Uber sofre derrota judicial em Londres

O Uber, com sede em São Francisco, enfrentou proibições e protestos em todo o mundo e colocou órgãos reguladores atrás da tecnologia que tem desestabilizado os operadores tradicionais

Por Redação, com Reuters – de Nova York/Londres:

O Uber perdeu nesta sexta-feira uma batalha para impedir um órgão regulador de Londres de obrigar os motoristas da empresa de transporte urbano por aplicativo a provarem suas habilidades de leitura e escrita em inglês, o último revés para a companhia em Londres, que agora pode perder alguns trabalhadores.

O Uber iniciou uma ação legal em agosto
O Uber iniciou uma ação legal em agosto

O Uber, com sede em São Francisco, enfrentou proibições e protestos em todo o mundo. Colocou órgãos reguladores atrás da tecnologia que tem desestabilizado os operadores tradicionais.

O Uber iniciou uma ação legal em agosto depois que o órgão público Transport for London (TfL, na sigla em inglês). Disse que os motoristas deveriam provar sua capacidade de se comunicar em inglês. Incluindo um padrão de leitura e escrita que o Uber disse ser muito alto.

– O TfL tem o direito de exigir que os condutores de aluguel privado demonstrem conformidade com a língua inglesa – disse o juiz John Mitting ao rejeitar a reivindicação do Uber.

O Uber disse no início desta semana no tribunal que ter um nível tão alto de competência exigida para inglês poderia significar a perda de licenças por 33 mil motoristas privados em Londres.

Carros autônomos

O Uber Technologies informou que planeja se adequar às regras na Califórnia. E que pedirá licença para colocar os veículos autônomos de volta às ruas do Estado norte-americano. Após uma disputa legal entre a empresa e as autoridades locais em dezembro.

Dois dos carros autônomos do Uber já estão circulando em São Francisco. Mas estão sendo dirigidos manualmente enquanto a companhia “adota as medidas para concluir o procedimento para obtenção de licença para teste”. Disse a porta-voz do serviço.

O Departamento de Veículos Motores da Califórnia (DMV, na sigla em inglês) confirmou ter tido conversas com o Uber. Para ajudar a empresa a obter a licença para testar seus carros autônomos. Mas a companhia ainda não submeteu formalmente a solicitação. Afirmou a porta-voz do departamento, Jessica Gonzalez.

A obtenção da licença permitiria ao Uber retomar os testes de veículos autônomos em São Francisco, que no ano passado foram suspensos apenas uma semana depois de terem sido iniciados.

O DMV exige uma autorização especial para o uso de carros autônomos em rodovias públicas. Pelo menos 23 outras empresas que atualmente exploram a tecnologia. Incluindo o Google, a Tesla Motors e a Ford Motor, obtiveram aval para os testes na Califórnia.

Mas o Uber desafiou as regras em dezembro. Ao tentar lançar o programa em São Francisco sem a devida licença sob a justificativa de que os carros não eram capazes de se locomover “sem…. controle ativo ou monitoramento”. Como a lei da Califórnia define os veículos autônomos.

Sem a autorização, o DMV suspendeu o registro dos 16 carros autônomos do Uber uma semana após a empresa tê-los colocado nas vias públicas. Os veículos em teste foram trazidos para o Arizona. Onde as companhias não precisam de licença especial para operá-los.