Nadadora ferida por queda de árvore continua internada em SP

O hospital não deu previsão de alta e a equipe médica não informou ainda se ela ficará com sequelas por conta da lesão

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

O estado de saúde da nadadora Larissa Oliveira, internada desde a última quarta-feira, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, é bom, de acordo com boletim médico divulgado no dia anterior.

Nadadora Larissa Oliveira
Nadadora Larissa Oliveira

Ela passou por uma cirurgia em decorrência de um ferimento de 30 centímetros na coxa direita. Depois de uma árvore cair sobre o seu carro. Durante o temporal que atingiu São Paulo na quarta-feira.

O hospital não deu previsão de alta. A equipe médica não informou ainda se ela ficará com sequelas por conta da lesão. Os médicos responsáveis pelo tratamento de Larissa são Rodrigo Novaes do Canto e Ricardo Basile.

Rio 2016

Larissa participou da delegação brasileira que foi aos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Ela completou cinco provas: 100 e 200 m livres. Nos revezamentos 4×100 m medley, e 4×100 m e 4×200 m nado livre.

A atleta também já foi campeã mundial de piscina curta em Doha, em 2014, na prova de 4×50 m medley misto. E é três vezes medalhista panamericana. Foi prata no 4×200 m livre e bronze no 4×100 m livre e no 4×100 m medley, nos jogos de Toronto 2015.

Protestos e homenagens marcam Dia da Mulher em SP

De acordo com a instituição, o câncer de mama, depois do carcinoma de pele não melanoma, é o mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

O Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quarta-feira, foi marcado na capital paulista por diferentes atividades que incluem exames gratuitos de mamografia, mutirão de testagem de HIV, ato simbólico na Bolsa de Valores, premiações, além de protestos e eventos culturais.

O Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quarta-feira, foi marcado na capital paulista por diferentes atividades e protestos
O Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quarta-feira, foi marcado na capital paulista por diferentes atividades e protestos

Das 9h às 16h, mulheres que passarem pelo Terminal Metropolitano do Jabaquara, na Zona Sul da cidade. Puderam participar de um mutirão de teste rápido de HIV. Foram disponibilizados cerca de 400 testes. Cujo resultado sai em 30 minutos. Houve também distribuição de 14 mil preservativos masculinos, 2 mil preservativos femininos e 8 mil sachês de gel lubrificante. A ação é da Secretaria Estadual da Saúde.

Outra ação foi feita pela Escola de Medicina da Universidade Federal de São Paulo. Houve mutirões de mamografia nesta quarta e vai até a próxima sexta-feira. De acordo com a instituição. O câncer de mama, depois do carcinoma de pele não melanoma, é o mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo. A ação é em parceria com a indústria farmacêutica Bayer.

Nesta manhã, a BM&Bovespa soou a campainha que indica a abertura do pregão em apoio à igualdade de gênero. O ato simbólico contou com a participação de representantes da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman, da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, Beatriz Carneiro, da presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano. Além de representantes da Bovespa.

Protestos

Atos políticos foram marcados para o fim do dia na capital paulista. No vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista. Setores espontâneos independentes e coletivos feministas convocaram um ato, pelas redes sociais. Que já conta com mais de 15,7 mil confirmações.

O “8M – Paralisação Internacional das Mulheres SP”, marcado para esta tarde, faz parte de uma mobilização internacional que, segundo a organização, conta com a participação de pelo menos 30 países. Na pauta do protesto, estão temas como a legalização do aborto, a vulnerabilidade social de mulheres negras e a invisibilidade das mulheres lésbicas. Outro ato reuniu mulheres na Praça da Sé, no Centro da capital.

Homenagem

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) homenageou as melhores iniciativas no combate à violência contra a mulher no país. A cerimônia do Selo FBSP de Práticas Inovadoras 2017 ocorreu no Museu da Casa Brasileira.

Foram eleitas 10 iniciativas, entre elas o Núcleo de Estudo e Pesquisa em Violência de Gênero e Núcleo Policial Investigativo do Feminicídio, no Piauí. A Rede de Frente (Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica Contra Mulher), de Barras de Garças e Pontal do Araguaia, em Mato Grosso; e a Ronda Maria da Penha para Homens, na Bahia.

Na semana

No próximo domingo, a Fundação Procon-SP, da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, participa do evento Mulher ComVida, das 9h às 19h, no Parque do Carmo. O evento é organizado pelo Sindicato dos Comerciários de São Paulo e tem como público mulheres em situação de vulnerabilidade social. Os técnicos do Procon darão esclarecimentos aos consumidores sobre direitos, além de orientações sobre dívidas.

Chuva deixa SP em estado de atenção para alagamentos

A previsão do tempo para os próximos dias é de mais chuva, com a frente fria que se afasta do litoral paulista, mas produz ventos úmidos

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

A chuva deixou nesta segunda-feira toda a cidade de São Paulo em estado de atenção para alagamentos, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). Os motoristas devem ficar atentos aos alagamentos nas marginais Tietê e Pinheiros.

A chuva deixou nesta segunda-feira toda a cidade de São Paulo em estado de atenção para alagamentos
A chuva deixou nesta segunda-feira toda a cidade de São Paulo em estado de atenção para alagamentos

Áreas de instabilidade na Grande São Paulo avançam sobre a cidade com deslocamento lento. A chuva é moderada nas regiões do Centro, Tremembé, Perus e Jaraguá (Zona Norte). Nas regiões da Vila Leopoldina, Lapa, Rio Pequeno e Butantã (zona oeste). Chuvas mais intensas caem nas regiões de Cangaíba, Ermelino Matarazzo e São Miguel Paulista (zona leste).

As temperaturas oscilam em torno dos 27°C em São Paulo. O aeroporto de Congonhas funcionou normalmente. Apresentando quatro voos atrasados entre meio-dia e 13h, além de quatro voos cancelados desde a sua abertura nesta manhã.

Aeroporto

O aeroporto de Guarulhos também operou normalmente, com dois voos em atraso e nenhum cancelado.

A previsão do tempo para os próximos dias é de mais chuva, com a frente fria que se afasta do litoral paulista, mas produz ventos úmidos que passam a soprar do oceano. A terça-feira terá tempo nublado, chuvas isoladas e garoa, principalmente no início e no fim do dia. Os termômetros devem variar entre 19°C e 26°C.

Pichador terá 3 dias para reparar fachada em SP

Segundo a prefeitura, a determinação é do vice-prefeito e secretário de prefeituras regionais Bruno Covas, que coordena o Programa de Combate a Pichações

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

A pessoa que for autuada pichando imóveis na cidade de São Paulo, e não quiser pagar uma multa de até R$ 10 mil, terá 3 dias (72 horas) para recuperar a paisagem urbana. O prazo passa a valer assim que um termo de compromisso for assinado. Segundo a prefeitura, a determinação é do vice-prefeito e secretário de prefeituras regionais Bruno Covas, que coordena o Programa de Combate a Pichações.

A pessoa que for autuada pichando imóveis na cidade de São Paulo, e não quiser pagar uma multa de até R$ 10 mil, terá 3 dias (72 horas) para recuperar a paisagem urbana
A pessoa que for autuada pichando imóveis na cidade de São Paulo, e não quiser pagar uma multa de até R$ 10 mil, terá 3 dias (72 horas) para recuperar a paisagem urbana

A lei Cidade Linda prevê multa de R$ 5 mil para o autor da pichação. Valor que pode chegar até R$ 10 mil se o ato for contra patrimônio público ou bem tombado. Em caso de reincidência, a multa é aplicada em dobro.

A lei previa também que, até a data de vencimento do pagamento da multa. O infrator poderia firmar um Termo de Compromisso de Reparação da Paisagem Urbana.

Mas, por determinação do vice-prefeito. O prazo para a reparação da paisagem urbana foi reduzido para apenas 72 horas, sem relação com o prazo para o vencimento da multa.

Pela lei, para que um pichador não seja multado. Ele pode reparar o bem pichado ou prestar serviço em outra atividade de zeladoria urbana. Ele também pode aderir a um programa educativo para incentivar o desenvolvimento da prática de grafite.

Estudante é detida

Uma estudante de direito, de 26 anos foi a primeira pessoa a ser multada com base na Lei Cidade Linda. Aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito João Doria no mês passado. Ela foi detida em flagrante na madrugada de sábado quando pichava o muro de um estacionamento na rua Santo Antonio, no Centro da capital. Além da multa, de caráter administrativo, a estudante vai responder criminalmente por ato de vandalismo.

De acordo com a prefeitura. Entre janeiro e fevereiro deste ano, 70 pessoas foram detidas em flagrante pela Guarda Civil Metropolitana por pichação. Todas elas foram alvos de ações civis públicas movidas pela prefeitura. Que pretende cobrar judicialmente o ressarcimento dos danos. Ao término da ação. Informou a prefeitura, estes pichadores poderão ser multados.

Número de turistas triplica no carnaval de rua em SP

No carnaval de rua, as parciais mostram que 77,6% das pessoas disseram que a organização melhorou, ou melhorou muito

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

O crescimento do Carnaval superou as expectativas da São Paulo Turismo (SPTuris). O aumento no número de turistas no Sambódromo do Anhembi foi 167% (passando de 7 para 20% do público) e no carnaval de rua já marca 203% (indo de 3% para quase 10% dos foliões). A estimativa de aumento inicial girava em torno de 30%.

O levantamento foi feito pelo Observatório de Turismo e Eventos, núcleo de estudos e pesquisas da SPTuris. No Sambódromo foram entrevistadas mais de 1,1 mil pessoas nos dias 24 e 25 de fevereiro. Nas ruas da cidade, as entrevistas foram feitas com mais de 900 pessoas. Mas o levantamento segue até o dia 5 de março, quando termina os desfiles de blocos. Para ambas as pesquisas, o nível de confiança é 95% e a margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os paulistanos também hospedaram mais parentes e amigos em suas casas para curtir o carnaval: o crescimento foi 890% entre os que estiveram no sambódromo e 388% entre os foliões dos blocos. Os turistas estrangeiros representaram cerca de 1% do público de outros países, o mesmo de 2016.

Dinheiro

E os turistas também deixaram mais dinheiro na cidade. Com permanência de três dias, o gasto médio em 2016 foi R$ 617. Em  2017 o turista gastou R$ 957 em três dias. O aumento foi 55,1% em relação ao carnaval do ano passado.

Em 2016, apenas 2% dos entrevistados que estavam no sambódromo disseram que iriam a outros eventos. Na pesquisa deste ano, 57% dos entrevistados falaram que curtiriam o carnaval além do sambódromo. Desses, 33% afirmaram que iriam para os blocos de rua.

No carnaval de rua, as parciais mostram que 77,6% das pessoas disseram que a organização melhorou, ou melhorou muito. No sambódromo, a organização foi considerada melhor em relação ao ano anterior por 76,2% dos entrevistados.

SP: chuvas ficam 29% abaixo da média em fevereiro

Além dessa quantidade abaixo da média, prevaleceram as precipitações irregulares com pancadas mais frequentes em algumas localidades e escassas em outras

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

Depois de um janeiro bem chuvoso, o mês de fevereiro na cidade de São Paulo foi marcado por uma sequência de dias com forte calor e tempo mais seco. De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), órgão da prefeitura, este segundo mês do ano fechou com volume de 156,2 milímetros (mm), equivalente a 71% da média de chuva esperada (219,2 mm) para o mês.

Depois de um janeiro bem chuvoso, o mês de fevereiro na cidade de São Paulo foi marcado por uma sequência de dias com forte calor e tempo mais seco
Depois de um janeiro bem chuvoso, o mês de fevereiro na cidade de São Paulo foi marcado por uma sequência de dias com forte calor e tempo mais seco

Além dessa quantidade abaixo da média, prevaleceram as precipitações irregulares com pancadas mais frequentes em algumas localidades e escassas em outras. Os dias também foram quentes, com temperatura média de 34,6º C (graus Celsius). Recorde de 36,7ºC, no último dia 19, nos medidores do bairro da Freguesia do Ó, na Zona Norte da cidade. Essa mesma medida foi registrada no dia seguinte, nos bairros vizinhos de Pirituba e Jaraguá.

Ainda segundo o CGE, houve uma concentração maior de chuva em janeiro último. Totalizando 375,7 mm, bem acima da média esperada, que era de 256,5 mm.

Sistema Cantareira

Com a irregularidade das chuvas, a pluviometria do Sistema Cantareira, principal manancial que fornece água na Grande São Paulo, ficou abaixo da média. No entanto, o abastecimento não chegou a ser comprometido. Alimentado por seis represas ( Jaguari-Jacareí, Cachoeira, Atibainha, Paiva Castro e Águas Claras). Com captações iniciadas em fontes no Sul de Minas Gerais, o Cantareira encerrou fevereiro com volume de 94,2 mm, ante a média de 203,4 mm.

Apesar do nível mais baixo que no mês anterior. A situação do Sistema Cantareira está longe do drama da seca vivido nos anos de 2014 e 2015. Segundo os dados da medição diária da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que administra esse Sistema. O nível menor de captação em fevereiro foi compensado por uma grande quantidade de precipitações em janeiro, quando o Sistema atingiu 393,1 mm, bem acima da média esperada (262,6 mm).

O volume de água armazenado nesse Sistema atingiu 92% de sua capacidade no fechamento de fevereiro. O que é quase o dobro do registrado em igual período do ano passado (52,6%).

Nos demais sistemas. O Tietê é o que apresenta o menor nível de operação (52,7%). Mas com relativa melhora sobre o mesmo período de 2016 (32,7%). Na mesma base de comparação, o Guarapiranga teve uma pequena redução no índice. Mas ainda assim mantém-se em margem confortável. No Alto Cotia, a capacidade atingiu 100,5% ante 100%. O Sistema Rio Grande teve 90,9% ante 88,4%; e o Rio Claro, 96,3% ante 83,2%.

Chuvas de março

De acordo com as previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O mês de março vai começar ainda com chuvas isoladas no Estado de São Paulo. Mas a partir da próxima sexta-feira, elas ocorrerão de forma mais generalizada e com maior intensidade.

SP: mais de 170 blocos abrem o carnaval neste fim de semana

Marcado pelo multiculturalismo, o carnaval paulistano oferece opções para todos os gostos e idades nos quatro cantos da cidade

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

 

O carnaval de rua na cidade de São Paulo está atraindo nos últimos anos cada vez mais foliões. Este ano, 391 blocos vão às ruas, 28% a mais que em 2016. Neste fim de semana, 175 blocos desfilarão pelas ruas da cidade.

Marcado pelo multiculturalismo, o carnaval paulistano oferece opções para todos os gostos e idades nos quatro cantos da cidade. No Parque Ibirapuera, por exemplo, os foliões poderão curtir o bloco Bicho Maluco Beleza, Monobloco, Os Capoeira e Último Gole. Para a criançada, também haverá opções de blocos infantis que colocarão os pequenos foliões para brincar e desfilar na capital.

O carnaval de rua na cidade de São Paulo está atraindo nos últimos anos cada vez mais foliões
O carnaval de rua na cidade de São Paulo está atraindo nos últimos anos cada vez mais foliões

A programação de carnaval segue até 5 de março.  

Veja algumas opções para este fim de semana:

Parque do Ibirapuera

O Parque do Ibirapuera recebeu neste final de semana os desfiles do Bicho Maluco Beleza e Monobloco. Os blocos Os Capoeira e Último Gole, estreantes em São Paulo, abrem os desfiles. A entrada para a folia será feita pela Avenida Pedro Álvares Cabral. Ao lado do Empurra-Empurra e também ao lado do Obelisco do Ibirapuera. O evento é gratuito. Mas não será permitida a entrada com mochilas, coolers e vidro e ainda haverá revista para acesso à área do desfile.

Os Capoeira

Os blocos tiveram início neste sábado, às 10h, com Os Capoeira, que mostra as tradições afro-brasileiras. Com uma bateria composta de mais de 80 batuqueiros. O bloco teve as presenças das atrizes Mel Lisboa e Marisa Orth como porta-estandarte.

Formado pelos capoeiristas e percussionistas, Mestre Dalua, Felipe Roseno, Contra-Mestre Leandrinho e professor Cauê Silva. O grupo traz a proposta de trabalhar os ritmos, cantigas e movimentos de todas as culturas ligadas à capoeira, tais como o maculelê, frevo, ijexá, samba de roda, cabula, congo de ouro, barravento. Além da capoeira em todas as suas potencialidades.

Bicho Maluco Beleza

Em seguida, é a vez do bloco Bicho Maluco Beleza, de Alceu Valença, que nasceu em São Paulo e desfila pelo terceiro ano na capital paulista. Acompanhado por sua banda, naipe de metais e bateria com cerca de 20 integrantes. O cantor antecipa o carnaval de Pernambuco.  

– É gratificante ver o povo na rua cantando seus sucessos, milhares de sombrinhas de frevo agitadas no ar. Uma explosão de alegria semelhante ao que acontece todos os anos em Pernambuco’ – diz o cantor Alceu Valença. No bloco, Alceu reúne os gêneros que consolidam a força e a identidade do maior carnaval do país – frevo-de-bloco, frevo-de-rua, frevo-canção, caboclinhos, maracatus e cirandas.

Último Gole

Neste domingo, o estreante no carnaval paulistano é o bloco Último Gole que terá início às 9h30. Formado por amigos de infância que amam samba. O bloco tem repertório composto por muitos sambas de raiz, partido alto, alguns forrós e até mesmo raps. 

Monobloco

Fundado há 17 anos por C.A. Ferrari, Celso Alvim, Pedro Luís, Mário Moura e Sidon Silva. O Monobloco volta ao carnaval de São Paulo com uma homenagem aos blocos de rua. O repertório vai incluir músicas e marchinhas de blocos tradicionais em seu caldeirão de estilos. Misturando instrumentos como cavaco, repique, tamborim, chocalho, surdo e agogô com grooves de guitarra e baixo.

O desfile é uma espécie de formatura dos alunos das oficinas de percussão realizadas ao longo do ano. Serão 130 batuqueiros em ação e o tema de 2017 será “o carnaval de rua e seus blocos”. O desfile contará ainda com a participação da atriz e cantora Emanuelle Araújo como Rainha da Bateria e do cantor B Negão.

Mais uma vez o Monobloco fará um desfile sustentável. Com o uso de biocombustível nos caminhões de som e geradores. Além do plano de preservação dos monumentos e do próprio Parque do Ibirapuera. O folião vai encontrar ainda placas bem-humoradas que estimulam a diversão com responsabilidade.

Praça das Artes

O Carnaval na Praça das Artes foi neste sábado, a partir das 12h. O Núcleo Pé de Zamba apresenta Glocalidades-Pernambuco. Uma proposta de improvisação em dança contemporânea aliada às tradicionais manifestações pernambucanas como frevo, maracatu, caboclinho, entre outras.

No mesmo dia, às 14h, quem se apresenta é a Orquestra Paulista de Carnaval. Com o resgate do clima dos carnavais dos anos 1930 e 1970. Os bailes de máscaras com as tradicionais marchinhas como Mamãe eu Quero, Cabeleira do Zezé e muitas outras.

A partir das 16h, a POIN – Pequena Orquestra Interativa – traz O Pé no Frevo. Um carnaval com brincadeiras, frevos, baianas e marchas alagoanas. A Praça das Artes fica na Avenida São João, 281, no centro da capital, próxima às estações Anhangabaú e República do Metrô.

Palco Anhangabaú e Palco Largo da Batata

A prefeitura de São Paulo montará palcos no Anhangabaú, no Centro, e no Largo da Batata, na Zona Oeste. Para facilitar a dispersão dos blocos carnavalescos. Nestes palcos os shows já começaram neste sábado no Palco Anhangabaú com o Tributo ao “Seu Carlão”, morto em 28 de janeiro. Com a Banda Redonda e participação especial de Germano Mathias.

Já neste domingo é a vez da Troça Elétrica – Nação Zumbi convida Siba e a Orquestra de Frevo Henrique Dias. Já no Palco Largo da Batata, a folia de sábado é com Baile do Bixiga 70 com Fred 04 e convidados. No domingo, o Baile do Bixiga 70 volta com Liniker e convidados. A folia está marcada para ocorrer das 19h às 23h.

Blocos infantis

Bloquinho Tindôtetê – Centro

O Bloquinho Tindôtetê agitou os foliões mirins neste sábado, a partir das 13h, perto da Estação República do metrô. Vai ter muitas brincadeiras, músicas, fantasias e purpurina para animar os pequenos. Este ano, a folia terá como tema “Maternidade Real”. Com marchinha inspirada no cotidiano materno e ainda contará com a presença da bateria da faculdade Cásper Líbero.

Bloco do bem – Zona Leste

Com muita música, marchinhas, balões e confete, o Bloco do Bem traz um elemento a mais para o carnaval de rua da São Paulo: a solidariedade. É neste clima que a folia ocorre neste domingo, às 11h, no Tatuapé, Zona Leste da cidade.

A festa é de graça, mas o Bloco do Bem convida o público a vestir literalmente a camisa da folia por uma boa causa. Com o tema “#Somos todos heróis”. Cada peça sai por R$ 40,00. Todo dinheiro arrecadado será destinado à instituição Cenha – Centro Educacional Nossa Senhora da Penha. Que há 51 anos oferece atendimento gratuito a pessoas com deficiência intelectual. Para quem quiser ajudar de outra forma, é só levar 1kg de alimento não-perecível.

Bloco Mamãe Eu Quero – Zona Oeste

Na região de Perdizes, zona oeste da cidade, quem agita é o Bloco Mamãe Eu Quero. A folia começou cedo, a partir das 9h deste sábado. Ao som de tamborins, repiques, surdos e chocalhos, a Bateria Encantada, do músico e percussionista Roque Miguel. Traz para a avenida super-heróis e ícones de animação. Como Superman, Ben 10, Sininho e os mais recentes: Luna e Ladybug.

O repertório inclui samba, pop, MPB e, claro, os clássicos infantis. Este ano, o enredo do bloco será “A Sorrir Eu Pretendo Levar a Vida”. Inspirado em um verso extraído da canção “O Sol Nascerá”, de Cartola. A canção será interpretada pela cantora Joana Rychter, que já emprestou sua voz para os sambas da São Clemente.

Bloco Fraldinhas e Alfinetes – Zona Sul

Vai ter folia, papinha e concurso de melhor fantasia no carnaval de rua do Bloco Fraldinhas e Alfinetes. A festa ocorreu neste sábado, das 10h às 14h, na Avenida Jandira, em Moema. Além de atividades recreativas, uma banda vai animar a garotada. O público vai eleger as cinco melhores fantasias, que ganharão um kit completo de refeição da marca patrocinadora. O evento é gratuito e não há limite de idade.

SP proíbe blocos de carnaval com mais de 20 mil foliões

A prefeitura de São Paulo proibiu blocos de carnaval com mais de 20 mil pessoas na Zona Oeste

As áreas residenciais próximas aos trajetos definidos para o desfile dos blocos serão isoladas com grades de proteção, com objetivo de impedir a perturbação do sossego dos moradores

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

A prefeitura de São Paulo proibiu blocos de carnaval com mais de 20 mil pessoas na Zona Oeste. As regras foram publicadas no Diário Oficial. A cidade cadastrou 495 blocos para o carnaval deste ano, sendo que 89 devem desfilar apenas na região oeste, concentrados nos bairros Pinheiros e Vila Madalena.

A prefeitura de São Paulo proibiu blocos de carnaval com mais de 20 mil pessoas na Zona Oeste
A prefeitura de São Paulo proibiu blocos de carnaval com mais de 20 mil pessoas na Zona Oeste

As áreas residenciais próximas aos trajetos definidos para o desfile dos blocos serão isoladas com grades de proteção, com objetivo de impedir a perturbação do sossego dos moradores. Não será permitida a passagem dos blocos em 23 ruas e avenidas da região. Entre elas Rua Cardeal Arcoverde, Rua Teodoro Sampaio, Avenida Rebouças, Avenida Faria Lima, Avenida Brasil e Avenida Nove de Julho.

O tempo máximo de duração do desfile será de cinco horas. Os carros de som deverão ser desligados às 19h e a dispersão dos blocos deverá ocorrer até as 20h. Os ambulantes ficam obrigados a encerrar a comercialização de bebidas alcoólicas às 20h, assim como os bares da área, que deverão fechar as portas às 22h, para evitar a continuidade da aglomeração no local.

Público

Haverá controle de entrada de público na parte central da Vila Madalena, no quadrilátero formado pelas ruas Inácio Pereira da Rocha, Harmonia, Wisard e Simão Álvares. Será montada uma base operacional com participação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Guarda Civil Metropolitana (GCM) e Polícia Militar. Os moradores dos bairros poderão acionar auxílio nesse local em caso de transtornos.

O calendário oficial de eventos do carnaval paulistano deste ano vai de 17 de fevereiro a 5 de março. Na Vila Madalena, a festa começa no dia 18, a partir das 9h. Todos os blocos da região deverão começar os desfiles antes das 15h, como forma de evitar atrasos na dispersão.

Chuva deixa desaparecidos e população fica sem água em SP

O rompimento de uma adutora também provocou o desabastecimento de água, há cinco dias, em todo o município, que tem 652 mil habitantes

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

A forte chuva que atingiu a cidade de Sorocaba, no interior paulista, deixou um homem e um menino, levados pela correnteza em um córrego, desaparecidos desde sábado. O rompimento de uma adutora também provocou o desabastecimento de água, há cinco dias, em todo o município, que tem 652 mil habitantes.

A forte chuva que atingiu a cidade de Sorocaba, no interior paulista, deixou um homem e um menino, levados pela correnteza em um córrego
A forte chuva que atingiu a cidade de Sorocaba, no interior paulista, deixou um homem e um menino, levados pela correnteza em um córrego

O Corpo de Bombeiros retomou nesta manhã as buscas pelos desaparecidos. No sábado, a chuva começou às 17h e elevou a vazão do córrego, no Jardim Novo Horizonte, onde quatro crianças pescavam. Elas caíram na água, mas uma conseguiu se salvar e pedir ajuda a um adulto. O homem resgatou duas crianças, mas foi levado pela correnteza quando tentava salvar a última vítima.

De acordo com a Defesa Civil, 11 pessoas morreram em razão da chuva desde dezembro do ano passado. Quatro municípios paulistas estão em estado de alerta para precipitação: Francisco Morato, São Vicente, São Sebastião e Bom Jesus dos Perdões.

Desabastecimento

Segundo a prefeitura, toda a cidade foi afetada pelo desabastecimento de água, que começou com o rompimento da principal adutora de Sorocaba durante a forte chuva que ocorreu na madrugada entre o dia 31 do mês passado e a última quarta-feira. Naquela noite, foram registrados 128 milímetros, precipitação esperada para todo o mês de janeiro.

A população recebe água em esquema de rodízio. Também conta com o auxílio de 16 caminhões-pipa enviados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A adutora rompida tem 800 milímetros de diâmetro, 20 metros de extensão e 15 metros de altura.

Sem água nas escolas, a prefeitura decidiu adiar o retorno das aulas desta segunda para quarta-feira nas 148 escolas municipais. O calendário escolar não será prejudicado, já que as aulas vão ser repostas, informou a prefeitura. A população também pode buscar água em 21 escolas, onde foram disponibilizados caminhões-pipa.

Obras

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) enfrenta dificuldade para fazer as obras de reparo. Pois o local é de difícil acesso e também porque a chuva não cessa. No sábado, com a chuva intensa, não houve estabilização do solo para a passagem das máquinas.

As equipes fizeram a reposição dos tubos por guindaste de grande porte, que vão içar a estrutura metálica no vão existente após o rompimento. Em sequência, será feita a soldagem das duas extremidades do novo tubo. A previsão é de que o abastecimento seja normalizado nesta terça-feira.

Corpo da ex-primeira dama Marisa Letícia é velado em SP

A ex-primeira-dama morreu na sexta-feira, aos 66 anos, após ficar dez dias internada no hospital Sírio- Libanês. No último dia 24, ela sofreu um acidente vascular cerebral hemorrágico

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

 

O velório da ex-primeira dama Marisa Letícia Lula da Silva teve início por volta das 9 horas deste sábado, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP). Ela foi velada no terceiro andar do edifício, no anfiteatro do sindicato. Inicialmente, apenas familiares e amigos próximos tiveram acesso ao local. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou ao sindicato às 8h45.

A ex-primeira-dama morreu na sexta-feira, aos 66 anos
A ex-primeira-dama morreu na sexta-feira, aos 66 anos

Em uma fila que se estendeu por aproximadamente um quarteirão na lateral do edifício, populares aguardaram a liberação para poderem se despedir da ex-primeira dama. Um mural foi instalado na entrada do sindicato para que as pessoas registrassem mensagens de pesar pela morte de Marisa Letícia e de apoio ao ex-presidente Lula.

Velório

O velório foi encerrado no inicio da tarde. O corpo da ex-primeira dama foi levado para o crematório do cemitério Jardim da Colina, em cerimônia reservada a família.

A ex-primeira-dama morreu na sexta-feira, aos 66 anos, após ficar dez dias internada no hospital Sírio- Libanês. No último dia 24, ela sofreu um acidente vascular cerebral hemorrágico.