das empresas continua ignorando o potencial das redes sociais aliadas aos smartphones, correndo o risco de tornar seus produtos irrelevantes.

Instituições e governos também estão atrasados, na opinião do britânico, e um dos motivos seria a maior flexibilidade trazida pelas novas tecnologias, o que impacta os processos tradicionais de tomadas de decisões e de hierarquia.

Veja as sete grandes tendências apontadas por Newman:

O ‘celular carteira’

Cada vez mais aspectos da nossa vida poderão ser controlados a partir dos nossos celulares em 2013. Um a um, cartões de banco, de fidelidade, de transporte público e cartões de embarque de companhias aéreas estão sendo sugados de nossa carteira física e sendo integrados aos softwares de smartphones.

Por um lado trata-se de um aumento de conveniência, por outro, aumentam os riscos de perder ou ter seu telefone roubado. Devem crescer as maneiras de proteger suas senhas e dados pessoas, além das tecnologias para rastrear e até mesmo destruir seu smartphone à distância.

Anúncios no celular

Mais de 10% do tempo dos consumidores é gasto em seus smartphones, mas apenas 1% da propaganda é feita nesta plataforma atualmente. Esta diferença deve ser diminuída em 2013, mas o resultado deve ser incômodo para os usuários.

Anúncios invasivos em redes sociais e versões de sites para celulares, notificações de propagandas e ofertas baseadas na localização do usuário (sobretudo ligadas a compras) devem aumentar.

Podemos aguardar retaliação contra as invasões comerciais neste espaço pessoal, incluindo disputas sobre questões de privacidade e venda de dados pessoais, e ao menos uma rede social deve passar a oferecer um serviço premium sem anúncios ainda neste ano.

Spam de celebridades

As celebridades deverão se esforçar para criar canais de comunicação com os usuários de redes sociais. Cada vez mais famosos deverão fazer uso de perfis nessas mídias, envio de mensagens de texto e aplicativos em smartphones. Tudo para manter contato direto com seus fãs.

O ano de 2013 pode dar início a um novo fenômeno: os fãs serão assediados pelas celebridades, e não o contrário. Emissoras de TV, por exemplo, já estão treinando seus astros para mandarem mensagens de texto vestidas como os personagens de telenovelas e seriados antes, durante e depois dos programas.

‘Megafone global de fofocas’

A combinação das redes sociais e smartphones aumentou dramaticamente a velocidade com que tanto notícias como boatos podem ser difundidos ao redor do mundo.

Deveremos ver mais tentativas mal sucedidas de políticos e advogados para tentar domar a internet. Por outro lado, deve haver um senso comum de que as coisas ditas nas redes sociais não estão acima da lei.

Deve haver processos judiciais de figuras de destaque contra o Twitter e o Facebook e novos programas de educação de condutas em redes sociais nas escolas e empresas.

Notícias

Cerca de um terço de todo o tráfego online levando aos sites de notícias já se origina nos smartphones, e esta tendência está começando a mudar o tipo de notícias que consumimos e a velocidade com a qual elas são produzidas.

Live blogs estão ficando cada vez mais frequentes para notícias e eventos esportivos, mas os jovens, em particular, estão cada vez mais ignorando os sites tradicionais e obtendo suas notícias diretamente dos links em seus feeds do Twitter e do Facebook. Uma tendência a ser observada em 2013 é o crescimento de serviços sociais de vídeo como o ThisNewsNow, um serviço que tem um estilo informal, novo, e focado em vídeos virais curtos.

Clínicas para viciados digitais

Há cada vez mais viciados nos feeds de informações, fotos, vídeos, e links ao vivo proporcionados pelas redes sociais. Com isso, muitos estão perdendo as habilidades de manter uma conversa com outra pessoa ou de exercitar a capacidade de reflexão silenciosa.

Neste ano, os fabricantes de smartphones deverão encontrar mais e mais e maneiras  alarmes, alertas, vibrações e outros  para interromper a capacidade de concentração e raciocínio dos usuários.

Abre-se assim novas oportunidades para clínicas e espaços de retiros rurais para reavivar nas pessoas a arte de manter uma conversa sem interrupções, hesitações ou desvios de atenção.

Acessórios controlados por smartphones

Neste ano seu telefone vai passar a controlar também o que vestimos e enxergamos. O Google Glass e o Vuzix (que deve chegar às lojas em 2013) são essencialmente computadores portáteis que ampliam a realidade para um outro estágio.

Resultados de partidas de futebol serão enviados diretamente aos seus olhos, e o reconhecimento da fisionomia de usuários do Facebook e do LinkedIn podem providenciar uma biografia instantânea em uma festa, evitando constrangimentos ou abrindo oportunidades de negócios. Vestidos especiais poderão até projetar os últimos updates dos perfis de redes sociais em tempo real.

Usuários gastam 2 horas por dia em aplicativos para celular

Redes Sociais
O ministro de Informações e Telecomunicações se reuniu com executivos do Facebook, Google, Yahoo e Microsoft para pedir a remoção de ofensas a grupos religiosas, mas as empresas rejeitaram o pedido

Angry Birds, Instagram e Facebook continuaram entre os aplicativos mais baixados em 2012, mas outros programas também conquistaram espaço nos smartphones e tablets. Neste ano, consumidores gastaram, em média, duas horas por dia usando aplicativos móveis, uma alta de 35% sobre 2011, segundo a pesquisa da Flurry.

Esse número, diz a empresa, deve continuar a crescer em 2013. “O ano de 2012 foi um divisor de águas na maneira como as pessoas usam aplicativos”, afirmou o vice-presidente da agência de marketing em aparelhos móveis Fiksu, Craig Palli, acrescentando que a grande mudança é a vontade das pessoas de confiarem nos aplicativos tarefas do dia a dia.

Aplicativos

Categorias como redes sociais, mídia e entretenimento, edição de fotos e jogos continuaram a atrair a atenção dos consumidores. YouTube e Angry Birds foram os aplicativos gratuitos – entre os gratuitos e pagos, respectivamente – que mais tiveram downloads na App Store, da Apple.

No entanto, vários aplicativos lançados neste ano rapidamente entraram no raking de download e receita.

O jogo Draw Something para iPhone e Android rapidamente ganhou popularidade após ser lançado em fevereiro e, apesar de já ter perdido gás, ainda é o segundo aplicativo pago mais baixado no ano para esses aparelhos.

“Houve uma grande demanda para jogos de vários jogadores, já que os novos LetterPress e ScrambleWithFriends se mostraram populares também”, afirmou Palli. “Em muitos aspectos, esses produtos se basearam no Words with Friends, mais revolucionário”, acrescentou.

Uber e Hailo, para serviços de aluguel de carros e táxis, e AirBnB e HotelTonight, para reservas de hotéis, começaram a ficar muito populares neste ano, segundo o especialista.

Fonte: Info
Aplicativos de pagamento, como Square, e o lançamento do Passbook pela Apple consolidaram o smartphone ainda mais como uma carteira digital.

Amazon se manteve como o melhor site para compras online, diz pesquisa

A Amazon obteve 88 pontos, de um total de 100
A Amazon obteve 88 pontos, de um total de 100

A Amazon.com se manteve como o melhor site para compras via Internet, enquanto a JC Penney sofreu a maior queda na satisfação do consumidor entre as varejistas online na atual temporada de festas de fim de ano, segundo pesquisa. Os sites Gilt.com e RueLaLa.com registraram os piores desempenhos quanto à satisfação dos consumidores, apontou o estudo Holiday E-Retail Satisfaction Index, da ForeSee, que avalia a satisfação de clientes para diversas empresas.

– A importância de satisfazer os consumidores e oferecer excelente experiência de compra se traduz em maiores dividendos em termos de rentabilidade para essas varejistas – afirmou o presidente da ForeSee, Larry Freed.

A Amazon conquistou a maior pontuação em todos os oito anos de realização da pesquisa, em função tanto da vasta diversidade de mercadorias que oferece quanto pela facilidade de utilização do site. “Eles fizeram um ótimo trabalho ao estabelecer o padrão para as demais empresas”, disse Freed sobre a Amazon.

A Amazon obteve 88 pontos, de um total de 100, enquanto Gilt.com e Fingerhut.com compartilharam a menor pontuação, de 72. A segunda melhor posição ficou com a LLBean.com, que alcançou 85 pontos.

A marca de 80 pontos ou mais é considerada forte, segundo Freed. A pontuação da JC Penney caiu de 83 para 78. Outras companhias que também tiveram queda no nível de satisfação foram Apple, de 83 para 80, e Dell, de 80 para 77.

No caso da Apple, o lançamento de novos produtos tornou o site mais difícil de utilizar, afirmou Freed, assinalando que investir na funcionalidade do site resultaria em grandes ganhos.

O Wal-Mart Stores, maior varejista dos Estados Unidos, atingiu 78 pontos com o site de comércio eletrônico, ante 79 no ano passado.