single.php

Rio investe e valoriza professores

Docentes da rede estadual recebem auxílio-alimentação no valor de R$ 160
Docentes da rede estadual recebem auxílio-alimentação no valor de R$ 160

A partir de hoje, os professores da rede estadual irão ganhar auxílioalimentação no valor de R$ 160. Este ano, a Secretaria de Educação investirá R$ 120 milhões no pagamento do benefício. O auxílio, que será depositado hoje retroativo ao mês de março com o valor de R$ 320, integra a política de valorização do profissional de ensino.

Em 2011, os docentes já contavam com a assistência para transporte, uma medida inédita na rede. O auxílio-qualificação, no valor de R$ 500, também está entre as ações de valorização da categoria. Neste primeiro semestre, os professores receberão um novo reajuste salarial. O Estado tem investido ainda na formação continuada e na realização de concursos para aperfeiçoar os índices educacionais.

– Criamos os auxílios transporte e alimentação, que são benefícios pelos quais a categoria lutava há anos. E daremos, este ano, um outro reajuste. O governo estadual também zerou o programa Nova Escola. O reajuste foi de 14,11% e beneficiou cerca de 130 mil professores ativos e inativos. Os pagamentos seriam feitos até 2015, mas concluímos em 2012 – disse o secretário de Educação, Wilson Risolia.

Bonificação por desempenho estimula o trabalho

A professora de Inglês Elisaine Cavalcanti acredita que a valorização dos profissionais – com melhorias salariais, benefícios e curso de formação continuada – estimula o corpo profissional. Servidora há 15 anos, a docente do Colégio Reverendo Hugh Clarence Tucker, na Gamboa, comemora os benefícios.

– Nos sentimos mais valorizados. Faz uma grande diferença receber todos esses benefícios, cursos de formação e gratificações. E o reflexo do nosso contentamento pode ser percebido em sala de aula – explicou Elisaine.

Há dois anos, a secretaria conta ainda com o sistema de bonificação, que recompensa os professores por bons resultados. Os valores, que podem chegar a três salários, são calculados de acordo com as notas do Indicador de Desempenho (nota na prova Saerj) e do Indicador de Fluxo Escolar (aprovação/reprovação/evasão). Em 2012, foram cerca de 16 mil contemplados, e o investimento foi de R$ 40 milhões.

A professora de Português Cristiane Ferreira, que leciona no Colégio Amaro Cavalcanti, no Largo do Machado, recebeu, em 2012, um bônus extra em seu salário em relação a 2011. Neste ano letivo, ela espera alcançar as metas propostas para que possa ganhar o bônus.

– A bonificação é um estímulo a mais para o professor da rede. Para receber o benefício são levadas em consideração metas como frequência escolar, aplicação das provas do Saerj e uso do portal Conexão Professor – afirmou Cristiane.

Mais cursos de formação continuada

O Estado também ampliou a parceria com o Consórcio Cederj para a oferta de cursos de formação continuada. Os professores que participam do aperfeiçoamento a distância – realizado em parceria com a Uerj, UFRJ, UFF, Uenf, Uni-Rio e Rural – recebem um auxílio mensal de R$ 300. O resultado é a melhora da produção de 90% dos qualificados. Este ano, será lançado ainda o Programa de Certificação de Professores, que irá remunerar os docentes levando em conta requisitos como pontuação em provas de conhecimentos específicos.

Para participar do exame, o mestre deve ter, no mínimo, um ano de rede estadual. Em 2012, a falta de docentes caiu para menos mil profissionais, enquanto que em 2010 esse número era de quase 12 mil. Desde 2007, os colégios receberam 35 mil novos professores. Para diminuir a carência, a secretaria realizará um novo concurso com 362 vagas. As inscrições podem ser feitas até 14 de abril.