Japão irá vetar interessados em venda de unidade de chips da Toshiba

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão, se necessário, disse uma das fontes

Por Redação, com Reuters  – de Tóquio:

O governo japonês, preocupado com o futuro da unidade de chips de memória da Toshiba, está preparado para bloquear uma venda a interessados que sejam considerados um risco para a segurança nacional, disseram fontes, uma posição que dá aos Estados Unidos uma vantagem importante.

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão
O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão, se necessário. Disse uma das fontes. As fontes estão diretamente envolvidas no processo de venda. Mas pediram para não ser identificadas porque as informações não são públicas.

Estados Unidos

– Os Estados Unidos são o único parceiro viável do ponto de vista da segurança nacional do Japão – disse outra fonte. Observando que chips de ponta estão no centro da robótica, inteligência artificial e dispositivos conectados.

Com a intenção de compensar uma baixa contábil por vir de US$ 6,3 bilhões para sua unidade nuclear norte-americana Westinghouse. E criar uma proteção para futuras perdas potenciais, a Toshiba está se apressando para vender a maior parte ou mesmo a totalidade da unidade. O segundo maior produtor de chips NAND do mundo – que está avaliada em pelo menos US$ 13 bilhões.

Toshiba irá vender parte de sua divisão de chips

A Toshiba está procurando vender cerca de 20 % por mais de 200 bilhões de ienes e os potenciais investidores incluem empresas de private equity

Por Redação, com Reuters – de Tóquio:

O conselho da Toshiba aprovou nesta sexta-feira planos para tornar seu negócio de chips de memória em uma empresa separada e buscar investimento externo para ele, conforme a companhia busca amenizar o impacto de uma baixa de vários bilhões de dólares em razão de seus negócios nucleares nos EUA.

O conselho da Toshiba aprovou nesta sexta-feira planos para tornar seu negócio de chips de memória em uma empresa separada
O conselho da Toshiba aprovou nesta sexta-feira planos para tornar seu negócio de chips de memória em uma empresa separada

O movimento será apenas uma das muitas escolhas difíceis que o conglomerado japonês deve fazer. Uma vez que os recursos devem cobrir apenas parte da perda decorrente de um negócio de construção de usinas nucleares recentemente adquirido nos EUA. Uma cifra que a mídia local colocou em 680 bilhões de ienes (6 bilhões de dólares).

O negócio de chips de memória da Toshiba, o maior produtor de memória flash NAND do mundo depois da Samsung Electronics, é a joia da coroa. Responsável pela maior parte de seu lucro operacional.

A Toshiba está procurando vender cerca de 20 % por mais de 200 bilhões de ienes e os potenciais investidores incluem empresas de private equity. O parceiro de negócios Western Digital e o Banco de Desenvolvimento do Japão, que é apoiado pelo governo, disseram fontes.

A empresa está se apressando para terminar a venda até o fim do ano financeiro em março.

Ericsson

A fabricante de equipamento para telefonia móvel Ericsson cortou os dividendos anuais em 73 %. Com o novo presidente-executivo anunciando que a empresa sueca vai priorizar a rentabilidade depois de ter registrado prejuízo operacional no quarto trimestre de 2016.

O corte de dividendos é o primeiro da Ericsson desde 2008 e encerra um ano difícil. Quando as ações da empresa caírem 35%.

O resultado operacional no último trimestre de 2016 foi deficitário em 300 milhões de coroas suecas. Ante um lucro de 11 bilhões de coroas suecas no mesmo período de 2015. Também ficou abaixo da expectativa média de lucro de 417 milhões de coroas. Em uma pesquisa com analistas feita pela agência inglesa de notícias Reuters.

As vendas da Ericsson atingiram 65,2 bilhões de coroas entre outubro e dezembro, acima das 59,2 bilhões de coroas esperadas. Ajudadas pela antecipação de entregas de hardware inicialmente programadas para o primeiro trimestre de 2017.

– No curto prazo, estabilidade será a chave para estabelecer uma base forte para o crescimento futuro. Isso significa priorizar lucratividade em vez de crescimento – disse o novo presidente da empresa, Borje Ekholm, em comunicado.

Ekholm, que assumiu o cargo neste mês, enfrenta a difícil tarefa de liderar a companhia, que enfrenta a pior crise em uma década em meio ao encolhimento dos mercados e à concorrência acirrada da chinesa Huawei e da finlandesa Nokia.

A Ericsson tem sofrido com a redução dos gastos por parte de empresas de telecomunicações. Com a demanda pela tecnologia 5G ainda anos de distante, e os mercados emergentes fracos.

As vendas na América do Norte, seu principal mercado, caíram 13% no quarto trimestre ante igual período de 2015. Na Europa Central e Ocidental, a companhia divulgou queda de 21 % na receita.

No total, as vendas envolheram 11 % na comparação anual.

Apesar das dificuldades, o novo presidente ressaltou que é “extremamente importante” continuar pagando dividendos.

As ações da Ericsson subiram 3,5 % nesta quinta-feira, sustentadas pelos comentários de que a empresa tentará elevar os dividendos no futuro.

(US$ 1 = 8,8222 coroas suecas)

Vendas de chips e telas devem guiar lucro da Samsung

As ações da Samsung atingiram um recorde na terça-feira

Mas investidores estão apostando que as vendas de chips de memória e de telas de tecnologia de diodo orgânico emissor de luz (Oled) para smartphones vão se traduzir em resultados fortes

Por Redação, com Reuters – de Seul/Frankfurt:

A Samsung Electronics deverá provavelmente divulgar na sexta-feira sua maior expectativa de resultado trimestral em quase três anos, afirmam analistas, que citam vendas de chips de memória minimizando o impacto da descontinuação do celular Galaxy Note 7.

As ações da Samsung atingiram um recorde na terça-feira
As ações da Samsung atingiram um recorde na terça-feira

A companhia finalizou as vendas do aparelho depois que alguns deles pegaram fogo. O que fez a empresa anunciar impacto de US$ 2,1 bilhões no lucro do quatro trimestre por causa das despesas com o recall global do produto e vendas perdidas.

Mas investidores estão apostando que as vendas de chips de memória e de telas de tecnologia de diodo orgânico emissor de luz (Oled) para smartphones vão se traduzir em resultados fortes para o período de outubro a dezembro e também ao longo de 2017.

A expectativa é de segunda alta consecutiva no lucro operacional trimestral da Samsung. Para 8,4 trilhões de wons (US$ 7 bilhões). Segundo dados recolhidos junto a 15 analistas pela Thomson Reuters StarMine SmartEstimate. O montante representa aumento de 37 % sobre o resultado de um ano antes e melhor desempenho desde o primeiro trimestre de 2014.

– Acreditamos que os negócios da Samsung com chips de memória vão representar 50 % do lucro operacional total no quarto trimestre – disse a Daiwa em relatório.

As ações da Samsung atingiram um recorde na terça-feira. Acumularam em 2016 valorização de 43 %. Maior ganho anual desde 2012, o que indica que investidores não esperam um forte impacto nos resultados do grupo. Por conta do envolvimento do nome da empresa em um crescente escândalo político na Coreia do Sul.

Intel

A fabricante de chips Intel vai assumir uma participação de 15 % na empresa alemã de mapeamento digital HERE. Informou a companhia norte-americana na terça-feira. Enquanto busca estabelecer sua presença na tecnologia de condução automatizada.

Um documento enviado ao escritório alemão de defesa da concorrência na terça-feira mostrou que a Intel pediu aval para comprar uma participação na empresa. Ela é controlada pelas montadoras alemãs Daimler, BMW e Volkswagen.

A Intel e a HERE afirmaram em comunicado que também assinaram um acordo. Para colaborar na pesquisa e desenvolvimento de atualizações em tempo real de mapas de alta definição (HD). Para condução altamente automatizada.

A Intel não divulgou quanto vai pagar pela participação. Mas disse que a transação deve ser concluída no primeiro trimestre.

O negócio destaca uma mudança na dinâmica de pesquisa e desenvolvimento na indústria automobilística. Até recentemente viu montadoras em grande parte ditando como os fornecedores deveria fabricar suas tecnologias proprietárias em volumes e preços especificos.

Agora, os fabricantes de automóveis estão cada vez mais fechando parcerias com empresas de tecnologia que usam padrões de tecnologia aberta. Buscando aproveitar sua expertise em áreas como a aprendizagem de máquinas e mapeamento. Enquanto competem com empresas do Vale do Silício. Como Google, Tesla e Apple para desenvolver veículos sem condutores.

No mês passado. Duas empresas chinesas e o fundo de capital soberano de Cingapura GIC anunciaram acordo para comprar uma fatia de 10 % na HERE. Em julho a BMW se uniu à Intel e à Mobileye. Para desenvolver carros com direção autônoma até 2021.

A BMW, Daimler e Volkswagen compraram a HERE por 2,8 bilhões de euros em 2015 da fabricante de dispositivos móveis Nokia, da Finlândia.

Samsung Electronics irá fornecer chips para automóveis da Tesla

A Samsung Electronics vai fornecer semicondutores para fabricante norte-americana de carros elétricos Tesla Motors

Em novembro, a Samsung anunciou a compra da Harman International Industries por 8 bilhões de dólares, visando a acelerar o crescimento do grupo no mercado automotivo

Por Redação, com Reuters – de Seul:

A Samsung Electronics vai fornecer semicondutores para fabricante norte-americana de carros elétricos Tesla Motors, informou o jornal sul-coreano Electronic Times nesta sexta-feira, sem citar as fontes.

A Samsung Electronics vai fornecer semicondutores para fabricante norte-americana de carros elétricos Tesla Motors
A Samsung Electronics vai fornecer semicondutores para fabricante norte-americana de carros elétricos Tesla Motors

A publicação não citou valores para o acordo, que envolveria chips para carros autônomos da Tesla. A Samsung busca aumentar as vendas de componentes automotivos. Como semicondutores e displays. Em um esforço para desenvolver nova fonte de crescimento de receita.

Em novembro, a Samsung anunciou a compra da Harman International Industries por US$ 8 bilhões. Visando a acelerar o crescimento do grupo no mercado automotivo.

Representantes de Samsung e Tesla não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto.

Ericsson

O grupo sueco de equipamentos de telecomunicações Ericsson informou na quinta-feira que os cortes de funcionários no mercado doméstico estão adiantados. O que vem resultando em despesas de reestruturação maiores que o inicialmente previsto para este ano.

Em outubro, a empresa comunicou que dispensaria cerca de 20 % da força de trabalho na Suécia e centenas de consultores. Em um esforço para lidar com a retração do mercado e a concorrência da chinesa Huawei e da finlandesa Nokia.

Circulam especulações entre analistas e funcionários na Ericsson sobre se a empresa pode ter que implementar novos cortes para lidar com as condições ainda difíceis de mercado.

A companhia sueca informou que as despesas com reestruturações neste ano devem ficar entre 5,5 bilhões e 6,5 bilhões de coroas suecas (US4 606 milhões a US$ 717 milhões). Acima da faixa de 4 bilhões a 5 bilhões prevista inicialmente.

– Os custos de reestruturação para 2017 devem diminuir de algum modo. Como consequência da implementação mais rápida da redução das atividades na Suécia – esclareceu a empresa.

Uma estimativa precisa será anunciada em janeiro.

A Ericsson informou que 1.600 funcionários se demitiram voluntariamente. Como parte do plano de fechar 3 mil vagas em produção, pesquisa, desenvolvimento e vendas na Suécia e 900 posições de consultoria. Com isso, cortes adicionais não estão planejados.

Fundada em 1876 como uma fabricante de equipamentos de telégrafo. A Ericsson é uma das maiores empregadoras na Suécia. Com um quadro global de 115 mil funcionários em 180 países (US$ 1 = 9,0711 coroas suecas).

Samsung inicia produção de chips com tecnologia de 10 nanômetros

A Samsung disse em comunicado que um produto de tecnologia que será lançado no início do ano que vem utilizará os chips feitos com a tecnologia de produção de 10 nanômetros

Por Redação, com Reuters – de Seul:

A gigante de tecnologia Samsung Electronics disse nesta segunda-feira que começou a produzir chips usando a tecnologia de 10 nanômetros, afirmando ser a primeira empresa do setor a fazer isso.

A Samsung disse em comunicado que um produto de tecnologia que será lançado no início do ano que vem utilizará os chips feitos com a tecnologia de produção de 10 nanômetros. A empresa não revelou qual seria o dispositivo.

A gigante de tecnologia Samsung Electronics disse nesta segunda-feira que começou a produzir chips usando a tecnologia de 10 nanômetros
A gigante de tecnologia Samsung Electronics disse nesta segunda-feira que começou a produzir chips usando a tecnologia de 10 nanômetros

O Electronic Times, da Coreia do Sul, noticiou este mês que a Samsung será a única fabricante terceirizada dos chips Snapdragon 830. Projetados pela Qualcomm, que usam a tecnologia de produção de 10 nanômetros. Este processador será usado m metade dos próximos smartphones Galaxy S, que devem ser lançados no início de 2017.

Tesla e Panasonic

A Tesla Motors, de Elon Musk, disse que vai colaborar com a japonesa Panasonic Corp para fabricar módulos e células solares em Nova York.

Sob o acordo, que é uma carta de intenções não vinculativa. A Tesla disse que usará as células e módulos em um sistema de energia solar que funcionará com seus produtos de armazenamento de energia Powerwall e Powerpack.

A empresa japonesa já está trabalhando com a montadora norte-americana para fornecer baterias para o Model 3. Seu primeiro carro produção em massa.

Panasonic

A Panasonic deve começar a produção da fábrica em Buffalo em 2017. A Tesla planeja fornecer um compromisso de compra de longo prazo para estas células, disse a Tesla em comunicado. Acrescentando que o acordo está subordinado à aprovação de sua aquisição da SolarCity.

Na semana passada, acionistas da Tesla e da SolarCity concordaram em votar a proposta de fusão em 17 de novembro. A montadora disse que forneceria os planos sobre a empresa combinada antes da votação.

Maplink

A Maplink, empresa brasileira de tecnologia em geolocalização, anunciou nesta segunda-feira a compra da francesa Optilogistic. Especializada em logística, em uma estratégia de expansão territorial e de portfólio de produtos.

Com a aquisição, a Maplink, foi fundada em 2000. Ela oferece soluções de logística a empresas, e passa a atuar também nos Estados Unidos, Europa e África. Além da América Latina onde já estava presente na Argentina, Chile, Colômbia e México.

A Optilogistic, criada em 1992, é especialista no setor de agronegócio, com foco no segmento de laticínios.

– Vimos a chance de aumentar nosso portfólio de produtos e também de entrar em um mercado em que a gente não tinha presença, como o europeu – disse à agência inglesa de notícias Reuters o presidente-executivo da Maplink, Frederico Hohagen.

Google Maps

Embora não tenha revelado o valor da aquisição, a Maplink, parceira do Google Maps na América Latina. Estima que entre o acordo de compra, investimentos, marketing e contratação de pessoal, o montante envolvido na operação alcance R$ 20 milhões este ano.

Hohagen prevê uma alta de 80 %  nas receitas da companhia no ano fiscal que encerra em março de 2017. Ante o exercício anterior, desempenho que deve ser ajudado pela aquisição da empresa francesa Embora a operação não será a única responsável por tal resultado.

Para o executivo, o crescimento nas receitas também se explica devido à expansão territorial da empresa. Particularmente no mercado externo. Atualmente, 30 % da receita vem de fora do Brasil e a expectativa da Maplink é de que essa fatia alcance mais de 50 % até o final deste ano fiscal.

A companhia recebeu em 2014 aporte de R$ 36 milhões feito pela empresa brasileira especializada em aplicativos e conteúdos para plataformas móveis. Movile, que tem entre os investidores o grupo sul-africano Naspers.

– Com essa expansão internacional tivemos uma oportunidade de receita sem depender do Brasil, embora nossa principal receita e nossos escritórios estejam aqui, mas ter receita em outros mercados tira um pouco o risco da dependência do mercado brasileiro – disse Hohagen.

Operadoras disputam clientes pré-pagos diante de queda do uso de chips

As operadoras de telecomunicações têm adotado diferentes estratégias para conquistar ou manter clientes pré-pagos

 

O pré-pago é importante fonte de receita das operadoras, por ainda representar mais de 70 %  da base de linhas de celulares no Brasil

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro:

 

As operadoras de telecomunicações têm adotado diferentes estratégias para conquistar ou manter clientes pré-pagos, que diante da crise econômica e do uso mais frequente do aplicativo WhatsApp vêm reduzindo o número de chips em uso por aparelho, optando por colocar créditos em apenas uma linha de celular.

Números da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mostram que o segmento pré-pago encolheu em quase 17 milhões de linhas em 2015 até novembro. Em 12 meses até novembro, a queda foi de 8 %, para 196,61 milhões. Em 2014, houve adição de 1,5 milhão de linhas na comparação com 2013.

Segundo especialistas, a baixa do ano passado ocorreu devido ao uso mais intenso de aplicativos de mensagens, o que tem feito o usuário cancelar o segundo chip. Um executivo de uma das principais operadoras do país calcula que em 2014 de 30%  a 35 %  dos clientes pré-pagos tinham mais de um chip em uso, percentual que caiu para 20%  a 25 %  em 2015 e deve continuar diminuindo este ano.

As operadoras de telecomunicações têm adotado diferentes estratégias para conquistar ou manter clientes pré-pagos
As operadoras de telecomunicações têm adotado diferentes estratégias para conquistar ou manter clientes pré-pagos

O pré-pago é importante fonte de receita das operadoras, por ainda representar mais de 70 %  da base de linhas de celulares no Brasil. A consultoria Teleco estima que o segmento pré-pago responde por entre 40%  e 60 % das receitas de serviços das operadoras.

Apesar da queda no número de linhas pré-pagas, o impacto na receita das empresas do setor tem sido mitigado por medidas adotadas no ano passado, como o corte da Internet após o fim da franquia em vez de apenas a redução da velocidade. Isso faz com que o cliente tenha de realizar mais recargas de dados para continuar usando a Internet no celular.

Segundo a Teleco, as quatro principais operadoras perderam 1,4 %  de sua base de celulares total entre setembro de 2014 e o mesmo mês de 2015, mas a receita líquida de serviços subiu 0,5 %  no mesmo intervalo.

Enquanto Oi e TIM implantaram tarifa única nas ligações para outras operadoras, reduzindo o chamado “efeito clube”, em que o usuário só liga para celulares da mesma empresa, Vivo e Claro optaram por iniciativas de banda larga para clientes interessados em ter mais acesso a dados.

Estratégias

Até o terceiro trimestre de 2015, a Vivo sentia poucos efeitos da redução de 7 %  de sua base pré-paga ano contra ano, uma vez que sua receita líquida móvel subiu 6,2 %  no período.

A Vivo é líder no pós-pago e tem a menor fatia de linhas pré-pagas em sua base, com 62 %. Claro, TIM e Oi possuem 77% , 81%  e 82 %, respectivamente, de acordo com a Teleco.

A estratégia da Vivo para ganhar e reter clientes pré-pagos está sendo investir em ações comerciais e apostar no apelo de sua rede de cobertura 3G e 4G, disse à agência inglesa de notícias Reuters o vice-presidente de marketing e serviços móveis da empresa, Marcio Fabbris.

A operadora, porém, descarta a possibilidade de igualar as tarifas das ligações para celulares de empresas rivais, como foi feito por TIM e Oi.

– Acreditamos que o que conta para o cliente nos escolher não é mais os minutos de ligações, mas a Internet – disse Fabbris, endossando que as taxas de interconexão entre operadoras, apesar da queda gradual promovida pela Anatel, continuam altas.

Em novembro, a Vivo lançou novos planos com franquias semanais maiores de Internet, de 200 MB e 400 MB, frente às de 75 MB e 150 MB anteriores para os planos pré-pagos.

Estratégia semelhante está sendo adotada pela Claro, do grupo América Móvil. Segundo o diretor de marketing da operadora, Rodrigo Vidigal, “hoje o consumidor quer Internet”. “Por isso, estamos oferecendo ofertas melhores (de dados), queremos trazer essa receita (para a empresa)”, declarou.

A Claro permite acesso às redes sociais Facebook, Twitter e WhatsApp sem desconto na franquia de dados do cliente. A operadora aposta que o acesso a esses aplicativos incrementa o uso de dados como um todo. “Por mais que estejamos abrindo mão de receita (com o acesso grátis), aproveitamos o crescimento de dados”, disse Vidigal.

 

– Entendemos que o usuário pré-pago de dados é usuário recente de smartphone e é muito sensível a custo. Isso permite que ele utilize de forma mais intensa e passe a conhecer outros serviços.

A Oi teve uma queda de 4 % de sua base de celulares pré-pagos no terceiro trimestre de 2015 contra um ano antes, mas sua receita líquida de serviços, que exclui a venda de aparelhos, subiu quase 1 %.

Para o diretor de produtos e mobilidade da Oi, Roberto Guenzburger, a redução da base de usuários foi acompanhada de aumento do tíquete médio de recarga. No terceiro trimestre, as recargas do pré-pago na Oi tiveram alta de 1,9 %  sobre um ano antes. Em seu balanço, a empresa citou o corte da Internet após o fim da franquia de dados como um dos fatores que contribuíram para a alta.

– Agora, em vez de briga competitiva pelo crescimento da base, existe uma disputa pela consolidação do chip – disse Guenzburger. “Ganha quem tiver oferta mais abrangente”, completou.

Procurada, a operadora TIM informou por e-mail considerar que o cancelamento de linhas pré-pagas é movimento natural do mercado e que, nesse cenário, o foco da indústria passa a ser o “valor associado a cada usuário” em vez do volume de linhas.

 

 

UE: Qualcomm é acusada de usar poder de mercado para atrapalhar rivais

Por Redação, com Reuters – de Bruxelas:

Autoridades de defesa da concorrência da União Europeia acusaram a Qualcomm nesta terça-feira de abusar de poder de mercado para impedir a atuação de rivais, colocando a maior produtora de chips para dispositivos móveis do mundo sob o risco de multa pesada.

As acusações feitas pela Comissão Europeia são os mais recentes problemas antitruste da companhia com reguladores nos Estados Unidos, China, Japão e Coreia do Sul por causa do seu modelo de licenciamento e patentes sobre redes celulares e dispositivos.

A Qualcomm, que compete com a Media Tek, disse que a Comissão de Comércio de Taiwan também abriu uma investigação sobre seus acordos de licenciamento de patentes.

As queixas da UE, listadas em duas folhas de acusação como declarações e objeções, seguiram uma investigação formal iniciada em julho.

O órgão de competição europeu disse que a Qualcomm pode ter pagado ilegalmente um grande cliente para usar exclusivamente seus chips e que também vendeu chips abaixo do valor de custo para forçar a saída do mercado de um competidor, em uma prática conhecida como precificação predatória.

As queixas da UE, listadas em duas folhas de acusação como declarações e objeções, seguiram uma investigação formal iniciada em julho
As queixas da UE, listadas em duas folhas de acusação como declarações e objeções, seguiram uma investigação formal iniciada em julho

– Estou preocupado que as ações da Qualcomm podem ter pressionado competidores ou evitado que eles competissem – disse a comissária europeia da concorrência, Margrethe Vestager, em comunicado.

A Qualcomm afirmou que recebeu vários meses para responder às acusações. “Estamos ansiosos para demonstrar que a competição na venda de chips para dispositivos móveis tem sido e continua forte e dinâmica e que as práticas comerciais da Qualcomm sempre atenderam à legislação europeia de defesa da concorrência”, disse o advogado da Qualcomm, Don Rosenberg.

A Qualcomm pode enfrentar multa de US$ 2,7 bilhões, equivalente a 10 %  de seu faturamento global em 2014, se for considerada culpada de violar regras da UE. Em fevereiro, a empresa pagou multa de US$ 975 milhões para encerrar uma investigação de 14 meses conduzida pela China sobre práticas anticompetitivas.

 

Dell anuncia compra da EMC por US$ 67 bilhões

Por Redação, com Reuters – de Nova York/São Francisco, EUA:

A fabricante de computadores Dell disse nesta segunda-feira que concordou em comprar a empresa de armazenagem de dados EMC, em um negócio recorde no setor de tecnologia de US$ 67 bilhões que irá unir duas companhias maduras e criar uma poderosa empresa de tecnologia.

A aquisição ajudará a Dell, uma empresa que não é listada em bolsa, a diversificar-se diante de um mercado de computadores pessoais estagnado, e dar grande escala no mercado de armazenagem de dados para empresas, que é lucrativo e tem crescimento rápido.

O negocio avalia a EMC em US$ 33,15 por ação. A Dell pagará US$ 24,05 por papel em dinheiro e também dará aos acionistas da EMC uma ação especial que acompanha o preço do provedor de software virtual VMWare.

A fabricante de computadores Dell disse nesta segunda-feira que concordou em comprar a empresa de armazenagem de dados EMC
A fabricante de computadores Dell disse nesta segunda-feira que concordou em comprar a empresa de armazenagem de dados EMC

O Conselho da EMC aprovou a fusão e recomendará que acionistas façam o mesmo.

O acordo de fusão incluiu uma provisão ‘go-shop’, que permite que a EMC solicite propostas de outras partes e pague uma taxa de rompimento com desconto se o negócio for feito com outra companhia.

Ciências da computação

Ciências da computação tornou-se, pela primeira vez, a graduação mais popular para estudantes mulheres na Universidade de Stanford, um sinal de esperança para aqueles que tentam aumentar as pequenas fileiras de mulheres no ramo da tecnologia.

Baseado em declarações preliminares de estudantes de classe alta, correspondendo a cerca de 30 % das graduações naquele departamento, disse a universidade sediada na Califórnia à agência inglesa de notícias Reuters na última sexta-feira.

Biologia humana, que havia sido o curso mais popular entre mulheres, caiu para o segundo lugar com 208.

Se mais mulheres se graduassem em ramos tecnológicos como ciências da computação, defensores dizem, isso poderia ajudar a aliviar a escassez de mulheres na engenharia e em profissões relacionadas.

– Nós cruzamos o limiar em que as mulheres se sentem apoiadas e confortáveis – disse Eric Roberts, professor emérito de ciências da computação que obteve os números primeiramente. “O que precisamos fazer é não rejeitar pessoas porque elas se sentem mal amparadas, e uma comunidade central vibrante e com massa crítica é essencial”.

 

 

EUA: Samsung não infringiu patentes de chips da Nvidia

Por Redação, com Reuters – de Nova York/São Paulo:

A Samsung Electronics foi liberada pelo uso da tecnologia de chips gráficos possuída pela Nvidia sem permissão, em uma decisão da Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos (ITC, na sigla em inglês) na sexta-feira.

O juiz Thomas Pender disse que a Samsung não infringiu duas patentes da Nvidia, e embora tenha infringido uma terceira, ele decidiu que a patente é inválida porque não é uma invenção inovadora, se comparada com patentes conhecidas previamente.

A Samsung Electronics foi liberada pelo uso da tecnologia de chips gráficos possuída pela Nvidia
A Samsung Electronics foi liberada pelo uso da tecnologia de chips gráficos possuída pela Nvidia

O porta-voz da Nvidia Robert Sherbin disse que a decisão será revisada pela comissão completa, que tomará uma decisão final sobre a disputa em fevereiro. “Permanecemos confiantes em nosso caso”, ele disse.

Uma porta-voz da Samsung não quis comentar.

A Nvidia apresentou uma queixa contra a Samsung e a Qualcomm em setembro de 2014. Ao mesmo tempo, a Nvidia processou as duas empresas em um tribunal federal em Wilmington, Delaware.

Nextel Brasil

A Nextel Brasil não esta à venda no curto prazo, mas está sempre buscando alternativas para melhorar sua posição de caixa, capacidade competitiva e continuar crescendo no segmento pós-pago nos grandes centros urbanos, afirmou o presidente da operadora, Francisco Valim, em entrevista à agência inglesa de notícias Reuters.

Como operadora de nicho, a Nextel está constantemente na busca de estratégias que permitam à empresa ganhar mais clientes nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, onde o crescimento dos usuários de planos pós-pago continua exibindo taxas elevadas, disse Valim.

Ele afirmou que entre as alternativas que permitiriam capitalizar a Nextel Brasil estão sobre a mesa a potencial venda de torres de telefonia celular, para a qual a companhia está procurando um potencial comprador.

Na quinta-feira, a Reuters apurou que a norte-americana NII Holdings, controladora da Nextel Brasil, está explorando alternativas estratégicas para seus negócios no país. De acordo com fontes com conhecimento do assunto, a Nextel teria conversado nas últimas semanas com bancos de investimento para a contratação de um assessor financeiro para procurar a melhor dessas opções, incluindo uma potencial venda.

– Sempre falamos com bancos, com um, com outro. Mas nesse momento não estamos fazendo um processo de venda no curto prazo – disse Valim. Em relação à venda das torres, o executivo comentou que “seria benéfico para nós por conta de menores custos de operação e da maior liquidez que uma venda nos proporcionaria”.

Valim, que assumiu a Nextel Brasil em agosto, disse que nesse momento seu plano para a companhia é de “ganhar liquidez, fatia de mercado” e de consolidar a companhia como uma operadora de nicho no mercado de telecomunicações do país. Ao longo do ano passado, especulação sobre uma potencial onda de consolidação no setor cresceu, alimentada por declarações de executivos da Oi de que a companhia queria ser protagonista de potenciais fusões na indústria. Valim foi presidente-executivo da Oi por 18 meses, deixando a companhia em janeiro de 2013.

A Nextel Brasil é a maior parte dos negócios da NII, que pediu proteção judicial contra credores nos Estados Unidos em setembro de 2014 diante do peso de US$ 5,8 bilhões em dívidas e ferrenha competição no Brasil e no México.

A NII deixou o processo de recuperação em junho sob controle de credores que incluem a Aurelius Capital Management. A NII vendeu as operações sem fio no México em janeiro, por US$ 1,875 bilhão para a norte-americana AT&T e desde então vendeu outras unidades no Chile e Peru.

 

 

Samsung usará chips da Qualcomm em Galaxy S7, diz Electronic Times

Por Redação, com Reuters – de Seul/Nova York:

A Samsung Eletronics usará processadores móveis da Qualcomm para alguns de seus próximos smartphones Galaxy S, informou o jornal sul-coreano Electronic Times nesta sexta-feira, citando fontes industriais anônimas.

O jornal disse que a Samsung vai usar os chips Snapdragon 820 da fabricante de chips dos Estados Unidos para os seus celulares Galaxy S7, que devem ser lançados no começo do próximo ano e que serão vendidos nos EUA e na China. Os celulares Galaxy S7 vendidos em outros mercados terão processadores Exynos da própria Samsung, disse o jornal.

A Samsumg Eletronics usará processadores móveis da Qualcomm para alguns de seus próximos smartphones Galaxy S
A Samsumg Eletronics usará processadores móveis da Qualcomm para alguns de seus próximos smartphones Galaxy S

Uma porta-voz da Samsung declarou que a companhia não comentará sobre rumores e especulações. A Qualcomm não pôde ser contatada imediatamente para comentários.

A companhia sul-coreana tem usado apenas seus processadores Exynos para os smartphones Galaxy S6 neste ano, dando um grande golpe na fabricante de chips norte-americana. Mas a Samsung disse mais cedo esse ano que ela poderia optar por usar chips da Qualcomm no futuro.

A Samsung anteriormente já havia utilizado tanto chips da Qualcomm como da sua própria divisão de chips para seus dispositivos premium incluindo o Galaxy S e o Galaxy Note.

iPhone 6S

A Apple disse na segunda-feira que vendeu mais de 13 milhões de iPhone 6S e 6S Plus durante seu primeiro fim de semana no mercado, estabelecendo um novo recorde para seu principal produto.

Apesar de as vendas terem superado as expectativas de analistas de 12 milhões a 13 milhões de unidades, as ações da Apple caíam mais de 1 %. Isso indica que os investidores continuam descrentes que a Apple consiga superar a demanda pelo iPhone anterior, que levou a companhia a registrar o maior lucro trimestral da sua história, disse o analista do IDC John Jackson.

– Superar o que o iPhone 6 conseguiu parece pedir demais, mesmo para a Apple, que tem uma história de suplantar a si própria – disse.

O iPhone 6 estabeleceu o recorde anterior de 10 milhões de unidades vendidas no primeiro fim de semana, mas os dados não incluíam o mercado chinês, onde problemas regulatórios atrasaram a estreia do aparelho no ano passado.

Analistas já esperavam que a Apple estabelecesse um novo recorde de venda do iPhone com a inclusão da China, que deve se tornar em breve o maior mercado para a empresa.

Mas muitos analistas disseram que os números do 6s, que incluem também os Estados Unidos, a Austrália e a Grã-Bretanha, sugerem que a Apple está a caminho de elevar as vendas de iPhone modestamente ante o ano anterior.

A analista Shannon Cross, da Cross Research, disse que estava impressionada com a capacidade da Apple para atrair o interesse do consumidor em um dispositivo com melhorias relativamente modestas sobre o iPhone 6, cujas telas maiores desencadearam um frenesi de vendas.

– É um indicativo da força da Apple que você tem pelo menos tantas pessoas que querem o iPhone 6s – disse Shannon Cross.

O fim de semana também marcou a estreia do programa de atualização da Apple, que permite aos usuários receber um novo iPhone todo ano por parcelas mensais a partir de US$ 32, independentemente da operadora.

A Apple disse que os novos iPhones estarão disponível em mais de 40 países a partir 9 de outubro, e em mais de 130 países até o fim do ano.

Os novos telefones têm câmeras melhores e uma tecnologia de exibição chamada 3D Touch, que responde à pressão do toque dos usuários na tela.

– O retorno dos clientes é incrível, e eles estão amando o 3D Touch e o Live Photos – disse o presidente-executivo da Apple, Tim Cook, em comunicado. “Mal podemos esperar para levar o iPhone 6S e o iPhone 6S Plus a consumidores em mais países em 9 de outubro.”