Planeta do sistema Proxima Centauri promete reunir os ingredientes da vida

Tuomi espera responder a todas as questões sobre a habitabilidade do planeta Proxima b usando o telescópio orbital James Webb, que substituirá o Hubble ainda este ano

 

Por Redação, com agências internacionais – de Lisboa e Moscou

 

Planeta da estrela mais próxima de nós, a Proxima Centauri pode reunir três ingredientes fundamentais para a vida, disse um dos descobridores desse planeta semelhante à Terra, Mikko Tuomi, em entrevista ao site especializado em Universo, Astrowatch.net. Trata-se do Proxima Centauri b (também conhecido por Proxima b).

— Para o nascimento da vida são necessárias três coisas: em primeiro lugar, precisamos de uma superfície rochosa, e o Proxima b tem-na. Segunda coisa: precisamos de água. Não temos nenhuma evidência de que o Proxima b a tenha, mas não há nenhuma razão para não haver água – ela se encontra em quase todo o lado no espaço. O terceiro ponto: precisamos de uma atmosfera de CO2, a molécula mais simples e comum na atmosfera de todos os planetas do Sistema Solar — disse o cientista.

Projeção gráfica do Proxima b mostra um planeta de uma estrela pequena e fria
Projeção gráfica do Proxima b mostra um planeta de uma estrela pequena e fria

Ainda segundo o cientista, respondendo à questão se o exoplaneta Proxima-B poderá ser habitado, caso todos estes três componentes se encontrem presentes, o nascimento da vida será “inevitável” e não um conjunto de circunstâncias únicas com uma chance em um milhão. De outra forma, Tuomi admite que os cientistas não têm provas de que o planeta tenha água e CO2. Por exemplo, todas as reservas de água que poderiam existir na superfície podem ter sido sopradas para o espaço pelo vento solar e pela radiação de Proxima Centauri, se o Proxima b não tiver um “escudo” magnético, semelhante ao cinturão de Van Allen da Terra.

Tuomi espera responder a todas as questões sobre a habitabilidade do planeta Proxima b usando o telescópio orbital James Webb, que substituirá o Hubble ainda este ano. Segundo o astrônomo, seu poder será suficiente para obter as primeiras imagens diretas do planeta, estudar seu espectro e avaliar a sua aptidão para a vida.

Planeta Proxima b

Astrônomos descobriram, semana passada, um planeta que orbitar a estrela mais próxima do Sol, com condições favoráveis para ter na sua superfície água líquida, elemento fundamental para a vida, segundo o Observatório Europeu do Sul (OES). O exoplaneta (planeta fora do Sistema Solar) Proxima Centauri b orbita a sua estrela, a Próxima Centauro, uma anã vermelha, a cada 11 dias. A estrela, localizada na constelação de Centauro, a 4,22 anos-luz da Terra, é invisível a olho nu, por ser pequena e pouco brilhante, e é relativamente fria.

De acordo com um comunicado do OES, o Proxima b tem uma massa semelhante à da Terra, apenas 1,3 vezes superior à do ‘planeta azul’, sendo um possível abrigar a vida, uma vez que tem uma temperatura “adequada para a água líquida existir na sua superfície”. Os resultados da descoberta foram publicados na revista científica Nature.

O planeta, que se encontra muito perto da sua estrela, a uma distância inferior à que separa a Terra do Sol, foi detectado a partir de vários telescópios, incluindo os do OES, no Chile. A equipe internacional de astrônomos, liderada por Guillem Anglada-Escudé, da universidade britânica Queen Mary, em Londres, crê que, uma vez comprovada a existência de água líquida no Proxima b, ela se encontrará nas nas regiões mais quentes do planeta.
A rotação do Proxima b, a forte radiação emitida pela sua estrela e a história da formação do planeta tornam, segundo os cientistas, o seu clima muito diferente do da Terra, sendo pouco provável que o exoplaneta tenha estações. Para os cientistas, o planeta Proxima b poderá servir de alavanca para a procura de evidências de vida noutros sítios do Universo, para lá da Terra.

Um dos cientistas envolvidos na descoberta, James Jenkins, da Universidade do Chile, disse à agência portuguesa de notícias Lusa que a equipe pretende “procurar evidências da atmosfera” de Proxima b e, a confirmar-se a sua existência, estudar a composição e “procurar traços de água ou outras moléculas, e finalmente vida”.