Atiradores e morteiros do EI atingem forças do Iraque em Mossul

A luta vem cobrando seu preço em mortos e feridos dos soldados, das forças especiais e das unidades policiais do Iraque

Por Redação, com Reuters – de Mossul:

Em um hospital de campanha perto da linha de frente da cidade de Mossul, um policial federal do Iraque jaz desconfortável em uma maca, com soro em um braço e curativos no peito devido aos estilhaços de um morteiro que perfuraram seu esterno.

Policiais iraquianos em quarto onde dizem que atirador do Estado Islâmico estava escondido em Mosul
Policiais iraquianos em quarto onde dizem que atirador do Estado Islâmico estava escondido em Mosul

A explosão que feriu Jaafar Kareem, de 23 anos, e dois colegas. Aconteceu em uma área onde avanços rápidos contra o Estado Islâmico realizados no começo desta semana. Desaceleraram devido aos disparos de morteiros e à ação de atiradores de elite contras os soldados iraquianos.

Ao menos 10 projéteis caíram no local naquela manhã antes de atingirem seu alvo, segundo Kareem.

– Muitos caras ficaram feridos na mesma área hoje – disse, virando a cabeça cuidadosamente para ver um militar em uma maca próxima ser tratado de um ferimento na perna.

Na quinta-feira a clínica improvisada em uma casa abandonada. Administrada por voluntários norte-americanos e médicos militares do Iraque. Tratou vários membros das forças de segurança nacional levados às pressas da linha de batalha em ambulâncias ou veículos blindados.

– Já recebemos cerca de 20 pessoas para tratamento (na quinta-feira). Cerca de 70% civis. Mas até hoje tem havido mais (baixas) militares – disse Kathy Bequary, diretora do NYC Medics, a organização a cargo da clínica.

As baixas que sua equipe vêm testemunhando ultimamente vão de ferimentos superficiais a pacientes mortos ao chegar. Inclusive um soldado com oito buracos de bala no torso, disse.

À medida que as forças iraquianas se embrenham mais a oeste de Mossul para combater militantes do Estado Islâmico. Mais resistência encontram, já que os jihadistas estão recorrendo a morteiros e franco-atiradores. Para tentar conter a ofensiva apoiada pelos Estados Unidos, que tenta expulsá-los de seu último grande bastião no país.

Luta

A luta vem cobrando seu preço em mortos e feridos dos soldados, das forças especiais e das unidades policiais do Iraque. Os militares não divulgaram o número de suas próprias baixas.

As táticas do Estado Islâmico, que incluem se abrigar entre a população civil. Também têm freado o progresso em certas áreas à medida que os combates se aproximam do centro mais povoado da cidade.

A área onde Kareem e seus colegas foram atingidos não fica a mais do que algumas centenas de metros da linha de frente, onde as forças iraquianas de fato ganharam terreno. Uma rua ampla e importante que leva ao edifício do governorado estava sob controle da Polícia Federal na quinta-feira, disse um correspondente da Reuters que visitava uma unidade de elite do Ministério do Interior.

Militantes atacam com morteiros corredor humanitário em Aleppo

A distância entre os terroristas e a saída do corredor humanitário não supera 200 metros. Na área de corredores humanitários no norte de Aleppo

Por Redação, com Sputnik – de Beirute/Moscou:

Os terroristas bombardearam um corredor humanitário no bairro de Bustan al-Qasr de Aleppo, o ataque foi realizado com uso de morteiros e armas automáticas, informa correspondente da Sputnik presente no local.

Os terroristas bombardearam um corredor humanitário no bairro de Bustan al-Qasr de Aleppo
Os terroristas bombardearam um corredor humanitário no bairro de Bustan al-Qasr de Aleppo

De manhã perto do local do bairro de Bustan al-Qasr onde os civis deveriam começar a sair, explodiram seis minas. O posto de controle foi atingido com arms automáticas.

A distância entre os terroristas e a saída do corredor humanitário não supera 200 metros. Na área de corredores humanitários no norte de Aleppo, perto da estrada de Castello, a situação é calma. A evacuação ainda não começou.

As ambulâncias estão prontas para começar a operação. “Cerca de dois mil ou dois mil e quinhentos civis se reuniram em Bustan al-Qasr para usar o corredor e sair da zona Leste de Aleppo. Os militantes da al-Nusra abriram fogo e não os deixaram passar. Várias pessoas foram feridas”, comunicou a fonte das milícias sírias.

Hoje, 20 de outubro, em Aleppo foi declarada uma pausa humanitária a partir das 08h00 (03h00, no horário de Brasília). As forças aéreas da Síria e da Rússia suspenderam os ataques contra as posições de terroristas ainda na terça-feira.  No início da pausa, as tropas sírias se afastaram para uma distância que permite aos extremistas deixar o leste de Aleppo através de dois corredores especiais.

O Estado-Maior russo informou na quarta-feira que, a pedido de várias organizações, a pausa humanitária na cidade de Aleppo em 20 de outubro será prolongada por mais três horas, o que permitirá aos representantes da ONU e da organização síria do Crescente Vermelho tomar todas as medidas para que os feridos e doentes possam sair da cidade.

Rússia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que a Rússia está pronta para prorrogar o cessar-fogo em Aleppo o quanto for necessário. Ele disse ter proposto à chanceler alemã, Angela Merkel, e ao persistente francês, François Hollande. Intensificar os trabalhos no sentido de elaborar uma nova constituição para Síria.

– Informei os nossos parceiros europeus da nossa visão sobre o que acontece lá, bem como sobre o que deveria ser feito lá a curto prazo para combater o terrorismo, para liquidação do terrorismo na terra síria. De modo que este foco não renasça no futuro. E, claro, sobre o que deve ser feito para que os nossos esforços resultem na solução definitiva da crise – disse Putin aos jornalistas após reunião com líderes da Alemanha e da França em Berlim.

– Lembrei mais uma vez aos meus colegas, de que a Rússia propõe tornar mais ativos os trabalhos. Para o desenvolvimento e aprovação de uma constituição. Com base na qual seria possível realizar eleições preliminares.

Chegando a uma coordenação preliminar das posições entre todas as partes conflitantes. Isso tudo, é claro, com participação de todos os países da região. Que estão envolvidas nesse processo – explicou Putin aos jornalistas.

O presidente da Rússia disse também ter informado os colegas da disposição para prorrogar o regime de cessar-fogo em Aleppo. “Informamos das nossas intenções, das intenções da parte russa de prorrogar, o quanto for possível. Considerando a situação real que for se configurar no território, a suspensão dos ataques aéreos. Realmente, estamos prontos a fazer isso, enquanto não nós depararmos com o aumento das atividades dos bandos armados, que se estabeleceram em Aleppo”, concluiu o líder russo.

Explosões matam 95 e ferem 536 em Bagdá

Uma série de explosões matou pelo menos 95 pessoas e feriu mais de 536 na quarta-feira no centro de Bagdá, dia mais sangrento na capital iraquiana desde que as forças norte-americanas se retiraram dos núcleos urbanos do país, em junho.

Pelo menos seis bombas e morteiros explodiram em rápida sucessão perto de ministérios e de outros alvos estratégicos, ampliando as dúvidas sobre a capacidade das forças locais de garantirem a segurança sem a ajuda dos EUA.

Uma das explosões aconteceu perto da chancelaria, bem ao lado da vigiadíssima área de prédios públicos conhecida como Zona Verde. A TV local mostrou vidraças estilhaçadas no Parlamento devido a essa explosão.

Uma funcionária da chancelaria, que se identificou como Asia, disse ter visto “trabalhadores do ministério, jornalistas e seguranças entre os mortos.” Vários carros viraram sucata nos arredores, e os bombeiros tentam controlar as chamas. A polícia disse que o ataque envolveu um caminhão-bomba.

Ataques coordenados em grande escala, perto de prédios públicos vigiados, são relativamente raros em Bagdá. Neste mês, o governo disse que em 40 dias retiraria muros erguidos como proteção contra explosões.

O general Qassim Al Moussawi, porta-voz das forças de segurança em Bagdá, disseram que policiais e soldados conseguiram impedir a explosão de outro carro-bomba e prenderam dois membros da Al Qaeda.

No bairro de Waziriya, perto do centro financeiro da capital, outro caminhão-bomba matou três pessoas e feriu sete, provocando danos generalizados. Parte de um viaduto desabou, segundo uma testemunha da Reuters.

Outra explosão aconteceu perto da sucursal da Reuters, no bairro de Karrada (centro). O deslocamento do ar chegou a abrir portas e janelas do escritório. Colunas de fumaça podiam ser vistas subindo de vários pontos da cidade.

A polícia disse também que o governo provincial foi atingido por morteiros, e que no bairro de Bayaa, na zona sul, uma explosão matou duas pessoas e feriu cinco.

Foram registrados morteiros também no centro de Bagdá, no bairro de Salhiya, onde há quartéis militares e a sede da TV nacional.

Guardas da ONU disseram que pelo menos um morteiro caiu perto da sede da entidade na Zona Verde, assustando os funcionários que marcavam o sexto aniversário do atentado na antiga sede da ONU, que matou 22 pessoas, inclusive o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, chefe da missão.

Morteiros são lançados de Gaza durante visita do papa

A visita do papa Bento XVI a Belém, na Cisjordânia, foi marcada nesta quarta-feira pelo lançamento de dois morteiros da Faixa de Gaza em direção a Israel, de acordo com fontes da segurança interna de Tel-Aviv.

Os morteiros atingiram um campo da região de Neghev. Não houve vítimas nem danos materiais. O Papa realiza nesta quarta-feira uma visita oficial a Belém, controlada pela moderada Autoridade Nacional Palestina (ANP), que tem como presidente Mahmoud Abbas.

O papa Bento XVI visita a Terra Santa desde a última sexta-feira. Ele jáesteve na Jordânia, em Israel e na Palestina.

Em seus discursos, Bento XVI condenou o antissemitismo e defendeu uma reconciliação entre israelenses e palestinos, por meio da criação de um Estado Palestino livre e autônomo.