Atiradores e morteiros do EI atingem forças do Iraque em Mossul

A luta vem cobrando seu preço em mortos e feridos dos soldados, das forças especiais e das unidades policiais do Iraque

Por Redação, com Reuters – de Mossul:

Em um hospital de campanha perto da linha de frente da cidade de Mossul, um policial federal do Iraque jaz desconfortável em uma maca, com soro em um braço e curativos no peito devido aos estilhaços de um morteiro que perfuraram seu esterno.

Policiais iraquianos em quarto onde dizem que atirador do Estado Islâmico estava escondido em Mosul
Policiais iraquianos em quarto onde dizem que atirador do Estado Islâmico estava escondido em Mosul

A explosão que feriu Jaafar Kareem, de 23 anos, e dois colegas. Aconteceu em uma área onde avanços rápidos contra o Estado Islâmico realizados no começo desta semana. Desaceleraram devido aos disparos de morteiros e à ação de atiradores de elite contras os soldados iraquianos.

Ao menos 10 projéteis caíram no local naquela manhã antes de atingirem seu alvo, segundo Kareem.

– Muitos caras ficaram feridos na mesma área hoje – disse, virando a cabeça cuidadosamente para ver um militar em uma maca próxima ser tratado de um ferimento na perna.

Na quinta-feira a clínica improvisada em uma casa abandonada. Administrada por voluntários norte-americanos e médicos militares do Iraque. Tratou vários membros das forças de segurança nacional levados às pressas da linha de batalha em ambulâncias ou veículos blindados.

– Já recebemos cerca de 20 pessoas para tratamento (na quinta-feira). Cerca de 70% civis. Mas até hoje tem havido mais (baixas) militares – disse Kathy Bequary, diretora do NYC Medics, a organização a cargo da clínica.

As baixas que sua equipe vêm testemunhando ultimamente vão de ferimentos superficiais a pacientes mortos ao chegar. Inclusive um soldado com oito buracos de bala no torso, disse.

À medida que as forças iraquianas se embrenham mais a oeste de Mossul para combater militantes do Estado Islâmico. Mais resistência encontram, já que os jihadistas estão recorrendo a morteiros e franco-atiradores. Para tentar conter a ofensiva apoiada pelos Estados Unidos, que tenta expulsá-los de seu último grande bastião no país.

Luta

A luta vem cobrando seu preço em mortos e feridos dos soldados, das forças especiais e das unidades policiais do Iraque. Os militares não divulgaram o número de suas próprias baixas.

As táticas do Estado Islâmico, que incluem se abrigar entre a população civil. Também têm freado o progresso em certas áreas à medida que os combates se aproximam do centro mais povoado da cidade.

A área onde Kareem e seus colegas foram atingidos não fica a mais do que algumas centenas de metros da linha de frente, onde as forças iraquianas de fato ganharam terreno. Uma rua ampla e importante que leva ao edifício do governorado estava sob controle da Polícia Federal na quinta-feira, disse um correspondente da Reuters que visitava uma unidade de elite do Ministério do Interior.

Tropas do Iraque avançam em Mossul

Após intensos combates, forças locais apoiadas pelos EUA retomam complexo do governo, o que deverá possibilitar início de ofensiva no oeste da cidade, onde 750 mil ainda estão isoladas pelo “Estado Islâmico”

Por Redação, com DW – de Mossul:

As forças iraquianas, apoiadas pelos Estados Unidos, realizaram significativos na luta para retomar Mossul das mãos do grupo extremista “Estado Islâmico” (EI) com a reconquista, nesta terça-feira, do complexo da sede do governo provincial de Nineveh, no oeste da cidade. 

Retomada da sede do governo pelas tropas iraquianas poderá viabilizar início de ofensiva no oeste de Mossul
Retomada da sede do governo pelas tropas iraquianas poderá viabilizar início de ofensiva no oeste de Mossul

Após intensos combates, as tropas da polícia iraquiana reassumiram o controle do local. Onde se encontram a sede da polícia, os tribunais e os escritórios da companhia de abastecimento de água.

A sede do governo da província é localizada próximo às margens do rio Tigre e à área mais densamente povoada de Mossul, a cidade velha. Esta região, repleta de ruas estreitas que impedem a passagem dos veículos blindados. É considerada pelos militares como a mais difícil de ser recuperada. Acredita-se que centenas de milhares de civis estejam confinados nessa parte da cidade.

As tropas iraquianas também retomaram a ponte Al-Hurriya. O que deverá permitir restabelecer a ligação entre o leste da cidade. Conquistado anteriormente pelas forças do governo, com o oeste.

Esta é a segunda das cinco pontes que atravessam o rio Tigre a ser retomada pelas forças de segurança. Todas elas foram danificadas ou destruídas. As forças iraquianas terão de fazer reparos ou construir pontes flutuantes. Para religar as duas margens do rio que divide a cidade. Os bairros a leste do rio Tigre foram completamente libertados no mês de janeiro.

Ofensiva

A ofensiva na parte oeste de Mossul foi iniciada há duas semanas. As autoridades iraquianas informaram que as forças de segurança recapturaram o museu da cidade, cujo acervo foi amplamente danificado pelos jihadistas, que divulgaram em fevereiro de 2015 um vídeo com imagens da destruição de artefatos preciosos.

Os intensos combates pela retomada de Mossul forçaram o deslocamento de mais de 50 mil pessoas, segundo a Organização Internacional para a Migração (OIM). Esse número, porém, representa uma pequena parcela dos 750 mil que, acredita-se, ainda estão sob domínio do EI no oeste da cidade.

Forças do Iraque apoiadas pelos EUA lançam ofensiva em Mossul

As forças iraquianas capturaram o lado leste de Mossul em janeiro após 100 dias de combate e lançaram seu ataque aos distritos que estão a oeste do rio Tigris em 19 de fevereiro

Por Redação, com Reuters – de Bagdá:

Forças iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos lançaram neste domingo uma nova ofensiva em direção ao centro histórico da cidade de Mossul, controlado pelo Estado Islâmico, na margem oeste do rio Tigris, disse um porta-voz do exército iraquiano.

Forças iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos lançaram neste domingo uma nova ofensiva em direção ao centro histórico da cidade de Mossul
Forças iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos lançaram neste domingo uma nova ofensiva em direção ao centro histórico da cidade de Mossul

As forças iraquianas estão lutando para abrir caminho em direção ao centro da cidade, avançando pelo sul e sudoeste. Disse o General de Brigada Yahya Rasool, porta-voz do comando de operações conjuntas, à televisão estatal.

As forças iraquianas capturaram o lado leste de Mossul em janeiro após 100 dias de combate e lançaram seu ataque aos distritos que estão a oeste do rio Tigris em 19 de fevereiro.

Seu avanço no lado oeste de Mossul foi interrompido nas últimas 48 horas devido ao mau tempo.

Ataques no Iraque e Síria

Vinte e um civis foram mortos em nove ataques separados da coalizão liderada pelos Estados Unidos. Lutando contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria. Entre novembro e janeiro, informaram os militares norte-americanos no sábado.

Isso elevou o total de civis involuntariamente mortos pela coalizão desde o início das operações contra o grupo militante, em 2014, para 220. Afirmam as Forças Armadas em um comunicado.

– Apesar de a coalizão esforçar-se para acertar alvos militares de uma maneira que minimize o risco de vítimas civis. Em alguns incidentes, essas mortes são inevitáveis – afirma o comunicado.

A estimativa do Exército é muito menor que a de grupos de monitoramento.

Para o grupo Airwars, pelo menos 2.463 civis foram mortos por ataques aéreos da coalizão.

Até 28 de fevereiro. A coalizão havia realizado 18.666 ataques no Iraque a na Síria desde o início da operação, segundo dados militares dos EUA. 

 

Ataque a mesquita em Mossul mata civis e combatentes do EI

As forças do Iraque capturaram o lado leste de Mossul em janeiro, depois de 100 dias de combates, e lançaram um ataque aos bairros situados a oeste do rio Tigre no dia 19 de fevereiro

Por Redação, com Reuters – de Mossul:

Vários civis e membros do Estado Islâmico morreram em um ataque que atingiu uma mesquita administrada pelos militantes e danificou casas de uma vizinhança no oeste da cidade iraquiana de Mossul na quarta-feira, disseram três moradores nesta quinta-feira.

Soldados iraquianos durante operação em Mossul, Iraque
Soldados iraquianos durante operação em Mossul, Iraque

A mesquita de Omar al-Aswad, localizada no bairro de Al-Faruq, no centro da cidade velha, foi alvo de um ataque aéreo. Relataram os moradores da mesma área à agência inglesa de notícias Reuters por telefone.

Moradias vizinhas foram danificadas ou desmoronaram devido à explosão. Disseram eles, sem dar uma estimativa precisa das baixas, já que sua movimentação é limitada pelos militantes.

Um porta-voz da coalizão liderada pelos Estados Unidos disse não estar a par de um ataque visando a mesquita. Assessores de mídia dos militares do Iraque disseram que a batalha está em curso. E que tropas estão atacando o Estado Islâmico onde quer que possam. Mas não informou se a mesquita em questão foi alvejada.

Quando os jihadistas tomaram Mossul, em 2014. Ordenaram que a polícia e as Forças Armadas do país que permaneciam na cidade fossem para a mesma mesquita. Eles tiveram que entregar as armas e se registrar na base de dados do grupo. Em troca de um passe obrigatório para evitar sua prisão e execução nos postos de verificação dos militantes.

Forças do Iraque

As forças do Iraque capturaram o lado leste de Mossul em janeiro, depois de 100 dias de combates, e lançaram um ataque aos bairros situados a oeste do rio Tigre no dia 19 de fevereiro.

Uma derrota do Estado Islâmico em Mossul arrasaria a porção iraquiana do califado declarado pelo líder do grupo, Abu Bakr al-Baghdadi, em 2014 da grande mesquita de Nuri, localizada na mesma área da mesquita de Omar al-Aswad.

Iraque realiza ofensiva contra último reduto do EI em Mossul

O Estado Islâmico aumentou sua insurgência em retaliação aos retrocessos militares que, durante o ano passado, forçaram o grupo a deixar a maior parte das cidades iraquianas

Por Redação, com Reuters – de Bagdá:

 

Forças iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos realizaram neste domingo uma ofensiva em solo para afastar militantes do Estado Islâmico do reduto remanescente em Mossul, na parte ocidental da cidade, e colocar um fim nas ambições do grupo de um regime territorial no Iraque.

Forças iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos realizaram neste domingo uma ofensiva em solo para afastar militantes do Estado Islâmico do reduto remanescente em Mossul
Forças iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos realizaram neste domingo uma ofensiva em solo para afastar militantes do Estado Islâmico do reduto remanescente em Mossul

O primeiro-ministro do Iraque, Haider al-Abadi. Anunciou o início da ofensiva. Pedindo que forças iraquianas “respeitem os direitos humanos”. Durante o confronto e que cuidem dos deslocados pelo conflito.

Militantes do Estado Islâmico estão sob cerco no oeste de Mossul. Junto a uma estimativa de 650 mil civis. Após terem sido retirados a força da parte leste da cidade. Durante a primeira fase de uma ofensiva concluída no mês passado, depois de 100 dias de confrontos.

Ofensiva

Até 400 mil civis podem ser deslocados pela ofensiva, à medida que moradores do oeste de Mossul sofrem por falta de comida e combustível e mercados estão fechados. Disse no sábado a coordenadora humanitária da Organização das Nações Unidas para o Iraque, Lise Grande, à agência inglesa de notícias Reuters.

Unidades da Polícia Federal do Iraque estão liderando uma operação em distritos de Mossul que ficam a oeste do rio Tigre. Buscando capturar o aeroporto de Mossul, no sul da cidade. De acordo com comunicados do comando conjunto das Forças Armadas.

Vilarejos

Elas capturaram diversos vilarejos e uma estação local de distribuição de energia nas primeiras horas e mataram diversos militantes. Incluindo atiradores de elite, segundo os comunicados.

O Estado Islâmico aumentou sua insurgência em retaliação aos retrocessos militares. Durante o ano passado forçaram o grupo a deixar a maior parte das cidades iraquianas que havia capturado em 2014 e 2015.

Dois militantes se explodiram neste domingo no leste de Mossul. Matando três soldados e dois civis e ferindo uma dúzia de pessoas. Disseram fontes da segurança.

 

Moradores de Mossul enfrentam futuro incerto após expulsão do EI

O Estado Islâmico impôs uma versão radical do islã em Mossul depois de estabelecer a segunda maior cidade do país como sua capital de fato

Por Redação, com Reuters – de Mossul:

Quando militantes do Estado Islâmico invadiram a cidade iraquiana de Mossul em 2014, entraram no salão de bilhar de Manaf Younes e o declararam anti-islâmico, levando suas bolas de bilhar com um alerta.

Agora as forças do governo do Iraque expulsaram os militantes do leste de Mossul e se preparam para atacar o oeste
Agora as forças do governo do Iraque expulsaram os militantes do leste de Mossul e se preparam para atacar o oeste

Um salão que muitas vezes ficava cheio de jogadores até meia-noite ficou subitamente abandonado. Fotos de prêmios que davam orgulho a Younes acumularam pó durante dois anos, e as mesas ficaram cobertas.

Agora as forças do governo do Iraque expulsaram os militantes do leste de Mossul e se preparam para atacar o oeste. Embora Younes esteja exultante. Como muitos outros comerciantes locais, sua alegria é atenuada pela incerteza enquanto ele tenta ressuscitar sua vida anterior.

O Estado Islâmico impôs uma versão radical do islã em Mossul. Depois de estabelecer a segunda maior cidade do país como sua capital de fato. Proibindo cigarros, televisões e rádios e forçando os homens a deixar a barba crescer e as mulheres a se cobrirem da cabeça aos pés.

– Estou quebrado. Tive que vender meus dois carros para sobreviver. Agora meu locador está exigindo dois anos de aluguel atrasado – contou Younes, pegando um troféu que o lembra dos velhos tempos.

Ele franziu o cenho ao som de explosões ao longe, onde forças iraquianas e jihadistas trocam disparos ao longo do rio Tigre. Que divide a ampla metrópole, outrora um polo comercial e um centro de estudos avançados.

– Estas explosões prejudicam o negócio. Elas sacodem as mesas de bilhar e as deixam desniveladas.

Combates

Os combates já causaram ampla destruição. Os ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos demoliram dezenas de edifícios. Deixaram crateras destruindo estradas. Tetos desabaram até o térreo. Outros prédios têm buracos imensos feitos por foguetes ou tiros de metralhadora.  

Os morteiros ainda atingem a cidade e os disparos se fazem ouvir.

Diante do salão de bilhar de Younes está o que restou da Universidade de Mossul, uma das melhores instituições de ensino do Oriente Médio.

O Estado Islâmico vendeu os manuscritos antigos da universidade e impôs sua própria forma de educação, proibindo livros de filosofia. Quando o Exército chegou, os jihadistas incendiaram muitos de seus prédios, deixando pilhas de cinzas.

Um dono de restaurante, Qusay Ahmed, disse ter sido preso pelo Estado Islâmico e torturado durante quatro meses sob a acusação de ter roubado.

– Eles arrancaram minhas unhas com alicates – contou.

Os torturadores podem ter ido embora, mas agora existem novos desafios. Ele e outros colegas de profissão não têm água potável e a eletricidade é escassa, além de poucos clientes.

Forças do Iraque combatem Estado Islâmico em Mossul

Forças iraquianas, que já alcançaram três das cinco pontes, dizem que em breve vão ter total controle do leste da cidade, após terem tomado áreas mais ao sul

Por Redação, com Reuters – de Mossul:

Forças especiais iraquianas enfrentaram militantes do Estado Islâmico em distritos próximos ao rio Tigre, em Mossul, nesta segunda-feira, durante ofensiva para colocar uma parte maior do leste da cidade sob controle do governo. 

Forças especiais iraquianas enfrentaram militantes do Estado Islâmico em distritos próximos ao rio Tigre, em Mossul
Forças especiais iraquianas enfrentaram militantes do Estado Islâmico em distritos próximos ao rio Tigre, em Mossul

Os mais recentes confrontos aconteceram nos distritos de Shurta e de Andalus. Pelo menos três carros-bombas do Estado Islâmico tiveram como alvo forças iraquianas em Andalus. Não houve relatos imediatos sobre baixas. Em uma publicação online, o Estado Islâmico disse ter realizado uma “operação de martírio” na área. 

O Serviço Antiterrorismo (CTS, na sigla em inglês) iraquiano disse que os militantes, que tomaram Mossul em 2014 em uma ofensiva pelo norte do Iraque, estavam combatendo as forças do governo ferrenhamente. 

– Começamos a entrar (em Shurta) mas houve um ataque há pouco tempo. Até o fim do dia, vamos ter feito algum progresso – disse o porta-voz da tropa de elite iraquiana Sabah al-Numan.

Shurta e Andalus estão localizadas perto da margem oriental do Tigre. Separadas apenas por alguma vegetação florestal. E estão dentro do campo de visão da ponte mais ao norte da cidade, que dá acesso ao lado oeste do rio. 

Forças iraquianas, que já alcançaram três das cinco pontes. Dizem que em breve vão ter total controle do leste da cidade, após terem tomado áreas mais ao sul. 

Um cinegrafista da agência inglesa de notícias Reuters em um distrito ao sul do Tigre. Ele disse que atiradores de precisão de unidades iraquianas disparavam contra posições do Estado Islâmico do outro lado do rio.

Combates na Síria

O Exército sírio e as milícias aliadas entraram em confronto com os rebeldes perto de Damasco no domingo. Ameaçando impossibilitar os reparos planejados para uma estação de bombeamento que fornece água para a maior parte da capital. Disse uma entidade de monitoramento da guerra.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que o Exército e a milícia libanesa aliada Hezbollah fizeram avanços contra os rebeldes na região de Wadi Barada. Intensos combates ocorreram nos arredores da cidade Ain al-Fija. Onde o sistema hídrico está localizado, informou a entidade de monitoramento britânica.

Wadi Barada, um vale montanhoso noroeste de Damasco, tornou-se uma importante frente de batalha na guerra da Síria, e os danos para a instalação causou severa falta de água na capital desde o início do ano.

O governador da província de Damasco disse na sexta-feira que engenheiros haviam entrado em Ain al-Fija para reparar a estação de água, como parte de um acordo mais amplo que incluía a saída de alguns rebeldes de Wadi Barada e um acordo com outros que permaneceriam ali.

Mas o plano foi comprometido na noite de sábado, depois que homens armados mataram o chefe de uma equipe de negociação que supervisionava o acordo e reparos. Disse o Observatório. Combatentes dos dois lados acusaram-se mutuamente de assassinar o funcionário, que assumiu o posto há apenas um dia.

Forças do Iraque conseguem novos avanços em Mossul

Unidades de resposta rápida da Polícia Federal do Iraque avançaram no distrito de Sumer, que fica na margem leste do rio Tigre

Por Redação, com Reuters – de Bagdá:

As forças iraquianas fizeram militantes do Estado Islâmico recuar no sudeste de Mossul nesta quinta-feira, conseguindo avanços em uma área onde ganhos vinham sendo particularmente difíceis, disseram os militares em comunicado.

As forças iraquianas fizeram militantes do Estado Islâmico recuar no sudeste de Mossul nesta quinta-feira
As forças iraquianas fizeram militantes do Estado Islâmico recuar no sudeste de Mossul nesta quinta-feira

Unidades de resposta rápida da Polícia Federal do Iraque avançaram no distrito de Sumer, que fica na margem leste do rio Tigre, e também no bairro vizinho de Sahiroun, segundo comunicado noticiado pela televisão estatal.

As forças do governo têm avançado bem mais lentamente nessa área do que unidades que estão no leste e no noroeste, que tomaram o controle de vários bairros de Mossul na semana passada.

A unidade de elite do Exército chamada Serviço Antiterrorismo tem liderado os avanços no leste de Mossul.

A campanha apoiada pelos Estados Unidos para recuperar Mossul. O último grande reduto do Estado Islâmico no Iraque, ganhou vigor renovado desde a virada do ano depois que as tropas enfrentaram dificuldades no interior da cidade em novembro e dezembro.

A eventual perda de Mossul provavelmente representaria o fim da parte iraquiana do auto declarado califado do Estado Islâmico. Que foi anunciado após os militantes conquistarem grandes áreas do Iraque e da Síria em 2014.

Cessar-fogo na Síria

Os terroristas do Daesh e da Frente al-Nusra estão “usando todas as cartas” a fim de violar o regime do cessar-fogo na Síria. Informou a representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova, nesta quinta-feira, durante um briefing.

Com o início do cessar-fogo no ano passado, a situação na Síria vem demonstrando sinais de melhora, sublinhou.

Moscou espera que a reunião dedicada à solução da crise síria, que será realizada em Astana, capital do Cazaquistão, em 23 de janeiro. Seja “um novo marco no caminho à paz na Síria”, destacou Zakharova.

– Esperamos que o encontro a respeito da solução na Síria, programado para esta data. Seja um novo marco no caminho à paz na Síria. Impulsione significativamente as partes sírias em relação às novas conversações de 8 de fevereiro em Genebra – comunicou.

A representante oficial da diplomacia russa lamenta por alguns países continuarem tentando politizar a questão do uso de armas químicas na Síria para “derrubar” o presidente Bashar Assad.

– Após a cessação de hostilidades, em 30 de dezembro de 2016. Através da cooperação entre a Rússia e a Turquia, houve sinais de melhora da situação – ressaltou Zakharova aos jornalistas.

Cessar-fogo

Segundo ela, “o cessar-fogo é mantido em todo o país, inclusive no sul. Onde grupos, que na sua maioria não participaram das negociações em Ancara de dezembro de 2016, estão ativos”. “Tentativas incessantes dos assim chamados amigos-inimigos da Síria. .Que estão se tornando insanas, de politizar a situação em torno do dossiê químico da Síria. A fim de derrubar o governo do (presidente Bashar) Assad. São profundamente lamentáveis”, assinalou Zakharova.

– Esperamos que os esforços para alcançar solução política (na Síria) sejam eficientes – expressou a diplomata russa.

Em 31 de dezembro, o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade resolução de apoio ao cessar-fogo na Síria. O projeto de resolução foi apresentado pela Rússia ao Conselho de Segurança da ONU. As negociações em Astana serão realizadas após a autorização da ONU em Genebra em fevereiro deste ano.

Forças do Iraque avançam em Mossul

Os avanços das forças de elite do leste e nordeste da cidade ganharam ímpeto em uma nova ofensiva desde a virada do ano

Por Redação, com Reuters – de Mossul/Cabul:

As forças iraquianas conseguiram entrar em mais dois bairros do sudeste de Mossul, mas os avanços estão sendo limitados pela tática do Estado Islâmico de usar civis como cobertura, disse um porta-voz dos militares nesta terça-feira.

As forças iraquianas conseguiram entrar em mais dois bairros do sudeste de Mossul
As forças iraquianas conseguiram entrar em mais dois bairros do sudeste de Mossul

A Organização das Nações Unidas disse que o número de vítimas civis aumentou em hospitais próximos nas duas últimas semanas, à medida que os combates se intensificaram no último importante reduto dos militantes no Iraque.

Os avanços das forças de elite do leste e nordeste da cidade ganharam ímpeto em uma nova ofensiva desde a virada do ano. As forças apoiadas pelos Estados Unidos conseguiram pela primeira vez chegar ao rio Tigre, que divide a cidade.

Mas os combates em bairros do sudeste têm sido duros.

– O desafio é que eles (Estado Islâmico) estão escondidos entre famílias civis. É por isso que nossos avanços são lentos e muito cuidadosos – disse o tenente-coronel Abdel Amir al-Mohammedawi, porta-voz das forças iraquianas, à agência inglesa de notícias Reuters.

Segundo o escritório de coordenação humanitária da ONU. Quase 700 pessoas foram levadas para hospitais nas áreas controladas por curdos nos arredores de Mossul na última semana. Mais de 817 solicitaram tratamento hospitalar na semana anterior.

Afeganistão

Pelo menos 23 pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas na terça-feira em um ataque suicida perto do edifício do Parlamento do Afeganistão, em Cabul. Disse Saleem Rasouli, uma autoridade sênior de saúde.

O grupo islâmico afegão Taliban assumiu a responsabilidade pelas duas explosões perto do Parlamento. O ataque teve como alvo um ônibus com funcionários da NDS, principal agência de inteligência do Afeganistão.

O ataque, que encerra um período de relativa calma na capital afegã. Ocorreu em uma área movimentada durante a hora do rush da tarde. Em um momento no qual trabalhadores voltavam para casa.

Autoridades dizem que um carro-bomba suicida se explodiu na área de Darul Aman da capital, perto do prédio do Parlamento. A primeira explosão foi seguida por outro carro-bomba, aparentemente em uma operação coordenada.

Mais cedo, um homem-bomba matou sete pessoas e feriu outras nove após ter detonado seus explosivos em uma casa na província de Helmand utilizada pela NDS.

Forças iraquianas avançam contra Estado Islâmico em Mossul

Mossul

É a primeira vez que as forças iraquianas alcançam o rio desde que a operação para expulsar o Estado Islâmico de Mossul teve início, em outubro

Por Redação, com Reuters – de Mossul:

 

As forças especiais iraquianas alcançaram neste domingo a margem leste do rio Tigre, em Mossul, pela primeira vez em um ataque contra o Estado Islâmico apoiado pelos Estados Unidos, entrando em confronto com militantes perto da área histórica da cidade, disseram autoridades militares.

As forças especiais iraquianas alcançaram neste domingo a margem leste do rio Tigre, em Mossul
As forças especiais iraquianas alcançaram neste domingo a margem leste do rio Tigre, em Mossul

Unidades do serviço antiterrorismo de elite (CTS, na sigla em inglês) chegaram a uma ponte sobre o rio Tigre que havia sido danificada em combate. Informou o porta-voz do CTS Sabah al-Numan.

É a primeira vez que as forças iraquianas alcançam o rio. Desde que a operação para expulsar o Estado Islâmico de Mossul teve início, em outubro. Até agora, as forças iraquianas haviam penetrado apenas os distritos a leste da cidade. Dividida em duas partes pelo rio. Mossul é o último reduto do Estado Islâmico no Iraque.

Ataques aéreos

As forças CTS eram apoiadas por ataques aéreos dos Estados Unidos enquanto combatiam militantes do grupo extremista em um local histórico próximo dali. Contou uma autoridade.

– Esta manhã tropas CTS avançaram em duas direções rumo aos distritos de Baladiyat e Sukkar – disse o general-tenente Abdelwahab al-Saadi. “Durante o avanço, Daesh (o Estado Islâmico) tentou nos confrontar a partir do monte histórico”. Acrescentou, aparentemente referindo-se à montanha localizada próximo às ruínas da antiga cidade de Nineveh, a leste do rio Tigre dentro de Mossul.