Dólar segue rally de alta e fica acima dos R$ 3,10

A presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, disse na véspera que ficaria confortável em aumentar os juros neste momento. Principalmente, se a economia mantiver seu desempenho atual, o que afeta o dólar

 

Por Redação – de São Paulo

 

O dólar operava em alta e voltava a encostar em R$ 3,10 nesta terça-feira. Acompanhava o movimento da moeda norte-americana no exterior com novas apostas de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, pode elevar os juros na maior economia do mundo no próximo mês.

dólar
O dólar atingiu R$ 3,1000 na mínima do dia, maior nível intradia

Às 12:08, o dólar avançava 0,26%, a R$ 3,0965 na venda, depois de recuar 0,14% na véspera. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,20%. O dólar avançava ante uma cesta de moedas depois que duas autoridades do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, destacaram o potencial de alta dos juros no próximo mês, voltando a atenção dos investidores para os fundamentos positivos dos Estados Unidos.

Tendência

A presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, disse na véspera que ficaria confortável em aumentar os juros neste momento se a economia mantiver seu desempenho atual. A Market News International citou que o presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, reiterou que aumento dos juros em março era uma opção.

— Agora, o mercado vai monitorar principalmente a ata do último encontro do banco central norte-americano — comentou um profissional de câmbio de uma corretora local, referindo-se à divulgação do documento pelo Fed na quarta-feira.

Apesar da alta nesta sessão, afirmavam operadores, a tendência do dólar frente ao real continuava de queda diante da expectativa de ingresso de recursos externos no país após recentes captações de empresas.

— É natural o dólar dar uma parada, voltar um pouco, sobretudo diante da agenda forte nos próximos dias e a pausa longa com o carnaval — avaliou o diretor da consultoria de valores mobiliários Wagner Investimentos, José Faria Júnior.

O Banco Central brasileiro vendeu nesta sessão o lote integral de até 6 mil swaps tradicionais — equivalente à venda futura de dólares —, ou R$ 300 milhões. Desta forma, o BC continuou indicando que fará apenas rolagem parcial desse vencimento, faltando US$ 5,154 bilhões do total.

Bolsas sobem

O principal índice da bolsa paulista subia nesta terça-feira, rompendo o patamar dos 69 mil pontos, favorecido pela alta nas commodities e tendo as ações da Ecorodovias entre as maiores altas após o balanço trimestral. Às 11:32, o Ibovespa subia 0,48%, a 68.861 pontos. O giro financeiro somava R$ 1,82 bilhão.

No exterior, Wall Street abriu em alta, com os três índices em alta recorde intradia, impulsionados por ganhos do petróleo e por resultados corporativos de varejistas dos EUA mais fortes do que o esperado. No cenário interno, as atenções se voltam para a sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado de Alexandre de Moraes, para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Além disso, investidores aguardam a votação no Senado, que pode acontecer ainda nesta terça-feira, da proposta de nova fase para regularização de ativos no exterior, medida vista como positiva pela possibilidade de trazer recursos que poderiam também ser direcionados à renda variável.