Museu do Amanhã concorre a prêmio internacional de arquitetura

Museu do Amanhã

Recentemente, o museu ganhou o Selo LEED (Liderança em Energia e Projeto Ambiental, em português) série Ouro em termos de edificação

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O Museu do Amanhã, localizado na Praça Mauá, zona portuária do Rio de Janeiro, concorre no próximo dia 16 deste mês ao prêmio internacional MIPIM (Mercado Internacional dos Profissionais Imobiliários), em Cannes, na França, na categoria Edifício Verde Mais Inovador. Na quinta-feira, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, visitou o local pela primeira vez.

Inaugurado no final de  2015, o museu localiza-se na zona portuária do Rio
Inaugurado no final de  2015, o museu localiza-se na zona portuária do Rio

– Estou saindo daqui impressionado com a grandeza do museu, com o conceito do museu. Beltrão destacou que o Brasil é o oitavo país do mundo em recursos culturais. Ele avaliou que as chances de o Museu do Amanhã sair vitorioso na premiação são muito boas.

– É um museu ecologicamente correto. Isso é um grande diferencial. Ele tem todo um conceito moderno, mas um conceito de sustentabilidade muito diferente de outros museus. Os benefícios do ponto de vista ecológico são fundamentais para que possa funcionar gastando pouca energia. Com relação a seu sistema de refrigeração. O que torna mais barata sua manutenção. Aqui, não só conhecemos quem nós fomos, quem nós somos e quem queremos ser, a questão do amanhã. Mas há um conceito de modernidade, de tecnologia, de sustentabilidade que está impregnado aqui no museu – afirmou.

Disputa

O Museu do Amanhã disputa com projetos de Londres e de Estocolmo e de Munique, na Alemanha. “Tudo que se faz aqui, no museu, nós não fazemos pensando meramente no resultado eficaz daquilo que se implanta, mas de que forma sustentável podemos fazer aquilo acontecer”, explicou o diretor executivo do museu, Henrique Oliveira.

Segundo Oliveira, isso ocorre desde a limpeza dos vidros, feita com produtos biodegradáveis, até a limpeza do espelho d’água, que usa cloração natural, para evitar o envolvimento de produtos químicos. A energia captada é solar.

Recentemente, o museu ganhou o Selo LEED (Liderança em Energia e Projeto Ambiental, em português) série Ouro em termos de edificação, que comprova o grau de sustentabilidade no local. O espanhol Santiago Calatrava é o arquiteto do Museu do Amanhã, cujos desenvolvedores são a prefeitura do Rio e a Fundação Roberto Marinho.

Anistia Internacional denuncia 13 mil enforcamentos na Síria

Em relatório, ONG revela detalhes de execuções em massa realizadas secretamente desde 2011 em prisão militar. Objetivo das mortes, autorizadas pelo regime, seria impedir qualquer forma de dissidência

Por Redação, com DW – de Beirute:

Desde o início da guerra civil, as autoridades sírias executaram até 13 mil pessoas em enforcamentos coletivos numa prisão ao norte de Damasco, denunciou a Anistia Internacional nesta terça-feira. O presídio foi apelidado pelos detentos de “matadouro”.

Em relatório, a ONG revela que, entre 2011 e 2015, grupos de até 50 detentos eram enforcados regularmente na prisão de Saidnaya. Os presos incluíam ex-militares suspeitos de deslealdade e pessoas envolvidas em revoltas contra o governo.

Desde o início da guerra civil, as autoridades sírias executaram até 13 mil pessoas em enforcamentos coletivos numa prisão ao norte de Damasco
Desde o início da guerra civil, as autoridades sírias executaram até 13 mil pessoas em enforcamentos coletivos numa prisão ao norte de Damasco

As execuções ocorriam uma ou duas vezes por semana, à noite e em segredo. Os detentos eram chamados pelo nome e levados com os olhos vendados a outra cela. Onde eram espancados e depois mandados a outro edifício para serem enforcados, segundo a ONG.

– As vítimas eram em sua maioria civis, acusadas de se oporem ao governo – diz o relatório. “Muitos outros detentos da prisão militar de Saidnaya foram mortos após serem repetidamente torturados e privados de comida, água, medicamentos e tratamento médico.”

“Campanha secreta e monstruosa”

A Anistia destacou que, antes de serem enforcados, os detentos de Saidnaya eram apresentados perante o que se denomina corte militar de campanha, onde ficavam, no máximo, dois minutos. As sentenças se baseavam em confissões extraídas sob tortura.

É provável que a prática, autorizada por autoridades do governo e realizada pela polícia militar – ainda esteja em vigor, diz a Anistia. As mortes são descritas como uma “campanha de execução extrajudicial”.

– Os horrores descritos neste relatório revelam uma campanha secreta e monstruosa. Autorizada pelo mais alto nível do governo sírio. Com o objetivo de esmagar qualquer forma de dissidência na população síria – diz Lynn Maalouf, vice-diretora de pesquisa da Anistia em Beirute.

As constatações do relatório divulgado nesta terça-feira são resultado de entrevistas com 31 ex-detentos e mais de 50 autoridades e especialistas. Incluindo antigos juízes e guardas da prisão de Saidnaya.

Governo fala em propaganda

Num relatório do ano passado. A ONG apontou que mais de 17 mil pessoas morreram após serem torturadas e maltratadas em prisões sírias desde 2011. O número é comparável aos da província de Aleppo, uma das piores zonas de guerra do país. Onde 21 mil pessoas foram mortas.

O governo do presidente Bashar al-Assad raramente comenta alegações de tortura e execuções em massa. No passado, autoridades negaram massacres denunciados por grupos de direitos humanos internacionais, descrevendo-os como propaganda.

Negociações de paz sobre a Síria previstas para o fim deste mês em Genebra “não podem fechar os olhos para essas descobertas”, diz Maalouf. “Pôr fim a essas atrocidades deve fazer parte da agenda, e a ONU deve realizar uma investigação independente.”

Estado Islâmico

A cidade de Al Bab, principal bastião do grupo extremista “Estado Islâmico” (EI) na província de Aleppo, no norte da Síria. Está completamente cercada devido a avanços do Exército sírio e de seus aliados. Afirmou na segunda-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

O avanço das forças de segurança da Síria interrompeu a principal rota de abastecimento dos extremistas. Que ligava Al Bab a outras regiões controladas por jihadistas. Os militantes do “Estado Islâmico” estão agora cercados ao sul por militares do regime do presidente Bashar al-Assad. Ao norte, leste e oeste por rebeldes apoiados pela Turquia.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, os combates na região continuaram ao longo desta segunda-feira, numa tentativa de ampliar o cerco a Al Bab por parte dos efetivos governamentais, que contam com o apoio de milícias xiitas.

Tropas leais ao governo sírio interditaram no domingo a estrada que liga Al Bab ao leste de Aleppo e às províncias de Al Raqqa e Deir ez Zor. O que deixou a cidade completamente isolada. Os militares sírios também tomaram a área de Uishia, que fica a algumas centenas de metros dessa estrada.

Progressos

Com esses progressos, os efetivos governamentais também conseguiram impor um cerco às populações de Tadaf, Bazaa e Qabasin, dominadas pelo EI e nas imediações de Al Bab.

As operações do Exército transcorrem em paralelo às de rebeldes sírios, que têm o apoio de combatentes e aviões turcos. Mas que negam a existência de qualquer tipo de coordenação com as autoridades sírias.

Em três semanas, forças de segurança de Assad avançaram seis quilômetros em direção à Al Bab. Damasco pretende interromper a expansão das tropas turcas no norte do país. Em agosto, a Turquia lançou uma ação militar na Síria que visava proteger suas fronteiras dos jihadistas e conter os avanços de milícias curdas na região.

Al Bab, localizada a 25 quilômetros da fronteira com a Turquia, fica a cerca de 40 quilômetros ao nordeste da cidade de Aleppo. Onde o governo conquistou sua mais importante vitória nos quase seis anos de conflito, ao expulsar os rebeldes.

Com o cerco a Al Bab, aumentam as chances de confronto entre militares sírios, de um lado, e rebeldes sírios e soldados turcos, do outro, pelo controle da cidade.

Transparência Internacional elogia esforços do Brasil contra a corrupção

“Ano de 2016 mostrou brasileiros nas ruas, exigindo mudanças”, destaca Transparência Internacional. Apesar de leve melhora na pontuação, Brasil cai mais três posições no ranking de percepção da corrupção da organização

Por Redação, com DW – de Brasília:

A Transparência Internacional elogiou os esforços de combate à corrupção no Brasil. Ao publicar seu Índice de Percepção da Corrupção, ranking produzido e divulgado anualmente, a entidade disse que “o país demonstrou neste ano que, através do trabalho de organismos independentes encarregados da aplicação da lei”, é possível levar pessoas “antes consideradas intocáveis” a prestar contas à Justiça.

A Transparência Internacional elogiou os esforços de combate à corrupção no Brasil
A Transparência Internacional elogiou os esforços de combate à corrupção no Brasil

A ONG reconhece, entretanto, que a pontuação do Brasil no ranking de percepção da corrupção “tem caído significativamente em comparação com cinco anos atrás. Depois da revelação de sucessivos escândalos de corrupção envolvendo políticos e empresários de primeira linha”.

No novo levantamento, o Brasil apresenta ligeira melhora de pontuação, com 40 pontos (dois pontos a mais que na pesquisa anterior). Embora passe a ocupar a posição 79, ao lado de Belarus, China e Índia, de uma lista com 176 países.

No ranking de 2015, o Brasil estava na posição 76, acompanhado de Bósnia e Herzegovina, Burkina Faso, Índia, Tailândia, Tunísia e Zâmbia. Em 2014, estava na posição 69, com 43 pontos. A margem de erro é de 4,3 pontos.

Surpresa

A leve melhora na pontuação deste ano surpreendeu até mesmo os especialistas da Transparência Internacional. “É uma surpresa porque o Brasil é um país que vinha caindo no índice e onde houve escândalos de corrupção nos últimos cinco anos. E neste ano, vemos que há uma pequena melhora”. Avalia em entrevista à agência alemã de notícias DW, o diretor do departamento de pesquisa da Transparência Internacional, Finn Heinrich.

Ele considera que a população brasileira foi uma das responsáveis por isso. “O ano de 2016 realmente mostrou como brasileiros comuns foram às ruas. Exigiram mudanças, fartos de corrupção”, ressalta. “E também mostra como o Judiciário, as autoridades de aplicação da lei, estão levando a sério e começaram uma grande campanha para investigar a corrupção no nível mais alto”, sublinha.

Neste ano, houve mais países descendo posições no ranking do que subindo. Das 176 nações que integram o Índice, 69% tiveram uma pontuação inferior a 50. Em uma escala de 0 (percepção de altos níveis de corrupção) a 100 (percepção de muito pequenos níveis de corrupção). Segundo a Transparência Internacional, “isso deixa em evidência o caráter amplo e generalizado da corrupção no setor público a nível mundial”.

– Os casos de corrupção em grande escala, desde Petrobras e Odebrecht, no Brasil, até o ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovitch. Mostram como a colusão entre empresas e políticos tira de economias nacionais bilhões de dólares de arrecadação, desviados para beneficiar uns poucos, às custas da maioria”. Diz a Transparência Internacional, através de comunicado. “Este tipo de corrupção em grande escala e sistêmica redunda em violações dos direitos humanos, freia o desenvolvimento sustentável e favorece a exclusão social.”

Governos não cumprem promessas

O novo índice de corrupção da Transparência Internacional confirma uma outra tendência que preocupa. Em todo o mundo, governos afirmam querer combater a corrupção, mas geralmente estas são palavras vazias.

– Os governos sabem o que público e bancos querem ouvir, mas não transformam em ação as suas palavras – lamenta Heinrich, que avaliou, junto com sua equipe, os dados dos Índice de Percepção da Corrupção.

O levantamento é realizado através de questionários respondidos por especialistas, instituições e think tanks de todo o mundo como, por exemplo, o Banco Mundial, a Fundação Bertelsmann ou a ONG internacional Freedom House.

Heinrich também salienta a relação entre desigualdade social e corrupção. Segundo ele, esta não é uma tendência observada apenas em países específicos, mas um fenômeno global. “Para mim, como pesquisador, a estreita relação entre a desigualdade e a corrupção foi surpreendente. Ambas andam juntas, e há um círculo vicioso, com mais corrupção e mais desigualdade.”

Duas das melhores armas contra a corrupção são, segundo ele, uma opinião pública atenta e uma imprensa livre. Heinrich cita como caso exemplar os cidadãos brasileiros, que foram às ruas no ano passado para protestar contra a corrupção no país.

Centro Paralímpico receberá evento internacional em março

Local sediará Jogos Parapan-Americanos de Jovens de 2017 entre os dias 20 e 25 de março

O evento esportivo está previsto para acontecer entre os dias 20 e 25 de março. Quase mil atletas de mais de 20 países, com idade entre 13 e 21 anos, são esperados

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

O Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, maior legado do programa para os esportes adaptados de alto rendimento, passa a entrar na rota dos eventos internacionais. Localizado em São Paulo, o espaço receberá os Jogos Parapan-Americanos de Jovens de 2017.

Local sediará Jogos Parapan-Americanos de Jovens de 2017 entre os dias 20 e 25 de março
Local sediará Jogos Parapan-Americanos de Jovens de 2017 entre os dias 20 e 25 de março

O evento esportivo está previsto para acontecer entre os dias 20 e 25 de março. Quase mil atletas de mais de 20 países, com idade entre 13 e 21 anos, são esperados.

A programação da competição contará com 12 modalidades: atletismo, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, judô, halterofilismo, vôlei sentado, natação, tênis de mesa, basquete em cadeira de rodas e tênis em cadeira de rodas. Apenas esta última não será sediada no Centro de Treinamento, inaugurado em maio de 2016. O equipamento é legado dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 para a infraestrutura dos esportes adaptados.  

A organização da competição está sob responsabilidade do Comitê Paralímpico Brasileiro. Até o momento, houve duas reuniões da Comissão de Coordenação. 

– Temos uma expectativa dupla. Queremos que a delegação brasileira seja muito bem representada e que possamos manter o primeiro lugar no quadro de medalhas, o que fizemos nas duas últimas edições do Jogos Parapan-Americanos de Jovens – disse Andrew Parsons, presidente do CPB e vice-presidente do IPC. 

Edições 

Buenos Aires, Argentina, foi a sede da última edição dos jogos, em outubro de 2013. Na ocasião, o evento atraiu 631 atletas, de 16 países, para competir em dez esportes. O Brasil liderou o quadro de medalhas com 209 pódios, sendo 102 de ouro. 

A primeira edição do Parapan de Jovens foi em 2005, em Barquisimeto, Venezuela, e contou com atletas de dez países. Em 2009, 14 nações estiveram presentes em Bogotá, Colômbia. 

Snapchat elege Londres para sede internacional

A empresa, que tem 150 milhões de usuários diários em todo o mundo, registrará no Reino Unido vendas em países onde não tem uma entidade local

Por Redação, com Reuters – de Londres/Pequim:

O aplicativo de mensagens Snapchat disse que faria de Londres a sede de suas operações internacionais, dando outro voto de confiança para o ambiente de tecnologia do Reuno Unido, num momento em que o país se prepara para deixar a União Europeia.

O aplicativo de mensagens Snapchat disse que faria de Londres a sede de suas operações internacionais
O aplicativo de mensagens Snapchat disse que faria de Londres a sede de suas operações internacionais

A empresa, que tem 150 milhões de usuários diários em todo o mundo. Registrará no Reino Unido vendas em países onde não tem uma entidade local. Em vez de encaminhá-los para jurisdições fiscais mais baixas como a Irlanda e Luxemburgo.

A Snap, que planeja ir a mercado neste ano na maior oferta de ações nos Estados Unidos desde 2014. Disse que as fortes indústrias criativas do Reino Unido tornaram o país “um ótimo lugar para construir um negócio global”.

Apesar da incerteza gerada pelo voto do Brexit, Londres permaneceu atraente para empresas de tecnologia global devido ao a talentos nos setores criativos e de tecnologia, muitos dos quais vieram da Europa e mais longe.

A posição da cidade como um centro financeiro global também fornece acesso ao financiamento para startups e capital para grandes empresas.

Desde a decisão do referendo em junho do ano passado, empresas como Google, Facebook e Amazon aumentaram seu investimento, para o deleite do governo de Theresa May.

China

O videogame Pokémon Go e outros jogos de realidade aumentada não deverão ser lançados na China em breve, depois que o censor estatal afirmou que não vai conceder licenças de operação até que riscos potenciais de segurança sejam avaliados.

A China é o mercado de celulares e jogos online do mundo. Pokémon Go foi lançado no ano passado e desde então obteve milhões de usuários ao redor do mundo.

Mas o game tem sido responsabilizado por acidentes de trânsito. Alguns fatais envolvendo jogadores distraídos. Preocupações sobre privacidade de dados por causa dos recursos de geolocalização do aplicativo têm criado controvérsia.

Segundo o órgão censor na China, que tem “nível de responsabilidade elevado sobre segurança nacional. Segurança de pessoas e propriedades”, os riscos de Pokémon Go incluem “ameaça à segurança de informação geográfica. Ameaça ao transporte e à segurança pessoal de consumidores”.

Pokémon Go depende de serviços do Google como o Maps, que é bloqueado na China.

WeChat

O WeChat, maior rede de mídia social móvel da China, está oferecendo aos seus 768 milhões de usuários uma função que lhes permite contornar lojas de aplicativos, como a da Apple.

O lançamento do “Xiaochengxu”, que se traduz como “miniprogramas”. Desafia a ideia do fundador da Apple, Steve Jobs, de uma loja de aplicativos supervisionada pelo fabricante do iPhone. O dispositivo que marcou seu décimo aniversário na segunda-feira.

As lojas de aplicativos administradas pela Apple e Google geram bilhões de dólares em receita global e a China é um mercado-chave. Pois seus usuários dependem fortemente de seus telefones para tarefas diárias que vão desde compras de supermercado até compromissos.

A Tencent Holdings Ltd, da WeChat. Informou nesta terça-feira que a função permite que os usuários acessem os serviços dos comerciantes sem precisar baixar seus aplicativos.

Estes seriam transferidos no passado através das lojas de aplicativos da Apple ou pelas companhias locais, tais como 360 e a plataforma própria de Tencent, para apps do Android.

A Tencent informou ter visto uma “resposta encorajadora” de comerciantes, incluindo Didi Chuxing, Dianping.com, Meituan.com, 58.com, JD, bem como companhias aéreas, agências de viagens e hotéis.

Polícia Federal combate tráfico internacional de drogas

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira uma operação contra o tráfico internacional de drogas

Segundo a PF, uma das rotas do grupo era a região de fronteira de Pedro Juan Cabalero, no Paraguai. Foram apreendidas mais de 10 toneladas de drogas, armas de grosso calibre e carros de luxo

Por Redação, com ABr – de Brasília:

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira uma operação contra o tráfico internacional de drogas. O grupo é acusado de trazer drogas do Paraguai e distribuir em três Estados. Goiás, Pará e Mato Grosso do Sul, e no Distrito Federal. A operação é considerada uma das maiores desenvolvidas pela PF nos últimos anos.

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira uma operação contra o tráfico internacional de drogas
A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira uma operação contra o tráfico internacional de drogas

Segundo a PF, uma das rotas do grupo era a região de fronteira de Pedro Juan Cabalero, no Paraguai. Foram apreendidas mais de 10 toneladas de drogas, armas de grosso calibre e carros de luxo.

O grupo abaixava os bancos dos carros, retirava todos os acessórios possíveis e carregava o carro com a droga, sem qualquer tipo de disfarce. Depois, saía dirigindo em alta velocidade, sem paradas e sem respeitar qualquer tipo de sinalização ou barreira policial. O objetivo era evitar perdas e chegar o mais rápido possível ao ponto de venda da droga. Por causa dessa prática, a operação foi batizada de Cavalo Doido.

Polícia do Paraguai

A estimativa é de que o grupo tenha movimentado mais de R$ 1 bilhão. A operação foi realizada em conjunto com a polícia do Paraguai. Lá, está sendo feita a destruição das plantações de droga nas fazendas de propriedade dos traficantes.

São 81 medidas judiciais, sendo 21 mandados de prisão preventiva, 11 mandados de prisão temporária, 15 conduções coercitivas e 34 mandados de busca e apreensão.

Os investigados vão responder por tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico. Corrupção ativa, tráfico internacional de armas, adulteração de arma de fogo e porte ilegal de armas. Somadas, as penas podem ultrapassar 30 anos.

Rio monta esquema especial de trânsito para a Meia Maratona Internacional

A operação contará com a participação de agentes de trânsito da Prefeitura do Rio, entre guardas municipais e agentes da CET-Rio

Por Redação, com ARN – do Rio de Janeiro:

A Meia Maratona Internacional do Rio será realizada no próximo domingo. Os corredores percorrerão a orla dos bairros de São Conrado, Leblon, Ipanema, Copacabana, Botafogo e Aterro do Flamengo.

A Meia Maratona Internacional do Rio será realizada no próximo domingo
A Meia Maratona Internacional do Rio será realizada no próximo domingo

A concentração dos participantes será na Avenida Prefeito Mendes de Morais (Orla de São Conrado). Para portadores de deficiência a largada está prevista para a partir das 8h35. Para a elite feminina 8h15 e para a elite masculina e demais participantes também às 8h35.

A operação de trânsito iniciará neste sábado, às 21h. Com a interdição da Avenida Infante Dom Henrique, no sentido Zona Sul (Aterro do Flamengo).

Às 23h30, haverá o fechamento da orla de São Conrado, em ambos os sentidos da Avenida Prefeito Mendes de Morais, entre as ruas Herbert Moses e Engenheiro Armandino de Carvalho, inclusive.
 
Vale lembrar que o Horário Brasileiro de Verão terá início à 0h, ou seja, de sábado para domingo, quando todos os relógios deverão ser adiantados em uma hora.

Operação

A operação contará com a participação de agentes de trânsito da Prefeitura do Rio. Entre guardas municipais e agentes da CET-Rio, que realizarão as intervenções de tráfego necessárias. Trabalhando para manter a fluidez, coibir o estacionamento irregular, ordenar os cruzamentos e orientar pedestres.

No domingo, às 5h, a Enseada de Botafogo será fechada em ambos os sentidos. Com interdição das Avenidas Repórter Nestor Moreira, Nações Unidas e Infante Dom Henrique. A partir das 6h, haverá o balizamento de uma faixa e meia da Rua Francisco Otaviano; Av. Princesa Isabel, junto ao canteiro central (sentido Botafogo). Túnel Novo, idem; Av. Lauro Sodré, idem (passando para a pista oposta em frente ao Shopping Rio Sul); e Túnel do Pasmado.

Avenida

Às 7h, a Avenida Niemeyer será interditada em ambos os sentidos, monitorando o acesso até o Vidigal pelo Leblon (entrada e saída) até 7h30. A Rua Francisco Otaviano também será bloqueada.
 
A interdição do restante da Av. Prefeito Mendes de Morais, trecho entre a Rua Engenheiro Armandino de Carvalho e a Av. Niemeyer, se dará a partir das 7h30, durante a passagem dos corredores em direção a Av. Niemeyer.
 
Será montada uma pista reversível, sentido Botafogo, a partir da Av. Princesa Isabel até o Mourisco (Av. das Nações Unidas); e outra no sentido Leme, no mesmo trecho.
 
Das 8h às 13h, os veículos com destino ao Leme deverão seguir pela reversível sentido Botafogo até o Pasmado, virando à esquerda no novo acesso a Rua Gal. Severiano, passando sobre o Túnel e chegando na Av. Venceslau Brás (em frente ao Pinel). A partir desse ponto deverá seguir pela nova reversível até a Av. Nossa Senhora de Copacabana.

Acesso

Já o acesso à Marina da Glória, deverá ser feito pela Av. Beira Mar, Trevo Edson Luís de Lima Souto, Praça Senador Salgado Filho (acesso aos Clubes Náuticos). Av. Alm. Silvio de Noronha, Rua Jardel Jércolis. Acessando a pista lateral junto aos Clubes Náuticos até a rotatória ao lado do MAM (Museu de Arte Moderna). A partir desse ponto o trajeto segue pela ciclovia (pista junto à orla da Baia de Guanabara) até o acesso à Marina que deverá funcionar em mão-dupla.
 
Para sair dessa região, o motorista deverá optar pela ciclovia da orla da Baía de Guanabara. Operada em mão-dupla, Rua Jardel Jércolis, entrando à direita na via inominada ao lado da casa de show Vivo Rio e, novamente, à direita na via inominada de acesso ao Trevo.

A partir das 10h30 até as 13h30, estão previstas as liberações da Av. Niemeyer; Av. Francisco Otaviano; do acesso ao Leme. Da faixa e meia da av. Princesa Isabel e da Av. Lauro Sodré (sentido Centro); da Enseada de Botafogo sentido Copacabana. Do Túnel do Pasmado; a desmontagem da reversível sentido Botafogo; a abertura da orla de São Conrado; e a liberação da Enseada, sentido Centro.

Proibição de estacionamento

Das 6h de sábado às 14h de domingo, estará proibido o estacionamento na Av. Nossa Senhora de Copacabana, lado esquerdo, a partir da Rua Santa Clara até a Av. Princesa Isabel (o lado direito já é proibido); e também na Rua Francisco Otaviano, lado esquerdo, entre a Rua Bulhões de Carvalho e a Av. Nossa Senhora de Copacabana (o lado direito já é proibido).
 
No domingo, da 0h às 14h, também não será permitido estacionar na Rua Hebert Moses, lado direito da mão de direção; Av. Rui Barbosa, lado direito da mão de direção; Av. Osvaldo Cruz, pista principal, junto às edificações de numeração par, ambos os lados; Praia do Flamengo, ambos os sentidos, toda extensão, lado direito da mão de direção; Praia do Flamengo, sentido Centro, lado esquerdo da mão de direção, entre a Praça Cuauhtémoque e a Rua Tucumã.
 
Será coibido ainda o estacionamento irregular sobre calçadas e canteiros, principalmente sobre a Praça Cuauhtémoque e na pista de rolamento da auto Estrada Lagoa-Barra, no trecho entre a Rua José Tijurs e a Rua Engº Amandino de Carvalho, por se tratar de via de trânsito rápido.

Aeroporto internacional tem dia movimentado no Rio

Com o fim da Olimpíada, 85 mil pessoas devem embarcar hoje no Aeroporto Internacional Tom Jobim/RioGaleão. O movimento é recorde na história do terminal

Apesar da chuva forte no Rio, o trânsito fluía bem nas principais ruas da cidade, esvaziada devido ao feriado municipal decretado justamente para evitar caos na partida da maioria dos turistas

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

 

Previsto para ser o dia mais movimentado da história do Aeroporto Internacional Tom Jobim/RioGaleão, no Rio de Janeiro, a manhã desta segunda-feira transcorreu sem filas e com tranquilidade para quem embarcava em aviões. A previsão foi que esta segunda-feira seja o dia mais movimentado da história do aeroporto, com mais de 85 mil passageiros que devem embarcar, o dobro do público em dias normais.

Com o fim da Olimpíada, 85 mil pessoas devem embarcar hoje no Aeroporto Internacional Tom Jobim/RioGaleão. O movimento é recorde na história do terminal
Com o fim da Olimpíada, 85 mil pessoas devem embarcar hoje no Aeroporto Internacional Tom Jobim/RioGaleão. O movimento é recorde na história do terminal

Até o fim da manhã, não havia registro de cancelamentos nem atrasos de voos. O movimento recorde é causado, em sua maioria, por atletas que participaram da Olimpíada e agora retornam a seus estados e países. O mesmo ocorre com turistas que vieram ao Rio ver os Jogos Olímpicos.

Apesar da chuva forte no Rio, o trânsito fluía bem nas principais ruas da cidade, esvaziada devido ao feriado municipal decretado justamente para evitar caos na partida da maioria dos turistas.

O medo de caos no aeroporto era tanto que a concessionária orientou os passageiros a chegarem com seis horas de antecedência. Muitos levaram o conselho ao pé da letra, como Regina Célia Ramos de Queiroz e suas 21 amigas que saíram de Leopoldina, em Minas Gerais, de van, às 4h da madrugada, para pegar um voo internacional às 15h.

– Compramos essas passagens para Bariloche com um ano de antecedência. Nem lembramos que seria o dia mais cheio. Chegamos com mais de seis horas de antecedência, mas foi ótimo, pois conhecemos um monte de atletas, lindos e maravilhosos, muita gente bonita – disse ela, respaldada por amigas.

Alertados pela imprensa, Leila da Costa e o marido, Paulo César, também resolveram chegar com seis horas de antecedência para um voo que os levará a Londres. “Foi por acaso, minha filha está se mudando e comprou as passagens no último sábado. Ficamos no maior sufoco, mas deu tudo certo, trânsito bom e aqui no aeroporto tudo tranquilo. Está melhor do que todas as outras vezes que viajei” afirmou ela, que ficou feliz em saber que, para entreter o público durante a longa espera, o aeroporto terá música ao vivo e apresentação da escola de samba da Mangueira, entre outras atrações. “Que boa surpresa, por isso pediram para entrarmos cedo”.

Check-in de atletas

Apesar do check-in remoto preparado na Vila Olímpica para agilizar o fluxo de bagagens, o integrante da delegação do Nepal, Ramesh Kumer Shrestha, precisou trazer as próprias malas para o aeroporto. “Alguns fizeram o check-in lá, mas, no nosso caso, precisamos trazer nossas bagagens e fazer o check-in aqui, pois ainda vamos para Salvador”, revelou ele, que visitou a cidade pela primeira vez. “O Rio é muito lindo, visitamos o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, Copacabana. Gostaria muito de voltar. As pessoas são muito prestativas e a polícia é muito competente”.

O espanhol Abelardo Alzueta não foi tão precavido quanto Regina e as amigas, mas chegou com 4 horas de antecedência. Jornalista, ele passou mais de um mês no Rio de Janeiro cobrindo a Olimpíada. “Tudo muito bonito, intenso, diferente, atraente, mas estou muito cansado”, disse ele, que, embora tenha gostado da cidade, não pensa em voltar tão cedo.”As pessoas foram muito amáveis e o trabalho foi ótimo, mas foi um mês intenso, por agora não penso em voltar”.

De acordo com a concessionária do aeroporto, a parte da tarde será o momento mais crítico da operação, quando haverá a maior concentração de aviões estacionados entre as 430 aeronaves que decolarão ao longo do dia.

Anistia Internacional denuncia tortura em prisões na Síria

Prisioneiros sírios em tribunal em Damasco, em 2012

Em cinco anos de guerra civil, mais de 17 mil detentos morreram em cárceres do regime, aponta relatório. Organização classifica abusos de crimes contra a humanidade

Por Redação, com agências internacionais – de Genebra:

 

As autoridades sírias estão cometendo tortura numa “escala massiva” em prisões governamentais, incluindo espancamento e abuso sexual e psicológico, configurando crimes contra a humanidade, afirmou a organização Anistia Internacional nesta quinta-feira.

Prisioneiros sírios em tribunal em Damasco, em 2012
Prisioneiros sírios em tribunal em Damasco, em 2012

Estima-se que mais de 17 mil detentos tenham morrido em prisões do regime sírio, em consequência de tortura, doenças e outras causas, desde que a guerra civil teve início no país, em março de 2011, disse a Anistia em relatório. Isso significa uma média de mais de 300 mortes por mês.

O documento inclui entrevistas com 65 sobreviventes de tortura, que descreveram abusos e condições desumanas. A maioria disse ter testemunhado pelo menos uma morte na prisão. Métodos de tortura citados incluem choques elétricos, retirada de unhas, queimaduras com cigarros e abuso sexual contra homens e mulheres.

– Eles nos tratavam como animais. Eles queriam que as pessoas fossem o mais desumanas possível – disse um ex-detento, identificado como Samer e que foi preso ao transportar ajuda humanitária.

O acesso a alimentos, água e saneamento é frequentemente restrito, e surtos de sarna e piolho prosperam juntamente com doenças, aponta o relatório.

Cheiro da tortura

O relatório traz depoimentos chocantes de detidos que descrevem abusos que começam antes mesmo de chegarem aos centros de detenção. Espancamentos brutais, choques elétricos, violações sexuais e queimaduras com água fervente e cigarros são apenas alguns exemplos dos horrores experimentados pelos presos na Síria.

Superlotação, péssimas condições sanitárias, exposição a temperaturas extremas e ausência de alimentação ou de cuidados médicos constituem tratamento cruel, desumano e degradante dos detidos, expressamente proibido pela lei internacional.

O relato de um homem que esteve preso em Damasco descreve que a ventilação nas instalações dos serviços secretos militares deixou de funcionar um dia e sete pessoas morreram sufocadas. “Começaram a nos dar pontapés para ver quem reagia, quem estava morto ou vivo. Pediram a mim e a um outro detido que também sobreviveu para ficarmos de pé… só aí é que percebi que havia sete pessoas mortas no chão, que eu tinha dormido rodeado por sete cadáveres. E depois vi outros, caídos no corredor, cerca de 25 corpos”.

Em um outro depoimento, um advogado que passou mais de dois anos preso em Saydnaya conta que, quando o levaram para a prisão, sentiu o cheiro da tortura. “É um cheiro muito particular, uma mistura de umidade, sangue e suor; é o cheiro da tortura”. Ele descreveu ainda como os guardas espancaram até à morte um instrutor de kung fu após terem descoberto que o homem estava treinando outros presos em sua cela. “Espancaram ele e outros cinco até matarem, assim que descobriram que treinavam. Depois continuaram com mais outras 14 pessoas. Ao fim de uma semana estavam todos mortos. Nós vimos o sangue correr pelo chão da cela”.

De acordo com Philip Luther, a natureza deliberada e sistemática da tortura e dos maus-tratos na prisão de Saydnaya é a forma mais básica de crueldade e demonstra total falta de humanidade.

Líbia pede apoio internacional para combater o EI

O primeiro-ministro da Líbia, Fayez al-Sarraj, apelou à comunidade internacional para ajudar seu país na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico

A Líbia está em uma crise profunda desde 2011, ano em que foi deposto e morto Muammar Khaddafi, líder do país durante várias décadas

Por Redação, com Sputnik – de Moscou:

 

O primeiro-ministro da Líbia, Fayez al-Sarraj, apelou à comunidade internacional para ajudar seu país na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico.

– A nossa Líbia carece da ajuda internacional na luta contra o EI – disse al-Sarraj em uma entrevista com o diário italiano Corriere della Sera.

O primeiro-ministro da Líbia, Fayez al-Sarraj, apelou à comunidade internacional para ajudar seu país na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico
O primeiro-ministro da Líbia, Fayez al-Sarraj, apelou à comunidade internacional para ajudar seu país na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico

Ele ressaltou que “o Estado Islâmico é um inimigo complicado, astucioso e perigoso, não só para o nosso país, mas também para a Itália, a Europa e o mundo”, adicionando que o grupo “vai usar todos os meios para enviar seus combatentes à Itália e Europa em geral”. Ele também não excluiu a presença de terroristas entre os migrantes que constantemente chegam às costas europeias através do Mediterrâneo.

– Temos de resolver este problema em conjunto; o EI representa uma ameaça para todos nós igualmente – disse ele.

Ao explicar a decisão da Líbia sobre o pedido de ajuda dos Estados Unidos, que começou no dia 1 de agosto, para lançar ataques contra Daesh perto da cidade de Sirte, apontou al-Sarraj que isso foi feito para “prevenir futuras perdas entre a população civil e nossos soldados”.

– Pedi a intervenção por meio de ataques aéreos norte-americanos, que devem ser cirúrgicos, limitados no tempo e no espaço geográfico e sempre coordenados com a gente, nós não precisamos das tropas estrangeiras no território líbio – frisou ele.

Paralelamente aos ataques norte-americanos, desde junho passado continua uma operação terrestre das milícias Misurata, leais às novas autoridades.

A Líbia está em uma crise profunda desde 2011, ano em que foi deposto e morto Muammar Khaddafi, líder do país durante várias décadas.

Em 31 de março de 2016 na Líbia foi constituído um governo de unidade nacional, liderado por Fayez al-Sarraj e formado com o apoio da ONU. No entanto, algumas áreas da Líbia permanecem sob controle de jihadistas ligados ao grupo terrorista Estado Islâmico, proibido em muitos países, incluindo a Rússia.