Japão irá vetar interessados em venda de unidade de chips da Toshiba

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão, se necessário, disse uma das fontes

Por Redação, com Reuters  – de Tóquio:

O governo japonês, preocupado com o futuro da unidade de chips de memória da Toshiba, está preparado para bloquear uma venda a interessados que sejam considerados um risco para a segurança nacional, disseram fontes, uma posição que dá aos Estados Unidos uma vantagem importante.

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão
O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão

O governo usaria as leis cambiais e de comércio exterior do Japão para controlar o leilão, se necessário. Disse uma das fontes. As fontes estão diretamente envolvidas no processo de venda. Mas pediram para não ser identificadas porque as informações não são públicas.

Estados Unidos

– Os Estados Unidos são o único parceiro viável do ponto de vista da segurança nacional do Japão – disse outra fonte. Observando que chips de ponta estão no centro da robótica, inteligência artificial e dispositivos conectados.

Com a intenção de compensar uma baixa contábil por vir de US$ 6,3 bilhões para sua unidade nuclear norte-americana Westinghouse. E criar uma proteção para futuras perdas potenciais, a Toshiba está se apressando para vender a maior parte ou mesmo a totalidade da unidade. O segundo maior produtor de chips NAND do mundo – que está avaliada em pelo menos US$ 13 bilhões.

Angela Merkel faz apelo por unidade europeia

Antes de reunião com líderes do bloco, chanceler federal afirma que Alemanha só vai prosperar se Europa também for bem. Sobre Erdogan, ela diz que comparações com o nazismo precisam parar

Por Redação, com DW – de Berlim:

Em pronunciamento no Parlamento alemão nesta quinta-feira, a chanceler federal Angela Merkel relembrou, pouco antes da conferência dos líderes da União Europeia, a história de sucesso do bloco europeu e alertou que o Brexit – a saída do Reino Unido da UE após decisão em referendo – deve servir como alerta.

A chanceler federal Angela Merkel
A chanceler federal Angela Merkel

Ela mencionou também a questão da imigração e o recente acirramento das tensões diplomáticas entre seu país e a Turquia. Aliado-chave na contenção do fluxo de refugiados em direção à Europa..

Merkel disse que a reunião em Bruxelas deveria tratar de temas econômicos. Mas, citando como exemplo a crise dos refugiados e o Brexit. Assegurou que outros temas também serão discutidos.

Ao mencionar a atual relutância de alguns países do Leste Europeu em ceder liberdades nacionais em nome do projeto da UE. Merkel disse que a União pode progredir sem os Estados-membros. A Alemanha, afirmou, pode prosperar “apenas se a Europa estiver bem”.

Merkel fez elogios ao Tratado de Livre Comércio e Investimentos entre a UE e o Canadá (Ceta, na sigla em inglês). E pediu que a Europa evite isolar-se do resto do mundo. Numa referência indireta à postura adotada pelo presidente americano, Donald Trump. A chanceler deixou claro que a UE se defenderá contra medidas injustas de protecionismo.

Merkel avaliou de modo critico a atual política europeia para os refugiados: “Não há dúvida que fizemos progressos, mas o sistema de concessão de refúgio da UE precisa ser reformado.”

Tensões com a Turquia

A chanceler mencionou as polêmicas declarações feitas recentemente pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Em meio ao acirramento das tensões diplomáticas entre seu país e Berlim, ele acusou a Alemanha de adotar “práticas nazistas” após o cancelamento de eventos políticos turcos em várias cidades alemãs sobre o referendo da reforma constitucional proposta por Ancara, que visa estabelecer o regime presidencialista na Turquia, ampliando os poderes do presidente.

Merkel afirmou que tais declarações são tão fora de propósito que é difícil comentá-las. Os comentários de Erdogan “não podem ser justificados”, afirmou. “As comparações com o nazismo geram apenas sofrimento. Isso precisa parar.”

Ela ainda fez críticas às restrições à liberdade de imprensa na Turquia, acrescentando que a Alemanha fará todo o possível pela libertação do jornalista teuto-turco Deniz Yücel, correspondente do jornal alemão Die Welt preso em Istambul, acusado por Erdogan de ser agente da Alemanha e membro do banido Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

A chanceler ressaltou que não é do interesse da Alemanha romper relações com a Turquia, mas acrescentou que seu país deve manter seus valores essenciais, da maneira que achar apropriado. Ela expressou o desejo de assegurar as liberdades da comunidade turca no país, que vive tensões internas entre os apoiadores do PKK e da extrema direta.

Os turcos, disse Merkel, são parte do país e contribuem para a prosperidade da Alemanha..

Unidade da Polícia Militar é incendiada no RN

Duas pessoas já foram presas por suspeita de envolvimento no ataque

Desde o início do ano, o Estado vive uma crise na área de segurança. Uma rebelião iniciada no dia 14 de janeiro na Penitenciária Estadual de Alcaçuz deixou ao menos 26 mortos

Por Redação, com ABr – de Natal:

A unidade do Pelotão Destacado de Polícia Militar (PM) de Arez, na região leste do Rio Grande do Norte, foi incendiada desta quarta-feira, por volta das 5h. Segundo a PM, possivelmente, foi usado combustível para iniciar o incêndio.

O fogo destruiu parte do prédio e um veículo. Nenhum policial ficou ferido.

Duas pessoas já foram presas por suspeita de envolvimento no ataque
Duas pessoas já foram presas por suspeita de envolvimento no ataque

Duas pessoas já foram presas por suspeita de envolvimento no ataque e a polícia investiga a participação de outras. Por enquanto, não há informações sobre a motivação do crime ou a ligação dos suspeitos com algum grupo criminoso.

Desde o início do ano, o Estado vive uma crise na área de segurança. Uma rebelião iniciada no dia 14 de janeiro na Penitenciária Estadual de Alcaçuz deixou ao menos 26 mortos. Outros motins se seguiram, e agentes da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária foram enviados ao estado. Também em janeiro, ônibus e prédios públicos foram alvo de ataques criminosos na capital e em mais cinco cidades. 

Segurança em Alcaçuz

O governo do Rio Grande do Norte anunciou os gastos com a instalação de contêineres e o muro, estruturas utilizadas para separar os presos de facções criminosas rivais na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, região metropolitana de Natal. Segundo o governo, o gasto total será de R$ 794 mil, correspondentes ao aluguel, transporte, instalação e desinstalação dos contêineres, locação de escavadeira, retroescavadeira e caçamba para transporte de entulhos e a construção do muro de concreto.

O muro ainda não foi erguido, enquanto isso os contêineres funcionam como solução provisória e já separam os detentos. A colocação das duas linhas totalizando 15 contêineres custará pouco mais de R$ 100 mil. Já a construção do muro de separação dos pavilhões custará R$ 267,4 mil. No dia 14 de janeiro, 26 detentos foram mortos durante um conflito entre faccções riviais em Alcaçuz e o governo decidiu separá-los por um muro, já que as celas do presídio não têm grades desde uma rebelião ocorrida em 2015.

Alcaçuz ficou sob domínio dos detentos, que circulavam pelo pátio livremente até o último dia 27 de janeiro. Neste dia, integrantes da força tarefa federal, agentes penitenciários e policiais militares iniciaram uma operação no presídio para retomar o controle dos pavilhões que estavam ocupados por presos.

Também nesta terça-feira o governo local anunciou a transferência de cinco detentos de Alcaçuz para presídios federais. Os cinco homens foram identificados como lideranças do Primeiro Comando da Capital (PCC). A Justiça autorizou as transferências, mas, por questões de segurança, a Secretaria de Justiça e Cidadania não informou para onde eles serão levados.

Apesar das medidas emergenciais de segurança na unidade, a intenção do governador do estado, Robinson Faria, é desativar Alcaçuz. Para que isso ocorra, as prisões de Ceará-Mirim, Afonso-Bezerra e Mossoró, ainda em construção, precisam ficar prontas. As três unidades, juntas, terão capacidade de receber 2,2 mil presos.

China: HSBC lança unidade de financiamento para startups

O HSBC lançou uma unidade de financiamento avaliada em US$ 290 milhões

As promissoras startups de tecnologia da segunda maior economia do mundo têm evitado tradicionais concessores de financiamento. Buscando captar fundos diretamente com investidores

Por Redação, com Reuters – de Hong Kong:

O HSBC lançou uma unidade de financiamento avaliada em US$ 290 milhões e focada em empresas iniciantes de tecnologia e outros setores na China, intensificando a disputa por negócios com potencial de crescimento em meio à desaceleração da economia asiática.

O HSBC lançou uma unidade de financiamento avaliada em US$ 290 milhões
O HSBC lançou uma unidade de financiamento avaliada em US$ 290 milhões

Impulsionadas por capital de investidores privados nos últimos anos. As promissoras startups de tecnologia da segunda maior economia do mundo têm evitado tradicionais concessores de financiamento. Buscando captar fundos diretamente com investidores.

Mas bancos globais não mais querem ser deixados de fora. Principalmente depois do sucesso de negócios como Alibaba e Tencent, que viram a receita dobrar de tamanho nos dois últimos anos. Apesar do desaquecimento da economia chinesa.

Como resultado, instituições financeiras como HSBC e Citigroup. Assim como bancos chineses, estão agora abordando as startups com ofertas de empréstimos e outros serviços bancários.

Ao lançar seu “fundo de inovação” de 2 bilhões de iuans (US$ 290 milhões). Para empresas de pequeno e médio portes na província de Guangdong, na região do Delta do Rio das Pérolas. O HSBC planeja atuar nesse segmento promissor e aumentar a base de clientes.

– O cliente alvo será aquele de alta sofisticação, empresas e startups de tecnologia avançada. Essas empresas que estão atualizando o uso da tecnologia e a capacidade de inovar – disse Montgomery Ho, presidente do HSBC na província de Guangdong.

Tectoy

A Tectoy não conseguiu cancelar seu registro de companhia aberta com um processo de oferta pública de aquisição de ações (OPA). Informou a empresa em fato relevante divulgado nesta quarta-feira.

– Não foi verificada a condição necessária para o referido cancelamento – esclareceu a companhia. O preço das ações vendidas no leilão de 12 de dezembro será pago no dia 15. Conforme previsto no edital da OPA. “A companhia permanecerá por ora como companhia aberta”, afirmou a fabricante de videogames e produtos eletrônicos.

Unidade prisional do Ceará irá priorizar presos que trabalham

Com 1.016 vagas e 13 mil metros quadrados de área construída, a maior unidade prisional do Ceará terá como público-alvo condenados que já trabalharam

Segundo a Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus).Os presos que vão ocupar a nova unidade foram selecionados entre os detentos das sete unidades prisionais do Estado

Por Redação, com ABr – de Fortaleza:

 

Com 1.016 vagas e 13 mil metros quadrados de área construída, a maior unidade prisional do Ceará terá como público-alvo condenados que já trabalharam e desejam continuar trabalhando durante o cumprimento da pena. O Centro de Execução Penal e Integração Social (Cepis) Vasco Damasceno Weyne foi inaugurado na sexta e começa a receber internos na próxima segunda-feira.

Com 1.016 vagas e 13 mil metros quadrados de área construída, a maior unidade prisional do Ceará terá como público-alvo condenados que já trabalharam
Com 1.016 vagas e 13 mil metros quadrados de área construída, a maior unidade prisional do Ceará terá como público-alvo condenados que já trabalharam

Segundo a Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus).Os presos que vão ocupar a nova unidade foram selecionados entre os detentos das sete unidades prisionais do Estado. No Cepis, há salas de aula, quadras poliesportivas e seis galpões destinados à implantação de indústrias. Duas delas, de confecção e materiais esportivos, assinaram convênio para começar a produzir em breve, com a mão de obra dos internos.

– A ideia é fazer desta unidade uma referência de trabalho e estudo. O esforço é ter ênfase nestas iniciativas e na humanização do sistema prisional. Buscando qualificar essas pessoas para o mercado de trabalho. Ou assim fazemos ou a possibilidade eles voltarem a delinquir são altas – disse o secretário de Justiça, Hélio Leitão.

O Cepis fica no Complexo Penitenciário de Itaitinga 2, na região metropolitana de Fortaleza. Onde uma série de rebeliões causou a morte de 18 presos em maio deste ano.

As 180 celas da nova unidade possuem, cada uma, seis camas, e as alas dão acesso a pátios externos conhecidos como “banho de sol”. O acesso do público à nova unidade conta com dois scanners, um para objetos e outro para o corpo, chamado de bodyscanner. A tecnologia visa evitar a entrada, por exemplo, de aparelhos de telefone celular.

A construção da unidade foi financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Teve investimento de R$ 26,3 milhões, com contrapartida estadual de R$ 13,9 milhões.

Déficit

A criação das novas vagas, no entanto, não ameniza o déficit no sistema penitenciário do Ceará. A população carcerária total do estado é de 24 mil pessoas. Desses, 17 mil estão encarcerados. Para atender a todos, segundo a Sejus, seriam necessárias mais 6 mil vagas em unidades prisionais. “A superpopulação carcerária é dramática. Continuamos com um grande excedente prisional”, reconheceu Leitão.

Segundo o governador do Ceará, Camilo Santana, há outras unidades prisionais em construção, que vão criar cerca de 3 mil vagas. Por outro lado, Santana reiterou que a redução do déficit de vagas no sistema carcerário envolve também outras medidas. Como as audiências de custódia e a ampliação do número de tornozeleiras de monitoramento, que são 1,2 mil. “Com essa nova unidade e com o esforço coletivo, talvez o Ceará passe a ser um dos estados com o menor número de presos em excesso.”

O Cepis Vasco Damasceno Weyne é a segunda unidade prisional no Ceará dedicada exclusivamente a presos já condenados, a primeira fica no município de Pacatuba, na região metropolitana de Fortaleza.

A expectativa do governo cearense é que as novas vagas ajudem a desafogar as carceragens das delegacias. Uma vez que, com a transferência dos presos para a nova penitenciária. As vagas das outras unidades fiquem livres, incluindo as de prisão provisória. Atualmente, há cerca de 600 pessoas detidas nas delegacias do Estado.

Unidade de saúde referência para os Jogos ganha nova emergência

Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio

O hospital conta com novo espaço de acolhimento da família, com acesso climatizado e humanizado

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

 

A prefeitura do Rio inaugurou nesta quarta-feira a nova emergência do Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio. Totalmente reformada e ampliada, a unidade passou a se chamar Coordenação de Emergência Regional de Campo Grande. A partir de agora, o setor conta com alas exclusivas para atendimento de adultos (masculino e feminino) e crianças.

Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio
Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio

A maternidade também ganhou uma entrada exclusiva. O hospital conta com novo espaço de acolhimento da família, com acesso climatizado e humanizado. A unidade é considerada uma das referências para atendimento durante os Jogos Rio 2016.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, lembrou que a situação estrutural da unidade era “muito ruim” e, por isso, a prefeitura teve de tomar conta da área de saúde da Zona Oeste. Paes comentou também sobre uma visita do Ministério Público estadual em junho, quando foram encontrados 63 corpos abandonados no necrotério da unidade de saúde.

– O cenário daqui era muito ruim. Não dá para discordar das denúncias que o MP fez. Estava tudo muito ruim, fisicamente falando. Fizemos reformas em basicamente todas as áreas do hospital. Pelo relato do secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, os corpos já estavam aqui por muito tempo. Para a retirada, há toda uma burocracia natural nesses casos – disse.

Para Daniel Soranz, a verba investida na reforma não foi direcionada ainda para melhorias no necrotério. “Nossa prioridade foi o atendimento pessoal, isto é, dos pacientes. A partir de agora voltaremos nossa atenção para essa e outras questões.”

Desde a municipalização, em janeiro deste ano, já foram investidos R$ 17,4 milhões em melhorias de estrutura e novos equipamentos no Rocha Faria, com reforma e climatização das enfermarias e da emergência, além da aquisição de novos equipamentos e mobiliário. Cerca de 11 mil pacientes devem ser beneficiados com a melhoria na unidade.

Bancos no Rio

As agências bancárias da cidade do Rio de Janeiro ficarão fechadas três dias durante os Jogos Olímpicos Rio 2016. Segundo a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), os bancos não terão expediente nos feriados especiais dos dias 5, 18 e 22 de agosto, decretados pela prefeitura carioca.

No dia 5 de agosto, sexta-feira, haverá a cerimônia de abertura da Olimpíada. No dia 18, quinta-feira, o motivo do feriado é a prova de triatlo, que provocará a interdição de várias ruas em Copacabana. Já em 22 de agosto (segunda-feira), dia posterior ao encerramento dos Jogos, espera-se que haja um grande fluxo de pessoas deixando a cidade.

Além disso, desde a última segunda-feira, agências localizadas dentro dos perímetros especiais de trânsito da prefeitura nas zonas sul, norte, oeste e centro estão funcionando das 12h às 16h. O horário especial estará em vigor até o dia 18 de setembro, ou seja, depois dos Jogos Paralímpicos.

Rio inaugura unidade de acolhimento de crianças

O novo abrigo é a primeira das cinco unidades que substituirão a URS Ayrton Senna

 

A URS Ziraldo conta com uma equipe de profissionais especializados, dentre eles assistente social, psicólogo, educadores e pessoal de apoio trabalhando em escala de revezamento

 

Por Redação, com ARN – do Rio de Janeiro:

 

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS) inaugurou, nesta terça-feira, um novo espaço para acolher crianças em situação de violência ou abandono familiar. A Unidade de Reinserção Social (URS) Ziraldo, que fica no Méier, tem capacidade para 20 crianças, de quatro a 12 anos de idade, priorizando grupo de irmãos.

O novo abrigo é a primeira das cinco unidades que substituirão a URS Ayrton Senna
O novo abrigo é a primeira das cinco unidades que substituirão a URS Ayrton Senna

– Ter abrigos reestruturados e adaptados às necessidades das crianças e adolescentes cariocas é uma das prioridades da nossa secretaria. Por isso, temos investido nos espaços para melhor recebê-las. Das 15 unidades voltadas para o público infanto juvenil, oito foram inauguradas nos últimos três anos, e o Ziraldo é o nono abrigo novo. Até o fim do ano, serão mais quatro unidades abertas – disse o vice-prefeito e secretário municipal de Desenvolvimento Social, Adilson Pires.
 
A URS Ziraldo conta com uma equipe de profissionais especializados, dentre eles assistente social, psicólogo, educadores e pessoal de apoio trabalhando em escala de revezamento. Além dos quartos, a estrutura da unidade tem sala de atendimento individual, refeitório, sala de estar, lavanderia, banheiros e jardim.
 
O novo abrigo é a primeira das cinco unidades que substituirão a URS Ayrton Senna. A unidade que será fechada ainda este ano, foi inaugurada em 1994, após a intensa comoção popular por conta da Chacina da Candelária. O espaço será desmobilizado pois ultrapassa o número de vagas delimitado na legislação.
 
A Unidade de Reinserção Social (URS) Ziraldo fica na Rua Isolina, 308, Méier.

Menores fogem da unidade de Santos da Fundação Casa

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

Quarenta e dois internos da unidade de Santos da Fundação Casa fugiram na noite de segunda. De acordo com nota da entidade, o local abrigava 64 pessoas. Até por volta das 9h30 desta terça-feira, nenhum dos fugitivos havia sido recapturado. A Polícia Militar fez buscas na região.

O comunicado informa ainda que não havia superlotação e que foi aberta sindicância para apurar mais essa fuga. Os menores que retornarem à unidade ficam sujeitos às sanções disciplinares aplicadas por uma Comissão de Avaliação Disciplinar. A Fundação Casa informou também que o Judiciário e os familiares dos adolescentes estão sendo informados do ocorrido.

O comunicado informa ainda que não havia superlotação e que foi aberta sindicância para apurar mais essa fuga
O comunicado informa ainda que não havia superlotação e que foi aberta sindicância para apurar mais essa fuga

A série de fugas nas unidades vem sendo registrada desde o mês passado. Na última sexta-feira, quatro servidores da unidade de Pirituba, Zona Norte da cidade de São Paulo, foram feitos reféns em rebelião que durou mais de cinco horas. Eles foram liberados sem ferimentos.

Até sexta-feira, haviam sido registradas seis fugas das unidades desde setembro. No total, 174 internos fugiram e 32 foram recapturados.

Fundação Casa de Lorena

Quatro adolescentes em conflito com a lei que tinham fugido no dia 4 de outubro da Fundação Casa foram reconduzidos à unidade de Lorena, município do Vale do Paraíba a cerca de 182 quilômetros da cidade de São Paulo. Até o começo da tarde do dia seguinte, já tinham sido recapturados 18 do total de 39 fugitivos.

Em setembro, 33 jovens infratores escaparam da unidade de Guaianazes, na zona Leste. Com as demais ocorrências que atingiram as unidades Encosta Norte, Vila Conceição, Novo Horizonte, Ferraz de Vasconcelos I e Guarulhos, o número de fugitivos somou 132, dos quais apenas 32 foram recapturados.

O diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança e ao Adolescente (Sitraemfa), João Faustino, disse que as unidades da zona leste estão com carência de vigilantes, já que a empresa terceirizada que fazia o tipo de serviço entrou em falência.

No entanto, Faustino associa as constantes fugas ao baixo número de servidores destacados para atender os jovens. Pelas suas contas, cabe a cada quatro servidores zelar de 60 jovens. “A vigilância só cuida do patrimônio. Quem cuida dos adolescentes somos nós”, disse o líder sindical.

Segundo Faustino, mensalmente, mais de mil servidores são afastados por questões de saúde, como as situações de estresse que enfrentam no dia a dia com esse tipo de atividade. “Constantemente, somos ameaçados por internos.”

Ele disse que o sindicato está preparando um dossiê com as ocorrências e a situação de vulnerabilidade dos servidores para encaminhar aos órgãos de segurança. Em meio a tudo isso, o Sitraemfa está atuando para reduzir a jornada para 30 horas semanais.

Em nota, a Fundação Casa informou que alguns centros socioeducativos ficaram sem o serviço de vigilância patrimonial pelo descumprimento contratual da empresa terceirizada de segurança Aviseg, um problema que vem sendo enfrentado desde o começo de maio. Mas, por questão de segurança, os números de funcionários e centros afetados não são divulgados, diz o comunicado.

– O serviço que era prestado pelos vigias da empresa terceirizada está sendo realizado por servidores da Fundação Casa, em regime de hora extra, esclarece a fundação. De acordo com a nota, o número de adolescentes por funcionário é definido de acordo com a previsão adequada de jovens que podem ser atendidos por servidores.

SP terá hormonioterapia para transexuais na rede básica de saúde

Por Redação, com RBA – de São Paulo:

A prefeitura de São Paulo lançou nesta quinta-feira o serviço de hormonioterapia gratuita para população transexual na rede básica de saúde da capital paulista. O atendimento será iniciado pelas nove Unidades Básicas de Saúde (UBS) da região central, que, segundo a prefeitura, concentra 70% das pessoas transexuais da cidade. E vai contar com acompanhamento de psicólogo e endocrinologista, além da criação de um protocolo de atendimento aos usuários interessados em iniciar a hormonioterapia.

– Primeiramente, o paciente precisa procurar uma dessas UBSs onde passará por sessões com um psicólogo que irá elaborar um laudo analisando se ele está convicto que é aquilo que quer e vai encaminhar o paciente para consulta com o endocrinologista que vai solicitar exames e avaliar se vai prescrever o tratamento – destacou o secretário municipal da Saúde, Alexandre Padilha.

Ao procurar a hormonioterapia, a pessoa será encaminhada para uma unidade que tenha atendimento psicológico
Ao procurar a hormonioterapia, a pessoa será encaminhada para uma unidade que tenha atendimento psicológico

Ao procurar uma UBS buscando a hormonioterapia, a pessoa será encaminhada para uma unidade que tenha atendimento psicológico. Já o médico endocrinologista fará atendimento somente na UBS Santa Cecília. “A ideia é que possamos levar essa discussão e a capacitação dos profissionais para as outras regiões da cidade, já que na maioria delas já há atendimento ao público LGBT – disse Padilha.

Nesta primeira fase, o cuidado será iniciado com as beneficiárias do Projeto Transcidadania, política de fortalecimento da recolocação profissional, reintegração social e resgate da cidadania, pois a maioria delas já faz uso de hormônio.

– Essa é a primeira ação de outras que foram definidas e serão implementadas de forma gradativa seguindo as diretrizes da linha de cuidados para poder atender às necessidades desta população. A hormonioterapia precisa ser acompanhada por um profissional qualificado, com prescrição médica, para que a população trans não coloque a saúde em risco – afirmou Padilha.

O tratamento com hormônios busca induzir o desenvolvimento de características sexuais secundárias compatíveis com a identidade de gênero da pessoa. De forma geral, a hormonioterapia deve ser continuada pela vida toda, sendo interrompida somente para a realização de cirurgias.

Por falta de atendimento na rede pública, muitas pessoas transexuais acabam recorrendo à automedicação. Porém, o ideal é ter o acompanhamento com o endocrinologista para estabelecer a dose ideal do medicamento para cada pessoa e evitar problemas relacionados ao uso inadequado de hormônios.

Hoje a população transexual de São Paulo conta com atendimento de hormonioterapia apenas no Ambulatório de Saúde Integral para Travestis e Transexuais do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids do governo paulista, que presta atendimento à população transgênero desde 2010, no bairro Santa Cruz, Zona Sul da capital paulista.

Inca convoca concursados para reforçar atendimento

O Inca negou a falta de material hospitalar em suas unidades
O Inca negou a falta de material hospitalar em suas unidades
O Inca negou a falta de material hospitalar em suas unidades

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), no Rio de Janeiro, convocou 558 aprovados em concurso público para diminuir o déficit de recursos humanos em suas cinco unidades. O Diário Oficial da União publicou na segunda-feira o provimento das vagas para a convocação desses aprovados no concurso público feito no ano passado.

Os novos servidores substituirão os funcionários celetistas vinculados à Fundação Ary Frauzino, conforme determinação dos órgãos de controle do país. Desde o concurso de 2010, mais de 600 servidores deixaram o instituto por motivo de aposentadoria, falecimentos, transferência e exoneração.

O presidente da Comissão de Trabalho, Legislação Social e Seguridade Social da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Paulo Ramos, foi ao hospital para averiguar a situação da unidade-sede. Segundo ele, o maior problema encontrado foi a falta de mão de obra. “A falta de pessoal exige esforço maior dos servidores e causa insatisfação. Não basta chamar apenas os concursados; é preciso que a direção já pense em organizar novo concurso, pois, mesmo com essa convocação, continua uma lacuna. Somente até o final do ano, mais gente vai se aposentar, por exemplo”, disse Ramos.

A diretora de Divulgação da Associação Brasileira de Apoio ao Paciente com Câncer, Solange Gomes de Oliveira, informou que muitos pacientes relatam problemas além da falta de médicos. De acordo com Solange, carência de material, aparelhagem e leitos e filas de espera superiores a 60 dias após o diagnóstico são alguns dos problemas enfrentados pelos que se tratam lá. “Mas esse problema é geral, e não apenas no Inca. As queixas aumentaram de janeiro para cá. São pacientes muito fragilizados pela doença, e o atraso no tratamento piora ainda mais a situação.”

O Inca negou a falta de material hospitalar em suas unidades, mas admitiu que no primeiro trimestre ocorreram atrasos pontuais nos processos de licitação para compras, que ocasionaram a falta temporária de 103 itens num universo de mais de 5 mil. O instituto admitiu que há problemas pontuais, mas alega que as providências estão sendo tomadas para saná-los.

Como exemplo de situações problemáticas, estão quatro dos nove leitos da Unidade Pós-Operatória do Hospital do Câncer I desativados, a mesa de biópsia de mama sem operar e equipamento de monitoração de procedimentos anestésicos que prejudicou exames de ressonância em pacientes que precisam de anestesia para fazer o exame. O equipamento deve voltar a operar ainda neste mês.

Por ser um hospital de referência no estado e no país, a demanda por serviços é muito grande. No ano passado, foram feitas mais de 1,7 mil cirurgias, 10,2 mil atendimentos em quimioterapia, mais de 15 mil em radioterapia e 59 mil consultas médicas.

Para Gilberto Gonçalves Alves, de 62 anos, que se trata de um câncer na boca desde fevereiro, o serviço do hospital é “de primeiro mundo. Demorei 20 dias para conseguir entrar aqui, fiz o tratamento e operei há 20 dias. Não tenho do que reclamar”, disse ele.

A estudante Isabele Alves da Silva Correia, de 17 anos, contou que foi atendida prontamente no Inca após fazer uma cirurgia em outro hospital da cidade. “Agora, vou fazer a biopsia para saber se preciso continuar o tratamento. Estou satisfeita com o atendimento.”

Moradora de Angra dos Reis, Costa Verde Fluminense, Mariá Ferreira dos Santos, de 25 anos, descobriu que a filha de 1 ano tinha um tumor na retina de um dos olhos em dezembro. “Quatro dias depois, ela começou a ser tratada no Inca. Estou satisfeita.”

Para as áreas cirúrgicas de abdômen, neurocirurgia, urologia, tórax, cabeça e pescoço e para radioterapia, o agendamento das avaliações iniciais é feito pelo Sistema de Regulação, gerido pela prefeitura. A prefeitura informa que o gerenciamento da rede de saúde considera critérios como regionalidade (proximidade com a casa do usuário) e a complexidade de cada caso.