Acidentado em desfile das escolas de samba do Rio recebe alta

Um quarto acidentado está internado no CTI do Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.  Ele apresentou melhoras nas últimas horas, mas não há previsão de alta

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Um dos acidentados durante os desfiles das escolas de samba na Marquês de Sapucaí teve alta. A paciente estava internada no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, e havia se ferido no afundamento de parte de uma alegoria da Unidos da Tijuca, na madrugada de terça-feira.

Um dos acidentados durante os desfiles das escolas de samba na Marquês de Sapucaí teve alta
Um dos acidentados durante os desfiles das escolas de samba na Marquês de Sapucaí teve alta

No mesmo hospital, continuam internadas duas pacientes que sofreram fraturas no desfile da Paraíso do Tuiuti. Quando uma das alegorias atropelou espectadores e jornalistas que estavam na pista do sambódromo. Elisabeth Ferreira Jofre, de 55 anos, e Maria de Lurdes Maura Ferreira, de 58, estão em estado grave, no Centro de Terapia Intensiva (CTI).

A terceira vítima da alegoria da Tuiuti que permanece internada, Lucia Regina de Mello Freitas, de 56 anos, está no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, e deve passar por uma cirurgia nesta quinta-feira. Ela também está no CTI em estado grave.

Um quarto acidentado está internado no CTI do Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.  Ele apresentou melhoras nas últimas horas, mas não há previsão de alta.

Os dois acidentes deixaram mais de 30 feridos. Na primeira noite de desfile, 20 pessoas foram feridas na colisão do carro da Tuiuti e, na segunda, 12 pessoas se feriram na Unidos da Tijuca.

Investigações

A Polícia Civil marcou para esta tarde as oitivas do presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Jorge Castanheira, do presidente da Paraíso do Tuiuti, Renato Marins, do diretor de carnaval, Leandro Azevedo, do carnavalesco, Jack Vasconcelos, do mecânico responsável e do responsável pela contratação do motorista. O motorista da alegoria e os parentes das vítimas já foram ouvidos.

Sobre o caso da Unidos da Tijuca, o presidente, Fernando Horta, e os diretores do carnaval devem ser ouvidos nos próximos dias, além do presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia. O responsável técnico pelo carro acidentado já foi ouvido.

Portela é a grande campeã do carnaval carioca 2017

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) decidiu não rebaixar nenhuma agremiação neste ano, o desfile foi marcado por acidentes

Por Redação, com ABr  do Rio de Janeiro:

A Portela é a escola de samba campeã do carnaval de 2017 do Rio de Janeiro. Em uma disputa apertada, o título de campeã foi decidido na apuração do último quesito.

A Portela é a escola de samba campeã do carnaval de 2017 do Rio
A Portela é a escola de samba campeã do carnaval de 2017 do Rio

A Portela levou ao sambódromo um enredo que contou a relação histórica entre a humanidade e os rios, passando também por lendas e religiões. A vice-campeã é a Mocidade Independente de Padre Miguel.

As escolas de samba são avaliadas em nove quesitos: alegorias e adereços, bateria, fantasia, samba-enredo, comissão de frente, evolução, harmonia, mestre-sala e porta-bandeira e enredo.

As seis primeiras colocadas se apresentam novamente no Desfile das Campeãs, no próximo sábado.

Agremiação

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) decidiu não rebaixar nenhuma agremiação neste ano. O desfile foi marcado por acidentes que deixaram mais de 30 feridos. Durante a passagem da Paraíso do Tuiuti e da Unidos da Tijuca no sambódromo.

A decisão foi tomada em uma reunião na tarde desta quarta-feira que contou com representantes de todas as escolas. Como consequência da mudança, o Grupo Especial terá 13 escolas no carnaval de 2018, e duas serão rebaixadas. Para que, em 2019, a elite do samba volte a ter 12 escolas.

Segundo o presidente da Portela, Luiz Carlos Magalhães. A decisão foi praticamente unânime e agora pede a discussão de como essa regra funcionará no futuro.

– Em função da dimensão da tragédia e do número de vítimas, os presidentes entenderam que deveriam dar um tratamento especial neste ano.

A Mocidade Independente de Padre Miguel se posicionou contra a mudança. O vice-presidente da agremiação, Rodrigo Pacheco, defendeu que a regra não deveria ser modificada, e que as escolas que desfilam estão cientes dos critérios de julgamento.

Recursos

– Infelizmente mudou o jogo e a gente vai ter que desfilar assim em 2018 – disse Pacheco, que ponderou que os recursos que as escolas recebem para preparar os desfiles terão que ser divididos para mais uma escola. Além disso, ele também considerou um problema que mais uma escola ocupe a Cidade do Samba.

O regulamento dos desfiles prevê que, todo ano, a escola com menor pontuação desça para a Série A, enquanto a campeã deste grupo suba para o Grupo Especial.

A Liesa confirmou, na Praça da Apoteose, que a decisão foi tomada em solidariedade aos episódios. O anúncio foi seguido de vaias pela plateia que aguardava a apuração do resultado da campeã deste ano.

Rio comemora 452 anos de fundação com concerto

O prefeito carioca, Marcelo Crivella, afirmou no evento que o Rio de Janeiro é “um exemplo na história das civilizações de um encontro de povos extraordinário”

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O Rio de Janeiro comemorou nesta quarta-feira 452 anos com um concerto promovido pela Secretaria Municipal de Cultura no monumento ao fundador da cidade, Estácio de Sá, no Aterro do Flamengo, na zona sul. O militar português foi o primeiro governador-geral da Capitania do Rio de Janeiro, cidade que fundou ao chegar na Baía de Guanabara, em 1565, com a intenção de afastar tentativas de invasão pelo mar.

O Rio de Janeiro comemorou nesta quarta-feira 452 anos
O Rio de Janeiro comemorou nesta quarta-feira 452 anos

O prefeito carioca, Marcelo Crivella, afirmou no evento que o Rio de Janeiro é “um exemplo na história das civilizações de um encontro de povos extraordinário”. Aqui, salientou, formou-se um “caldeirão racial” nesses 452 anos. O que tornou o brasileiro um povo único no mundo.

– Não é índio, não é branco, não é negro, não é ibérico. É o povo brasileiro. E eu tenho certeza que essa civilização extraordinária que construímos vai encontrar melhores caminhos – disse Crivella. Acrescentando que, neste aniversário, o Rio de Janeiro ainda tem coisas a lamentar. Para o prefeito, “temos também grandes coisas para comemorar. Acho que se Estácio (de Sá) estivesse aqui, fazendo um balanço, ficaria orgulhoso da gente”.

Rei Momo

Questionado por que não compareceu à entrega das chaves da cidade ao Rei Momo, na última sexta-feira, abrindo oficialmente o carnaval 2017, bem como não esteve em nenhum outro evento ligado ao período carnavalesco, o prefeito destacou que cada um, na cidade, tem que respeitar as pessoas. “Cada um, no Rio de Janeiro, não deve ser obrigado a fazer nada. Eu acho que tem uma agenda do prefeito que deve de ser cumprida e que, não necessariamente, é a agenda da imprensa. É isso que nós temos que fazer”.

Nas comemorações pelo aniversário da cidade, teve iluminação especial do Cristo Redentor.

Estudantes do Rio combatem racismo com projeto transformador

O Criativos da Escola é um movimento global que ocorre em 35 países. Ele surgiu na Índia, com o nome Planejamento para Mudança

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Com o título Solta esse Black, alunas da Escola Municipal Levy Miranda, localizada na Pavuna, Zona Norte do Rio, tiveram seu projeto de combate ao machismo e ao racismo dentro do colégio incluído entre as ideias premiadas pelo desafio Criativos da Escola, em sua segunda edição no Brasil. Esse foi o único projeto Fluminense na lista de ganhadores.

O Criativos da Escola é um movimento global que ocorre em 35 países
O Criativos da Escola é um movimento global que ocorre em 35 países

O Criativos da Escola é um movimento global que ocorre em 35 países. Ele surgiu na Índia, com o nome Planejamento para Mudança. A iniciativa foi lançada no Brasil em 2015. Pelo Instituto Alana, com o nome Criativos da Escola, “porque fazia mais sentido para a realidade dos alunos e dos educadores brasileiros”. Disse o assessor do projeto no Instituto Alana, Gabriel Salgado.

Uma das primeiras estratégias do projeto no Brasil foi lançar uma premiação intitulada desafio Criativos da Escola. Cujo objetivo é reconhecer e valorizar o que já é feito no país pelos estudantes do ensino fundamental e médio das escolas da rede pública e particular. “Valorizar o que os jovens já estão fazendo de iniciativas transformadoras”. Dez jurados selecionam os melhores projetos a cada edição.

As estatísticas mostram que cerca de 80% dos inscritos no ano passado eram de escolas da rede pública. Dos 11 premiados, apenas um era de escola particular. Lembrou o assessor. Na primeira edição do prêmio, 419 projetos foram inscritos. Com cinco grupos premiados.

Em 2016, o instituto recebeu 1.014 inscrições. Premiando 11 equipes de alunos e orientadores de várias regiões do país. Uma do Rio de Janeiro, três do Ceará, duas de São Paulo, duas da Bahia, uma de Minas Gerais, uma do Rio Grande do Sul e uma de Mato Grosso do Sul.

Representantes dos 11 grupos viajaram para Salvador, em dezembro passado. Para desenvolver uma série de atividades. Construir um projeto conjunto, passando a mensagem de trabalho em equipe. Cada grupo recebeu R$ 2 mil e cada educador, R$ 500.

Solta esse Black

A professora de artes da escola municipal vencedora do Rio de Janeiro, Pamela Souza da Silva. Ela informou que o projeto foi iniciado por um grupo de mais de 100 meninas. Elas a procuraram para debater questões femininas próprias da adolescência. Como o que é ser mulher. O que é ser mulher na favela. Como a sociedade vê as mulheres negras, gravidez na adolescência.

Os debates começaram com reuniões pequenas. Um grupo de estudantes questionou sobre o cabelo. Em reação a comentários machistas e racistas de colegas do sexo masculino durante as aulas. Muitas estavam na fase de transição capilar e queriam deixar de usar produtos químicos nos cabelos.

– Isso virou uma demanda nossa e decidimos partir para um projeto”. As estudantes promoveram  oficinas e debates, inclusive na internet, sobre o tema. “A gente fez um movimento lindo na escola”. A consequência foi a valorização do cabelo afro e da autoestima entre as alunas. Que “se uniram para passar por aquele momento difícil de parar de passar química e deixar o cabelo crescer”. E suplantaram piadas e comentários maldosos dos meninos – afirmou Pamela.

O movimento ganhou toda a escola. Ampliou o número de estudantes que assumiram o cabelo crespo original. Vendo beleza nisso. “O impacto na escola foi incrível. Foi além do cabelo. Até meninas que não se falavam, que tinham rixas, se uniram. Passaram a se cuidar mais, a se falar, a se olhar”, observou a professora.

Criativos da Escola

Pamela inscreveu o projeto no desafio Criativos da Escola. Disse que nenhuma participante imaginava que elas estariam entre as vencedoras da premiação. “Foi importante no âmbito pessoal e está extrapolando a escola”.

As estudantes querem agora levar o projeto para a comunidade. Um encontro já está marcado para maio próximo. Com essa finalidade, no Complexo do Chapadão, Zona Norte. Onde serão convocadas todas as mulheres de cabelo crespo para participar.

E a coisa não fica por aí. As meninas já pensam em estender o Solta esse Black a outras escolas. Para atender aos pedidos que começam a surgir para valorização do cabelo natural. “O negócio é se achar bonita do jeito que é e querer assumir o cabelo crespo natural”, disse Pamela.

Novo desafio

Entre abril e maio próximos, será divulgado o regulamento da premiação deste ano. As inscrições se estenderão até o fim de setembro. Abertas a projetos que já tenham ocorrido ou que estejam em curso. Podem participar projetos transformadores e protagonizados por estudantes. Que cumpram as exigências estabelecidas. Como trabalho em equipe, ter criatividade e empatia, ou seja,  demonstrar solidariedade.

No caso do Solta esse Black, o assessor do Instituto Alana, Gabriel Salgado. Ele afirmou que o projeto ressalta o acolhimento e a empatia das alunas. Respondendo a uma demanda não só da identidade delas, mas da comunidade onde estão inseridas.

Rio: acidente no desfile da Unidos da Tijuca deixa pessoas feridas

O presidente da Unidos da Tijuca, Fernando Horta, prometeu que a escola dará assistência às vítimas do acidente, caso seja necessário

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O segundo dia de desfiles na Marquês de Sapucaí também foi marcado por acidentes e problemas em carros alegóricos. Na Unidos da Tijuca, 12 pessoas se feriram com o afundamento de parte de uma alegoria, no mesmo trecho em que um carro da Paraíso do Tuiuti machucou 20 pessoas ao colidir com as laterais da avenida.

Estrutura de carro alegórico quebrou deixando feridos no desfile da escola de samba Unidos da Tijuca, pelo grupo especial, no Sambódrom
Estrutura de carro alegórico quebrou deixando feridos no desfile da escola de samba Unidos da Tijuca, pelo grupo especial, no Sambódrom

O acidente no carro tijucano levou 20 pessoas aos postos médicos do sambódromo. Oito delas foram atendidas apenas por estresse. Entre as que se feriram fisicamente, nove foram transferidas para três hospitais: Souza Aguiar, Miguel Couto, Lourenço Jorge.

A secretária executiva Viviane Pereira, 37 anos, estava no carro, mas não se feriu e continuou na alegoria até a dispersão. “Escutamos um barulho e sentimos um tremor muito forte. Mas achei que fosse algum efeito do carro. Depois, as pessoas começaram a gritar desesperadas para parar o carro.”

Com o acidente, o veículo teve que ser parado para que os bombeiros pudessem socorrer os feridos. A escola continuou o desfile enquanto isso, orientando suas alas a contornarem as laterais do carro alegórico. A narrativa proposta pelo enredo. Entretanto, acabou desfigurada pela mudança de ordem.

A escola prestou homenagem a Pixinguinha e Louis Armstrong, imaginando uma aproximação dos dois gênios a partir de um encontro que aconteceu na década de 50.

Vítimas do acidente

O presidente da Unidos da Tijuca, Fernando Horta, prometeu que a escola dará assistência às vítimas do acidente, caso seja necessário. “Não foi excesso de peso, porque as pessoas ensaiam dentro do carro”. Disse Horta, destacando que não acredita que o problema tenha sido estrutural.

Outras duas escolas tiveram problemas com suas alegorias durante esta madrugada. A União da Ilha teve dificuldade em manobrar sua penúltima alegoria na entrada do sambódromo. O que obrigou a escola a segurar o desfile para que o buraco formado pelo problema não crescesse. Na saída, o carro voltou a apresentar problemas para sair da dispersão e houve correria para empurrá-lo.

Quando a São Clemente entrou na avenida, a União da Ilha ainda tentava retirar o carro da dispersão e só conseguiu quando a escola da Zona Sul já tinha avançado cerca de metade do percurso.

A Mocidade de Padre Miguel foi outra escola que teve dificuldade em retirar uma de suas alegorias do sambódromo. O problema foi parecido com o da União da Ilha, mas foi mais facilmente resolvido.

O presidente da Liga das Escolas de Samba do Grupo Especial (Liesa), Jorge Castanheira, disse que vai haver uma reavaliação dessas questões a partir dos problemas que forem identificados nos desfiles. Ele afirmou que a possibilidade de interromper o desfile diante de um acidente como o da Unidos da Tijuca não existe no regulamento.

– Quando cheguei lá, os bombeiros já estavam atuando e entendi que estava sob controle a situação. E a escola prosseguiu com seu desfile – disse Castanheira, que considerou o ano atípico. “Vamos analisar caso a caso”.

Segundo ele, a Polícia Civil fará nesta quarta-feira uma reconstituição do acidente envolvendo o carro alegórico da Paraíso do Tuiuti.

Rio: Secretaria de Segurança inicia Operação Carnaval

A Operação Carnaval acontece até 1º de março em plantão 24 horas e com ativação especial prevista para o Desfile das Campeãs, no dia 4 de março

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

A Secretaria de Segurança iniciou nesta quinta-feira a Operação Carnaval 2017 no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova. Órgãos de segurança, mobilidade e assistência social, além de concessionárias de transportes, estarão atuando de forma alinhada, visando garantir a folia no Sambódromo, Boulevard Olímpico e principais blocos carnavalescos. A Operação Carnaval acontece até 1º de março em plantão 24 horas e com ativação especial prevista para o Desfile das Campeãs, no dia 4 de março.

Centro Integrado de Comando e Controle reúne diversos órgãos
Centro Integrado de Comando e Controle reúne diversos órgãos

Durante o período, irão atuar de forma integrada: polícias Militar e Civil; Corpo de Bombeiros; Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social; Guarda Municipal; secretarias municipais de Ordem Pública, de Desenvolvimento Social e de Saúde; Riotur; Conselho Tutelar; MetrôRio; Barcas; BRT; VLT; SuperVia; e Agência Reguladora de Transportes Públicos (Agetransp).

Também foi firmada uma parceria com o Ministério das Relações Exteriores, que terá um canal direto de comunicação com o CICC. Uma campanha informativa e de conscientização dos foliões do Rio vai ganhar as redes sociais das entidades envolvidas com as hashtags: #CarnavalSeguro e #FoliãoConsciente.

Os visitantes vão contar com importantes ferramentas de auxílio, como o aplicativo do serviço de emergência 190 e o acesso pela web ao Guia de Segurança Pública em cinco idiomas.

Por meio do Facebook, Twitter e Instagram das instituições envolvidas será possível difundir informações. Racismo, homofobia, abuso contra mulher, cuidados com crianças e atendimento poliglota estão entre os tópicos abordados. Todo o material incluirá as hashtags: #CarnavalSeguro e #FoliãoConsciente.

Centrais

O foco no visitante estrangeiro tem respaldo em outras ações vinculadas à Secretaria de Segurança, como a Central 190, que atende as demandas de ligações feitas pelos números de emergência norte-americano (911) e europeu (112). Os visitantes internacionais também podem acessar o aplicativo Emergência RJ.

– Buscamos ampliar esta rede de integração em benefício da população e dos visitantes. Os recursos empregados no CICC têm possibilitado agilizar e dar mais eficiência no atendimento – explicou o subsecretário de Comando e Controle, Rodrigo Alves.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro dispõe ainda de um Guia de Segurança Pública com importantes orientações e informações úteis sobre o Rio. O guia – disponível em cinco idiomas (Português, Inglês, Espanhol, Francês e Mandarim) – está disponível no site www.rj.gov.br/web/seseg/principal.

No Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur), 50% dos policiais militares dominam outro idioma. Francês, coreano, italiano, árabe e russo, além de espanhol e inglês, são algumas das línguas entreouvidas na unidade da PM, localizada em Copacabana. A Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (DEAT) presta atendimento bilíngue a visitantes estrangeiros.

A Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) contará com reforço. O órgão é responsável por estreitar o canal de comunicação entre o cidadão e a Polícia Civil. O serviço está disponível 24 horas pelos telefones (21) 2334-8823 e 2334-8835 ou pelo chat https://cacpcerj.pcivil.rj.gov.br.

Centro

Inaugurado em 2013, o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) se tornou uma referência em relação à segurança e defesa civil, sendo hoje fonte permanente de consulta para outras instituições da área no Brasil e no exterior. O prédio funcionou como o centro de operações na Copa das Confederações, na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), na Copa do Mundo 2014 e nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

A moderna estrutura, localizada na Cidade Nova, com videomonitoramento urbano. Por meio de 4,2 mil câmeras espalhadas pelas principais áreas da Região Metropolitana. Incluindo as embarcadas em carros da Polícia Militar. Permite não só acompanhar a rotina de segurança do Rio, mas auxiliar de forma efetiva em grandes eventos.

Polícia Civil inicia paralisação de 24 horas no Rio

A Polícia Civil não comentou os motivos da paralisação e preferiu apenas reiterar o que funciona e o que não funciona

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Servidores da Polícia Civil iniciaram, na manhã desta quinta-feira, uma paralisação dos serviços por 24 horas. A decisão foi tomada segunda, em assembleia na qual os policiais civis resolveram  intensificar as ações da greve iniciada no dia 17 de janeiro. Todas as entidades de classe apoiaram a paralisação total no atendimento às ocorrências e serviços prestados, exceto quanto à expedição de guias de remoção de cadáver, ocorrências em flagrante e cumprimento de mandados de prisão. Os servidores estão sem receber o décimo terceiro e o salário de fevereiro.

Servidores da Polícia Civil iniciaram, na manhã desta quinta-feira, uma paralisação dos serviços por 24 horas
Servidores da Polícia Civil iniciaram, na manhã desta quinta-feira, uma paralisação dos serviços por 24 horas

Segundo nota do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro, também ficou decidido que a escala compulsória do carnaval não será cumprida. Tendo em vista o não recebimento do adicional de serviço desde junho do ano passado.

O presidente do sindicato, Fernando Bandeira, ressaltou, no entanto, que a segurança de quem vai curtir os blocos e desfiles não será afetada. Porque o policiamento nas ruas é feito por policiais militares, que estarão presentes de forma ostensiva.

– Teremos as delegacias civis abertas, mas fazendo apenas o básico para as investigações. Como tem sido nestes dias de greve. Estas 24 horas são apenas para chamar a atenção do governo e forçar o diálogo conosco. Já que estamos sem receber o décimo terceiro e o salário de fevereiro. São famílias  que estão sendo prejudicadas. Espero que haja esta sensibilidade da parte dos governantes – disse Bandeira.

A Secretária de Estado de Fazenda informou que não há previsão de quando serão colocados em dia os pagamentos reivindicados pelos servidores da Polícia Civil. “Isso demonstra que a greve terá que continuar. Nós nos reuniremos na parte da tarde para discutir o futuro. É preciso haver uma definição. Já que a situação é triste. As delegacias estão sujas, sem material de trabalho, entre muitos outros problemas. Não temos condição financeira, nem estrutural de trabalhar atualmente”, afirmou Bandeira.

Ele disse que, na manhã desta quinta-fiera, a maioria das delegacias tinha aderido à paralisação.

Motivos da paralisação

A Polícia Civil não comentou os motivos da paralisação e preferiu apenas reiterar o que funciona e o que não funciona. Segundo o órgão, as unidades estão atendendo as emergências e os casos complexos normalmente.

Sobre as demais ocorrências, cada unidade, conforme sua adesão à paralisação, (integral ou não) está operando normalmente, com restrição de serviços. Os registros de ocorrência alcançados pela paralisação podem ser feitos normalmente pela população por meio da delegacia online, que continua em funcionamento.

Militares vão continuar nas ruas do Rio até a meia-noite

A assessoria de imprensa do Ministério da Defesa informou que a saída “vai ocorrer de forma gradativa, sob um planejamento também logístico”

Por Redação, com agências de notícia – do Rio de Janeiro:

Os militares das Forças Armadas, convocados para patrulhar as ruas do Rio de Janeiro, de Niterói e São Gonçalo, vão manter o policiamento até a meia-noite desta quarta-feira, informou o Comando Militar do Leste.

Os militares das Forças Armadas, convocados para patrulhar as ruas do Rio de Janeiro, de Niterói e São Gonçalo, vão manter o policiamento até a meia-noite
Os militares das Forças Armadas, convocados para patrulhar as ruas do Rio de Janeiro, de Niterói e São Gonçalo, vão manter o policiamento até a meia-noite

O emprego das Forças Armadas na região metropolitana do Rio foi autorizado por um decreto de Garantia da Lei da Ordem. Cujo prazo termina nesta quarta-feira. Ontem, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou a retirada das tropas dos três municípios.

A assessoria de imprensa do Ministério da Defesa informou que a saída “vai ocorrer de forma gradativa, sob um planejamento também logístico”.

A chegada dos 9 mil militares às ruas se deu em meio a protestos de familiares de policiais. Que impediam a saída dos PMs de algumas unidades, como o Batalhão de Choque. Os manifestantes, que se identificavam como mulheres e parentes de PMs. Eles cobravam o pagamentos de salários atrasados.

Segundo a Polícia Militar, mesmo com o apoio das tropas federais, a corporação não deixou de fazer o patrulhamento.

Operação

Na manhã de segunda-feira, agentes da operação Centro Presente prenderam em flagrante Diego Carvalho Lopes, de 19 anos. Durante patrulhamento de rotina na Avenida Presidente Vargas. Os policiais militares foram informados por rádio que um homem teria acabado de roubar passageiros de um ônibus da viação 1001, que saiu de Itaipu para o Centro.

Uma equipe foi ao local e capturou Diego, que possuía as mesmas características do autor. Com o suspeito, encontraram uma pistola 9mm com 14 munições, dois celulares e R$ 91 em espécie. Ele foi conduzido à 4ª DP (Praça da República). Onde foi reconhecido por três vítimas e autuado por roubo e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Na tarde anterior, policiais militares da Operação prenderam Yan da Silva, de 20 anos. Uma equipe patrulhava a Avenida Presidente Vargas. Quando o suspeito tentou andar no sentido contrário ao perceber a aproximação policial.

Após consulta no Banco Nacional de Mandados de Prisão. Foi verificado que ele estava evadido do Sistema Prisional quando cumpria pena por tráfico de drogas e associação para o tráfico. O criminoso foi encaminhado à 4ª DP (Praça da República).

Balanço

Até a noite de domingo, os agentes da Operação Segurança Presente efetuaram 4.318 prisões, sendo 2.212 por posse e uso de entorpecentes, e já cumpriram 413 mandados de prisão. Também foram conduzidas à delegacia 156 pessoas por porte de arma branca e 16 por porte de arma de fogo, 185 por roubo e 333 por furto. Em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, foram realizadas 4.252 ações de acolhimento a moradores de rua.

Conheça a Operação Segurança Presente

No dia 1º de dezembro de 2015. Foi iniciada no Méier, na Lagoa Rodrigo de Freitas e no Aterro do Flamengo a Operação Segurança Presente, uma iniciativa de interesse público. Fruto de uma parceria entre o Governo do Estado e o Sistema Fecomércio RJ.

No dia quatro de julho deste ano, a operação chegou ao Centro. As Operações Segurança Presente foram inspiradas na bem sucedida Lapa Presente, iniciada em 1º de janeiro de 2014.

 A operação, de caráter permanente, conta com a participação de policiais militares da ativa e da reserva e agentes civis egressos das Forças Armadas. Vários órgãos atuam coordenados na ação: Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Polícia Militar, Polícia Civil, Comando Militar do Leste. Guarda Municipal, secretarias municipais de Ordem Pública, de Desenvolvimento Social, de Conservação, de Transportes e Comlurb.

Para fortalecer a credibilidade das ações, além das abordagens serem filmadas, as equipes também são monitoradas por GPS.

União bloqueia R$ 220 milhões das contas do governo do Rio

Segundo a secretaria, o depósito da primeira parcela do pagamento, de R$ 577, já foi feito e cairá na conta dos servidores ao longo do dia

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

A Secretaria estadual de Fazenda do Rio de Janeiro informou nesta quarta-feira que o governo federal bloqueou R$ 220 milhões do Tesouro Estadual, devido a dívidas do Estado com a União. O bloqueio é uma contragarantia pelo não pagamento da dívida com a União.

O bloqueio é uma contragarantia pelo não pagamento da dívida com a União
O bloqueio é uma contragarantia pelo não pagamento da dívida com a União

Com isso, o calendário do pagamento dos salários de janeiro dos servidores estaduais em seis parcelas, que havia sido divulgado nesta manhã, está sendo refeito. Um novo cronograma deverá ser anunciado ainda nesta quarta.

Segundo a secretaria, o depósito da primeira parcela do pagamento, de R$ 577, já foi feito e cairá na conta dos servidores ao longo do dia, mesmo após o fim do expediente bancário.

Pagamento

“Ressalta-se que, com o pagamento desta quarta-feira, a folha encontra-se integralmente quitada para 71,3% dos servidores do Estado do Rio. Também estão quitados 72,9% do valor total da folha líquida de janeiro, de R$ 2,2 bilhões.”

No dia 14 deste mês, 10º dia útil, receberam integralmente os salários de janeiro os servidores ativos da Educação. Os ativos, inativos e pensionistas da segurança. Informou a Secretaria de Fazenda.

Cidades do interior do Rio registram aumento de turistas no carnaval

Já existem municípios que registram até 95% de ocupação hoteleira, como é o caso de Teresópolis, cidade a cerca de uma hora de viagem da capital

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

Cidades do interior Fuminense atraem cada vez mais turistas durante o Carnaval. O crescimento do setor é resultado das ações do Programa Rio+3, criado pela Secretaria de Turismo para divulgar atrativos de municípios que ficam a menos de três horas da capital. Segundo pesquisa realizada pela ABIH-RJ (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro) já existem municípios que registram até 95% de ocupação hoteleira, como é o caso de Teresópolis, cidade a cerca de uma hora de viagem da capital, um dos focos do projeto.

Crescimento do setor hoteleiro é resultado das ações do Programa Rio+3
Crescimento do setor hoteleiro é resultado das ações do Programa Rio+3

Para o secretário de Turismo, Nilo Sergio Felix. Aprocura pelas cidades do interior confirma não apenas o potencial turístico do Estado, que atrai um número cada vez maior de visitantes. Como também a preocupação dos municípios em elaborar uma programação diversificada que agrade a todos os tipos de foliões.

– Até o momento, a média de ocupação hoteleira do Estado está em 80%. Sabemos que este número ainda vai aumentar. Pois muitas pessoas acabam deixando para fazer a reserva na véspera do feriadão.

– É interessante perceber que tanto as cidades que elaboram grande programação para o carnaval. Como aquelas apreciadas pelos que preferem aproveitar esse período para descansar. Têm recebido uma grande procura. É o caso de Cabo Frio, que já registra 90% de quartos reservados. E das cidades da região de Agulhas Negras, com 95% – explicou o secretário.

Maricá, Cabo Frio e Arraial do Cabo despontam como as cidades com mais blocos durante os quatro dias da festa. Segundo a Secretaria Municipal de Turismo de Cabo Frio, a expectativa é de que cerca de 700 mil pessoas visitem a cidade.

Maricá oferecerá 75 blocos distribuídos pelos bairros da cidade. As praias de Arraial do Cabo serão o ponto de concentração para a saída dos 17 blocos do município. A estimativa é de que 300 mil pessoas se divirtam durante o feriadão.

Serra Verde Imperial é a mais procurada

A região turística da Serra Verde Imperial, muito procurada pelos que preferem um Carnaval mais tranquilo, também oferece folia para os mais animados. Em Nova Friburgo, por exemplo, 30 blocos e quatro escolas de samba vão receber os mais de 24 mil visitantes, segundo previsão da secretaria municipal de Turismo.

O Vale do Café, onde inúmeros casarões dos barões do café se transformaram em hotéis fazenda, também terá programação. Valença vai resgatar personagens históricos em ilustrações expostas pelas cidades e apresentará, em faixas, a história de algumas tradicionais músicas de Carnaval.

Em Miguel Pereira, a expectativa é de que 40 mil pessoas aproveitem os 15 blocos, que desfilarão pelas ruas da cidade. Em Vassouras, o carnaval deve atrair 50 mil pessoas, segundo a secretaria municipal. Além da programação interna diversificada, os hotéis também se envolvem na folia de rua, representada por 11 blocos.

Seis blocos e duas matinês estão programados em Rio das Flores para alegrar os cerca de 15 mil turistas.

Os sete blocos que desfilam em Paraty prometem animar os 20 mil visitantes que a cidade espera receber. Um das atrações mais aguardadas é o tradicional Bloco da Lama.