Vendas de chips e telas devem guiar lucro da Samsung

Mas investidores estão apostando que as vendas de chips de memória e de telas de tecnologia de diodo orgânico emissor de luz (Oled) para smartphones vão se traduzir em resultados fortes

Por Redação, com Reuters – de Seul/Frankfurt:

A Samsung Electronics deverá provavelmente divulgar na sexta-feira sua maior expectativa de resultado trimestral em quase três anos, afirmam analistas, que citam vendas de chips de memória minimizando o impacto da descontinuação do celular Galaxy Note 7.

As ações da Samsung atingiram um recorde na terça-feira
As ações da Samsung atingiram um recorde na terça-feira

A companhia finalizou as vendas do aparelho depois que alguns deles pegaram fogo. O que fez a empresa anunciar impacto de US$ 2,1 bilhões no lucro do quatro trimestre por causa das despesas com o recall global do produto e vendas perdidas.

Mas investidores estão apostando que as vendas de chips de memória e de telas de tecnologia de diodo orgânico emissor de luz (Oled) para smartphones vão se traduzir em resultados fortes para o período de outubro a dezembro e também ao longo de 2017.

A expectativa é de segunda alta consecutiva no lucro operacional trimestral da Samsung. Para 8,4 trilhões de wons (US$ 7 bilhões). Segundo dados recolhidos junto a 15 analistas pela Thomson Reuters StarMine SmartEstimate. O montante representa aumento de 37 % sobre o resultado de um ano antes e melhor desempenho desde o primeiro trimestre de 2014.

– Acreditamos que os negócios da Samsung com chips de memória vão representar 50 % do lucro operacional total no quarto trimestre – disse a Daiwa em relatório.

As ações da Samsung atingiram um recorde na terça-feira. Acumularam em 2016 valorização de 43 %. Maior ganho anual desde 2012, o que indica que investidores não esperam um forte impacto nos resultados do grupo. Por conta do envolvimento do nome da empresa em um crescente escândalo político na Coreia do Sul.

Intel

A fabricante de chips Intel vai assumir uma participação de 15 % na empresa alemã de mapeamento digital HERE. Informou a companhia norte-americana na terça-feira. Enquanto busca estabelecer sua presença na tecnologia de condução automatizada.

Um documento enviado ao escritório alemão de defesa da concorrência na terça-feira mostrou que a Intel pediu aval para comprar uma participação na empresa. Ela é controlada pelas montadoras alemãs Daimler, BMW e Volkswagen.

A Intel e a HERE afirmaram em comunicado que também assinaram um acordo. Para colaborar na pesquisa e desenvolvimento de atualizações em tempo real de mapas de alta definição (HD). Para condução altamente automatizada.

A Intel não divulgou quanto vai pagar pela participação. Mas disse que a transação deve ser concluída no primeiro trimestre.

O negócio destaca uma mudança na dinâmica de pesquisa e desenvolvimento na indústria automobilística. Até recentemente viu montadoras em grande parte ditando como os fornecedores deveria fabricar suas tecnologias proprietárias em volumes e preços especificos.

Agora, os fabricantes de automóveis estão cada vez mais fechando parcerias com empresas de tecnologia que usam padrões de tecnologia aberta. Buscando aproveitar sua expertise em áreas como a aprendizagem de máquinas e mapeamento. Enquanto competem com empresas do Vale do Silício. Como Google, Tesla e Apple para desenvolver veículos sem condutores.

No mês passado. Duas empresas chinesas e o fundo de capital soberano de Cingapura GIC anunciaram acordo para comprar uma fatia de 10 % na HERE. Em julho a BMW se uniu à Intel e à Mobileye. Para desenvolver carros com direção autônoma até 2021.

A BMW, Daimler e Volkswagen compraram a HERE por 2,8 bilhões de euros em 2015 da fabricante de dispositivos móveis Nokia, da Finlândia.