Processo da Alphabet contra Uber consolida fim de parceria complicada

O processo, aberto pela unidade de carros autônomos Waymo, da Alphabet, está agitando a crescente indústria que está sendo considerada como o futuro do transporte rodoviário privado

Por Redação, com Reuters – de São Francisco:

Quando o Uber estava levantando capital de risco em 2013, a empresa era uma das mais atraentes, e ninguém estava mais disposto a preencher um cheque que Bill Maris e David Krane, do braço de investimentos do Google.

A Alphabet, controladora do Google, está processando o Uber por roubo de segredos corporativos
A Alphabet, controladora do Google, está processando o Uber por roubo de segredos corporativos

Porém, nem todo mundo na Google Ventures, atualmente conhecida como GV, concordava. A companhia já tinha investido em uma rival. A Sidecar, e o Uber estava querendo um valor muito elevado na época.

Maris e Krane acabaram prevalecendo e o investimento é hoje considerado um dos maiores sucessos da GV. No papel, o investimento inicial de US$ 258 milhões em 2013. Multiplicou por 14 vezes nos três anos seguintes, para mais de US$ 3,5 bilhões.

Mas agora a Alphabet, controladora do Google, está processando o Uber por roubo de segredos corporativos. Alegando que um de seus principais engenheiros no programa de carro autônomo. Acessou milhares de arquivos confidenciais. Incluindo projetos que o ajudaram a fundar a companhia de caminhões autônomos Otto e a vender a empresa rapidamente para o Uber. O Uber nega as acusações.

Processo

O processo, aberto pela unidade de carros autônomos Waymo, da Alphabet, está agitando a crescente indústria que está sendo considerada. Como o futuro do transporte rodoviário privado.

A relação complexa entre as duas empresas foi tensa desde o início, segundo fontes com conhecimento do assunto, e azederam de vez com o aumento da competitividade entre as duas.

Agora, se o processo da Waymo atingir o Uber, o investimento da GV na companhia pode ser afetado por uma raridade no Vale do Silício: um grande investimento minado pelos próprios investidores da companhia.

Companhia

– Se a Waymo ganhar, a GV perde – disse Stephen Diamond, professor associado de direito na Santa Clara University.

O processo é apenas um de uma série de revezes sofridos pelo Uber, incluindo alegações de assédio sexual que dispararam uma investigação interna, um vídeo do presidente-executivo, Travis Kalanick, discutindo com um motorista do Uber que o fizeram fazer um pedido público de desculpas, e admissão pelo Uber na sexta-feira de que usou uma ferramenta secreta de rastreamento para evitar autoridades.

– Avaliamos as alegações da Waymo e determinamos que elas são uma tentativa sem fundamento de desacelerar um competidor e vamos nos defender vigorosamente contra eles no tribunal – disse o Uber em comunicado. Uma porta-voz da GV não comentou o assunto.

Ministério da Saúde investe R$ 5 milhões em parceria com a FAB

Objetivo é garantir o transporte de órgãos no Brasil e ampliar a realização de transplantes. Desde o acordo com a FAB, em junho deste ano, já foram viabilizados 47 órgãos

Por Redação, com ACS – de Brasília:

Os ministérios da Saúde e Defesa (Comando da Aeronáutica) assinaram um Termo de Execução Descentralizado (TED) no valor de R$ 5 milhões. A medida visa ressarcir a Força Aérea Brasileira (FAB) dos voos realizados para transporte de órgãos em todo o Brasil. A FAB tem atuado no transporte de órgãos como coração e pulmão, que possuem um tempo de isquemia menor, mas também pode transportar os demais órgãos e as próprias equipes de retirada e transplantes. A parceria prevê sempre a disponibilidade de uma aeronave em solo, garantindo que o órgão chegue ao seu destino e salve vidas dentro do prazo necessário.

A parceria prevê sempre a disponibilidade de uma aeronave em solo, garantindo que o órgão chegue ao seu destino e salve vidas dentro do prazo necessário
A parceria prevê sempre a disponibilidade de uma aeronave em solo, garantindo que o órgão chegue ao seu destino e salve vidas dentro do prazo necessário

– Essa iniciativa é mais um esforço do governo federal para garantir a logística de transporte de órgãos para transplantes, reforçando o nosso compromisso com a saúde da população. Quero destacar a importância da nossa parceria com a FAB, que tem auxiliado muito na distribuição dos órgãos por meio da Central Nacional de Transplantes. Nosso objetivo aqui é minimizar o impacto social da possível não utilização dos órgãos doados por questões logísticas de transporte aéreo – destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

O Termo de Execução Descentralizada (TED) é um instrumento utilizado para ajustar a descentralização de crédito entre órgãos e/ou entidades que integram o Orçamento Fiscal e a Seguridade Social da União. Inicialmente, a vigência deste instrumento é até dezembro de 2019, mas a renovação poderá ocorrer sempre que necessário. Em junho, foi publicado o Decreto Presidencial n° 8.783, determinando que a FAB mantenha uma aeronave em solo, à disposição, para qualquer chamado de transporte de órgãos, tecidos e equipes.

A disponibilidade de aviões da Força Aérea complementa um acordo voluntário e solidário entre os ministérios da Saúde e Defesa. Além da FAB, cabe destacar a parceria com as companhias aéreas brasileiras para transporte de órgãos voltados a transplantes. Por meio deste compromisso, os órgãos e equipes médicas são transportados com prioridade de voo e decolagem das aeronaves, nos casos em que houver viabilidade logística e operacional, possibilitando a realização do transplante em tempo viável. Essa parceria foi firmada pela primeira vez em 2001 e desde então tem sido aperfeiçoada e ampliada de forma a possibilitar o maior aproveitamento possível dos órgãos e tecidos que, porventura, não são utilizados em seus âmbitos de origem.

Para o ministro da Defesa, Raul Jungmann, a parceria é uma importante estratégia do governo, em termos humanos e solidários, porque beneficia diretamente a população. “Salvar vidas não tem preço e esse momento é histórico, precisamos guardar e recordar. Espero que tenha muita longevidade, porque acabamos de assinar um compromisso com a vida e com a esperança”, comemorou.

Este ano, até julho, 697 órgãos foram transportados no Brasil. Desse total, 52 órgãos foram feitos pela FAB – 47 após a publicação do decreto, sendo 24 corações, 15 fígados, três pulmões, dois rins e três pâncreas, dando uma nova chance de vida aos seus receptores. Em 2015, 1.164 órgãos e 2.409 tecidos foram transportados. Houve ainda 110 órgãos e 219 tecidos transferidos por meio de voos fretados e transportes terrestres em parceria com as Centrais Estaduais de Transplantes.

No ano passado, o Brasil registrou 23.666 transplantes. O Brasil é referência mundial em transplantes e um dos maiores sistemas públicos do mundo, responsável por 87,5% dos procedimentos no país e cujo paciente tem acesso à assistência integral – exames preparatórios, cirurgia, acompanhamento e medicamentos pós-transplantes. A rede brasileira conta com 27 Centrais de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos, além de câmaras técnicas nacionais, 460 Centros de Transplantes, 776 serviços habilitados, 1.203 equipes de Transplantes, 574 Comissões Intra-hospitalares de Doação e Transplantes, e 70 Organizações de Procura de Órgãos.

Todo o processo de transporte de órgãos é iniciado quando a Central Nacional de Transplantes (CNT) é informada por alguma central estadual sobre a existência de órgão e tecido em condições clínicas para o transplante. A CNT aciona as companhias aéreas para verificar a disponibilidade logística. Se houver voo compatível, os aviões comerciais recebem o órgão e levam ao destino. Quando não há, a Central contata a FAB, que desloca um ou mais aviões para a captação e transporte do órgão.

Uma das funções da Central Nacional de Transplantes é auxiliar as Centrais de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos (CNCDO/SES) na logística de transporte dos órgãos doados. Isso porque, segundo o Decreto nº 2.268/1997, o transporte dos órgãos doados é função das Secretarias Estaduais de Saúde. Assim, quando são esgotadas as possibilidades de realizar o transporte aéreo por meio das parcerias ou convênios adotados pelas SES, a Central Nacional de Transplantes, de forma complementar, utiliza a parceria com as empresas da aviação civil regular e com a FAB para viabilizar o transporte aéreo dos órgãos ofertados para a lista de espera nacional.

Embora exitosa, a logística de transporte aéreo não está isenta de eventuais falhas, devido às muitas variáveis envolvidas. Uma das variáveis é o tempo exíguo que alguns órgãos possuem para seu implante. No caso de coração, por exemplo, o tempo decorrido desde a retirada do órgão do doador não deve exceder o máximo de quatro horas. Nesses casos, o transporte aéreo das equipes médicas de retirada e transplante, quando necessário, somente é viabilizado no âmbito dos Estados por meio da utilização de aeronaves fretadas da aviação civil geral ou dos parceiros definidos por cada gestor local de saúde (bombeiros, polícia civil ou militar, etc.) e no âmbito federal por meio da parceria com a FAB.

Hyundai Motor e Cisco fazem parceria para tecnologia de carro

A Hyundai Motor afirmou nesta terça-feira que vai se aliar com a Cisco Systems para desenvolver tecnologia de carro conectado

Outras montadoras de veículos também estão desenvolvendo parcerias com empresas de tecnologia. Entre elas está a parceria da Toyota com a Microsoft

Por Redação, com Reuters – de Seul/Toronto:

A Hyundai Motor afirmou nesta terça-feira que vai se aliar com a Cisco Systems para desenvolver tecnologia de carro conectado, parte da estratégia da montadora sul-coreana de veículos para desenvolver “computadores de alta performance sobre rodas”.

O vice-presidente do conselho da Hyundai, Chung Eui-sun, reuniu-se com o presidente-executivo da Cisco, Chuck Robbins, em Seul e ambos acertaram acordo para o desenvolvimento de tecnologia de rede em veículos capaz de transferir grandes quantidades de dados em alta velocidade.

A Hyundai Motor afirmou nesta terça-feira que vai se aliar com a Cisco Systems para desenvolver tecnologia de carro conectado
A Hyundai Motor afirmou nesta terça-feira que vai se aliar com a Cisco Systems para desenvolver tecnologia de carro conectado

– A cooperação é parte da estratégia mais ampla da Hyundai em estabelecer uma plataforma de carro conectado líder por meio da colaboração com grandes parceiros de tecnologia – disse a companhia em comunicado.

Outras montadoras de veículos também estão desenvolvendo parcerias com empresas de tecnologia. Entre elas está a parceria da Toyota com a Microsoft, focada no desenvolvimento de serviços de veículos conectados à Internet.

CEO da Blackberry

Empresas de tecnologia devem atender solicitações de agentes da lei para acessar dados protegidos, disse nesta segunda-feira o presidente executivo da BlackBerry, John Chen, numa leve crítica à rival Apple pela recente disputa com o FBI.

Chen fez o comentário em mensagem num blog após reportagens feita pela Vice e Motherboard na semana passada destacarem um caso de 2014 em que autoridades canadenses interceptaram mensagens de alguns aparelhos BlackBerry para investigar uma rede de crime organizado.

Os aparelhos eram telefones não protegidos pelo servidor BES da BlackBerry, que ajuda a garantir a segurança de qualquer aparelho operando dentro de redes corporativas.

– Nós temos sido claros há muito tempo em nossa posição de que as empresas de tecnologia, assim como empresas politicamente corretas, devem cumprir com solicitações de acesso razoáveis das autoridades – disse Chen no post.

– Estamos numa situação sombria quando empresas colocam suas reputações acima do bem comum, disse Chen, que é conhecido por não fugir de disputas públicas com rivais.

EUA: Twitter faz parceria com varejistas

Por Redação, com Reuters – de Nova York, EUA:

O Twitter disse que está estabelecendo uma parceria com varejistas dos Estados Unidos para ajudá-los a vender produtos por meio de um botão de “compre agora” nos tweets, o mais novo movimento da empresa para impulsionar o crescimento de usuários, que está em queda.

A ferramenta “compre agora”, que foi inicialmente lançada para uma pequena porcentagem de usuários dos EUA no ano passado, permite que os clientes comprem um produto diretamente de um tweet.

O site de microblogs disse que está trabalhando com sites de e-commerce, como Bigcommerce, Demandware e Shopify e varejistas e marcas como Best Buy, Adidas e PacSun.

A companhia fez um acordo com a processadora de pagamentos Stripe para permitir que consumidores usem o botão "compre agora"
A companhia fez um acordo com a processadora de pagamentos Stripe para permitir que consumidores usem o botão “compre agora”

Isto vem em um momento em que o Twitter está trabalhando a mais para impulsionar seu crescimento de usuários, após a média mensal de usuários da empresa no segundo trimestre crescer no ritmo mais lento desde que a companhia listou suas ações em 2013.

A empresa tem lutado com a resposta direta para anúncios este ano, que tinham a intenção de encorajar ações como clicar em links ou baixar aplicativos.

A companhia fez um acordo com a processadora de pagamentos Stripe para permitir que consumidores usem o botão “compre agora”.

Dorsey como CEO

O cofundador e presidente executivo interino do Twitter Jack Dorsey deve ser nomeado presidente-executivo permanente nesta quinta-feira, enquanto mantém seu cargo como principal executivo da companhia de serviços de pagamento online Square, disse o site de notícias de tecnologia Re/code, citando fontes.

A reportagem foi largamente bem recebida por investidores e as ações do Twitter subiram brevemente em 6,8 %, antes de encerrarem em alta de 5,3 %, a US$ 26,94 na Bolsa de Nova York.

Mas as notícias levantaram questionamentos sobre se Dorsey pode administrar ambas as empresas ao mesmo tempo e se isso poderia ou não criar um conflito de interesses.

Dorsey não desistiu da ideia de se tornar presidente-executivo permanente do Twitter enquanto fica na Square, mas o conselho do Twitter disse que seu próximo CEO deve focar somente na empresa.

Outros potenciais candidatos mencionados ao cargo máximo da empresa incluem Adam Bain, presidente de receitas globais do Twitter, o fundador do Instagram, Kevin Systrom e Evan Williams, outro cofundador do Twitter que já foi presidente-executivo e lidera o site de blogs Medium.

O Twitter não quis comentar a reportagem do Re/code.

 

 

Senai assina acordo com instituto da Alemanha

Por Redação, com ABr – de Brasília:

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) assinou esta semana um acordo para facilitar as parcerias com a Sociedade Fraunhofer, da Alemanha, formada por 67 institutos de inovação. Agora, os pesquisadores dos 15 Intitutos Senai de Inovação operacionais, ou seja, que têm projetos contratados com a indústria nacional, podem acessar, de forma rápida, as inovações produzidas pelos institutos Fraunhofer, principalmente em tecnologias, que não estão disponíveis no Brasil.

Uma das áreas em que os países podem atuar de forma conjunta é a de manufatura aditiva, tecnologia de ponta que usa impressoras 3D para fabricar peças em camadas. As impressoras 3D podem imprimir, por exemplo, peças para máquinas industriais feitas de plásticos ou de metais. A tecnologia abre a possibilidade de o Brasil desenvolver produtos em parceria com o setor aeronáutico para reduzir o peso de estruturas de aeronaves, por exemplo, ou com o setor automotivo, para criar peças mais complexas e mais baratas, aumentando a competitividade de empresas nacionais e alemãs.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) assinou esta semana um acordo para facilitar as parcerias com a Sociedade Fraunhofer, da Alemanha
O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) assinou esta semana um acordo para facilitar as parcerias com a Sociedade Fraunhofer, da Alemanha

A Alemanha foi o quarto principal parceiro comercial brasileiro em 2014, mas 62,7% das exportações brasileiras para o país ainda são compostas por produtos básicos, com destaque para café, minérios, farelo de soja e soja em grãos. No caso das importações, os produtos manufaturados somaram 95,6% do total em 2014, representados sobretudo por máquinas mecânicas, automóveis e produtos farmacêuticos.

O gerente de tecnologia e inovação do Senai, Marcelo Prim, disse que o acordo assinado durante o 33º Encontro Econômico Brasil Alemanha (EEBA), em Joinville, Santa Catarina, é um memorando de entendimento que muda o patamar da relação entre os dois países nesse setor. Ele explica que os institutos brasileiros passaram de contratantes de serviços para parceiros comerciais em projetos de tecnologia e inovação. “A gente está aproximando as redes de tal maneira que, quando surgirem demandas de inovação da indústria brasileira em áreas em que não temos competência técnica, a gente possa rapidamente contratar um instituto da Fraunhofer para atuar lado a lado nesse projeto.”

Projetos contratados

Há quatro anos, o Senai contratou o Instituto Fraunhofer IPK, de Berlim, especialista em capital intelectual, para transferir o conhecimento da instituição no planejamento e criação de núcleos de inovação no Brasil. O custo dessa transferência de conhecimento é de cerca de 1 milhão de euros por ano e deve durar até 2019. Segundo a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), os institutos Senai de Inovação que foram criados têm 122 projetos contratados com empresas no valor total de R$ 142,5 milhões.

Marcelo Prim conta que investir em capital humano é o ponto de partida para a estruturação da inovação, mas que ainda é desafio aproveitar o conhecimento produzido pelas universidades brasileiras para inovar a indústria nacional. Ele explica que a Fraunhofer ajudou o Senai neste ponto, na definição de qual o capital humano é necessário para cada instituto. “Nos ajudaram a estruturar os 26 institutos, passando por fases de planejamento estratégico, implementação e monitoramento. Estão ensinando a equipe na prática.”

Capital humano

Para o especialista, a formação de capital humano altamente qualificado no Brasil é do interesse dos dois governos, sociedades, academias e indústrias. “Quanto mais profissionais altamente qualificados transitarem entre Brasil e Alemanha e quanto mais pontes e pesquisadores estiverem capacitados para fazer transferência tecnológica entre os países, maior será o volume de negócios. É um ganha-ganha.”

Segundo o gerente, o Instituto de Salvador é um dos casos de sucesso. O Instituto, voltado para automação, foi planejado com a Fraunhofer e desenvolve veículos autônomos submarinos para reparo em dutos da exploração de petróleo em alto-mar. “O planejamento foi feito em parceria e resultou na criação do Instituto de Robótica Brasil-Alemanha, instalado dentro do Senai de Inovação de Salvador. A tecnologia foi desenvolvida em conjunto por brasileiros e alemães para uma indústria multinacional de exploração de petróleo no Brasil, que custeou as pesquisas.”

 

 

Prefeitura e AgeRio firmam parceria para incentivar táxis acessíveis

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

O Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Transportes e da Agência Estadual de Fomento (Agerio), e a Prefeitura do Rio, por meio das secretarias municipais de Coordenação de Governo, Transportes e da Pessoa com Deficiência, firmaram na segunda-feira, no Palácio da Cidade, acordo de cooperação que visa incentivar a renovação e a ampliação da frota do serviço de transporte acessível exclusivo.

Acordo visa renovação e a ampliação da frota para o serviço
Acordo visa renovação e a ampliação da frota para o serviço

A Agerio financiará a compra de equipamentos de acessibilidade para táxis acessíveis que se beneficiarão das isenções de IPVA e ICMS, previstas na legislação em vigor. Com isso, se espera ampliar a atual frota de 57 veículos adaptados no município do Rio de Janeiro, possibilitando melhor atendimento aos cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida. Já a Prefeitura do Rio, editou decreto do prefeito Eduardo Paes, criando novas regras para incentivar os serviços, possibilitando melhor atendimento aos usuários.

– Essa parceria vai viabilizar aumento e renovação de frota de um serviço fundamental para cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida. É compromisso do Governo do Estado incentivar outros municípios que adotem a mesma regulamentação da capital para que pessoas com deficiência possam ter mais uma alternativa de transportes de qualidade – disse o secretário de Transportes, Carlos Roberto Osorio.

Além das plataformas elevatórias, com plantas aprovadas pela Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), os veículos deverão estar identificados por pintura ou adesivo como Transporte Acessível Exclusivo, e com o símbolo internacional da Pessoa com Deficiência. Entre as mudanças, os motoristas autorizados deverão ter curso especializado no transporte de pessoas com mobilidade reduzida, deverão estar aptos para operar os equipamentos adaptados às necessidades dos passageiros e conhecer técnicas de manuseio de cadeiras de roda. A medida visa a ampliação e renovação da frota bem como a melhoria na qualidade do transporte acessível para as Olimpíadas e Paralimpíadas de 2016.

Essa é uma ação que além de aumentar o número de veículos, vai tornar o custo mais acessível. Estamos enfrentando anos de atraso, mas continuamos trabalhando muito para melhorar cada vez mais. Queremos um Rio de Janeiro mais acessível e tudo o que está sendo feito pela Prefeitura do Rio leva em consideração as questões de acessibilidade – explicou o secretário de Coordenação de Governo da Prefeitura do Rio, Pedro Paulo.

Parceria do Rio com BID projeta transformação social na Maré

Por Redação, com ARN – do Rio de Janeiro:

A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SMEL) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) firmaram convênio para levar mais cidadania à população carioca. O projeto “Maré que Transforma” aproveitará a estrutura e a experiência da SMEL na área esportiva para lançar projetos inovadores para os frequentadores das Vilas Olímpicas.

O BID ancora e coordena as ações oferecidas pelas empresas parceiras Visa e Colgate
O BID ancora e coordena as ações oferecidas pelas empresas parceiras Visa e Colgate

O piloto será na Vila Olímpica da Maré, que atende duas mil pessoas com 21 atividades esportivas e de lazer. O lançamento está previsto para este ano e a expectativa é de que a parceria se estenda a outras Vilas Olímpicas da cidade.

– Esse convênio com o Banco vai levar mais cidadania aos alunos da Vila e aos moradores da comunidade, consequentemente, dando mais condições e possibilidades para o desenvolvimento social daquela população. Vamos ampliar as atividades esportivas conjuntamente com a Fundação Barcelona que já atua na Vila. A NBA (National Basketball Association) também está estudando sua adesão. Com o apoio da Colgate, vamos melhorar as noções de higiene bucal. e saúde. Com a presença da Visa, vamos levar para esse grupo de pessoas, jovens, adultos e micro-empreendedores locais, noçōes de organização financeira pessoal, familiar e empresarial – comemora o secretário municipal de Esportes e Lazer, Marcos Braz.

O BID ancora e coordena as ações oferecidas pelas empresas parceiras Visa e Colgate, além de instituições esportivas de porte internacional como a Fundação Futbol Club Barcelona. A representante do BID no Brasil, Daniela Carrera-Marquis acredita que o esporte e a atividade física são cada vez mais reconhecidos como uma ferramenta de desenvolvimento único e transversal que facilita a inclusão social de crianças e jovens em situação de risco, promovendo a saúde e igualdade de gênero, melhorando o desempenho escolar e prevenindo comportamentos de risco e violência:

– O projeto avançou bastante e está pronto para ser implementado. Temos investimentos, temos cronograma e total interesse em apoiar e investir no Maré que Transforma. Gostaríamos de torná-lo padrão, referência, quem sabe não apenas para expandi-los à outras Vilas Olímpicas, mas até exportá-lo à outros países. Temos vários projetos voltados para os jovens no Brasil, mas atrelado ao esporte cremos que seja o mais eficaz para afastá-los e mantê-los protegidos das zonas de perigo.

A Visa, que já promoveu ações com seus patrocinados (visita de Michael Phelps à Vila Olímpica do Alemão), quer inserir as pessoas no conceito de alfabetização financeira, como explica a gerente de projetos, Leidmar Verneque:

– Temos várias ações lúdicas, além das palestras sobre organização financeira, que podemcontribuir com a capacitação de jovens, adultos e de empreendedores do local. Normalmente nós não somos preparados para administrar nosso dinheiro, mas sim a gastá-lo e essa iniciativa da Visa pretende dar uma melhor condição às pessoas de como fazer a utilização consciente dos seus recursos. Iniciá-las, alfabetizá-las na gerência do seu próprio dinheiro para que não fiquem reféns dele.

A Fundação Barcelona, que já desenvolve ações com os alunos da Vila Olímpica da Maré, é uma das responsáveis pela parte esportiva e vai ampliar a oferta de vagas no futebol, interagindo ainda mais com a comunidade.

– Pela primeira vez nos sentimos abraçados por entes tão importantes como a Secretaria e o BID no desenvolvimento de uma ação genuinamente social. Temos frequentado as escolas do entorno da Vila Olímpica da Maré e promovido a inserção dessas crianças da rede pública de ensino. Com isso, alcançamos também os pais dessas crianças, o que acaba sendo uma ação cruzada na potencialização das atividades da Vila – afirma Bruno Rosostolato, representante da Fundação.

A NBA é outro parceiro do BID que pode se integrar às ações coordenadas pelo Banco. Já a Colgate será a responsável pelo fator saúde e prevenção, com palestras, material informativo e apoio funcional à comunidade.

– Temos uma estrutura já pronta para efetivar essas ações, como os escovódromos. Nessas instalações são dadas as noções básicas para a higiene bucal e prevenção de doenças. E, além da ação direta com os alunos da Vila, vamos promover a capacitação dos agentes comunitários, para que eles também sejam multiplicadores dessas informações – afirma Flávia Aldarvis, dentista e representante da Colgate.

Em reunião realizada na segunda-feira decidiu-se que, até o final do ano, as primeiras ações serão iniciadas na Maré. A proposta é antiga, mas foi recuperada e remodelada pelo secretário Marcos Braz, que afirma que ainda em 2016 outras comunidades serão contempladas com a parceria.

 

Ministra da Cultura da Holanda chega ao país para fomentar parcerias

Por Redação – do Rio de Janeiro: 

A ministra da Cultura, Ciência e Edução da Holanda, Jet Bussemaker, desembarca no Rio de Janeiro na próxima semana. Ela visitará projetos sociais e museus, participará de encontros com universidades e assinará tratados para fomentar a economia criativa. A ministra também irá conversar com autoridades do Estado do Rio de Janeiro.

Holanda
A ministra se encontrará com os prefeitos de Niterói e do Rio de Janeiro

Segundo Jet Bussemaker o objetivo da visita é ” ampliar a cooperação entre as instituições de ensino superior brasileiras e holandesas, especialmente nas áreas de indústria criativa, tecnologia e ciências humanas. Já existem parcerias que se complementam, como o projeto LivingLab, em Belo Horizonte, o projeto Biobased, em São Paulo e a cooperação na área espacial”.

– Centenas de estudantes foram à Holanda através do programa Ciência sem Fronteiras e do programa de bolsas de ensino do governo holandês. Em menor quantidade, há também estudantes holandeses fazendo intercâmbio em universidades brasileiras – disse Brassemark.

Durante a visita, a equipe da ministra holandesa colocará como prioridade o intercâmbio de conhecimento (museu, gestão cultural, reutilização de edifícios históricos; a parceria no ensino profissional, por exemplo, em Niterói, entre a UFF e a Escola de Hotelaria de Haia e memorandos de entendimento planejados com FGV e FIRJAN.

Air Canada faz parceria com a Avianca para emissão de passagens com milhas

aircanada

Por Celso Martins- O Aeroplan, programa de fidelidade da Air Canada, acaba de anunciar a entrada da Avianca em seu rol de parceiros de viagem. Os membros do Aeroplan podem creditar e resgatar milhas para viagens com a Avianca Brasil, elevando o número total de empresas aéreas parceiras para 34. Os membros do Aeroplan podem usar suas milhas para voos com a Avianca Brasil pelo Fixed Mileage Flight Rewards do Aeroplan.

“Estamos muito animados em adicionar a Avianca Brasil ao nosso programa”, disse John Boynton, diretor de marketing do Aeroplan. “Esta adição vai oferecer mais possibilidade de escolha aos nossos associados quando se trata de acúmulo e resgate de oportunidades com a Avianca Brasil. Além disso, nossos associados têm à disposição 23 destinos domésticos com mais de 200 voos diários.”

A Avianca é membro da Star Alliance. A companhia é a única empresa aérea do Brasil premiada pelas autoridades locais de aviação civil (ANAC) por oferecer o mais alto grau de distância entre os assentos de toda a sua frota. Eles oferecem serviços domésticos para destinos em todo o país, operando a partir de seu principal hub no Aeroporto Internacional de Guarulhos, com bases adicionais nos Aeroportos Internacionais de Brasília, Rio de Janeiro e Salvador.

A Aeroplan é o principal programa de fidelidade de aliança do Canadá, é propriedade de Aimia Inc., uma empresa orientada por dados de marketing e análise de fidelidade. Os milhōes de membros do Aeroplan ganham milhas com a crescente rede da empresa, de mais de 75 parceiros de classe mundial, representando mais de 150 marcas nas áreas financeira, de aluguel e de setores de viagens. Para mais informaçōes, por favor visite a página www.aeroplan.com e clique no link parceiros.

LEIA TAMBÉM

CÓDIGO PROMOCIONAL GARANTE 20% DE DESCONTO NA COMPRA DE PASSAGENS PARA CARACAS

AEROPORTO DE BRASÍLIA TERÁ DUAS PISTAS PARA POUSOS E DECOLAGENS

SAIBA COMO ECONOMIZAR 80% NAS VIAGENS DE AVIÃO

Sony e Shanghai criam parceria para fazer PlayStation

As joint ventures, que ficarão na zona de livre comércio de Xangai, serão montadas por uma subsidiária do Shanghai Oriental Pearl e pelo braço chinês da Sony
As joint ventures, que ficarão na zona de livre comércio de Xangai, serão montadas por uma subsidiária do Shanghai Oriental Pearl e pelo braço chinês da Sony

A japonesa Sony e o chinês Shanghai Oriental Pearl Group vão montar duas joint ventures para fabricar e promover o console de videogame PlayStation, da Sony, na China, afirmou o Shanghai Oriental Pearl em um comunicado submetido à bolsa de valores nesta segunda-feira. Uma joint venture será responsável pelo hardware do console, enquanto a outra será focada em software, disse a empresa no comunicado à Bolsa de Xangai.

As joint ventures, que ficarão na zona de livre comércio de Xangai, serão montadas por uma subsidiária do Shanghai Oriental Pearl e pelo braço chinês da Sony.

O movimento da Sony chega um mês após a Microsoft e sua parceira em uma joint-venture BesTV New Media terem anunciado que iriam lançar em setembro o console Xbox One, da Microsoft, na China.

Em abril, o governo de Xangai disse que as fabricantes de consoles como a Sony, Microsoft e Nintendo poderiam fabricar e vender consoles na China através de “empresas com investimento estrangeiro” na zona de livre comércio de Xangai, após temporariamente suspender a proibição sobre consoles em janeiro.

A China havia proibido consoles de jogos em 2000, citando seu efeito negativo sobre a saúde mental da juventude.

PlayStation 4

A Sony quer ampliar as vendas de seu videogame Playstation 4 como o principal motor de seu negócio de serviços de transmissão e rede, disse o presidente-executivo Kazuo Hirai nesta segunda-feira.

Hirai disse que a área de jogos eletrônicos é onde a Sony vai buscar vendas maiores de unidades, mesmo enquanto coloca lucratividade à frente do volume de vendas no restante de sua divisão de eletrônicos, onde os prejuízos com TVs e outros dispositivos a levaram para o vermelho.

Enquanto a companhia está prevendo um crescimento para a combalida unidade de TV, que registrou um décimo ano consecutivo de perdas no ano encerrado em 31 de março, Hirai disse que será possível gerar um lucro mesmo que as vendas permaneçam estáveis em comparação ao ano passado.

Hirai disse em um encontro com repórteres que serviços de rede, que oferecem jogos, músicas e filmes por transmissão, serão um importante motor de crescimento nas categorias de produto da Sony. O negócio gerou 200 bilhões de ienes (US$ 1,96 bilhão) em 2013/14.